Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Como proteger seus filhos dos mosquitos!

26 de janeiro de 2016 0

Foto: Arquivo Pessoal

Foto: Arquivo Pessoal

Por Milena Schoeller

O calor registrado em todo o Rio Grande do Sul em janeiro tem ocasionado a proliferação de mosquitos, de diversos tipos. Moradores de regiões que não registravam a presença destes insetos, agora relatam o aparecimento. Além da preocupação com o incômodo das picadas, principalmente nas crianças alérgicas, há também o temor com as doenças que algumas espécies de mosquito transmitem, como a dengue, zika vírus, febre amarela, entre outras.

O blog conversou com a pediatra Lia Brasil, que organizou uma série de dicas para os pais e familiares de como proteger os pequenos, e como proceder em caso de picadas.

Proteção contra as Picadas

- Prefira vestir as crianças e bebês com roupas de tecidos de trama mais fechada, mais grossos. Se possível, use roupas com mangas longas e calças compridas.

- Evite roupas escuras e muito coladas ao corpo.

- Algumas roupas já têm substâncias repelentes. (Confira mais informações neste post da Giane Guerra)

- Evite uso de perfume, pois ele atrai alguns insetos.

- No período do nascer e do pôr do sol, as janelas devem ficar fechadas. Use telas e mosquiteiros.

- O ar condicionado ajuda a manter os mosquitos afastados.

- Alguns produtos podem ser usados nas roupas e nas telas das janelas, consulte seu médico sobre esta possibilidade.

- Repelentes elétricos e líquidos podem ser usados próximos das janelas e portas, tomando cuidado para que as crianças não peguem de forma acidental.

- Aparelhos ultrassônicos ou que emitem luzes não têm eficácia comprovada.

- Desinsetização de casas e apartamentos por empresas especializadas também é indicado.

Uso de Repelentes

O repelente, apesar de seguro de seguro se usado corretamente, é uma substância química e pode causar reações alérgicas ou intoxicações na criança quando usado em excesso, ou sem orientação médica. Acompanhe as orientações da pediatra Lia Brasil:

- É recomendado o uso em regiões com o maior número de insetos: praia, áreas verdes, lagos, etc.

- Não usar durante o período do sono.

- Nunca deixar a criança aplicar no corpo, pois pode esfregar nos olhos, ou colocar a mão na boca.

- Não aplicar na face ou em áreas com ferimentos.

- Assim que não for mais necessário, o repelente deve ser retirado com um banho com água e sabonete.

- Em locais muito quentes (acima dos 40 graus), ou em crianças que suam muito, reaplicar conforme a orientação do fabricante.

- Não aplicar junto com hidratantes ou protetores solares, pois os repelentes podem diminuir o efeito protetor. Pode-se aplicar o protetor solar 20 a 40 minutos após o uso do repelente.

- Para crianças, a apresentação em loção cremosa é mais segura do que em spray.

ATENÇÃO – Orientação de uso conforme a faixa etária e tipo de repelente:

- Os repelentes são indicados para crianças acima de 6 meses. Abaixo desta idade não há estudo sobre segurança e eficácia.

Acima de 6 meses:

- é indicado repelente do tipo IR3535, 1 vez ao dia, proteção dura 4 horas.

Acima de 2 anos:

- Repelente tipo DEET: quanto maior a concentração da substância, mais longa a duração da proteção. No Brasil, há disponível em concentrações menores do que 10%.

- Repelente Icaridina: permite aplicações mais espaçadas, é mais potente contra o Aedes aegypti.

- Óleos Naturais: por evaporarem rápido, protegem por pouco tempo.

Entre 2 e 7 anos: usar até 2 vezes ao dia.

Acima de 7 anos: usar até três vezes ao dia.

.

E se a criança já foi picada?

Foto: Arquivo Pessoal

Foto: Arquivo Pessoal

A picada de insetos pode causar dor e desencadear uma reação alérgica. Conforme a pediatra Lia Brasil, a maioria das reações é leve, com sintomas como coceira, vermelhidão, e inchaço. Estes sintomas somem em alguns dias. Mas como as picadas costumam incomodar os pequenos, a pediatra orienta o que fazer:

- Lavar a área afetada com água e sabonete neutro.

- Uma compressa fria pode diminuir a dor e o inchaço.

- Analgésicos podem aliviar a dor. Consulte seu pediatra. Assim como para o uso de cremes tópicos para o alívio da coceira.

- O uso de antialérgico pode ajudar no controle das reações em caso de criança alérgica, mas use somente com orientação do pediatra.

ATENÇÃO: Quando procurar um médico ou uma emergência???

Em caso de reações alérgicas intensas:

- Dificuldade para respirar

- Inchaço nos lábios ou garganta

- Náuseas ou vômitos

- Tontura ou desmaio

- Urticária

 

Leia Mais

Estudo relaciona Zika Vírus a outras doenças neurológicas

Mitos e Verdades sobre o Zika Vírus

Gestantes podem usar repelentes sem restrições

Como aliviar o calor das crianças

Envie seu Comentário