Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Tire suas principais dúvidas sobre transporte escolar

26 de fevereiro de 2016 0
Foto: Pena Filho / Agencia RBS

Foto: Pena Filho / Agencia RBS

* por Lucas Abati

No início do ano letivo, o transporte escolar é uma das maiores preocupações dos pais. Saber se o transportador é capacitado e o veículo está em dia com a prefeitura pode tranquilizar neste momento. Também existe uma tabela estadual para cobrança do serviço.

Em Porto Alegre, são 619 veículos entre kombis, microonibus e ônibus que transportam mais de 15 mil estudantes. Do total, 123 contam com ar-condicionado.

O Blog Fralda Cheia consultou a EPTC e o Sindicato dos Transportadores para esclarecer as principais dúvidas.

Como funciona a cobrança?

O valor é cobrado de acordo com a distância entre a casa do aluno e a escola, somando ida e volta. De um a 20 quilômetros, são 12 parcelas de R$ 417,13. A cobrança também pode ser realizada em 10 parcelas. Veja a tabela completa.

Cinto é obrigatório?

O cinto de segurança é de uso obrigatório

Como está a questão das cadeirinhas e assentos de elevação?

A exigência dos equipamentos será obrigatória a partir de 1º de fevereiro de 2017. A partir da data, até um ano de idade, as crianças devem ser transportadas em bebê conforto. Do um aos quatro anos, em cadeirinha, e, dos quatro aos sete, usar assento de elevação.

A resolução do Contran que obriga o uso das cadeirinhas causou polêmica entre os transportadores, que foram resistentes ao uso dos equipamentos de segurança.

Como saber se o transportador e veículo estão credenciados?

Em Porto Alegre, a EPTC é o órgão responsável pelo credenciamento e fiscalização dos transportadores. Os pais podem entrar no site da EPTC e consultar através do prefixo do veículo. A pesquisa retorna o nome do responsável, bem como os telefones para contato.

Como denunciar irregularidades?

A denúncia deve ocorrer pelo número 118 da EPTC, em Porto Alegre. Nas outras regiões, a denúncia pode ocorrer através do próprio Sindicato: 51.3334 9063

Envie seu Comentário