Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Cuidados para prevenir a Caxumba

08 de abril de 2016 0

Por Milena Schoeller

Imagem: Reprodução da Internet

Imagem: Reprodução da Internet

Após a confirmação de dezenas de casos de caxumba em Porto Alegre, a Secretaria Estadual da Saúde divulgou nota nesta semana com recomendações. São algumas orientações básicas e esclarecimentos. O blog também reuniu orientações repassadas pela Secretaria Estadual do Rio de Janeiro sobre a doença.

A Caxumba é uma doença viral, que provoca aumento das glândulas salivares, geralmente as parótidas.

Existe Vacina!

A melhor forma de prevenção é a vacina (Tríplice Viral), que deve ser aplicada em duas etapas: a primeira dose aos doze meses, e a segunda aos 15 meses de vida. A tríplice viral também protege contra o sarampo e a rubéola. Considera-se vacinada a pessoa, entre um e 19 anos de idade, que comprovar ter recebido as duas doses. A partir dos 20 até os 49 anos, é recomendada uma única dose. A vacina está disponível nos postos de saúde.

Transmissão

A transmissão da caxumba ocorre por via aérea, através da disseminação de gotículas, ou por contato direto com secreções respiratórias ou saliva de pessoas infectadas. O período de incubação varia de 12 a 25 dias após a exposição ao vírus, e a transmissão ocorre entre 6 e 7 dias antes das manifestações clínicas, e até 9 dias após o surgimento dos sintomas.

Sintomas

Febre, aumento do volume das glândulas salivares localizadas na região da boca, principalmente a parótida. Podem estar presentes outros sintomas como dor no corpo e dor de cabeça. Em homens adultos, pode ocorrer inflamação nos testículos e, em mulheres acima de 15 anos, inflamação nos ovários. É relativamente comum também o comprometimento do sistema nervoso central, conhecido por meningite asséptica, e pancreatite.

Tratamento

Não existe tratamento específico, indicando-se apenas repouso, uso de remédios para dor (indicados pelos médicos) e observação cuidadosa quanto à possibilidade de aparecimento de complicações. A principal estratégia para controlar um surto de caxumba é definir a população em risco, o ambiente de transmissão e, rapidamente, imunizar pessoas sem a vacina em dia.

Números de Casos

A caxumba não é uma doença de notificação obrigatória. Os municípios notificam apenas os surtos, e não casos isolados. No ano passado, foram registrados 314 casos no Rio Grande do Sul. Este ano, foram 61 casos (dados preliminares, ainda sem atualização total de Porto Alegre).

Leia Também

Porto Alegre registra mais surtos de caxumba neste ano do que em todo o ano passado

Como proteger as crianças da gripe e outras doenças

Meningite: saiba mais sobre a doença

Estudo diz que Zika pode causar danos em bebês sem microcefalia

Envie seu Comentário