Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Impeachment: como explicar às crianças!

14 de abril de 2016 0

Por Milena Schoeller

Imagem: Reprodução Internet

Imagem: Reprodução Internet

Meu filho de 6 anos, o Antônio, sempre gostou de assistir noticiários e ouvir rádio. Seguido comenta alguma coisa sobre as notícias que ouviu. Mas nesta semana, fui surpreendida pelo seguinte questionamento: “Mãe, me explica mais sobre este impeachment“. Expliquei o que significava, e vieram mais perguntas: o que era o congresso, qual o papel de um presidente, quem eram os deputados. Mas fiquei com dúvidas se ele entendeu bem. Se até para adultos é difícil entender todo o processo, imagina para uma criança ou para um adolescente.
Por isso eu conversei com o Médico do Comitê de Desenvolvimento e Comportamento da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul, Renato Santos Coelho. E ele explica que os pais devem aproveitar o momento para ensinar ao filho que existem maneiras diferentes de pensar, e que temos que conviver com quem tem opinião diferente. Acompanhe abaixo os principais trechos da entrevista, com dicas importantes dada pelo especialista.

Como explicar o impeachment aos filhos?
Em qualquer mídia hoje o assunto é este, jornal, TV, rádio. E a criança está inserida neste contexto. E elas vão perguntar: “O que é impeachment? O que a Dilma fez que é crime? O que o Lula fez? Quem é Moro?” O que os pais devem entender é que devemos explicar à criança exatamente o que ela pergunta, e não dar uma explicação complexa que na segunda frase a criança já não está mais prestando atenção. Tentar explicar de forma simples, respondendo apenas ao que a criança perguntou. Se a criança pergunta o que é o impeachment, tem que ser explicado de forma simples: é um processo que pode tirar a presidente do poder. Responder de forma objetiva.

Os pais devem ficar isentos ou manifestar aos filhos a sua posição política?
Inevitavelmente os pais terão uma posição. E os filhos já sabem a posição pois escutam as conversas dos pais. O pai pode dizer: “eu sou favorável, mas tu podes pensar do teu jeito”. Ou “eu sou a favor por isso isso e aquilo, mas quem é contra tem tais argumentos”.

O melhor é deixar a criança tirar a conclusão dela?
Principalmente quando se é adolescente, eles costumam ter posições. E os pais devem aceitar se o filho pensar diferente. Mas eles devem ajudar o filho a enxergar que há dois lados.

E no colégio, qual orientações os pais devem passar aos filhos caso esta discussão surja no ambiente escolar?
Mesma orientação de como agir em casa: “filho, tem gente que pensa de um jeito, e tem gente que pensa de outro. Democracia é assim. Mesmo que eu seja contra algo, se a maioria decidir, temos que aceitar”. Tem que ser passado para as crianças que não existe certo e errado, que são maneiras diferentes de pensar.

Os pais podem deixar os filhos olhar/escutar normalmente os noticiários?
Os pais devem deixar. Mas têm um papel de decifrar e explicar o que está sendo noticiado. Uma criança de 6/7 anos olha por alguns minutos e logo perde o interesse. Agora, se pegar um adolescente, ele já tem mais conceitos formados e compreensões sociais, e se interessa mais. Mas não pode deixar a criança olhar sozinha, ficando com dúvidas, sem um adulto para decodificar o que é noticiado.

 

Leia Também

Como lidar com as birras

Mães acham que filhos são discriminados por não terem produtos da moda

Conheça o Estatuto da Primeira Infância

O primeiro dia na escola grande: como ajudar os pequenos na adaptação

Como dividir a atenção entre dois filhos

Envie seu Comentário