Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

ONG americana lança papinha "anti-gay" para provocar reflexão

18 de abril de 2016 3

Por Marcela Panke

Reprodução

Uma ONG americana lançou uma linha de papinhas com uma opção anti-gay. A promessa do purê de uva é permitir que o seu menino se torne um homem, com ingredientes extrafortes!

No total, são 12 “sabores”, como o purê de cenouras “garotos não choram” ou o purê de espinafre “submisso”. No rótulo desse último, está impresso o alerta: “este é um mundo de homens, deixe os meninos falarem primeiro”.

A linha de alimentos infantis Gender Baby Food pode ser adquirida no site

Reprodução

Essa linha de alimentos infantis, na verdade, não existe! Ela foi uma estratégia criativa da ONG Anxiety and Depression Association of America para colocar em discussão a questão de estereótipos de gênero ensinados às crianças!

Ao lado da imagem de cada um dos “sabores” de papinha, a ONG pergunta: “você realmente vai alimentar suas crianças com isso?”. A entidade, que cuida de crianças com transtornos de ansiedade e depressão alerta que induzir os filhos a aderirem ao que a sociedade considera “masculino” e “feminino” pode ser prejudicial para a saúde física e mental deles.

“Na verdade, a pressão constante para manter sua vida cotidiana de acordo com as normas de gênero da sociedade produz significativa ansiedade, insegurança, estresse e baixa auto-estima, tanto para meninos quanto para meninas. Mas o sexo não é natural ou biológico”, explica a ONG no site da linha fictícia de alimentos infantis.

Como mudar?

A ONG convida os pais a questionarem as generalizações e a sintonizarem-se com seus próprios preconceitos, para que consigam criar um mundo melhor para seus filhos.

Nesse mundo, os meninos poderiam brincar com maquiagens sem se preocupar com o que os seus pais vão pensar e as meninas poderiam ter atitudes mais decididas e até serem mais “mandonas”, sem que isso afete a sua “feminilidade”.

É um convite interessante para a reflexão! Que tal?

Comentários (3)

  • Ricardo Müller diz: 19 de abril de 2016

    Puxa!! Tava gostando da proposta da ONG, mas aí eu vi que eles estão fazendo justamente o contrário! Querem que os pais reflitam como querem educar a criança em tempos que a sociedade definiu o que é masculino e o que é feminino! Pasmem! Desde que o mundo é mundo, sempre existiu e SEMPRE VAI EXISTIR somente esses DOIS GÊNEROS!

  • becker diz: 19 de abril de 2016

    Deveriam colocar o Jean Willis no rótulo já que ele deve ficar sem emprego!!

  • Susana diz: 7 de outubro de 2016

    Absurdo… Nao sei como as pessoas nao entendem. Bebe que nasce com penis é meninO. Bebe que nasce com vagina é meninA. Qual é a dificuldade de entender isso… A natureza nos guiando.. So nao vê quem nao quer..mesmo que a pessoa depois venha a ter outros desejos.. A pessoa nao vai deixar de ser o que nasceu pa ser… Querem ser Deus é?

Envie seu Comentário