Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Castigo para criança pequena? Saiba quando é válido

07 de junho de 2016 1

Por Milena Schoeller

Foto: Pena Filho / Agencia RBS

Pesquisa de 2012 mostra que castigo físico reduz inteligência. Foto: Pena Filho / Agência RBS

Um caso no Japão chamou a atenção nos últimos dias. Pais deixaram o filho na beira da estrada como “castigo” por ele não obedecer. O menino estava atirando pedras em outros carros. 10 minutos depois de largar o filho, os pais retornaram, mas o menino não estava mais, havia desaparecido na floresta às margens da rodovia. Após 6 dias de busca, o menino foi encontrado bem. E ainda na semana passada, ganhou as redes sociais o bilhete de um pai que cortou o wi-fi da filha, só liberando a senha após ela lavar a louça e arrumar o quarto.

Qual o limite para um castigo? Quando ele é saudável e funciona?  E quando o castigo não é recomendado?

O blog foi em busca de respostas. Acompanhe abaixo a opinião dos pediatras Silvio Baptista e Denise Leite Chaves, da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul:

Qual o melhor tipo de castigo? Privar de alguma coisa? Deixar sentado em algum cantinho? Ter um lugar específico para a criança ficar?

O melhor castigo é a privação de coisas da criança, coisas que ela gosta, sempre explicando por que está fazendo isso. O ideal é privar de alguma atividade de prazer da criança ou afastando algum brinquedo. Pode deixar sentado em algum cantinho, mas não por muito tempo. A criança gosta de ficar correndo e brincando. Então, deixar a criança parada é um bom castigo. Que não seja um tempo muito longo, mas que a criança entenda que não pode sair.

Como o castigo deve ser “conduzido” pelos pais?

Sempre explicando o motivo. Quando mais próximo do evento, melhor. Tem que explicar o que aconteceu e o porquê do castigo. O tamanho do castigo tem que ser proporcional ao erro. Se for algo “pequeno”, dar um castigo pequeno. Se for “grande”, castigo maior.

Tem pais que não deixam a criança de castigo. Mas ameaçam. Isso é saudável? Como proceder?

Não é saudável. Nunca se faz ameaça com o que não se cumpre. Tem que pensar na mensagem que quer passar para a criança. É mais saudável dar castigo do que ameaçar.
Atenção: os pais não devem transferir a responsabilidade do castigo e da pena para o outro: “quando teu pai chegar tu vais ver”.

Com qual idade é melhor “começar” a aplicar castigos/sanções?

A partir da verbalização da criança, pois começa a entender. Por volta dos dois anos, quando eles entendem o que estão falando.

Tem gente que ainda defende palmadas como forma de educação. Por que não é recomendado?

Agressão física nunca deve ser feita. Não podemos ser violentos com a criança nunca. Sendo violento, gera dupla mensagem, pois violência gera violência.
(em 2012 foi divulgado um estudo mostrando que o castigo físico diminui o QI das crianças)

Castigos podem deixar traumas nas crianças?

Não. O castigo é uma maneira dos pais imporem limites, deixando a criança mais segura. Mas lembrando que o castigo sempre deve corresponder ao que a criança fez, deve ser proporcional.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA O FRALDA CHEIA NO TWITTER

Leia Também

Como lidar com as birras do seu filho

Pesquisa mostra que mães passam pouco tempo com os filhos

Culpa materna, como lidar?

Meu filho não sabe dividir!

Como dividir a atenção entre dois filhos

Conheça o Estatuto da Primeira Infância

Mães acham que filhos são discriminados por não terem produtos da moda

Comentários (1)

  • Dulce diz: 7 de junho de 2016

    Acho que esses pediatras precisam ler sobre Disciplina Positiva. O castigo pode funcionar a curto prazo, mas passa a mensagem errada pra criança. Uma pesquisa na internet traz ótimas informações sobre isso.

Envie seu Comentário