Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Benefícios da vacina do rotavírus são muito maiores que os riscos

25 de agosto de 2016 6

Por Elisandra Borba

Foto: Flávio Neves

Foto: Flávio Neves

Quando criamos o blog Fralda Cheia, tínhamos o objetivo de desmitificar as lendas urbanas que permeiam o mundo da maternidade. Logo percebemos que mais que mostrar que nem sempre as avós estão certas, precisávamos lidar também com os mitos modernos. Circula tanta coisa na internet que nos vemos na obrigação de procurar fontes seguras para explicar o que realmente é verdade e o que deve ser desmentido.

Ontem me deparei com uma postagem demonizando a vacina contra o rotavírus e como mãe me preocupei. Abri e percebi que a manchete era muito mais assustadora que o próprio vírus. Para compreender o exposto, procurei a sociedade de pediatria do Rio Grande do Sul, com médicos que estudaram muito para saberem o que é importante para os nossos pequenos.

A manchete dizia que a vacina do rotavírus está matando mais crianças no mundo e cita uma revista científica. Lá pelo meio da notícia diz que foram oito mortes em seis anos, ante a aplicação de mais de seis milhões de doses somente no Brasil. Índice infinitamente inferior a de mortes pelo próprio rotavírus.

O Pediatra do Comitê de Infectologia da sociedade de pediatria do RS, Juarez Cunha, reitera que os benefícios são muito maiores que os riscos. Muitas vidas já foram salvas com esta e outras vacinas. Claro que podem haver casos em que o bebê tem uma sensibilidade às substâncias que compõem as vacinas, mas o pediatra será a pessoa que avaliará se é o caso de não aplicar esta ou outras doses. O que não podemos aceitar é que correntes de procedência duvidosa influam nesta decisão.

Vacina x APLV

Veja o que diz o pediatra Flávio Melo sobre a polêmica: “Não há sequer um estudo na literatura que relate aumento ou desencadeamento de APLV na população vacinada. O que provavelmente ocorre é que a vacina pode causar sangue nas fezes – a chamada hematoquezia – por um mecanismo chamado hiperplasia nodular linfóide, resultando no que chamamos de uma colite crônica inespecífica. Provavelmente essa condição facilita o desencadeamento de alergias alimentares tardias, em um subgrupo de pacientes, que precisam ser estudados e bem manejados. Esse quadro sempre incomoda bastante, pois resulta em cólicas, distensão abdominal e irritabilidade, e “simula” uma enterocolite/proctocolite por APLV. Muitas vezes isso confunde o pediatra e o leva a este diagnóstico incorreto. Se seu filho tomar a vacina e apresentar vômitos recorrentes, diarreia, sangue nas fezes ou distensão abdominal, leve para atendimento de imediato! Se teve reações importantes com a primeira dose, não fazer a segunda dose (ou a segunda e a terceira, no caso da pentavalente)”.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA O FRALDA CHEIA NO TWITTER

SIGA DICAS DE MÃE NO INSTAGRAM

Leia também:

Clínicas de Porto Alegre oferecem vacinas contra a meningite

Escolas de Porto Alegre poderão denunciar ao Conselho Tutelar crianças sem vacinação em dia

Testes em humanos de vacina contra o zika devem começar em até um ano

Clínicas de Porto Alegre enfrentam falta de vacinas hexa e pentavalente para bebês

Bebês menores de seis meses são imunizados contra a gripe pelo leite da mãe vacinada

OMS esclarece que vacinas oferecidas a gestantes no Brasil são seguras

Atenção: novo calendário de vacinação começa a vigorar no país

 

Comentários (6)

  • Elisa Mazzuca diz: 14 de setembro de 2016

    Minha filha foi vítima dessa vacina.. não somos uma lenda urbana e o que passamos não desejo a ninguém.. são dois meses de uma saudade sem fim… é uma pena ser tratado como um caso isolado.. poderia ser com qualquer criança…

  • magno freire diz: 14 de setembro de 2016

    Ola, acredito que esta muito equivocada sobre a matéria sobre o rota vírus, a começar em dizer que ele está no ar, quando na verdade ele tem veiculação hídrica. Perdemos uma filha e no atestado de óbito fala da vacina rota vírus, sem contar os inúmeros casos apresentados. Lenda urbana é acreditar que com qualquer matéria sensacionalista possa ter a credibilidade merecida.

  • Valdisia Cardeal diz: 14 de setembro de 2016

    Jura que é lenda urbana? Pois um dos melhores gastro pediatra do Rio de Janeiro falou que não de lenda não! Inclusive até suspendeu a segundo dose da vacina. Outra: falou que essa vacina foi criada para população que não tem o mínimo de saneamento básico e higieen, mas que não é politicamente correto ter vacina apenas para uma parcela mais pobre da população. Ah, e que a vacina deixa mais seqüelas que a própria doença.

    Então, é sempre bom escrever uma matéria ouvindo opinião de vários pediatras, pois não há um consenso no caso dessa vacina. Enquanto em relação as outras vacinas, há um consenso que devem ser tomadas. Como por exemplo a Meningocócica, pois a seqüela da doença é terrível.

    Uma vacina que tem reação de invaginação?!! Se eu soubesse não teria dado a primeira dose e não teria passado um sufoco com a minha bebê que chorava o dia inteiro por causa dessa maldita vacina.

  • Paula diz: 15 de setembro de 2016

    Vai pesquisar grupos no facebook de maes que sofrem por causa dessa vacina!!! Credulidade desse blog 00000000

  • Lilian diz: 15 de setembro de 2016

    Interessante sua colocação: ” foram oito mortes em seis anos, ante a aplicação de mais de seis milhões de doses somente no Brasil. Índice infinitamente inferior a de mortes pelo próprio rotavírus.”

    Vale lembrar que foram 8 mortes de crianças saudáveis até tomarem esse pesadelo de vacina….

    E, deixo apenas uma pergunta para que meditem nela o tempo que for preciso: “E, se entre esses RAROS 8 casos (notificados, claro… fora o que é omitido, que a gente sabe que é bem comum de acontecer aqui no Brasil) estivesse seu bebe?? Se um desses que morreram vítimas dessa vacina duvidosa, fosse um filho, um sobrinho seu??” Garanto que a coisa mudaria de figura….

    Peço que, antes de escreverem dizendo ser uma lenda urbana, tentem se colocar no lugar dos pais que perderam seus filhos, saudáveis, lindos, para essa vacina… Imagina a dor que é perder um filho… ou então, ver seu filho por semanas e até meses com cólicas que nenhum remédio alivia, com diarreia com muco e sangue, se contorcendo de dor ao ponto de não dormir direito a noite… Isso tudo, é sim, reação da vacina… é só lerem a bula…E, se forem ler na bula da vacina verão que a invaginação intestinal é uma reação rara mas que pode sim acontecer, em alguns casos…. então, de lenda, não tem nada! E, isso tudo pra quê?? Pra imunizarem contra UM tipo de rotavírus, sendo que sabemos que tem pelo menos 7 tipos…. Ah, sim, tem a da rede particular que imuniza contra 5…. mas e quem tem dinheiro pra bancar?? O pobre, que é quem tem mais risco de contrair essa doença, é que não!
    É, realmente, os benefícios superam os riscos….. quando não é no filho da gente!!!!!!afff

  • Ronaldo diz: 23 de outubro de 2016

    o que seve levar em conta, que que logicamente o governo maquia as estatísticas a seu favor, existem muito mais casos do que divulgado e muitos bebes estão morrendo com esse veneno, conversando com a pediatra do meu filho nem ela mesma teve coragem de indicar a vacina, apenas se conteve a nao opinar.

Envie seu Comentário