Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Pais de menina que nasceu em estado vegetativo receberão R$ 300 mil

19 de outubro de 2016 0

Por Marcela Panke

Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Os pais de uma menina que nasceu em estado vegetativo vão receber uma indenização de R$ 300 mil por danos morais. O valor deverá ser pago em conjunto pela União, pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e pelo município de Agudo, na região central do Estado, considerados culpados por negligência no atendimento da gestante e da criança.

A menina morreu aos seis anos de idade, pelo estado de saúde precário. Os pais ingressaram na justiça pedindo indenização por danos morais antes do óbito da filha. A Justiça Federal de Santa Maria condenou os réus ao pagamento de R$ 200 mil. Eles recorreram ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que aumentou o valor para R$ 300 mil, pois considerou que ficou evidente o “excesso de tempo para a tomada de decisões para evitar o dano”.

Entenda o caso

A mãe da menina foi levada para a Associação Hospital Agudo às 11 horas da manhã do dia 21 de julho de 2003, em trabalho de parto. Ela ficou por cerca de 8 horas no local, até ser transferida para o Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM) devido à falta de pediatra na cidade.

Após dar entrada no HUSM, a gestante ficou mais 2 horas em observação antes de ser levada para a sala de parto. Quando a menina nasceu, foi imediatamente diagnosticada com paralisia cerebral crônica e irreversível devido á falta de oxigenação no cérebro. As sequelas neurológicas deixaram a criança em estado vegetativo. Ela morreu seis anos depois.

Leia também:

Justiça condena Furg a pagar pensão vitalícia a criança que teve sequelas após parto

Estado terá de indenizar família de menino morto em acidente na escola

Justiça nega indenização para mulher que engravidou após laqueadura

Aluno deficiente agredido em escola será indenizado pelo Estado

Ufrgs foi condenada em quatro ações judiciais por erros em exames de DNA

Envie seu Comentário