Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Comportamento"

Baleia Azul: Especialistas debatem suicídio entre crianças e adolescentes

19 de abril de 2017 11

Por Elisandra Borba

Foto: Carlos Macedo

Foto: Carlos Macedo

Tem um assunto que vem preocupando muitos pais nos últimos dias: o “jogo da baleia azul”. Para quem nunca ouviu falar no assunto, trata-se de uma lista de tarefas que as crianças ou adolescentes precisam cumprir e a última dessas tarefas é o suicídio. Tem, pelo menos, dois casos de morte sendo investigados no Brasil – um em Mato Grosso e outro em Minas Gerais e quatro tentativas de suicídio no Rio de Janeiro.

O jogo é realizado através das redes sociais e é importante que os pais se informem sobre o assunto para evitar que os filhos sejam levados para este caminho. Os desafios costumam ser macabros e utilizam as fragilidades do jogador: tirar fotos do topo de prédios, provocar doenças e cortar o próprio corpo são algumas delas. Esta última, uma das mais comuns.

O Departamento Estadual da Criança e do Adolescente está alerta sobre o assunto. A diretora do Deca, Adriana Regina da Costa, explica que o departamento está iniciando um trabalho de inteligência sobre o tema e também vem trabalhando na prevenção, com palestras e rodas de conversas com pais, professores e as crianças e adolescentes.

Na noite desta terça-feira (18), um grupo de especialistas falou sobre o assunto durante o programa Estúdio Gaúcha, da Rádio Gaúcha. Além do jogo, eles falaram sobre a série 13 Reasons Why, que também trata do suicídio de jovens. A série gira em torno de uma estudante que se matou, deixando uma lista com os 13 motivos que a fizeram chegar a este ponto.

O médico psiquiatra e coordenador do Centro de Promoção à Vida e Prevenção do Suicídio do Hospital Mãe de Deus, Ricardo Nogueira, trouxe números alarmantes. Segundo ele, Porto Alegre e Curitiba são as cidades campeãs de suicídio entre adolescentes no país. No último ano, houve aumento de 44% de tentativa de suicídio por intoxicação medicamentosa. A principal queixa, segundo ele, é a falta de atenção dos pais.

Mudanças no comportamento e isolamento precisam ser investigados. A coordenadora da regional Gaúcha do Centro de Valorização da Vida, Nilsa Maria Madsen, explica que mais de 90% dos atendimentos via internet na instituição são de adolescentes e nos últimos anos cresceu substancialmente o número de jovens que entram em contato. A queixa geral é que os pais não os compreendem. Estabelecer um diálogo franco com os filhos é o passo mais importante, segundo Nilsa. Ouvir e não relativizar o sofrimento são fundamentais.

Marcos Eduardo Eberhardt, professor de direito penal da PUC, tem tratado do assunto em sala de aula. Sob o aspecto jurídico, induzir o suicídio é crime doloso (com intenção) e será julgado pelo tribunal do juri.

Correntes e boatos

Está circulando nas redes o que seria um dos desafios: distribuir balas envenenadas para crianças de escolas. Sobre isto, a diretora do Deca, Adriana Regina da Costa, diz que é muito cedo para atestar a veracidade e as mensagens são idênticas a outras enviadas em outros estados brasileiros, apenas trocando a localização.

75a691fc-11ad-4516-807d-8b05646f8c8d

Ouça o debate completo:

Pais ficam furiosos por escola enviar bilhetes dizendo que filhos estão obesos

21 de março de 2017 5

Por Sibeli Fagundes

Reprodução/Mirror

Reprodução/Mirror

Você ficaria furiosa se a escola do seu filho enviasse um bilhete com um alerta sobre o sobrepeso ou obesidade dele? Os pais de estudantes de uma escola primária de Plymouth, na Inglaterra, ficaram. As crianças têm quatro anos de idade e foram avaliadas seguindo regras do serviço público de saúde do Reino Unido.

Na avaliação enviada aos pais, havia as medidas da criança a avaliação do IMC (índice de massa corporal). Também indicava o serviço de saúde para que pudessem procurar auxílio.

O pai de Roxanne, Martin John Tall, considerada com excesso de peso, desabafou. Disse que ficou chocado e questionou que a atitude da escola, que poderia desencadear um complexo em uma criança tão nova sobre o peso dela.

Reprodução/facebook

Reprodução/facebook

Kelly Franklin, mãe de Jake, também ficou indignada. Disse que o filho, além de ter passado recentemente por um cirurgia no cérebro (nasceu com Sagittal Craniosynostosis, que provoca o fechamento das placas ósseas do crânio mais cedo ) e tem outras doenças, que afetam o processamento sensorial, além de déficit de atenção.

Olhando as fotos das crianças, nenhuma parece obesa. No entanto, pela calculadora de IMC, estão realmente acima do peso, mas nada que não possa ser revertido facilmente. A escolas, inclusive, pede atenção à alimentação e à prática de atividade física.

Quando meu filho tinha 4 anos, o pediatra também alertou que estava acima do peso. Quem o via, enxergava um criança magra (o excesso era pequeno, mas havia). Eu dei atenção ao alerta e cuidei mais ainda da alimentação dele. Hoje, está dentro da normalidade.

Talvez tenha havido falta de sensibilidade da escola. Procurada pelo jornal Mirror, a direção não se pronunciou.

Leia também:

Brasil tenta frear obesidade infantil

Cinco dicas para seu filho comer o lanche na escola

14 de março de 2017 0

Por Milena Schoeller

Foto: Maicon Damasceno / Agencia RBS

Foto: Maicon Damasceno / Agencia RBS

Muitas vezes recebemos dúvidas e angústias dos nossos ouvintes e leitores através do e-mail do blog e das redes sociais. E uma delas diz respeito ao lanche da criança na escola. Desde o começo das aulas tenho recebido relatos de algumas mães pedindo dicas para os filhos, pois eles não comem o lanche que elas enviam. Eu confesso que já tive problemas neste sentido com meu filho maior. E adotei algumas estratégias que têm dado certo até o momento, para que ele coma todo o lanche que eu envio. E divido agora com vocês! Espero poder ajudar as mamães e papais com dúvidas. Claro que estas são dicas baseadas na minha experiência como mãe, e pode ser que não funcionem com todas as crianças.

1) Combine com a criança o que será levado de lanche
Independente do que a criança vai levar, é bacana que ela saiba com antecedência o que estará na lancheira. Eu sempre procuro enviar: um suco, iogurte ou térmica com leite + fruta (inteira ou picada) + sanduíche, bolo ou bolacha, entre outros. Preparo no dia anterior, já que ele sai cedo. E mostro para ele o que eu preparei, para que ele não seja pego de surpresa.

2) Dê opções para a criança
Gosto de deixá-lo escolher o que levar de lanche, dentro de algumas possibilidades. Para decidir a fruta por exemplo, costumo mostrar pra ele as que tem em casa, para que ele decida qual delas quer.

3) Deixe que a criança ajude a preparar
Quando faço sanduíche, por exemplo, peço pra que ele me ajude a preparar, ou ao menos deixo ele me observar para aprender. Ele se sente estimulado a comer desta maneira.

4) Compre potinhos divertidos
Existem potes de diversos personagens e as crianças adoram. E comprei também gelinhos artificiais coloridos. Ele acha divertido, e são necessários para conservar o alimento até a hora do lanche, quando não há oportunidade de colocar na geladeira.

5) Estipule regras
Lá em casa nós temos algumas combinações caso ele não coma o lanche. Às vezes ele deixa de olhar TV naquele dia, ou fica menos tempo no videogame. Como normalmente o que é “lanche de geladeira” vai fora se ele não come, procuro também explicar sobre desperdício.

E você? Como faz em casa? Mande pra gente. :)

É Carnaval! Veja onde há bailes para a criançada em Porto Alegre

24 de fevereiro de 2017 0

Confira a lista com preços e horários

Por Milena Schoeller

Foto: Maiara Bersch/Agencia RBS

Não foi viajar no feriadão de Carnaval? Aproveite com seu filho os tradicionais Bailes de Carnaval para as crianças nos clubes da capital. Zero Hora preparou uma lista e nós reproduzimos aqui para os nossos leitores.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA O FRALDA CHEIA NO TWITTER

SIGA DICAS DE MÃE NO INSTAGRAM

Lindóia Tênis Clube: os bailes infantis ocorrem nos dias 26 e 28 de fevereiro, a partir das 16h, com direito a concurso de fantasias nas duas tardes. A entrada é gratuita para sócios. Os valores para não associados são de R$ 5 para crianças até cinco anos, R$ 10 para crianças entre seis e 12 anos e R$ 20 a partir de 13 anos. Para adquirir uma mesa com quatro pulseiras, o valor é de R$ 30 para sócios e R$ 50 para não associados, além do valor dos convites.

Grêmio Náutico União: o baile de Carnaval infantil ocorrerá no dia 28 de fevereiro, das 16h30min às 20h30min, e contará com concurso de fantasias. A entrada para associados é um brinquedo novo ou em bom estado de conservação; para não associados, o valor do ingresso é R$ 55. Crianças de zero a seis anos não pagam. Não é permitido ingressar no baile com espuma em spray.

Grêmio Náutico Gaúcho: o Carnaval infantil será nos dias 26 e 28 de fevereiro. No dia 26, haverá a escolha da rainha. No dia 28, será o concurso de fantasias com premiação para as mais originais e luxuosas. A entrada é gratuita para sócios e para não associados até cinco anos. Crianças de seis a 12 anos pagam R$ 15; para adultos, o ingresso é R$ 25.

Sogipa: o baile de Carnaval infantil será no dia 25 de fevereiro, a partir das 17h. O evento terá animação da Banda Tropical Latino, concurso de fantasias com premiação, praça de alimentação e comercialização de adereços. A entrada é gratuita para sócios. Não associados pagam R$ 50 no primeiro lote de ingressos e R$ 55 no segundo. Titular e acompanhante do cartão Clube do Assinante ou Clubinho ZH terão 30% de desconto.

Clube do Professor Gaúcho: a magia africana dará o tom do baile de Carnaval infantil no dia 26 de fevereiro, a partir das 16h. Um concurso premiará as melhores fantasias. A entrada é gratuita para sócios e crianças até 11 anos. Não associados pagam R$ 30 e jovens entre 12 e 16 anos pagam R$ 20.

Teresópolis Tênis Clube: a folia da criançada ocorrerá no dia 27 de fevereiro, às 16h, com concurso de fantasias. Sócios com mensalidade em dia e crianças até cinco anos não pagam. Para não associados, o valor é de R$ 15. Mesas com quatro lugares custarão R$ 30.

Grêmio Geraldo Santana: os bailes de Carnaval ocorrerão na Capital e no Litoral. Nos dias 26 e 28 de fevereiro, a partir das 15h, a festa infantil é na sede de Porto Alegre. Associados pagam R$ 10, não associados até 12 anos pagam R$ 15 e adultos pagam R$ 20. Em Tramandaí, a folia infantil será na colônia de férias da Avenida da Igreja no dia 26 de fevereiro, às 15h. No dia 28 de fevereiro terá baile adulto e infantil a partir das 16h. A entrada é gratuita para sócios e R$ 10 para não associados.

Associação dos Servidores da Justiça do RS: este é uma dica de Carnaval tardio. O Baile Infantil vai ocorrer no sábado 11 de março, entre 17h e 21h, na Sede Campestre da entidade, Avenida Juca Batista, 2600.  A festa conta com a participação da Escola Imperadores do Samba. Entrada franca para associados.

Leia Também

Você já brincou com seu filho hoje?

Três ideias de brinquedos sem custo para fazer com as crianças

Como estimular o aprendizado das crianças durante as férias

Você sabe por que o Príncipe William sempre se abaixa para falar com o filho?

Como estimular os bebês: atividades desde recém-nascido até um ano

Brincadeiras que quero ensinar a meus filhos

Homem adota 22 crianças portadoras de HIV abandonadas pelos pais

15 de fevereiro de 2017 0

Conheça a história emocionante que transborda amor e carinho

Por Milena Schoeller

Imagem: Reprodução Youtube

Imagem: Reprodução Youtube

Vejam que história bacana divulgada pelo portal britânico indy100 e nas redes sociais. Ocorreu na Índia. Rajib Thomas adotou 22 crianças que foram abandonadas pelos pais, depois de serem diagnosticadas com HIV. Todas estão morando com ele em Mumbai, uma das maiores cidades da Índia. Ele já tem dois filhos adolescentes biológicos. E agora, está responsável pela saúde e educação dos outros 22 adotados.

Ele contou sua história no Facebook, e ganhou admiradores de todo o mundo. Veja o relato emocionante:

O Início

Eu estava passando próximo ao hospital DY Patil quando eu vi uma garota dormindo do lado de fora. Tão fraca a ponto de ver seus ossos. Eu descobri que ela era HIV positivo e tinha perdido os dois pais. Eu perguntei o que ela gostaria de comer, e ela disse macarrão. Mas eu não poderia achar naquele momento. Então eu prometi a ela que eu iria voltar no dia seguinte. Ela faleceu naquela noite, e o incidente me assombrou. Então eu fui ao hospital, e pedi para que entrassem em contato comigo se houvesse outras crianças assim no futuro”.

As primeiras adoções

“Duas dessas crianças foram enviadas para mim. Então, em 2009, eu aluguei um apartamento para minha esposa, meus dois filhos, e as duas crianças HIV positivas. No início foi difícil. Nós providenciamos um colchão para que minhas quatro crianças dormissem. E as pessoas começaram a doar: camas, alimentos e dinheiro. Minha família de quatro pessoas, lentamente expandiu para 24, com mais e mais crianças portadoras de HIV sendo enviados a mim”.

O apoio da família

“Minha esposa tem sido um apoio sólido e não fazemos diferença entre os nossos filhos. Nós repreendemos a todos, amamos a todos, e damos os mesmos presentes. Minha esposa cozinha para todos os nossos 24 filhos, cuida da medicação deles, leva-os para o médico. Tentamos dar a todos uma boa educação e ter certeza de que eles têm uma vida que vale a pena ser vivida”.

“Com amor e carinho, tudo é possível”

“Um incidente que eu nunca vou esquecer é de um menino que foi abandonado por seus pais, e nos trouxeram na última fase da tuberculose e do HIV. Nós o pegamos, demos comida. Nós começamos a rir ao redor dele, fazendo com que brincasse conosco. Derramamos tanto amor que ele tinha que se recuperar! Ele não era capaz de se levantar. Dentro de duas semanas, ele estava correndo por toda parte! Essa é a parte mais gratificante sobre o que eu faço: posso orgulhosamente dizer que minha família de 24 pessoas está transbordando de amor! Ser HIV positivo não significa que eles têm que cortar a vida. Eles podem viver como qualquer pessoa normal. Eu estou aqui para salvá-los e dar-lhes uma vida longa. E com amor e carinho, tudo é possível. Essas crianças me chamam de ‘Papai Reji’ e é dever de um pai proteger. Eu não sou alguém especial, sou apenas um pai cuidando dos filhos “.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA O FRALDA CHEIA NO TWITTER

SIGA DICAS DE MÃE NO INSTAGRAM

Leia Também

“Não é necessário ter um bebê para ter um filho”, diz mãe que ampliou perfil de adoção

Não diga a meu filho que homem não chora!

Deixe o amor te surpreender – campanha incentiva adoção de crianças fora do perfil mais buscado

Desinformação impede que solteiros adotem crianças

Justiça divulga informações de crianças e adolescentes disponíveis para adoção no Estado

Fim das férias: 4 dicas para uma boa (re)adaptação na escola

14 de fevereiro de 2017 0

Por Milena Schoeller

Foto: Jean Pimentel/Agencia RBS

Foto: Jean Pimentel/Agencia RBS

Grande parte das escolas particulares de Porto Alegre e região metropolitana retomam as aulas nesta semana. Por isso o blog montou para os pais, 4 dicas para uma boa adaptação em uma nova escola, ou para a retomada das aulas após as férias, a partir de dicas da psicóloga escolar Vivien Rose Böck, coordenadora do Núcleo de Educação do Conselho Regional de Psicologia do RS, da Orientadora Educacional do Colégio Província de São Pedro, Márcia Dimer, e a Psicóloga da escola, Caroline Brandalise.

1) Converse com as crianças!
Os pais ou responsáveis devem ir preparando as crianças para o período de adaptação escolar. O assunto deve ser introduzido aos poucos, para estimular as crianças e transmitir tranquilidade e confiança para esse importante momento. É importante conversar com a criança sobre os motivos da entrada ou da troca de colégio. Valorizar o papel da escola, dizendo que será um espaço de aquisição de conhecimentos, de desenvolvimento de habilidades, e de socialização com novos amigos.

2) Preste atenção no comportamento do seu filho!
Essa fase desperta sentimentos contraditórios como alegria, insegurança, ansiedade e culpa. Além disso, a criança tem desafios diários, pois fará novos amigos, conhecerá novos profissionais, e fará atividades diferentes. Uma boa dica para que as crianças não fiquem ansiosas é conversar sobre a rotina em si. Dizer que haverá atividades, aula especial, pátio, lanche, e que, depois de determinada atividade, os pais irão buscar. Dessa forma, as crianças ficam mais seguras, pois conseguem fazer uma previsão dos acontecimentos e ter a certeza de que irão buscá-las.

3) Fique atento a sua postura no momento de deixar a criança na escola.
No momento de deixar a criança no colégio, é importante estimular que ela entre caminhando, para evitar que fique com a sensação de estar sendo tirada do colo dos pais. Nessa hora, os pais devem ficar atentos para que a despedida seja breve e tranquila. Se houver momentos de resistência para entrar, os pais devem ser firmes e estimular que a criança fique. Os pais  não devem sair escondidos, pois é muito importante que ocorra a despedida.

4) O que fazer se notar que o meu filho está com dificuldades de adaptação?
Cada criança reage de uma maneira e são vários os sinais que podem indicar a dificuldade de adaptação escolar, entre eles:
- Dificuldade para sair de casa para ir para a escola. Choro e reclamações, desde o momento de vestir-se com o uniforme escolar e organizar a mochila, até a entrada na escola.
- Choro e resistência para entrar na sala de aula.
- Necessidade da permanência de um familiar por tempo maior que o previsto.
- Relatos de dores no corpo (barriga, cabeça).
- Demonstração de irritação ou apatia na relação com colegas e professoras.
Quando forem observadas dificuldades de adaptação, a família e a escola podem criar estratégias para possibilitar que a adaptação seja bem sucedida. Essas combinações são personalizadas, dependendo dos sinais que o aluno está apresentando.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA O FRALDA CHEIA NO TWITTER

SIGA DICAS DE MÃE NO INSTAGRAM

Leia Também

O primeiro dia na escola grande!

Como escolher a escola do filho?

Projeto quer punir pais que não participam de reuniões nas escolas dos filhos

Não deixe as crianças em casa na hora de comprar o material escolar

Lista de Material Escolar: saiba o que pode e o que não pode ser pedido

Diferença de preços do material escolar em Porto Alegre chega a 1500%

Sociedade de Pediatria do RS orienta que pais não proíbam acesso a tecnologias

Hora do conto, momento fundamental para o desenvolvimento das crianças

Belly Cast: a barriga da gestante eternizada em gesso

01 de fevereiro de 2017 1

Por Elisandra Borba

Divulgação

Divulgação

Ao término da gravidez, é muito comum ouvir as mães dizendo que sentirão falta da barriga. Pensando nisso, a nova moda entre as mães é eternizar este momento transformando a barriga em uma escultura de gesso. Vi alguns vídeos na internet de casos fora do Brasil. Por aqui ainda não vi, então, não sei se a moda já chegou.

Os moldes são feitos normalmente no fim do terceiro trimestre da gravidez, mas podem ser feitos em série ao longo da gestação. A pele é preparada com um revestimento de vaselina ou um lubrificante semelhante e são colocadas tiras de gaze de gesso molhadas sobre o abdômen para fazer o molde. Demora em média meia hora para secar (tem produtos mais rápidos que secam em até cinco minutos), então o molde é suavemente removido pela mãe. Em cerca de dois dias o molde seca completamente. Depois disso pode ser envernizado e decorado da forma que a mãe quiser. As decorações mais populares incluem pintura, decoupage e mosaicos.

Divulgação

Divulgação

Assista ao vídeo:

O que achou da novidade? Faria também?

Não diga a meu filho que homem não chora!

17 de janeiro de 2017 1

Por Sibeli Fagundes

Campanha incentiva o choro de meninos Reprodução/Youtube

Campanha incentiva o choro de meninos Reprodução/Youtube

Um dia meu filho começou a chorar por ter se machucado e um conhecido que estava perto veio com a maldita frase “homem não chora”. Depois de fuzilar a pessoa com o olhar, disse ao Vicente: “Está doendo? Então chora!”. E aviso: ele também é livre para derramar lágrimas quando estiver triste, com medo, feliz demais… e por aí vai. Estou criando um ser humano, não a Muralha da China. Estou criando uma fortaleza que não vai desmoronar por não saber lidar com os sentimentos.
Não quero que depois meu filho vá parar em algum divã porque não consegue enfrentar a vida, porque quer chorar mas mandaram ele engolir o choro. Ele poderá frequentar um divã, por outros motivos, não porque não pode chorar.
Aliás, já pararam para pensar no que está implícito em “engolir o choro”? Você está dizendo à criança para engolir as frustações da vida, para engolir os sentimentos, para engolir a dor, para não se expressar. O choro, lembrem bem, a primeira forma de expressão de um ser humano.
Quem não chora por perdas, perderá sempre. Quem não chora por amor, vai deixar o amor escapar. Quem não chora de dor, tatua uma cicatriz na alma. Quem não chora na vida, pode achar que a vida não vale a pena.
Na Austrália, o problema de suicídio entre homens é tão grave que a Man Up fez uma campanha para incentiver os homens a chorar.

O que você quer ser quando crescer? Pesquisa mostra as 20 profissões que as crianças mais sonham

04 de janeiro de 2017 1

Por Milena Schoeller

Foto: André Ávila / Agencia RBS

Foto: André Ávila / Agencia RBS

Uma das coisas que eu mais ouvia quando era pequena era o clássico questionamento: o que você vai ser quando crescer? Lembro de sempre responder que queria ser professora. O meu desejo de ser jornalista nasceu somente na minha adolescência, quando comecei a acompanhar competições esportivas pela Tv. E tem uma pesquisa bem bacana que foi divulgada no Reino Unido pela Leeds Beckett University: as 20 profissões que as crianças mais sonham. O levantamento também descobriu que 22,5% dos britânicos estão, agora, depois de adultos, buscando a profissão que queriam quando criança. Veja a lista:

1° Professor
2° Veterinário
3° Médico
4º Atleta Profissional
5° Enfermeira/o
6° Cientista
7° Escritor
8° Piloto
9° Advogado
10° Policial
11° Maquinista
12° Astronauta
13° Dançarino/a
14° Cantor
15° Bombeiro
16° Contador
17° Paramédico
18° Celebridade
19° Cowboy
20° Dentista

Fonte: indy100

Fonte: indy100 (clique para ampliar)

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA O FRALDA CHEIA NO TWITTER

SIGA DICAS DE MÃE NO INSTAGRAM

Leia Também

Bebê brigadiana – uma homenagem aos pais que trabalham na segurança dos gaúchos

Veja os 20 nomes mais registrados em 2016 no Rio Grande de Sul

Cômoda cai em cima de menino, que é salvo por irmão gêmeo

Pais se assustam com brinquedo que parece dizer palavrão

Retrospectiva 2016!

30 de dezembro de 2016 0
Foto: Agência RBS

Foto: Agência RBS

O ano de 2016 foi um ano cheio de informações. Por isso, o blog reúne aqui as notícias mais acessadas deste ano, e traz uma retrospectiva para o nosso leitor dos principais fatos no universo da infância, maternidade e paternidade.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA O FRALDA CHEIA NO TWITTER

SIGA DICAS DE MÃE NO INSTAGRAM

1º lugar
Promotor da infância faz alerta sobre questionário que virou moda na última semana no Facebook

Reprodução Facebook

Reprodução Facebook

2º lugar
Conheça as mulheres com mais chance de engravidar em 2017

Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

3º lugar

A lista das cinco crianças mais lindas do mundo

Foto: Reprodução youtube

Foto: Reprodução youtube

4º lugar

15 Nomes proibidos para bebês!

Foto: Reprodução Internet

Foto: Reprodução Internet

5º lugar

“Médico Bonzinho” surpreende família com bilhete carinhoso para menina durante atendimento

Reprodução: Facebook

Reprodução: Facebook

6º lugar

Seis marcas de Amoxicilina são proibidas pela Anvisa

Foto: Cynthia Vanzella

Foto: Cynthia Vanzella

7º lugar

Você sabe por que o Príncipe William sempre se abaixa para falar com o filho?

Reprodução Youtube

Reprodução Youtube

8º lugar

Pai troca senha do wi-fi até que a filha arrume o quarto e lave a louça

Para a Justiça, Estado foi omisso Foto: meramente ilustrativa/Arquivo TJRS

Foto: Arquivo TJRS

9º lugar

“I love mom”. Usuários do facebook fazem homenagem às mães e apoiam causa social

Foto: Divulgação

10º lugar

Pais que não pagam pensão em dia podem ficar sem Carteira de Habilitação

Foto: reprodução Internet