Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Parto"

Gestante tem surpresa ao ter gêmeo em ambulância do Samu em Passo Fundo

13 de março de 2017 0

Por Sibeli Fagundes

A mãe não sabia que estava grávida de gêmeos   Divulgação/Samu

A mãe não sabia que estava grávida de gêmeos Divulgação/Samu

A segunda-feria começou diferente para o pessoal do Samu de Passo Fundo. Pouco depois do amanhecer a equipe foi chamada para atender uma mulher de 31 anos que estava em trabalho de parto. Quando chegaram ao endereço, os socorristas a encontraram já com um bebê.

Os dois receberam os primeiros socorros e foram levados pelo Samu para o Hospital da Cidade. No caminho, ela começou a ter novas contrações. A técnica em enfermagem, Luci Santos, perguntou se ela estava grávida de gêmeos, mas a mulher não sabia. Ela não havia realizado pré-natal.

Quando os socorristas pararam a ambulância na porta do hospital, nasceu o segundo menino. Os enfermeiros da emergência e a médica pediátrica auxiliaram no parto dentro do veículo.

Devido o peso das crianças e o tempo gestacional, os dois bebês foram encaminhados para o CTI Neonatal. A mãe e os meninos estão bem.

Quem nos trouxe a história foi o repórter Lucas Cidade, da Rádio Uirapuru, da rede Gaúcha Sat.

Leia também:

Como prevenir o parto prematuro

9 fatos que ninguém conta sobre o parto

Ministério da Saúde anuncia mudanças para partos no Brasil

08 de março de 2017 0

Por Elisandra Borba

O Ministério da Saúde lançou nesta quarta-feira (08) diretrizes de assistência ao parto normal no Sistema Único de Saúde. As diretrizes reconhecem os Centros de Parto Normal como local seguro para partos de baixo risco, podendo ser realizado por enfermeira obstétrica ou obstetriz. As maternidades deverão incorporar: liberdade de posição no parto, dieta livre, presença de doulas e acompanhante, além de recomendar o contato pele a pele imediato com a criança e o estímulo à amamentação.

O objetivo é reduzir as altas taxas de intervenções, como episiotomia, uso de ocitocina e a cesariana, pois intervenções desnecessárias no parto podem colocar em risco a segurança das parturientes e seus filhos ou filhas, segundo o Ministério.

Compõem as diretrizes mais de 200 recomendações com base em evidências científicas, com referências a normas de outros países. Pela primeira vez desde 2010, o número de cesarianas não cresceu no Brasil, de acordo com o levantamento. O SUS também vai disponibilizar aplicação de DIU em mulheres. Ainda neste mês será divulgada uma cartilha para os profissionais, explicando como serão as mudanças.

Médico pode cobrar taxa extra para realizar partos?

06 de março de 2017 0

Por Elisandra Borba

Foto: Félix Zucco

Foto: Félix Zucco

Nesta segunda-feira (06), médicos gaúchos foram presos por cobrar taxas para realizar partos pelo SUS. A investigação da Polícia Federal mostrou que os médicos incentivavam as gestantes a realizar cesáreas e cobravam por este procedimento, recebendo duplamente – uma pelo SUS e outra pela paciente. As pacientes sem condições financeiras aguardavam o parto natural, mesmo depois das 42 semanas de gestação, o que provocou a morte de um bebê e o nascimento de outro com sequelas.

As famílias devem ficar alertas para este tipo de pedido e sempre denunciarem quando houver a extorsão. Para estes casos, está bem claro que há crime, no entanto, na rede privada, muitos médicos cobram pelo que chamam de taxa de disponibilidade para parto normal. O valor gira em torno de R$ 5 mil, de acordo com mães que já realizaram este tipo de pagamento. Neste caso, ainda há muita polêmica, porém, a justiça tem se manifestado sobre o assunto, tal como a Agência Nacional de Saúde Suplementar.

A juíza federal Diana Brunstein, da 7ª Vara Federal Cível de São Paulo, decidiu em janeiro deste ano que os obstetras não podem cobrar para garantir parto de quem tem plano de saúde. Quem precisa cobrir todos os custos são os planos de saúde, segundo a decisão.

Para a ANS, a prática é crime: “Uma consumidora de plano hospitalar com obstetrícia tem o direito garantido de que o parto, normal ou por cesárea, está no seu plano e os honorários médicos serão em sua totalidade cobertos pela operadora. Qualquer taxa cobrada pelo obstetra à gestante é ilegal e deve ser denunciada à ANS”.

O que fazer em casos de cobrança

Para as cobranças de quem tem plano de saúde, o consumidor deverá relatar o fato à sua operadora e esta tomará as devidas providências. É importante também solicitar à operadora o protocolo desse atendimento. De posse do protocolo, o consumidor poderá fazer uma reclamação na ANS e a operadora será notificada e poderá inclusive ser multada, caso constatada a infração.

Para as pacientes do Sus, é necessário procurar a polícia e formalizar uma denúncia. Não é necessário se identificar, mas a identificação ajuda na apuração dos fatos.

Hospital de Clínicas restringe partos devido à superlotação da UTI Neonatal

02 de março de 2017 0

Por Elisandra Borba

O Hospital de Clínicas de Porto Alegre está pedindo que as gestantes não procurem a instituição em caso de trabalho de parto, pois a Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal está superlotada e sem condições de receber recém-nascidos.

Há neste momento 23 bebês em um local com 20 leitos. O atendimento será retomado somente após a normalidade no atendimento.

Não há perigo em comer durante o trabalho de parto

13 de fevereiro de 2017 0

Por Sibeli Fagundes

Não é preciso passar fome quando está dando à luz Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

Não é preciso passar fome quando está dando à luz
Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

Quem já teve filho ou está perto de ter um deve ter ouvido a recomendação para ir ao hospital em jejum, se possível, na hora do parto. Isso pode virar passado. Um novo estudo está mostrando que a proibição de mulheres em trabalho de parto se alimentarem ou beberem pode ser abandonada. Mas nada de ‘comer um boi’ antes de ir para o hospital, viu?

De acordo com um dos autores da revisão publicada na revista “Obstetrics and Gynecology”, Vincenzo Berghella, da Universidade Thomas Jefferson, na Filadélfia, Estados Unidos, a análise mostrou que mulheres que puderam comer antes de dar à luz tiveram um trabalho de parto mais curto (em média 16 minutos) do que aquelas que ficaram restritas a gelo e água. O estudo, porém, não pode provar que a comida fez com que a mulher desse à luz antes.

De acordo com reportagem da agência de notícias Reuters, a preocupação com o assunto surgiu na década de 1940, quando um estudo concluiu que mulheres que davam à luz sob anestesia geral tinham risco de inalar alimentos no estômago e se engasgar.

 “Se estamos bem hidratados e temos quantidade adequada de carboidrato em nosso corpo, nossos músculos funcionam melhor”, disse Berghella. O útero de uma mulher é em grande parte feito de músculo.

Hoje, o uso de anestesia geral durante o parto é muito menos comum, mas as diretrizes ainda recomendam evitar alimentos sólidos durante o parto, segundo os pesquisadores.

Além de observar  a reação de mulheres que puderam comer durante o parto e aquelas que não ingeriram alimentos, foram analisados 10 estudos que, juntos, observaram 3.982 gestantes dando à luz, nenhuma delas com risco de cesariana.

As mulheres com dietas menos restritivas não tiveram maior risco de outras complicações, incluindo vômitos ou asfixia, durante o uso da anestesia geral.

Leia também:

Mãe de primeira viagem tem bebê de 6kg por parto normal

Vereadores da Capital rejeitam proposta que permitia presença de doulas em partos

Como prevenir o parto prematuro

Quais são as dúvidas mais comuns sobre parto normal? Confira e esclareça aqui!

As mais acessadas da semana!

03 de fevereiro de 2017 0

Todas as sextas, nós postamos pra você um resumo dos assuntos que geraram maior interesse dos nossos leitores e ouvintes na semana. Fique bem informado acompanhando o Top5 do blog Fralda Cheia.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA O FRALDA CHEIA NO TWITTER

SIGA DICAS DE MÃE NO INSTAGRAM

Mãe de primeira viagem tem bebê de 6kg por parto normal

Brian virou sensação nas redes sociais

Brian virou sensação nas redes sociais

9 fatos que ninguém conta sobre o parto

Foto: Jornal Zero Hora

Foto: Jornal Zero Hora

Bebê gigante não é normal e pode esconder um sério risco à saúde

Reprodução/Facebook

Reprodução/Facebook

Além de ingerir uma parte, Bela Gil transformou placenta em cápsulas. Entenda o motivo

Bela Gil 22922629

Foto: Andréa Graiz

 

Belly Cast: a barriga da gestante eternizada em gesso

Divulgação

Divulgação

Acompanhe as reportagens mais acessadas da semana passada!

Bebê gigante não é normal e pode esconder um sério risco à saúde

27 de janeiro de 2017 0

Por Elisandra Borba

Brian virou sensação nas redes sociais

Brian virou sensação nas redes sociais

Muita gente ficou chocada nesta semana ao ler a notícia sobre uma mãe que deu à luz de parto normal a um bebê com mais de seis quilos. Bebês deste tamanho não são comuns e por um motivo importante: isto não é saudável. Quem explica os motivos é o pediatra Marcelo Pavese Porto, Vice-presidente da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul e neonatologista.

O especialista destaca que na maioria das vezes este fenômeno decorre de diabetes gestacional, que pode gerar uma série de problemas no bebê, ou ainda, depois que ele for adulto. Problemas neurológicos, alterações na glicose e até cardiopatias congênitas estão entre as doenças que o excesso de peso na infância pode causar.

O médico salienta que é preciso observar a genética familiar e sobretudo fazer o acompanhamento pré-natal. Claro que têm casos de crianças que nascem maiores, que não tem nenhum problema, desde que observado a idade gestacional, exames de pré-natal, genética e alimentação durante e período gestacional. Bebês que nascem acima de 3,8 Kg com 40 semanas de gestação já devem ser observados.

Minha filha Sara nasceu com 4,005 kg. Eu não tive nenhuma alteração no meu pré-natal. No nosso caso, contou a genética do pai dela, que também foi um bebezão que nasceu com mais de 4kg. Mesmo assim, no hospital ela passou por testes de glicose durante toda estadia. Todos os testes deram bons, o que nos deixou aliviados.

O pediatra Marcelo Pavese Porto chama atenção ainda para os bebês após o nascimento. Mesmo os que são alimentados exclusivamente no peito, não é considerável saudável que seja gordo. Aquele perfil de bebê de propaganda, exemplificou o pediatra. Ele explica que muitas vezes, a quando o bebê chora por qualquer motivo, a mãe dá o peito para acalmar e ele acaba mamando mais que o necessário. Isto cria uma cultura errada de que todos os problemas da crianças serão sanados com alimento, explica Porto.

Precisamos perder o costume de achar que o bebê para ser saudável, precisa ser gordo. A notícia é que é exatamente o contrário disto.

As mais acessadas da semana!

27 de janeiro de 2017 0

Todas as sextas, nós postamos pra você um resumo dos assuntos que geraram maior interesse dos nossos leitores e ouvintes na semana. Fique bem informado acompanhando o Top5 do blog Fralda Cheia.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA O FRALDA CHEIA NO TWITTER

SIGA DICAS DE MÃE NO INSTAGRAM

1º Mãe de primeira viagem tem bebê de 6kg por parto normal

Brian virou sensação nas redes sociais

Brian virou sensação nas redes sociais

 2º Bela Gil ingeriu a placenta do último parto, em maio deste ano

Foto: Reprodução Instagram

Foto: Reprodução Instagram

3º 9 fatos que ninguém conta sobre o parto

Foto: Jornal Zero Hora

Foto: Jornal Zero Hora

4º O que levar na mala da maternidade? Confira dicas!

Foto: Jean Pimentel / Agencia RBS

Foto: Jean Pimentel / Agencia RBS

5º Bebê nasce na Free Way

Reprodução Facebook

Reprodução Facebook

Acompanhe as reportagens mais acessadas da semana passada!

Vereadores da Capital rejeitam proposta que permitia presença de doulas em partos

22 de dezembro de 2016 0

Por Marina Pagno

Foto: Marcelo Min / Agência RBS

Foto: Marcelo Min / Agência RBS

O projeto de lei que garantia a presença de doulas durante o trabalho de parto em maternidades e instituições hospitalares de Porto Alegre foi rejeitado pelos vereadores da Capital na tarde desta quinta-feira (22). A proposta recebeu 23 votos contra e teve quatro abstenções. O projeto tramitava há 2 anos.

Ninguém votou a favor, pois a própria autora, vereadora Jussara Cony (PC do B), subiu na tribuna e pediu aos demais parlamentares para rejeitarem a proposta, alegando que as emendas acabaram descaracterizando o projeto. Uma delas, por exemplo, suprimia as instituições da rede pública de saúde da possibilidade de oferecer doulas às gestantes. No total, 18 emendas e uma subemenda foram anexadas à proposta.

As doulas são mulheres contratadas para orientar, tranquilizar e acompanhar a grávida durante toda a gestação até o período pós-parto, tranquilizando os pais e indicando quais as melhores posições e formas de respiração para diminuir o desconforto na hora do parto. O projeto que estava em tramitação na Câmara de Vereadores não traria ônus para os hospitais públicos e privados, pois o contrato seria feito pela gestante.

Leia também:

Câmara aprova Lei que proíbe participação de doulas em maternidades de Porto Alegre

Projeto que obriga hospitais aceitarem doulas durante o parto é aprovado em comissão da Assembleia

9 fatos que ninguém conta sobre o parto

Gravidez não é doença: o que a gestante pode fazer?

Depressão Pós-Parto: o que é e como ajudar!

Álcool na gestação e durante a amamentação: pode? Confira aqui!

Fim de horário de verão faz gêmeo mais velho virar mais novo. Entenda:

30 de novembro de 2016 0

Por Elisandra Borba

Um fato inusitado foi registrado neste mês em Massachusetts, nos Estados Unidos. Irmãos gêmeos nasceram na madrugada de sábado para domingo, dia seis de novembro, mas neste dia houve o fim  do horário de verão, justamente durante o parto de Samuel e Ronan. Samuel nasceu a 1h39 e meia hora depois, nasceu Ronan. Como nos Estados Unidos o fuso é trocado às 2h da manhã, o relógio foi atrasado em uma hora e o horário de nascimento de Ronan foi registrado como 1h10. O irmão mais novo virou legalmente o mais velho.

A situação foi registrada no perfil do hospital no Facebook em forma de brincadeira: Enigma do dia: Samuel nasceu primeiro, mas seu irmão gêmeo Ronan é mais velho. Como isso é possível?

Leia também:

Pai instala divisórias no carro para apartar brigas de trigêmeos

Da desconfiança ao desmaio: como pais reagem à gravidez de gêmeos

Pais passam sufoco para trocar gêmeos

Pai faz sucesso na internet mostrando as dificuldades de cuidar de quatro meninas

Vídeo mostra reações de crianças quando os pais chegam em casa!