Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "alimentação saudável"

A páscoa pode ser uma delícia com menos açúcar

13 de abril de 2017 0

Por Elisandra Borba

Foto: Pequeno Gourmet

Foto: Pequeno Gourmet

É tanta opção de doces que os pais ficam até tontos na páscoa. Os preferidos das crianças costumam ser aqueles com os personagens de desenhos favoritos. E por mais que os pais não tenham costume de dar doces para os filhos, muitas vezes eles ganham de presente. A gente não precisa promover uma luta contra os presentes ganhados, mas pode, quando for o desejo dos pais, criar situações mais atrativas para manter a crianças dentro do planejamento alimentar de quem preza por uma alimentação mais saudável.

Recebemos algumas dicas do site Pequeno Gourmet com ideia para, pelo menos, diminuir a ingestão de doces durante esta época. A primeira dica é transformar tudo em brincadeira. Brincar com temas relativos à páscoa: Para os bebês, coelhinhos de pelúcia são ótimos presentes. Para os maiores, livros temáticos, fantoches de dedinhos, adesivos, kit para fazer orelhinhas, entre outras opções.

Outra opção é envolver as crianças na criação de opções mais saudáveis, como a preparação de um delicioso bolo de cenoura. Confira a receita enviada pelo Pequeno Gourmet:

Bolo de Cenoura da Páscoa

Dica #1 – Uma pitadinha de canela e uma de cravo da índia em pó dão um sabor de especial ao bolo

Dica #2 – Acrescentar coco ralado fresco à massa também é uma boa pedida e depois de pronto regar com suco de laranja.

Dica #3 – Mas se preferir, derreta uma barra de chocolate 70% em banho-maria e cubra o bolo.

Preparo: 40 minutos

Rendimento: 1 bolo ou 20 bolinhos

Ingredientes

2 cenouras médias

4 ovos

1 xíc. de azeite ou óleo

1 1/2 xíc. de farinha de trigo

1/2 xíc. de farinha de trigo integral

1 xíc. de açúcar mascavo

1 col. de sopa de fermento em pó

Modo de preparo

No liquidificador, bata as cenouras, os ovos e o azeite/óleo até a mistura ficar homogênea. Em uma tigela, coloque as farinhas, o açúcar e o fermento em pó. Incorpore a mistura do liquidificador à seca. Coloque a massa em uma assadeira para bolo untada ou em forminhas para cupcakes. Leve ao forno médio por trinta minutos e pronto. Agora é só servir!

Ovos de chocolate

Pra quem  não abre mão de oferecer ovos de chocolate, o mercado tem cada vez mais opções saudáveis. Confira algumas dicas que já publicamos no site, clicando aqui!

 

As mais acessadas da semana!

21 de outubro de 2016 0

O que é importante comer na gestação - 2º trimestre

30 de agosto de 2016 0

Por Elisandra Borba

Foto: ANDREY KISELEV

Foto: ANDREY KISELEV

Nesta semana o blog Fralda Cheia faz uma série especial para as gestantes. Vamos falar sobre os alimentos que devem ser ingeridos em cada fase da gravidez e que são essenciais para o melhor desenvolvimento dos bebês e para a saúde tanto da mãe, quando do bebê depois do nascimento. Ontem falamos que no primeiro trimestre da gestação é importante reforçar o consumo de ferro e ácido fólico.

2º trimestre

Para o segundo trimestre, a nutricionista Renata Moura destaca a importância de reforçar a ingestão de vitamina C, que age na formação do colágeno na pele, vasos sanguíneos, ossos e cartilagem, além de fortalecer o sistema imunológico da mamãe; Vitamina B6, importante para o crescimento e o ganho de peso do feto e a prevenção da depressão pós-parto; e de magnésio, que favorece a formação e o crescimento dos tecidos do corpo.

Onde encontrar: 

Vitamina C: encontrada nas frutas como kiwi, laranja, acerola, morango, melão, melancia, mamão, abacaxi e em algumas hortaliças como brócolis, pimentões, tomate e couve-flor.

Vitamina B6: encontrada no trigo, milho, fígado, frango, peixe, leite e derivados e leveduras.

Magnésio: encontrada nas nozes, soja, cacau, frutos do mar, cereais integrais, feijões e ervilhas.

Confira amanhã os alimentos indicados para o 3º trimestre.

Veja aqui quais os alimentos devem ser consumidos no 1º trimestre.

Veja aqui quais os alimentos devem ser consumidos no 3º trimestre.

E ainda, como aliviar os enjoos durante a gravidez.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA O FRALDA CHEIA NO TWITTER

SIGA DICAS DE MÃE NO INSTAGRAM

Leia também:

7% das crianças brasileiras são desnutridas e 33% estão com sobrepeso

Paladar infantil – Tudo começa ainda na gestação

Como as gestantes podem combater a gripe, já que não devem tomar qualquer remédio

Sobrepeso e obesidade fazem diabetes gestacional dobrar em Pelotas

Balas saudáveis de gelatina e suco natural – Veja a receita.

Semanas x meses de gestação: como calcular?

Alimentação saudável, eu consegui!

O que é importante comer na gestação - 1º trimestre

29 de agosto de 2016 0

Por Elisandra Borba

Foto: Reprodução

Foto: Agência RBS

O que a grávida come durante a gestação não é apenas alimento, mas faz parte de um processo de formação do feto e, inclusive, do que ele será para o resto da vida. Determinados alimentos são essenciais neste período. Ter uma alimentação equilibrada e saudável é muito mais que simples cuidado com o corpo, mas é determinante para a saúde da mãe e do bebê. A nutricionista Renata Moura preparou um material especial para o Blog Fralda Cheia, explicando o que é importante comer em cada fase na gravidez.

1º Trimestre

Nos três primeiros meses de gestação é essencial a ingestão de ferro e ácido fólico, pois esse trimestre é marcado por um aumento da freqüência cardíaca e volume de sangue da mãe, fase importante para o desenvolvimento das partes vitais do bebê. A ingestão destes elementos previne doenças cardíacas, anemia e malformações no feto.

Onde encontrar: 

Ferro: encontrado em carnes, fígado, ovos, feijão, lentilha e em algumas hortaliças como espinafre, couve beterraba. Para melhor absorção do ferro pelo organismo, consuma na mesma refeição alimentos ricos em vitamina C, como frutas cítricas e tomate, e evite alimentos ricos em cálcio, como leite e seus derivados, que diminuem a absorção.

Ácido fólico: encontrado em vegetais verdes escuros (espinafre, alface, couve, brócolis), cereais e frutas cítricas. O cozimento em altas temperaturas destroem o ácido fólico. Prefira cozinhar no vapor.

Veja aqui quais os alimentos devem ser consumidos no 2º trimestre.

Veja aqui quais os alimentos devem ser consumidos no 3º trimestre.

Veja também como aliviar os enjoos durante a gravidez.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA O FRALDA CHEIA NO TWITTER

SIGA DICAS DE MÃE NO INSTAGRAM

Leia também:

7% das crianças brasileiras são desnutridas e 33% estão com sobrepeso

Paladar infantil – Tudo começa ainda na gestação

Como as gestantes podem combater a gripe, já que não devem tomar qualquer remédio

Sobrepeso e obesidade fazem diabetes gestacional dobrar em Pelotas

Balas saudáveis de gelatina e suco natural – Veja a receita.

Semanas x meses de gestação: como calcular?

Alimentação saudável, eu consegui!

Crianças podem comer peixe normalmente?

24 de março de 2016 1

Por Milena Schoeller

Foto: Guto Kuerten

Foto: Guto Kuerten

Na Sexta-feira Santa, tradicionalmente os cristãos não comem carne vermelha e comem peixe, em uma espécie de homenagem e respeito à Jesus Cristo, que sofreu e morreu crucificado neste dia. É considerado um dia de sacrifício. Não se come carne vermelha pois, na época da morte de Cristo, a carne era artigo de luxo, pouco comida pelos mais pobres. Enquanto o peixe era o alimento dos mais humildes. Comer peixe significava uma refeição mais simples. A tradição se espalhou tanto, que até mesmo quem não é cristão, come peixe na sexta-feira.
Como meus dois guris foram alérgicos, sempre tive dúvidas quanto a dar peixe a eles. Ao falar com outras mães, percebi que o temor não era só meu, mas quase generalizado. E ao conversar com a pediatra dos meus filhos, ela me relatou que foi uma das perguntas mais feitas nesta semana: as crianças podem comer peixe normalmente? Por isso, o blog faz um serviços aos pais. Abaixo as principais dúvidas e orientações.

O gastroenterologista Matias Epifânio, da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul, orienta sobre os peixes mais adequados:

Qual o peixe mais indicado para crianças?
O peixe é um alimento rico em proteínas de alto valor biológico, vitaminas e minerais. É um alimento muito saudável e completo. Estudos mostram que os ácidos graxos ômega-3 são importantes para o desenvolvimento do sistema nervoso central e da retina e na prevenção de doenças crônicas, como obesidade e hipertensão. Conforme o Dr. Matias, os tipos de peixe mais indicado são os brancos, como pescada, linguado, galo, nero e corvina.

Em qual faixa etária podem começar a comer?

A Organização Mundial de Saúde recomenda que os bebês sejam amamentados exclusivamente até o sexto mês. A papa salgada pode ser oferecida, a partir do sexto, no horário de almoço ou jantar. O peixe pode fazer parte do cardápio do bebê já nessa fase. Essa é, inclusive, uma recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Algum cuidado especial com crianças alérgicas a algum outro tipo de alimento?

As crianças que já são alérgicas a algum alimento devem ser avaliadas individualmente. Existem diferentes gravidade de quadros alérgicos e tipos de alimentos alérgicos. A escolha do tipo e momento de introdução devem ser analisados pelo pediatra individualmente.

Arte: Agência RBS

Conversei também com a pediatra Lia Brasil, que nos passa uma lista de orientações sobre a forma de preparo e como dar aos bebês menores:

- O peixe deve ser introduzido aos poucos na alimentação, para testar, caso ocorra alguma reação alérgica. Começar com quantidades mínimas, e depois ir aumentando.
- Muito cuidado com as espinhas. O melhor é fazer filé, e oferecer para a criança desfiado.
- Peixe fresco é o ideal. Mas se a família só tiver congelado, descongelar na geladeira, e não em temperatura ambiente, para minimizar os riscos de contaminação.
- Nunca dar peixe requentado, somente feito na hora.
- Salmão só depois de 1 ano.
- Camarão melhor somente após 2 anos.

Se a criança nunca comeu peixe, atenção às dicas da pediatra:
- Tendo mais de 6 meses, o consumo está liberado. Mas se nunca comeu, deve comer pouco nesta sexta-feira santa.
- Começar pelos peixes brancos.
- A preparação deve ser feita separada do peixe do restante da família, sem molhos elaborados.
- Não colocar sal, mas outros temperos naturais estão liberados, como cebolinha, salsa, alecrim, etc.
- Fazer no vapor, e não frito.

Como fazer bolo integral!

21 de março de 2016 0

Conheça os benefícios para as crianças.

Por Milena Schoeller

Pedro comendo bolo integral. Foto: arquivo pessoal

Pedro comendo bolo integral. Foto: arquivo pessoal

Eu já contei aqui da rigorosa dieta que fiz enquanto amamentei meus filhos,  já que os dois foram alérgicos. Pois eu mudei os meus hábitos alimentares, e mudei a minha rotina alimentar.  E uma das mudanças, que agora tento manter para uma melhor alimentação dos meus guris, é a utilização de farinha integral nas receitas que faço, em vez da farinha branca. Comecei a fazer em casa pão, bolo, e bolachas. Meus dois filhos adoraram a mudança. E desde lá, muita gente me pergunta sobre receitas, principalmente de bolos, com a farinha integral. E a dica é simples: eu sempre busco qualquer tipo de receita de pão/bolo/bolacha com farinha normal/branca. E faço a troca, em vez da farinha branca, coloco a integral. Mas atenção à dica: a farinha integral é mais grossa, e usando as mesmas quantidades indicadas na receita, acaba o bolo ficando um pouco duro e farelento. Por isso, o ideal é colocar um pouco mais do líquido que a receita estabelece (leite, água, suco…). Vai colocando e mexendo, até chegar ao ponto ideal para o bolo, uma massa mais homogênea e lisa, e menos dura, fácil de mexer.

Bolo integral antes de ir ao forno. Foto: arquivo pessoal

Bolo integral antes de ir ao forno. Foto: arquivo pessoal

 

Bolo integral pronto. Foto: arquivo pessoal

Bolo integral pronto. Foto: arquivo pessoal

Quais os benefícios da farinha integral?

Veja como consumir farinha integral é importante. A nutricionista Rita Lamas explica que ela é melhor para a saúde, pois é menos processada, e tem mais vitaminas e minerais, como vitaminas do complexo B, magnésio, selênio, e zinco. Além disso, produtos que contém farinha integral são ricos em fibras, protegendo o corpo contra a constipação intestinal (prisão de ventre), e prevenindo contra câncer de intestino. As fibras ajudam também na saciedade, ou seja, quanto maior teor de fibras houver em um alimento, possivelmente por mais tempo a pessoa ficará saciada. Por fim, a farinha integral também possui menor índice glicêmico, que é a capacidade que o alimento tem de elevar a quantidade de açúcar no sangue, sendo mais indicada para diabéticos e pessoas com resistência à insulina.

Leia Também

O que as crianças precisam comer?

Dicas para uma alimentação saudável

Como escolher o melhor chocolate para páscoa das crianças

Intolerância à Lactose e Alergia à Proteína do Leite de Vaca são a mesma coisa?

Nestle é condenada a pagar indenização após criança ter reação alérgica ao consumir bolachas

Qual a diferença entre fórmula infantil e composto lácteo?

Festa infantil: alegria de uma mãe natureba!

05 de fevereiro de 2016 2

Por Karolina Nogueira

Pietro devorando uma ameixa.

Pietro devorando uma ameixa.

 

O Pietro fez 2 anos em dezembro e prometi que, a partir agora, deixaria ele experimentar as guloseimas que quisesse. Vejam bem: EXPERIMENTAR e não OFERECER, principalmente, nas festinhas de aniversário.

Tivemos nossa primeira prova de fogo neste final de semana. Saio de casa armada: suco na garrafinha, pote com morangos e outro com biscoitos integrais.

Durante a festa, Pietro me pede salgadinhos. Dei dois assados e um muffim de baunilha. Chega a hora do parabéns, doces liberados e as crianças correm para pegar as guloseimas e a mamãe aqui fica tranquila… Ahan, tranquila?? hehehe!

Momento 1:

Todas as crianças, de várias idades, correm para o pote de bala de goma e o Pietro vai junto… Ele tenta pegar uma e por ser pequeno não consegue, me levanto e vou até ele:

Eu: Pietro, tu queres bala?

Pietro: Qué!

Eu: Mamãe vai te dar uma bala, mas já aviso que é ruim (maldade)….

Pietro: (Cara de satisfação ao receber a bala, põe na boca e faz cara de nojo!) Ruim, mamãe, ruim!! Quiqui (apelido que ele se deu) não qué!

Mamãe sai desfilando pelo salão com sorrisão na boca… Me sinto um pavão!

Momento 2:

Uma menina maior “adota” o Pietro durante a festa e oferece a ele marshmallows. Ele pega e joga de volta na menina, ele não sabe que é pra comer gente! ELE NÃO SABE!

De longe, mamãe vibra!

Momento 3:

Muffins de baunilha na mesa, ofereço à ele, e ele quer o de chocolate com confeitos. Torço o nariz, mas dou. Na mesma hora ele tenta comer e diz: Ruim! Tira a cobertura e os confeitos, morde um pedaço do bolo e me devolve! Pontos pra mamãe! :)

Como se não bastasse tanto orgulho, ele me pede o pote de morangos e sai comendo pela festa bem faceiro!

4 x 0 pra mamãe!

Escrevo tudo isso para dividir o quanto vale a pena investir em uma alimentação saudável para os nossos filhos. É muito bom chegar nesta idade e poder dar o poder de escolha para eles, sem forçá-los ao certo e errado.

Conversando com a nutricionista Fabíola Frezza Andriola, ela comenta que há duas formas de contribuir para uma alimentação saudável na infância: pela formação do paladar e pelo hábito.

Na formação do paladar, sensibilizamos as papilas gustativas desde muito cedo, iniciando na gestação e dando continuidade até os 2 anos de idade. Se nesta fase de desenvolvimento e formação do paladar oportunizamos à criança a conhecer alimentos com os sabores mais variados possíveis - azedos e amargos – e evitamos alimentos que acabam, naturalmente, sendo mais bem aceitos por eles – doces e gorduras - as escolhas futuras serão baseadas nessas informações de sabores, comenta Fabíola.

A nutricionista ainda reforça que em relação ao hábito, quando na alimentação da família não se oferta e disponibiliza alimentos ricos em açúcar, gorduras e ultraprocessados, para aquela criança esses alimentos não se tornam comuns. O natural para elas é buscar alimentos como frutas e vegetais, alimentos de verdade. E tendem a comer por prazer, por gostar de verdade daquela comida, e não ser forçada a comer só porque é saudável. Nós adultos, sabemos o que é saudável, e devemos estimular o consumo destes alimentos, por prazer. O errado é pensar em alimentos proibidos e permitidos.

A minha ideia é continuar assim, em casa não entra guloseimas, apenas legumes, frutas e bolos caseiros. Em festas, será o momento de experimentar, se ele quiser.

Pelo jeito ainda vou continuar ganhando os louros dessa guerra, sempre a favor de uma vida mais saudável.

Assinado: A bela Gil dos Pampas, cozinheira Raw Food, a personificação do vegetarianismo, salada ambulante, louca dos potes, A DIFERENTONA!

 

Fuja das porcarias! Dicas para alimentar as crianças na beira da praia

15 de janeiro de 2016 0

Por Karolina Nogueira

Reprodução

Reprodução

Estamos em plena época de férias, verão e praia, quando é comum darmos uma relaxada na alimentação. Contudo, uma das maiores preocupações dos pais é como alimentar as crianças na beira de praia de forma adequada.

Eu, recentemente, saí de férias com o meu filho e confesso que tive dúvidas de como lidar. São ambulantes por todos os lados, oferecendo todos os tipos de comidas e, principalmente, alimentos industrializados e muito processados.

O Pietro está com dois anos, sabe pedir e já identificar o tio do picolé. Para correr menos riscos e ter que recorrer aos alimentos que nunca dou para ele, me preocupei organizar nossa ida durante todos os dias de praia. Em uma bolsa térmica com gelo, acondicionei um pote com frutas e água geladinha. E, em uma sacola plástica, levava biscoitos integrais. Uma vez ou outra dei milho (sem manteiga) e achei uma marca de picolés que fazia um tipo sem açúcar. Esse foi o único consumo dele em beira de praia.

A nutricionista, pós-graduanda em nutrição materno-infantil, Eliza Reis, topou conversar conosco para esclarecer de que forma a beira de praia pode se tornar tranquila neste quesito. Confira a entrevista:

Blog Fralda Cheia: Quais as preocupações que os pais devem ter com a alimentação na beira de praia?

 Eliza Reis: Os pais devem se preocupar com o grande número de casos de intoxicação alimentar. Principalmente, na beira da praia, por conta do calor, da falta de controle da temperatura dos alimentos e das condições de higiene do local. O consumo de alimentos mal conservados pode provocar diarreia, vômitos e levar à desidratação.

Blog: Como lidar diante de tantas ofertas tentadoras? Há alguma maneira de substituir sem perder a graça?

Eliza: Realmente, são muitas ofertas tentadoras como pasteis, refrigerantes, algodão doce, queijinho, picolés, etc. A oferta de alimentos na beira da praia é grande e variada, porém pobre em nutrientes.

 Você quer oferecer uma alimentação saudável para seu filho, mesmo na beira da praia? Faça preparações em casa e leve em uma bolsa térmica com gelo. Levando apenas frutas, sanduíches e água, que são fáceis de organizar na térmica, já dá um belo lanche! Se for oferecer um picolé ao seu filho, dê preferência para os picolés de frutas.

Blog: Qual a forma  correta de transportar os alimentos?

Eliza: Na bolsa térmica com gelo ou com bolsa de gelo. Os sanduíches e bolos podem ser colocados em potes com tampa, dentro da bolsa térmica.

Blog: Do que os pais devem fugir e não dar as crianças na beira de praia?

Eliza: Não devemos oferecer os frutos do mar e a maionese, por seu alto risco de intoxicação alimentar. Deixe para oferecer os peixes em outro momento e não na beira da praia.

Fuja das frituras, batata frita, salgadinhos e dos embutidos, como presunto e salsicha. Além de não serem nutritivos e terem grande concentração de sódio, possuem gordura trans, que está diretamente relacionada às doenças cardiovasculares.

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, não se deve oferecer doces para crianças com menos de 2 anos de idade. Mesmo os com mais de 2 anos, evite dar  algodão doce, balas, sorvetes, biscoitos recheados e refrigerantes. O consumo em excesso de bebidas e alimentos adoçados pode levar à obesidade e à diabetes.

Crie hábitos saudáveis nos seus filhos desde a infância, para que esses hábitos permaneçam na vida adulta!

Alimentos indicados para beira de praia:

  • sanduíche natural preparado em casa é uma ótima dica! Ele fornece carboidratos, proteínas e fibras;
  •  O milho verde pode ser consumido. Ele é um cereal rico em carboidratos e fibras, e é uma ótima fonte de energia.  O recomendado é que seja consumido com pouco sal e sem manteiga. O milho pode ser consumido como espiga de milho verde, bolo de milho caseiro e pipoca - para os maiorzinhos. Mas claro, pipoca de saquinho e não a de microondas;
  • Outros bolos caseiros - como bolo de casca de banana , de cenoura , de laranja, de abobrinha  e de cacau - são boas alternativas!;
  • iogurte natural é rico em cálcio e em probióticos, que equilibram a flora intestinal, fortalecem o sistema imunológico. Além disso, as crianças adoram! Fique atento para conservar o iogurte bem gelado na térmica;
  • Dê preferência para as frutas da época. Elas são muito mais saborosas e nutritivas e você economiza na hora das compras! Agora em janeiro tem o abacaxi, coco verde, figo, laranja-pera, mamão, maracujá, melancia e uva. São uma ótima fonte de vitaminas e minerais! Além da fruta in natura, os pais podem fazer uma salada de frutas e oferecer como sobremesa ou lanche da tarde;
  • Outra opção é o tomate cereja e a cenoura baby. As crianças adoram! Leve-os higienizados em um potinho ou sacos de alimentos;

Para beber:

  •  Muita água. A hidratação é fundamental, principalmente nos dias quentes;
  • água de coco é uma boa alternativa, pois é uma bebida isotônica que repõe o sódio e o potássio e pode ser utilizada como complemento na hidratação;
  • As frutas ajudam no equilíbrio hídrico do organismo, com sua alta concentração de água. Como exemplo, o melão, a melancia, o abacaxi, o morango, a maçã e a pêra;
  • Para os bebês até os 6 meses, o leite materno é o mais indicado, sem adição de águas, chás, sucos ou outros líquidos;

Blog: Quais dicas você daria para organizar um dia na praia com as crianças?

 Eliza: Fazer um “Kit Lancheira Saudável” antes de sair de casa. Este deve conter água, muita água, frutas, gelo para conservação dos alimentos e algum outro lanche, como sanduíche triângulo com pão integral ou fatias de bolo. Use a sua criatividade, faça as preparações e envolva os pequenos no preparo!

Além dos alimentos que podemos levar para beira da praia, podemos falar do tão esperado picolé que as crianças adoram. E porque não deixá-lo saboroso e nutritivo? Picolé de frutas feito em casa, fácil de fazer!!! Faça de manhã e, quando chegar da praia à tarde, terá um saboroso e refrescante picolé!

Receita  de picolé de frutas

Ingredientes: 2 kiwis, 4 morangos, 1 cacho de uva sem semente, algumas fatias de manga, folhas de hortelã e água de coco. Pode usar iogurte natural em vez da água de coco.

Modo de Preparo: Corte as frutas, misture com a hortelã já higienizada e coloque nas forminhas de picolé ou copinhos descartáveis até a metade. Depois, complete com a água de coco. Leve ao congelador por cerca de 2 horas, coloque os palitos de picolé e coloque novamente no congelador. Dica: No momento de colocar as frutas já cortadas nas forminhas, convide as crianças para ajudar. Elas vão adorar criar seu próprio picolé!

Saiba mais:

Frase Fralda Cheia: “Coitadinho! Doces e guloseimas fazem parte da infância”

Inspire-se na hora de cozinhar para os pequenos

O que meu filho precisa comer?

Mãe megera não dá doces para os filhos. Ou seria o contrário?

Três em cada dez crianças consomem refrigerante antes dos 2 anos

As caretas da introdução alimentar

Obesidade infantil: Um terço das crianças entre 5 e 9 anos está acima do peso

Alimentação saudável, eu consegui!

Dei Danoninho ao meu filho. Vou para o inferno?

Gastronomia infantil é tema de curso em Porto Alegre

10 de novembro de 2015 0

Karolina Nogueira

Se tem um assunto que adoro compartilhar aqui no blog é sobre alimentação infantil. Hoje trago uma receita super saudável para prepararmos para os baixinhos no verão, além de uma dica de curso muito legal.

Vitamina com fruta e leite vegetal, waffles, pão de queijo e minihamburguer são algumas das delícias que a chef e nutricionista Gabriela Penter ministrará no próximo dia 28, no Basilic Gastronomia e Eventos, em Porto Alegre.  O curso de lanches funcionais para criançada possui vagas destinadas para papais e mamães de crianças e adolescentes e para quem também adora um estilo de vida mais saudável.

“O meu desejo é mostrar para as mães que o lanche das crianças pode ser saudável e gostoso, além de divertido. Por meio da alimentação, as crianças têm muito aprendizado e desenvolvimento”, comenta a chef formada em Raw Food na Austrália.

Foto: Picolé de Cacau| Blog de Cereal

Foto: Picolé de Cacau| Blog de Cereal

Além de ensinar gostosuras, ela dará dicas para tornar o dia-a-dia dos pequenos mais saboroso e nutritivo. Todas as receitas serão sem glúten, sem lactose e vegetarianas. A realização é do blog Barra de Cereal. Os inscritos receberão apostila com todas as receitas para preparar em casa, degustarão todas as gostosuras do curso e também poderão provar produtos de patrocinadores. Confira uma das receitas elaboradas pela Gabriela.

Receita: Picolé de Cacau

Ingredientes

  • 3 bananas
  • 6 colheres de sopa de leite de côco
  • 1 colher de chá de mel ou açúcar de côco
  • 1 colher de chá de cacau em pó

Como fazer

  • Liquidificar tudo, colocar em formas de picolé e levar ao freezer. Rende em média 6 picolés.

 

SERVIÇO DO CURSO

O que: curso de lanches funcionais para a criançada com a nutricionista Gabriela Penter
Público alvo: papais e mamães
Quando: 28 de novembro (sábado)
Onde: Basilic Gastronomia e Eventos (Nova York, 364)
Horário: das 10h às 13h
Preço: lote promocional de R$ 210 até o dia 13/11. Após, R$ 225
Informações e inscrições: aline@blogbarradecereal.com.br e (51) 9222-1852

Inspire-se na hora de cozinhar para os pequenos

22 de outubro de 2015 0

O blog reuniu dicas de sites e blogs com diversas receitas saudáveis para a criançada.

Reprodução

Reprodução

Por Karolina Nogueira

Todos sabem que uma alimentação saudável e equilibrada na infância é fundamental para o crescimento e desenvolvimento da criança. Porém, a tarefa nem sempre é simples, muitas crianças tem dificuldade de comer alimentos simples como legumes e frutas.

A dificuldade também atinge os pais na hora de montar o cardápio, falta ideia, desconhecimento sobre o equilíbrio entre os alimentos e a procura por uma nutricionista é primordial diante desses casos.

Mas para auxiliar a família na hora da construção desse cardápio, as mamães do Fralda Cheia resolveram compartilhar os blogs, sites e perfis no Instagram que nos inspiramos na hora de cozinhar para a criançada. Confira:

  • As delícias do Dudu - A Thais é a mãe do Dudu, estudante de gastronomia, consultora e culinarista infantil e é uma das blogueiras mais querida por mim e pela Giane. Ela também tem página do Facebook e perfil no Instagram @asdeliciasdodudu;
  • Criansaudável  - A Geisa é celíaca e tem dois filhos, sendo um deles também celíaco. Sempre tem boas adaptações e comida 100% saudável. Ela tem página no Facebook e o perfil no Instagram é o @criansaudavel_;
  • Comidinhas da Diana – A Fernanda é a mãe da Diana de 17 meses e compartilha toda rotina alimentar da filha. O perfil do Instagram é o @comidinhasdadiana e também possui página no Facebook;
  • Prapapá – Canal do youtube com passo-a-passo das receitas para crianças de 0 a 7 anos. O perfil no Instagram é o @prapapa_receitas;
  • Bela Gil – A Bela dispensa apresentações, faz receitas saudáveis para toda família. Ela possui dois livros de receitas e apresenta o programa Bela Cozinha no canal de TV GNT. O perfil no Instagram é o @belagil e também tem página no Facebook, usem a hashtag #belacozinha para acharem as receitas;

Adoraríamos receber dicas de receitas, sites e perfis bacanas como esses, mandem pra gente no e-mail fraldacheia@rdgaucha.com.br. Fotos das receitas e pratinhos também serão bem-vindas.

Saiba mais:

O que meu filho precisa comer?

Mãe megera não dá doces para os filhos. Ou seria o contrário?

Três em cada dez crianças consomem refrigerante antes dos 2 anos

As caretas da introdução alimentar

Obesidade infantil: Um terço das crianças entre 5 e 9 anos está acima do peso

Alimentação saudável, eu consegui!

Dei Danoninho ao meu filho. Vou para o inferno?