Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "infância"

Tem uma criança esperando por você: adote!

11 de abril de 2017 0

Por Sibeli Fagundes

Divulgação/TJRS

Divulgação/TJRS

O Rio Grande do Sul tem 573 crianças, a partir dos seis anos de idade, e adolescentes esperando por adoção. A Coordenadoria da Infância e Juventude atualizou a tabela com os dados básicos, como idade, sexo, raça e a situação jurídica. No Estado, há 5.375 pessoas esperando para adotar uma criança.

A lista foi criada em dezembro do ano passado pelo Projeto Busca-Se (r)  para ampliar as possibilidades de adoções que são mais difíceis por tratarem-se de casos como grupos de irmãos, fora da faixa etária mais procurada, ou portadores de deficiências ou doenças.

Quem tiver interesse, deve entrar em contato com a Coordenadoria da Infância e Juventude pelo email cijrs@tjrs.jus.br.

Agora é lei: depoimento de crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de violência tem de ser protegido

04 de abril de 2017 0

Por Sibeli Fagundes

17926878 criança

Crianças e adolescentes, vítimas ou testemunhas de violência, têm o direito à proteção especial em depoimentos. A lei, de autoria da deputado Maria do Rosário, foi sancionada hoje pelo presidente Michel Temer, na abertura do 9º Global Child Forum on South America, em São Paulo.

O texto prevê que não haverá contado algum, nem mesmo visual, com o acusado. As vítimas passam a ser acompanhados por profissionais especializados em saúde, assistência social e segurança pública. Será criado um serviço de atendimento para denúncias de abuso e de exploração sexual.

Quem violar a lei está sujeito a pena que varia de um a quatro anos de prisão.

Apesar de a lei ter sido sancionada hoje, não entra em vigor imediatamente. O governo deverá normatizar o texto em 60 dias. Depois, Estados e Municípios têm  mais 180 dias para adequação.

A lei entra em vigor mesmo, um ano após a publicação.

Pediatra toca música e menina em tratamento contra o câncer encanta dançando

26 de março de 2017 0

Por Sibeli Fagundes

dança

Era para ser apenas mais um dia de tratamento contra o câncer para crianças internadas no Hospital das Clínicas da USP de Ribeirão Preto, São Paulo, mas um pediatra fez a diferença. Paulo Martins contou em sua página no Facebook que ao visitar a enfermaria viu que muitos adolescente internados sofriam com a ociosidade, além das agruras do tratamento.

Ele, então, combinou que no outro dia iria levar um ukelele pra tocar. Martins cumpriu a promessa e fez o tour musical pela enfermaria da oncologia, atendendo pedidos dos pacientes. O pediatra foi de quarto em quarto tocando e cantando por duas horas sertanejo, rock e até música gospel.

No caminho, ele notou que um menininha acompanhava os passos dele com o olhar, dançando do lado de fora da porta de um dos quartos. Quando o pediatra saiu do último local, ela estava na porta esperando, curiosa.

Paulo Martins disse que ficou envergonhado quando pediram para cantar para a garotinha, porque não sabia nenhuma música infantil. O pai da menina então falou que ela gostava de Marília Mendonça. Ele tocou e cantou e ela dançou sem parar, uma música após outra.

“Comecei a tocar, baixinho, e na medida que os acordes e a letra iam fluindo, seus passos magicais foram me acompanhando”, relata. “Toquei e ela dançou divinamente bem. ”

Paulo Martins pediu permissão ao pai dela para publicar o vídeo, mas nunca imaginou que ele teria tanta repercussão. Na página dele, havia hoje mais de 217 mil visualizações me mais de 3,2 mil compartilhamentos. Uma clínica de vacinas também compartilhou e as imagens já foram vistas por mais de 8,3 milhões de pessoas.

“Hoje, dias após, vejo que essa tarde, aparentemente tão simples, ganhou uma repercussão que eu jamais imaginaria. Mensagens, ligações, apoio. Me lembrei de todas as vezes em que meu jeito foi criticado, desde a graduação, até mesmo na residência. Mas não há dúvidas: quando a gente faz o que gosta, do jeito que gosta, dá certo. Nesta tarde, todos ganhamos.”

Não diga a meu filho que homem não chora!

17 de janeiro de 2017 1

Por Sibeli Fagundes

Campanha incentiva o choro de meninos Reprodução/Youtube

Campanha incentiva o choro de meninos Reprodução/Youtube

Um dia meu filho começou a chorar por ter se machucado e um conhecido que estava perto veio com a maldita frase “homem não chora”. Depois de fuzilar a pessoa com o olhar, disse ao Vicente: “Está doendo? Então chora!”. E aviso: ele também é livre para derramar lágrimas quando estiver triste, com medo, feliz demais… e por aí vai. Estou criando um ser humano, não a Muralha da China. Estou criando uma fortaleza que não vai desmoronar por não saber lidar com os sentimentos.
Não quero que depois meu filho vá parar em algum divã porque não consegue enfrentar a vida, porque quer chorar mas mandaram ele engolir o choro. Ele poderá frequentar um divã, por outros motivos, não porque não pode chorar.
Aliás, já pararam para pensar no que está implícito em “engolir o choro”? Você está dizendo à criança para engolir as frustações da vida, para engolir os sentimentos, para engolir a dor, para não se expressar. O choro, lembrem bem, a primeira forma de expressão de um ser humano.
Quem não chora por perdas, perderá sempre. Quem não chora por amor, vai deixar o amor escapar. Quem não chora de dor, tatua uma cicatriz na alma. Quem não chora na vida, pode achar que a vida não vale a pena.
Na Austrália, o problema de suicídio entre homens é tão grave que a Man Up fez uma campanha para incentiver os homens a chorar.

Instituição que acolhe crianças em Porto Alegre é arrombada e precisa de ajuda

01 de setembro de 2016 2

Por Lucas Abati

sos

Uma das sedes da SOS Casas de Acolhida de Porto Alegre que foi arrombada nesta semana pede a doação com urgência de materiais de higiene e alimentos que foram levados pelos criminosos. São 25 crianças atendidas, sendo 18 bebês.

De acordo com a instituição, os itens de maior urgência são fraldas tamanho M e GG, pomadas, lenços umedecidos e leites Nestogeno 1 e Leite Ninho. Até as mamadeiras foram levadas.

Sistema de alarme

Para evitar novas invasões, a casa está realizando uma rifa para instalar um sistema de alarme, orçado em R$ 5 mil. A rifa, no valor de R$ 10, irá sortear uma TV de LED 20’’.

Saiba como ajudar:

O endereço da casa arrombada não é divulgado por questão de segurança, mas existe uma central em Porto Alegre que está recebendo as doações. Fica na Rua Miguel Tostes, 575. A conta da instituição também está disponível para depósitos.

Banco: Banrisul

Agência: 0100

Conta: 060616040-8

CNPJ: 92852854000114

A SOS – Casas de Acolhida é uma instituição não governamental, sem fins lucrativos, que desde 1993 acolhe crianças e adolescentes de 0 a 18 anos de idade, que foram vítimas de violência e que são afastadas do seu meio familiar e comunitário, como medida de proteção especial.

Quantas vezes discriminamos até crianças pela aparência?

29 de junho de 2016 0

Por Sibeli Fagundes

Quantas vezes desviamos o  olhar Crédito: Reprodução/Unicef

Quantas vezes desviamos o olhar Crédito: Reprodução/Unicef

Olhando a timeline do meu Facebook, me deparei com um vídeo do Unicef que retrata comportamentos que temos todos os dias. E no que esse difere? Ele coloca uma criança no centro da atenções. Em uma experiência, uma atriz de seis anos fica em lugares públicos. Quando está bem vestida, as pessoas se aproximam. Quando maltrapilha, ou torna-se invisível, ou a presença incomoda.

Essa personagem (que é real nas nossas ruas e nas do mundo), que está suja e com roupas velhas, vai crescer tendo qual imagem do mundo? Que tipo de consciência ou consideração terá? Vai sobreviver? Assista e mude seu olhar.

Campanha alerta sobre riscos de cordões de cortina e persianas para crianças

23 de junho de 2016 0

Por Sibeli Fagundes

Crédito: arquivo pessoal.

Às vezes, nem nos damos conta do perigo   Foto: arquivo pessoal, Milena Schoeller

Começou hoje uma campanha mundial da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico para alertar sobre o perigo de as crianças se machucarem e até morrerem com cordões de cortinas e persianas. A mobilização envolve mais de 20 países, incluindo o Brasil.

Só nos Estados Unidos, acidentes com essas ‘cordinhas’ foram responsáveis por cerca de 200 mortes, de 1996 a 2012. No Brasil, em 15 anos, foram relatados 540 casos de enforcamento. A estatística brasileira não determina o que levou ao acidente. No entanto, especialistas avaliam que a realidade aqui deve ser bastante semelhante à norte-americana.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA O FRALDA CHEIA NO TWITTER

O objetivo com a campanha “Cordões em persianas e cortinas: perigo para todas as crianças” é aumentar a conscientização do risco e incentivar o registro dos acidentes. No Brasil, a coordenação da mobilização é do Inmetro, com apoio da ONG Criança Segura e do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor. Para a coordenadora nacional da organização não-governamental, Gabriela Guida de Freitas, o fato do País não especificar o acidente de estrangulamento com o cordão de persianas e cortinas nas estatísticas atrapalha na divulgação e conhecimento dos pais da existência do perigo.

O maior risco de acidente é com crianças entre zero e 6 anos de idade. Mas segundo o Inmetro, a maior parte dos casos registrados estão na faixa dos 4 anos. O laço dos cordões, em altura acessível é o maior risco ao enforcamento. O instituto irá aprofundar o estudo sobre os riscos oferecidos pelo produto para avaliar se cabe adotar alguma medida regulatória adicional.

Dicas da ONG Criança Segura e Inmetro para que a criança não tenha acesso aos cordões:

- cortar o cordão, deixando duas cordas paralelas
- usar enroladores, que são vendidos em lojas infantis
- não deixar móveis próximos a cortina
- ter sempre um adulto monitorando a criança,

Casos de sufocamento com cordões, assim como outros acidentes de consumo, devem ser registrados no Sistema Inmetro de Monitoramento de Acidentes de Consumo, que são usados como base de atuação das entidades de defesa do consumidor e para medidas regulatórias. Quem quiser participar da campanha nas redes sociais, a hashtag no País é #cortinasegura.

Saiba mais:

Prevenção de Acidentes na Infância: dicas e orientações

Você brinca com seu filho? Esta é a Semana Mundial do Brincar!

23 de maio de 2016 0

Por Milena Schoeller

Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação

Desde 2009, sempre no mês de maio, no mundo todo, alguns dias são dedicados a brincadeiras com os pequenos. É a Semana Mundial do Brincar, para incentivar atividades que são muito, muito, mas muito saudáveis na infância. E mais, as brincadeiras são fundamentais para o desenvolvimento infantil. Elas estimulam a imaginação, a inteligência, a criatividade, a integração com outras crianças. Através das brincadeiras, as crianças verificam possibilidades, organizam emoções, e aprendem a ter autonomia. Enfim, o que seria das crianças se não houvessem brincadeiras?? Música, arte, teatro, dança, circo, leitura, contação de histórias, manifestações culturais tradicionais, integração com pessoas diferentes, jogos.
Neste ano, a Semana começou neste domingo (22) e vai até o dia 28.

Vamos aproveitar esta data pra brincar mais com os nossos filhos!

Em São Paulo, o Espaço Cultural para crianças Brincado no Pé lançou uma cartilha com dicas aos pais. É muito interessante. Fala da importância do brincar no desenvolvimento infantil, e traz ainda explicações sobre cada tipo de brinquedo. Acesse aqui.

E o blog relembra algumas matérias que já fizemos sobre isso:

Brincadeiras que quero ensinar a meus filhos

Como estimular os bebês: atividades desde recém-nascido até um ano

Atividades para crianças em dia de chuva

Sociedade de Pediatria do RS orienta que pais não proíbam acesso a tecnologias

O Começo da Vida! Documentário mostra o desenvolvimento do cérebro dos bebês e crianças.

PUC inaugura playground para crianças com acesso gratuito em Porto Alegre

Meu filho não sabe dividir os brinquedos!

Alunos da rede pública ganham jogos para aprender sobre o Aedes

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA O FRALDA CHEIA NO TWITTER

Adoção de crianças por casais estrangeiros cai 64% em cinco anos

25 de abril de 2016 0

Por Sibeli Fagundes

adoção

Caiu 64% o número de casais estrangeiros que adotaram crianças brasileiras nos últimos cinco anos. Pelos dados do Conselho Nacional de Justiça, foram 316 casos em 2010 contra 115 no ano passado. As famílias italianas foram as que mais adotaram no Brasil em 2015, seguida pelas francesas, espanholas e norte-americanas.

O Cadastro Nacional de Adoção tem, atualmente, 135 pretendentes estrangeiros habilitados para adoção. A maioria desses casos é feita com crianças maiores de 6 anos e, geralmente, com grupos de irmãos. De 2010 a 2015, ocorreram 1.409 adoções internacionais.

Uma das razões apontadas para a queda no número dessas adoções é a crise econômica europeia. O processo em si não tem custo, mas os interessados arcam com passagens e hospedagem no Brasil durante um mês para o estágio de convivência com a criança.

Mãe que acusou professora em grupo de pais é condenada por danos morais

19 de abril de 2016 0

Por Sibeli Fagundes

emailll

A mãe de uma criança de três anos vai ter de pagar R$ 7.240,00 por danos morais a uma professora que atua em Porto Alegre. Em um e-mail enviado a um grupo de pais, ela disse que a professora pisou na mão da menina, e não pediu desculpas, e que fazia de forma descuidada a higienização da garota, provocando lesões na área genital.

Após ouvir testemunhas, a mãe da criança foi condenada em primeira instância. Ela recorreu, alegando que o e-mail foi direcionado a um grupo restrito. O relator do processo na 9ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça, desembargador Carlos Eduardo Richinitti, refutou essa defesa, e destacou que ela deveria ter procurado órgãos responsáveis para apurar as graves suspeitas levantadas. Ainda cabe recurso.