Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "microcefalia"

1 ano de Zika vírus no Brasil

18 de abril de 2016 0

Primeiro caso oficial da doença foi registrado em abril de 2015

Por Milena Schoeller

Imagem: Agência RBS

Mosquito que transmite o Zika. Imagem: Agência RBS

Ainda não se conhecem todas as consequências da contaminação pelo Zika vírus, principalmente nas crianças pequenas. Mas a principal delas é a microcefalia em bebês, cuja mãe teve a doença durante a gestação. A circulação do vírus no Brasil foi confirmada laboratorialmente em abril de 2015, em amostras de pacientes  do município de Camaçari, Bahia. E em setembro começaram a nascer os bebês com microcefalia. A médica pernambucana Vanessa van der Linden foi a primeira a identificar um aumento do número de casos de má-formação entre bebês. Ela esteve em Porto Alegre na última semana conversando com médicos gaúchos sobre o assunto. Em novembro de 2015, o Ministério da Saúde declarou a Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional. E a partir daí, milhares de casos de microcefalia começaram a ser registrados em todo o Brasil, e também no mundo, o que levou ao decreto de emergência internacional pela Organização Mundial da Saúde.

Uma das lições que ainda temos que aprender é que devemos intensificar o combate ao mosquito transmissor da doença. Sem ele, não há contaminação. Por isso, acompanhe aqui as principais orientações para terminar com o Aedes aegypti.

Conheça os sintomas da infecção pelo Zika:

Fonte: Zero Hora

Fonte: Zero Hora

Neste 1 ano, acompanhe as principais informações e o que já se descobriu sobre o Zika:

Passa de mil o número de casos de microcefalia no Brasil

Porto Alegre registra o primeiro caso autóctone de Zika

Estudo americano comprova ligação do Zika com a microcefalia

Pesquisa mostra que danos do Zika em bebês podem ser ainda mais graves

OMS recomenda que mães com Zika continuem amamentando

Mulheres devem adiar gravidez, orienta Secretaria Estadual da Saúde

OMS decreta emergência internacional devido ao Zika vírus

Soro contra o Zika para grávidas ficará pronto em um ano

Laboratório começa pesquisa para vacina contra o Zika

Mitos e Verdades sobre a infecção pelo Zika

Você ainda tem dúvidas? O Ministério da Saúde tem um material bem bacana sobre todo o histórico do vírus, tratamentos, formas de agir, etc. Acesse aqui.

Brasil tem 102 novos casos de microcefalia em uma semana

05 de abril de 2016 0

Por Marcela Panke

Foto: Sumaia Villela / Agência Brasil

Foto: Sumaia Villela / Agência Brasil

O Ministério da Saúde confirmou 102 novos casos de microcefalia no país em uma semana. Segundo boletim divulgado nesta terça-feira (5), 1.046 bebês nasceram com microcefalia e outras alterações do sistema nervoso desde o início das investigações, em outubro de 2015.

Os estados com o maior número de casos são Pernambuco (303), Bahia (194) e Paraíba (103). O Rio Grande do Sul tem dois casos confirmados de microcefalia, 25 em investigação e 30 foram descartados.

Relação com zika vírus

Do total de 1.046 casos de microcefalia no Brasil, 170 tiveram relação com o zika vírus confirmada por exames laboratoriais. Contudo, o Ministério da Saúde avalia que o impacto do vírus é ainda maior. O Ministério acredita que a maioria das mães que tiveram bebês com a má formação foram infectadas pelo zika vírus durante a gestação.

O Ministério da Saúde destaca ainda que a microcefalia pode ter diversas causas, além do zika vírus, como sífilis, toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus e herpes viral.

Maior risco no primeiro trimestre da gestação

Foi apresentada nesta terça-feira a avaliação inicial de um estudo que está sendo realizado na Paraíba pelo Ministério da Saúde em parceria com o governo do estado e o Centro de Controle e Prevenção de Doenças Transmissíveis dos Estados Unidos.

Os pesquisadores revelaram que  as mães que tiveram o zika vírus no primeiro trimestre da gestação apresentaram maior probabilidade de terem crianças com microcefalia. O resultado inicial do estudo também não apontou relação da microcefalia com a exposição a inseticidas.

Essas são conclusões preliminares, já que o estudo seguirá com a análise de amostras de sangue de mães e bebês paraibanos. Somente após essa investigação os resultados finais da pesquisa serão divulgados.

Leia também:

Família de Gravataí cria página para ajudar pais de criança com microcefalia

Após aumento de casos de zika, Secretaria da Saúde do RS orienta mulheres a adiarem a gravidez

Brasil tem 944 casos de bebês com microcefalia ou alteração no sistema nervoso

Estados Unidos estipula prazo para engravidar após zika vírus

Brasil tem 944 casos de bebês com microcefalia ou alteração no sistema nervoso

29 de março de 2016 0

Por Sibeli Fagundes

Divulgação/TV Brasil

Divulgação/TV Brasil

Chegou a 944 o número de bebês com microcefalia ou alterações do sistema nervoso no País. O boletim foi divulgado nesta terça-feira (29) pelo Ministério da Saúde. Há ainda 4.291 casos suspeitos em investigação. O Brasil enfrenta um surto de crianças nascendo com lesões neurológicas associadas à epidemia do zika vírus.

Seguindo as diretrizes da Organização Mundial da Saúde, o Ministério da Saúde passou a recomendar às grávidas que usem camisinha com parceiros que estiveram em regiões endêmicas para o vírus. O alerta acontece após Estados Unidos, França e Itália apontarem casos de suspeita de transmissão sexual do zika.

Estados Unidos estipula prazo para engravidar após zika vírus

25 de março de 2016 0

Por Sibeli Fagundes

Foto: Lucas Correia / Agência RBS

Foto: Lucas Correia / Agência RBS

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos lançaram novas diretrizes, nesta sexta-feira, sobre o tempo que as mulheres e homens expostos ao zika devem aguardar antes de começar uma gestação. As mulheres diagnosticadas com o vírus devem esperar ao menos oito semanas depois do início dos sintomas, enquanto os homens devem esperar ao menos seis meses.

As diretrizes destacam ainda que tanto homens quanto mulheres que, mesmo não tendo um diagnóstico confirmado da doença, tiveram uma possível exposição ao vírus devem esperar ao menos oitos semanas. O órgão observou que as recomendações são baseadas em dados ainda limitados sobre a permanência do vírus no sangue e no sêmen. O vírus da zika tem sido relacionado ao aumento de casos de bebês nascidos com microcefalia no Brasil.

Após aumento de casos de zika, Secretaria da Saúde do RS orienta mulheres a adiarem gravidez

24 de março de 2016 0

Por Matheus Schuch

Foto: Betina Humeres

Foto: Betina Humeres

A Secretaria Estadual da Saúde anunciou nesta quinta-feira (24) uma nova orientação às famílias que estão planejando ter filhos. Com a confirmação de novos casos de zika vírus, os futuros pais são aconselhados a adiarem a gestação.

“Há 30 dias nós não tínhamos esta orientação, mas neste momento é prudente que todas as famílias avaliem o risco que existe no nosso Estado, que discutam isso com o seu médico. Se for possível postergar, a família deve fazer isso”, recomenda o secretário João Gabbardo.

O risco passou a ser maior, segundo ele, com o aumento no número de casos autóctones, ou seja, contraídos no local. Ao todo, são onze registros de zika neste ano. Três foram adquiridos no Rio Grande do Sul: Santa Maria, Frederico Westphalen e Ivoti.

Os importados são em Bom Jesus, Garibaldi, Porto Alegre (2), Santo Ângelo, Teutônia e Tramandaí. O 11º caso é de um morador do Rio de Janeiro que foi diagnosticado aqui no Estado.

“O vírus está circulando, a possibilidade das gestantes serem atingidas é muito grande”, complementa Gabbardo. Às mulheres que já engravidaram, ele sugere cuidado redobrado, como o uso frequente de repelente e combate a possíveis focos do mosquito Aedes aegypti.

Os casos de dengue, que também é transmitida pelo Aedes Aegypti, atingiram índices ainda mais significativos nos primeiros meses de 2016. Dos 3.297 casos suspeitos, 386 já foram confirmados. O número é o maior dos últimos seis anos, e a tendência é crescer nas próximas semanas.

O governo irá solicitar o deslocamento de outras equipes das Forças Armadas para atuação nos municípios mais expostos às doenças. O trabalho já está sendo realizado em Ijuí, Frederico Westphalen, Santa Maria e Santo Ângelo. Em razão das novas suspeitas, Novo Hamburgo também deve receber o reforço.

Atenção pais: vírus Zika já circula no Rio Grande do Sul

18 de março de 2016 0

Por Milena Schoeller

Fonte: Divulgação Ministério da Saúde

Fonte: Divulgação Ministério da Saúde

Um novo relatório divulgado nesta sexta-feira (18) pela Secretaria Estadual da Saúde traz a confirmação de que o Zika vírus já circula no Rio Grande do Sul. São dois casos de pacientes que contraíram a doença sem sair do estado, um de Frederico Westphalen e outro de Santa Maria. Os casos são autóctones, o que significa que os mosquitos estão contaminados neste locais. Um dos casos que preocupa é da paciente de Frederico Westphalen, pois é uma jovem grávida, de 18 anos, com três meses de gestação. Conforme o prefeito do município, Roberto Felin Junior, ainda não foram feitos exames para mostrar se o bebê tem microcefalia ou alguma outra sequela.

Por isso, atenção pais: vale redobrar o esforço para evitar a proliferação do Aedes aegypti. Confira as dicas completas.
E também reforçar o uso de repelente nos pequenos. Confira as orientações.

Exames são feitos agora no Rio Grande do Sul

O Laboratório Central do Estado (Lacen) implantou o serviço de análise de amostras de casos suspeitos de Zika vírus no Rio Grande do Sul. A divulgação dos resultados ocorre em até 24h. Os exames dos casos confirmados hoje foram os primeiros feitos pelo Lacen. Até esta semana, de acordo com orientação do Ministério da Saúde, as amostras eram enviadas para a Fiocruz, no Paraná. A implantação do serviço no estado torna o diagnóstico mais rápido e mais barato.

Leia Também

Pesquisa indica que danos provocados pelo Zika vírus em bebês são ainda mais graves

Mitos e verdades sobre infecção pelo Zika

Soro contra o Zika vírus para grávidas ficará pronto em 1 ano

Nova caderneta da gestante traz orientações sobre o Zika Vírus

OMS recomenda que mães com Zika continuem amamentando

Família de Gravataí cria página para ajudar pais de crianças com microcefalia

05 de março de 2016 1

Por Elisandra Borba

Foto: Arquivo Pessoal

Foto: Arquivo Pessoal

Uma família de Gravataí deu a volta por cima e está auxiliando outros pais a conviver com o diagnóstico de microcefalia. Eles criaram uma página para mostrar a rotina da pequena Sophia, de cinco anos. Ela vai à praia, brinca na pracinha e assiste a Peppa Pig. Igualzinho qualquer criança da idade dela.

O diagnóstico de malformação veio no quinto mês de gestação. No caso dela, a mãe, Jessica Costa, contraiu Citomegalovírus Congênito, um dos causadores da microcefalia.

A Sophia tem duas irmãs, a mais velha é a Sara, de oito anos e a mais nova é a Antônia, de um ano. A mãe, Jéssica e o Pai, Maicon, decidiram que a Sophia teria uma vida normal. Eles viajam, frequentam restaurantes e locais públicos. A ideia de criar a página foi justamente para tentar combater o preconceito, segundo o pai da menina: “Ela é o presente que Deus nos deu. Faz parte da nossa família e criamos a página para mostrar a outros pais que estas crianças não têm que ficar trancadas em casa e não tem que ter vergonha desta situação”.

Claro que os pais se assustaram no início, quando tiveram o diagnóstico. A mãe, Jéssica, teve que sair do emprego e parar de estudar para se dedicar aos cuidados da filha. Mas hoje eles enxergam muito mais conquistas que perdas. Essas conquistas diárias estão registradas na página SomosTodosSophia.

Confira agora algumas das fotos dela:

 Ouça a reportagem veiculada no SúperSábado, da Rádio Gaúcha, no dia 05 de março:

Leia mais:

Rio Grande do Sul tem 97 casos suspeitos de Zika vírus

Nova caderneta da gestante traz orientações sobre o Zika Vírus

Soro contra o zika vírus para grávidas ficará pronto em 1 ano

Laboratório inicia pesquisa de vacina contra o Zika

OMS decreta emergência internacional devido ao Zika Vírus

OMS decreta emergência internacional devido ao Zika VírusEstudo diz que zika causa outros danos em bebês que não tiveram microcefalia

EUA orienta grávidas a não viajarem ao Brasil por causa do zika vírus

“Não cometeria a insensatez de desejar zika pra ninguém”, diz ministro da Saúde após polêmica

Governo Federal vai capacitar mais de 7 mil profissionais para atender crianças com microcefalia no país

Zika vírus pode levar bebês com microcefalia à cegueira

Mitos e verdades sobre infecção pelo Zika

Ministério da Saúde muda regras de cuidados de mulheres e bebês devido ao zika vírus

Médicos investigam se bolhas em bebês são causadas por zika vírus

Rio Grande do Sul tem 97 casos suspeitos de Zika vírus

04 de março de 2016 1

Por Milena Schoeller

Três gestantes também aguardam o resultado de exames

 

Foto: Divulgação Secretaria Estadual da Saúde

Foto: Divulgação Secretaria Estadual da Saúde

121 casos supeitos de Zika vírus já foram notificados em 2016 no Rio Grande do Sul. Destes, 23 foram descartados através de exame, e 1 confirmado, de um paciente de Porto Alegre que viajou para Macelândia, no Mato Grosso. 97 pacientes ainda aguardam resultados de exames para saber se foram realmente infectados.
O relatório atualizado foi divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde, nesta sexta-feira (04).
Há a notificação de 5 grávidas com suspeita de infecção pelo Zika. Dois casos já foram descartados. Mas 3 gestantes ainda aguardam o resultado de exames laboratoriais.
Um outro dado divulgado diz respeito a casos de microcefalia no Rio Grande do Sul. Desde outubro de 2015, já foram notificados 43 casos. Destes, 1 foi confirmado, 16 descartados, e 26 ainda são investigados. Porém, a secretaria da saúde alerta que não há evidência de ligação com o Zika vírus, pois estão dentro da média de casos que o estado sempre registrou.
Também foram divulgados dados sobre a dengue: já são 85 casos confirmados, contraídos dentro do próprio Rio Grande do Sul em 2016, os chamados autóctones. Isso significa que os mosquitos estão contaminados e transmitindo a doença dentro do território gaúcho.
Foram notificados ainda, em 2016, 93 casos de suspeitos de Febre Chikungunya, e um caso confirmado importado, de uma pessoa residente em Santa Maria, que viajou para Pernambuco.

Confira o relatório completo da Secretaria Estadual da Saúde.

Saiba Mais

Pesquisa indica que danos provocados pelo Zika vírus em bebês são ainda mais graves

OMS recomenda que mães com Zika continuem amamentando

Soro contra o Zika vírus para grávidas ficará pronto em 1 ano

Mitos e verdades sobre a infecção pelo Zika

Pesquisa indica que danos provocados pelo zika vírus em bebês são ainda mais graves

27 de fevereiro de 2016 0

Por Sibeli Fagundes

17876796

Um estudo de pesquisadores e médicos baianos mostrou que os danos provocados pelo zika vírus em bebês são maiores do que se pensava e que as gestantes podem não ter sintomas da doença. Segundo artigo publicado em parceria com a Universidade do Texas, o vírus não afeta exclusivamente o sistema nervoso central, hipótese sustentada até agora.

A descoberta ocorreu após pesquisas feitas em um feto, morto na trigésima segunda semana de gestação. Além das complicações no sistema nervoso, consideradas graves, outros problemas afetaram o bebê. Ele apresentou doença congênita que deforma os membros e as articulações e hidropsia, que é a presença de líquido em cavidades do corpo.

Os cientistas alertaram também que o bebê pode ter síndrome da zika congênita sem ter microcefalia.

OMS decreta emergência internacional devido ao Zika Vírus

01 de fevereiro de 2016 0
Foto: Agência RBS

Foto: Agência RBS

Por Milena Schoeller

O Zika Vírus virou definitivamente preocupação mundial. Nesta segunda-feira (01), a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que a disseminação rápida do vírus tornou-se Emergência de Saúde Pública internacional. Conforme as primeiras informações do site de notícias G1, a OMS afirmou que é necessária uma resposta mundial coordenada para fazer frente ao Zika. O anúncio foi feito depois da primeira reunião do Comitê de Emergência, convocada ainda na semana passada. O Jornal O Globo também informa que a OMS está colocando o vírus na mesma categoria do ebola. A decisão abre caminho para medidas internacionais mais rápidas e prioridades em projetos de investigação.

A estimativa da OMS é de que os casos nas Américas cheguem a 4 milhões neste ano. O último levantamento do Ministério da Saúde, no dia 27 de janeiro, registra 3.448 casos suspeitos de microcefalia em todo o Brasil, causados pelo Zika Vírus. Já foram notificados também 68 óbitos por malformação congênita após o parto, ou durante a gestação.

 

Fonte: Zero Hora

Fonte: Zero Hora

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leia Mais:

Mitos e Verdades sobre o Zika Vírus

Estudo diz que Zika causa outros problemas em bebês que não tiveram microcefalia

Estados Unidos orienta gestantes a não viajarem ao Brasil