Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Posts com a tag "vídeo"

Vídeo: Bebê que adora banho transforma batizado em festa, em São Paulo

02 de maio de 2017 0

Por Elisandra Borba

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução Youtube

A cena mais comum em batizados e ver os bebês chorando, assustados com toda aquela movimentação atípica. Pois com o Gustavo, de dez meses, a cena foi totalmente diferente: ele dá gargalhadas durante o banho na pia batismal e quando termina, bate palmas junto com os fiéis da igreja católica de Campo Limpo Paulista (SP).

O vídeo foi postado pela mãe do menino, Juliane Dias, no dia 25 de abril e já tem mais de 500 milhões de visualizações. “Vê se posso com isso, Gustavo rindo na pia batismal!!”, postou na conta pessoal do YouTube.

Em entrevista ao Portal G1, Juliane disse que não esperava toda esta repercussão quando postou o vídeo: “Ele adora tomar banho, adora uma água. Nós temos que trancar a porta quando damos banhos nele. Mas confesso que eu não esperava que ia gostar tanto do batismo”.

Confira o vídeo completo:

Pediatra toca música e menina em tratamento contra o câncer encanta dançando

26 de março de 2017 0

Por Sibeli Fagundes

dança

Era para ser apenas mais um dia de tratamento contra o câncer para crianças internadas no Hospital das Clínicas da USP de Ribeirão Preto, São Paulo, mas um pediatra fez a diferença. Paulo Martins contou em sua página no Facebook que ao visitar a enfermaria viu que muitos adolescente internados sofriam com a ociosidade, além das agruras do tratamento.

Ele, então, combinou que no outro dia iria levar um ukelele pra tocar. Martins cumpriu a promessa e fez o tour musical pela enfermaria da oncologia, atendendo pedidos dos pacientes. O pediatra foi de quarto em quarto tocando e cantando por duas horas sertanejo, rock e até música gospel.

No caminho, ele notou que um menininha acompanhava os passos dele com o olhar, dançando do lado de fora da porta de um dos quartos. Quando o pediatra saiu do último local, ela estava na porta esperando, curiosa.

Paulo Martins disse que ficou envergonhado quando pediram para cantar para a garotinha, porque não sabia nenhuma música infantil. O pai da menina então falou que ela gostava de Marília Mendonça. Ele tocou e cantou e ela dançou sem parar, uma música após outra.

“Comecei a tocar, baixinho, e na medida que os acordes e a letra iam fluindo, seus passos magicais foram me acompanhando”, relata. “Toquei e ela dançou divinamente bem. ”

Paulo Martins pediu permissão ao pai dela para publicar o vídeo, mas nunca imaginou que ele teria tanta repercussão. Na página dele, havia hoje mais de 217 mil visualizações me mais de 3,2 mil compartilhamentos. Uma clínica de vacinas também compartilhou e as imagens já foram vistas por mais de 8,3 milhões de pessoas.

“Hoje, dias após, vejo que essa tarde, aparentemente tão simples, ganhou uma repercussão que eu jamais imaginaria. Mensagens, ligações, apoio. Me lembrei de todas as vezes em que meu jeito foi criticado, desde a graduação, até mesmo na residência. Mas não há dúvidas: quando a gente faz o que gosta, do jeito que gosta, dá certo. Nesta tarde, todos ganhamos.”

Avó é a 'culpada' pela invasão de crianças em entrevista ao vivo na TV

11 de março de 2017 1

Por Sibeli Fagundes

Foto: reprodução youtube

Foto: reprodução youtube

O vídeo viral das duas crianças entrando no cômodo em que o pai dava uma entrevista ao vivo para a BBC tem uma explicação agora. A avó da dupla e mãe do entrevistado Robert Kelly, Ellen Kelly, contou o motivo ao jornal Daily Mail.

Morando em Cleveland, Ohio, ela e o marido Joseph usam o Skype para falar com o filho, a nora Jung-a Kim, e Marion, de quatro anos, e James, nove meses. Ellen acredita que as crianças ouviram o pai falando e acharam que ele estava conversando com os avós e, por isso, protagonizaram a cena hilariante.

Robert Kelly mora na Coreia do Sul, é especialista em política sul-coreana e estava dando entrevista sobre o impeachment da presidente Park Geun-hye.

A mulher que aparece no vídeo, chamada de “ninja” por vários internautas, e confundida com uma babá também, é a esposa dele, Jung-a Kim, ex-professora de ioga.

reprodução blog asiansecurityblog

Leia também:
Entrevistado é surpreendido por filhos durante transmissão ao vivo na TV

Não diga a meu filho que homem não chora!

17 de janeiro de 2017 1

Por Sibeli Fagundes

Campanha incentiva o choro de meninos Reprodução/Youtube

Campanha incentiva o choro de meninos Reprodução/Youtube

Um dia meu filho começou a chorar por ter se machucado e um conhecido que estava perto veio com a maldita frase “homem não chora”. Depois de fuzilar a pessoa com o olhar, disse ao Vicente: “Está doendo? Então chora!”. E aviso: ele também é livre para derramar lágrimas quando estiver triste, com medo, feliz demais… e por aí vai. Estou criando um ser humano, não a Muralha da China. Estou criando uma fortaleza que não vai desmoronar por não saber lidar com os sentimentos.
Não quero que depois meu filho vá parar em algum divã porque não consegue enfrentar a vida, porque quer chorar mas mandaram ele engolir o choro. Ele poderá frequentar um divã, por outros motivos, não porque não pode chorar.
Aliás, já pararam para pensar no que está implícito em “engolir o choro”? Você está dizendo à criança para engolir as frustações da vida, para engolir os sentimentos, para engolir a dor, para não se expressar. O choro, lembrem bem, a primeira forma de expressão de um ser humano.
Quem não chora por perdas, perderá sempre. Quem não chora por amor, vai deixar o amor escapar. Quem não chora de dor, tatua uma cicatriz na alma. Quem não chora na vida, pode achar que a vida não vale a pena.
Na Austrália, o problema de suicídio entre homens é tão grave que a Man Up fez uma campanha para incentiver os homens a chorar.

Cômoda cai em cima de menino, que é salvo por irmão gêmeo

03 de janeiro de 2017 0

Por Sibeli Fagundes

Imagens foram vistas milhões de vezes - Reprodução Facebook

Imagens foram vistas milhões de vezes – Reprodução Facebook

Quem nunca pegou o filho fazendo uma traquinagem perigosa? É só piscar e pah! O perigo está em coisas que nem imaginamos. Nos Estados Unidos, os irmão gêmeos de dois anos,  Bowdy e Brock,  estavam se aventurando na cômoda e a brincadeira por pouco não terminou em tragédia. Os pais acabaram postando a imagem nas redes sociais para alertar sobre o perigo. Ricky e Kayli Shoff estavam em outro cômodo e não ouviram o barulho do móvel caindo, nem de choro. Quando foram ao quarto e viram a cômoda caída, foram conferir a câmera de segurança. E se depararam com isso:

“Fiquei um pouco hesitante em postar isso, mas acho que não é apenas para despertar a atenção, mas também é incrível”, disse Shoff no post do Facebook. “Nós somos tão gratos pelo laço que esses irmãos gêmeos compartilham. Nós sabemos que Bowdy não estava sozinho tirando a cômoda de Brock e nos sentimos abençoados por ele estar bem”.

Após o incidente,  eles parafusaram a cômoda na parede.

Menino de 8 anos fala de "coisas de menina e de menino" em vídeo

26 de outubro de 2016 1

Por Marcela Panke

Reprodução / YouTube

Reprodução / YouTube

O menino Matteo Brandão Procópio, de 8 anos, fala sobre “coisas de menina e de menino” em um vídeo muito fofo, postado no canal do médico Drauzio Varella no YouTube. No vídeo, o menino fala que as pessoas costumam classificar os brinquedos pelo gênero da criança e reclama que casinhas só são feitas para meninas, que ele também gosta de brincar com o Batman, “fazer ele dormir ou ir para a piscina”.

Matteo comenta ainda que muitas pessoas diriam que ele é uma menina pela cor da camiseta que está usando (rosa). Olhem a resposta dele: “você pode usar o que quiser, se as pessoas disseram que você é menininha, deixa pra lá e continua usando”.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA O FRALDA CHEIA NO TWITTER

SIGA DICAS DE MÃE NO INSTAGRAM

O menino, de apenas 8 anos, também dá um aula de respeito quando cita a prima Rafaela:

“Ela faz umas coisas, fica de ponta cabeça, a mãe dela fala que isso não é coisa de pruincesa. Mas ela pode ser princesa, pode ser maloqueira, pode ser do jeito que ela quiser”.

Mas não parou por aqui. Veja o que mais ele disse:

“Tem gente que fala que beijar homem é gay e que isso é ruim, mas não é ruim, porque cada pessoa tem o seu jeito”.

Assista ao vídeo todo aqui:

Assista também:

Mãe dá lição em vídeo após filho cortar o cabelo em função do preconceito

“Ser mãe é um plus”: vídeo trata do mais emocionante emprego do mundo!

Vídeo em que enfermeira acalma criança após cirurgia emociona

Vídeo mostra reações de crianças quando os pais chegam em casa!

Vídeo – “cesárea natural”: o bebê sai rastejando sozinho de dentro da barriga da mãe

Vídeo mostra reações de crianças quando os pais chegam em casa!

21 de outubro de 2016 0

Por Marcela Panke

Reprodução / YouTube

Reprodução / YouTube

Para animar a sexta-feira, nada como carinhas fofas de bebês, empolgados por reencontrarem os pais, na volta do trabalho. Quem tem filhos, sabe que esse e um dos melhores momentos do dia!

O vídeo foi divulgado pelo site americano HooplaHa e é antigo, de 2014. Mas é um sucesso na web, já que desde lá, teve mais de 2,7 milhões de visualizações!

Confira e divirta-se!

Assista também

Vídeo em que enfermeira acalma criança apos cirurgia emociona

Vídeo mostra momento em que menina de 2 anos enxerga a mãe pela primeira vez

Momento fofura do dia – bebê de quase 7 meses esquia na água

Pais passam sufoco para trocar gêmeos

Garotinha se emociona ao ver irmã no ultrassom

Mãe dá lição em vídeo após filho cortar o cabelo em função do preconceito

02 de julho de 2016 0

Por Marcela Panke

Reprodução / YouTube

Reprodução / YouTube

Tudo começou com piadinhas na escola. Don, de 4 anos, quis cortar os longos cabelos por não aguentar mais ouvir os colegas o chamando de menina.

“Por muito tempo ele ouviu as piadas e nós conseguíamos conversar com ele e ele deixava pra lá, mas vira e mexe vinha triste, chorava, pedia pra cortar o cabelo. Um dia, o pai o levou pra cortar”, conta a mãe, a conselheira tutelar Iara Cordero, 32 anos.

Em um vídeo em que conversa com a mãe, Don conta que gostava do seu cabelo. Mas estava incomodado com as brincadeiras. O vídeo é uma grande lição contra o preconceito. Questionado pela mãe, Don conta que na escola existem brinquedos de menino e outros, para as meninas, assim como cores para cada um. “Seu pai tem uma camisa rosa, será que ele é uma menina?”, pergunta Iara. É um excelente convite à reflexão!

 CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA O FRALDA CHEIA NO TWITTER

É emocionante o momento em que a mãe pergunta ao menino se em casa ele  tem regras sobre com que brinquedos pode brincar e ele responde que, em casa, deve apenas ser “feliz”. Don brinca com um fogãozinho, inspirado no pai, Pedro Henrichs, que é proprietário de um food truck que leva o nome do filho.

Vale a pena conferir esse diálogo:

A história do vídeo

O vídeo foi gravado por Iara em maio, a pedido de um amigo, que é ativista dos direitos humanos. Há quatro anos ele já havia convidado a família para fazer uma foto para a campanha do orgulho gay no Facebook. Ela participou com o marido e Don ainda bebê.

Reprodução / Facebook

Reprodução / Facebook

Neste ano, o amigo convidou Iara para fazer um vídeo para a campanha “Homofobia. É melhor falar”. O vídeo foi gravado em maio, às vésperas do Dia Nacional contra a Homofobia (17 de maio). Foi a oportunidade para tocar no assunto com Don:

“A gente tava indo dormir quado decidi fazer o vídeo e tentei pegar um assunto que eu poderia tratar com o Don com leveza, que o afligia, que eu entendia como preconceito de gênero, que entendia que muitas crianças apanham dos pais porque não se enquadram num padrão e que achava que poderia entrar na campanha, que faria sentido as pessoas refletirem sobre como ensinamos isso desde cedo…”

Repercussão

A mãe de Dom conta que não esperava a repercussão do vídeo e que não tinha a pretensão de ensinar nada a ninguém. Iara relata que queria que mães e pais que passam por situações semelhantes soubessem que não estão sozinhos e que, os demais repensassem seu comportamento.

“Muita gente vem falar comigo. Muita mesmo. Muitas mães que dizem que foram abandonadas porque o pai não entendia. Muitas que vem compartilhar suas histórias ou histórias das suas famílias. Muitas crianças com 6 anos que não atendem os estereótipos, meninos que gostam de Frozen, de sereias, de Barbies… Muitas meninas que querem autorama, futebol…”

Convite à reflexão

Iara defende que precisamos refletir sobre o que estamos ensinando aos nossos filhos:

“Eu me aflijo como a gente cuida das meninas, ensinando elas a cuidarem de bebês (trocam fralda da boneca, dão banho, comida…), daí quando crescem, os caras jogam tudo nas costas delas porque acham que as mulheres têm o ‘dom’ de ser mães, quando, na verdade, foram treinadas a vida toda. Já os meninos a gente deixa ver TV, não divide as tarefas e eles crescem achando que as mulheres têm aquela obrigação com a casa, tanto que quando fazem algo, dizem que estão ‘ajudando’, mas só ajuda quem acha que não tem aquela obrigação, que está fazendo um puta favor… Homem que cuida sozinho do filho (pai solteiro) vira matéria, mulher abandonada não”.

Leia também:

Disforia de gênero em crianças: saiba o que é e como identificar

ONG americana lança papinha “anti-gay” para provocar reflexão

Juiz autoriza nome das duas mães em certidão e diz que Justiça precisa de “um novo pensar”

Pai é “convidado a se retirar” de fraldário em shopping no Rio de Janeiro

Vídeo em que enfermeira acalma criança após cirurgia emociona

Vídeo mostra momento em que menina de 2 anos enxerga mãe pela primeira vez

Mãe que doou órgãos do filho ouve o coração dele batendo em outra criança três anos depois

Quantas vezes discriminamos até crianças pela aparência?

29 de junho de 2016 0

Por Sibeli Fagundes

Quantas vezes desviamos o  olhar Crédito: Reprodução/Unicef

Quantas vezes desviamos o olhar Crédito: Reprodução/Unicef

Olhando a timeline do meu Facebook, me deparei com um vídeo do Unicef que retrata comportamentos que temos todos os dias. E no que esse difere? Ele coloca uma criança no centro da atenções. Em uma experiência, uma atriz de seis anos fica em lugares públicos. Quando está bem vestida, as pessoas se aproximam. Quando maltrapilha, ou torna-se invisível, ou a presença incomoda.

Essa personagem (que é real nas nossas ruas e nas do mundo), que está suja e com roupas velhas, vai crescer tendo qual imagem do mundo? Que tipo de consciência ou consideração terá? Vai sobreviver? Assista e mude seu olhar.

Garotinha se emociona ao ver irmã no ultrassom

01 de junho de 2016 0

Por Sibeli Fagundes

emoção

Foto: Reprodução Facebook/Carly Louise

A britânica Myla L’anson, de dois anos, sempre quis ter uma irmãzinha. Então, quando Carly Louise ficou grávida, resolveu mostrar o ultrassom para a filha. O vídeo foi colocado na televisão para a garotinha assistir e a mãe resolveu filmar a reação da menina. Ela pulou na frente da TV, abraçou e começou a beijar a imagem.
Carly disse ao jornal “Nottinghampton Post” que Myla “sempre esteve muito confiante de que seria uma menina, porque sempre quis uma irmã”. Com bom humor, ela contou que resolveu gravar o vídeo para mostrar a elas “quando estiverem brigando e uma puxando o cabelo da outra”.

O vídeo da reação da menina viralizou e já foi assistido quase 400 mil vezes no Facebook. O bebê, que ainda não tem nome, deve nascer no começo de novembro.