Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Portela, Salgueiro, Mangueira e Imperatriz são destaques da 2ª noite no Rio

08 de fevereiro de 2016 0
Desfile da Salgueiro (Antonio Cavalcant / Rioturi)

Desfile da Salgueiro (Antonio Cavalcant / Rioturi)

*Por  João Victor Torres

A última noite do Grupo Especial do Rio de Janeiro teve a apresentação de mais seis escolas de samba na Marquês de Sapucaí. No geral, as agremiações que foram ao sambódromo na segunda-feira (8) realizaram performances mais equilibradas e com menos erros em relação ao primeiro dia, domingo (7).

No RJ, Beija-Flor e Tijuca são os destaques da 1ª noite de Carnaval no Grupo Especial

A Unidos de Vila Isabel abriu os desfiles com a homenagem ao centenário de nascimento do político pernambucano Miguel Arraes. O intérprete Igor Sorriso, pela primeira vez como cantor principal da agremiação, teve uma atuação de gala e conduziu de forma brilhante o bom samba da escola, também embalado pelo rendimento da bateria comandada por mestre Wallan. O conjunto musical auxiliou no canto dos componentes da Vila que conduziram a obra dos consagrados compositores André Diniz, Arlindo Cruz, Leonel, Martnália e Martinho da Vila.

Na sequência, pisou na avenida o Salgueiro, trazendo o tema inspirado na Ópera dos Malandro, de Chico Buarque. Nos mais diversos gêneros, a vermelho e branco da Tijuca coloriu a Marquês com as cores da escola em uma apresentação plasticamente exuberante. Entretanto, o carro abre-alas, “Eis o Malandro ‘No Palco’ Outra Vez” passou com problemas de iluminação em alguns setores do sambódromo. As fantasias do casal de mestre-sala e porta-bandeira salgueirense, Sidclei e Marcella Alves, bem como da ala das baianas, representando a Ópera Carmen, também foram destaques do desfile. A bateria se apresentou acompanhada de um grande zepelim, levantando o público na Sapucaí. Com a sua performance, o Salgueiro entrou na lista das candidatas ao título.

A São Clemente trouxe a irreverência de um dos personagens que encanta adultos e crianças: o palhaço. A preto e amarelo de Botafogo, em seu segundo ano com a multicampeã Rosa Magalhães como carnavalesca, fazia um grande desfile, até encontrar percalços em evolução, por conta da terceira alegoria que apresentou problemas e a escola perdeu um precioso tempo para recolocá-la em seu curso normal. A agremiação precisou correr para fechar o desfile no tempo máximo de 82 minutos, porém deverá perder alguns décimos no quesito.

A Portela iniciou o desfile majestoso, trazendo elementos logo na comissão de frente que causaram alvoroço no setor 1 e nos demais espaços da Marquês de Sapucaí. O enredo convidava a passear pelas principais viagens da humanidade e neste percurso histórico, a Portela começou tratando da Odisseia de Homero. Após isto, o símbolo portelense, a águia, abriu o Mar Vermelho acompanhada de Moisés e subiu ao Monte Sinai gerando um visual grandioso. O terceiro carro “As Viagens de Gulliver” trouxe uma gigantesca escultura na qual os componentes escalavam o personagem que viajou por lugares estranhos e surpreendentes. Em seu primeiro desfile na azul e branco de Madureira, Paulo Barros realizou uma apresentação irretocável e com muitas inovações. A escola é forte candidata para conquistar o campeonato e saiu do sambódromo ovacionada pelo público.

Com um grande samba-enredo,  a Imperatriz Leopoldinense contou a história de vida da dupla sertaneja Zezé Di Camargo e Luciano. Na arrancada da escola, os cantores estiveram ao lado do intérprete Marquinho Art Samba e de Lucy Alves, que com sua sanfona, abrilhantou a apresentação da verde e branco de Ramos. Os homenageados vieram no último carro, encerrando o desfile. A Imperatriz é uma das postulantes às primeiras colocações, com uma performance correta e poucas falhas.

Encerrando o Grupo Especial, a Estação Primeira de Mangueira preparou um enredo sobre Maria Bethânia. Antes do desfile, o intérprete Ciganerey, estreante como primeiro cantor da verde e rosa, visitou a cabine da Rádio Gaúcha na Marquês de Sapucaí, repetindo o ritual de seus antecessores, Jamelão e Luizito, respectivamente. Outra estreia foi do promissor carnavalesco Leandro Vieira, revelação do último carnaval, quando esteve na Caprichosos de Pilares, no Grupo A. Em relação aos últimos anos, a tradicional Mangueira realizou um desfile superior e se credencia a disputar uma vaga entre as seis primeiras.

A grande vencedora será conhecida na quarta-feira de cinzas, às 16h, quando ocorrerá a apuração e abertura dos envelopes com as notas dos 36 jurados. As seis melhores colocadas retornam à Sapucaí no sábado (13), a partir das 21h30, para o desfile das campeãs também com cobertura da Rádio Gaúcha.

A equipe mais carnavalesca do rádio brasileiro acompanha direto da Marquês de Sapucaí, e o blog Gaúcha no Carnaval mostra as fotos de mais uma noite de Carnaval!

Envie seu Comentário