Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Ao som do samba - Antônio Carlos Côrtes

28 de fevereiro de 2012 0

Aristóteles quando perguntado o que era cultura: o Mestre depois de muito pensar sentenciou: “Tudo que não é natural, é cultural”. Definitivamente o tempo provou que nosso carnaval sempre foi além do natural. Para os alemães kultur (cultura) já designava os aspectos espirituais de uma comunidade. Somos todos comuns-na-idade. Com estes pensamentos inicio análise do desempenho das Escolas de Samba da Categoria Especial na visão de radialista que procurou ver o carnaval, eis que a obrigação de enxergar é dos avaliadores-julgadores.

ESTADO MAIOR DA RESTINGA
A Bi-campeã do carnaval confirmou o favoritismo esperado. O enredo “Da mitologia à realidade, a Tinga de taça na mão – Vinhos do Brasil, sinônimo de qualidade, saúde, prazer e prosperidade”. O desfile foi bem ornamentado em forma alegórica na louvação aos divinos, ricos e bonitos cachos de uvas, saudando Deus Baco, Rei do Vinho. A Serra Sul-rio-grandense, imigrantes, trem da Maria Fumaça, alegria consumida sem moderação. Até porque segundo o saudoso escritor carioca João do Rio:  “O carnaval é uma embriaguês de alegria”. O carnavalesco Paulo Jorge Medeiros soube temperar desfile técnico, sem deixar cair na mesmice do engessamento das alas, as quais cantaram como nunca o belo samba que tem no puxador Wander Pires co-autoria. Quatorze notas 10 conquistadas, falam por si e indicam o porquê TAÇA NA MÃO, que segundo o poeta do samba Jorge Aragão, “ o vinho acabou, mas a taça continua inteira”, pelo que poderá continuar a ser erguida para alegria do povão restinguense e amantes do bom carnaval espetáculo. A continuar o bom planejamento vai empilhar títulos.

IMPERADORES
Paulo Paim – Um leão na luta, que só faz o bem sem olhar a quem. O bom enredo sob a batuta do carnavalesco Silvio Oliveira fez o mar da
vermelha e branca envolver em seu manto Paulo Renato Paim. A luta do Leão sindical, ladeado por os dois leões dos Imperadores. O líder
metalúrgico. A luta pela igualdade. Enredo extremamente difícil de ser desenvolvido, mas o produto que tinham nas mãos era bom, fazendo o bem sem olhar a quem. O recorde das dezenove notas 10 obtidas, explica o porquê a diferença de um décimo ensina que pouco ou quase nada precisa ser revisada na entidade da Avenida Padre Cacique no próximo ano ainda que enfrente eleições internas. Avanço e imagino que em havendo o quesito conjunto o resultado final do carnaval contribuiria para melhor colocação dos Leões que sambaram com gosto ao som da suave doma proferida por bela e eficiente Harmonia Nota 10 sinfonicamente. Lembrou sim a Imperadores dos velhos bons tempos. Não é verdade a expressão que em time de ganha não se mexe. Deve se mexer sim para melhorar ainda, pois nada é tão bom que não mereça ser aprimorado e a direção da escola sabe disso.
IMPÉRIO DA ZONA NORTE
Com carnavalesco Renato Lage assinando no canto da tela o enredo “O IMPÉRIO CONTRA-ATACA” desenvolvido pelo Alexandre França obteve notas 10 em Evolução e Samba-Enredo. O ponto nuclear do desfile foi à nota 8.5 no quesito enredo a nosso ver equivocado, pois nos demais quesitos a variação foi de 9.7 à 9.9. Sigam-me: Em alegorias obteve duas notas 10 e um 9.9. Em fantasia duas notas 10 e uma 9.7. Logo, o enredo por sua natureza ganha leitura plástico-visual nos antes referidos quesitos. Se isto não bastasse recebeu duas notas 10 quesito enredo. Logo, respeitando opiniões contrárias, ainda que não tenha me causado boa impressão às fixações de exemplares de CD’s em carro alegórico eis destoavam do todo mais luxuoso, penso que sofreu excesso de rigorismo na pontuação obtida. É claro que respeito à livre convicção do avaliador-julgador, mas o critério adotado pelo que observo à distância, deitando olhar em observação atenta, justifica a crítica.

Envie seu Comentário