Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Análise de Enredo - Bambas da Orgia

06 de fevereiro de 2013 0

MAJESTOSA, ALTANEIRA, MINHA ÁGUIA MINHA PAIXÃO

“Eu me detinha horas e horas a contemplar
o belo céu brasileiro e a admirar
a facilidade com que as
aves, com suas longas asas
abertas, atingiam grande altura. Assim meditando sobre
a exploração do grande oceano celeste, por minha
vez eu criava aeronaves e inventava
máquinas. “Tais devaneios eu os guardava comigo”
(Alberto Santos Dumont)

“A análise do enredo da Sociedade, como diria o antigo e eficiente divulgador Silvio Santos, dos Bambas da Orgia poderia ser resumida no título, eis que partem da afirmação, qualificam a trajetória e alcançam o objetivo pela emoção. Ponto. Mas ao longo dos anos quem acompanha os Bambas poderia recolher o pensamento parafraseado :“Não é o grito da águia que leva a nação azul e branca a segui-la é o seu vôo”.

Águia é a designação concernente a tipo de ave com origem européia. Por ser a que voa a 10.000 metros de altura se diz possuir espírito superior. Anda bem o carnavalesco ao dizer no sopro aos compositores do samba o minuano divinal a me levar. Para o leitor não acostumado a expressão ou de fora do estado minuano é o vento frio e seco, que sopra no Sul acompanhado de queda de temperatura e da umidade relativa no ar.

A nosso olhar o enredo ensina que da Europa a Águia sobrevoa o Sul curando no sentido de proteção aos que estão sob suas asas, dizendo-lhes que o caminho deve ser reto, justo para ser perfeito, elevando-se aos patamares da espiritualidade. Pai Xamã atenderá pedido do Criador. A pena é instrumento da escrita curadora. A Majestosa Águia está na Bandeira dos Bambas, Pavilhão maior na simbologia da Nação Azul e Branca. A grandeza está no relevo do enredo eis que presente também no brasão dos Estados Unidos do Norte, alcançando inclusive moeda poderosa como Dólar norte-americano, que tem sua emissão datada de 1789, por responsabilidade do Banco Federal de Atlanta, como unidade monetária dos Estados Unidos da América em 1793.

Chama a atenção que a nota de Um Dólar surgiu em 1935, quando Franklin D. Roosevelt era Presidente. Olhando-a no detalhe percebem-se símbolos da ordem maior, penso que por aí sobrevoa o espírito da luz dito no samba-enredo. No anverso da cédula: no centro, George Washington, o primeiro presidente do país e franco-maçom. Ornamentando o quadro encontramos ramo de acácia, que significa a imortalidade. Renascerá a altaneira renascerá.

Observamos no verso da cédula, a pirâmide com de tem inserção números romanos datando 1776, ano da independência dos Estados Unidos da América. No alto da mesma como sendo uma coroa o delta grego. À direita a Águia que os Bambas transformaram no enredo. Logo, abaixo frase em latim Novus ordo seclorum (nova ordem dos séculos). Imbuído desta majestosa Águia Padre Antonio Vieira a definiu como a Rainha das Aves. O escudo no peito dos campos da bola, refere os clubes de Portugal dos quais é Mascote Sport Lisboa e Benfica a ponto deste último contratar profissionais que cuidam exclusivamente das Águias Vivas de cor Branca, ensinadas as quais em dia de jogos, sobrevoam o Estádio da Luz antes do espetáculo e aterram sobre o escudo do clube, no centro do gramado sem a Águia, que completa-o em forma viva com sua presença majestosa .

Minha imaginação voa no sentido de ver no desfile algo que pudesse lembrar este momento ímpar no mundo. Mas a Águia acolhe sob suas brancas asas Portela e União da Ilha do Governador, aproveitando para trazer a lembrança no sonho que Era Negro o Céu de Palmares, pois os deuses eram da África(1979), assim como a singular Festa de Batuque(1995) , passando ainda pelo O Barão das Catas Altas Senhor Das Minas Gerais (1998), dentre outros carnavais inesquecíveis.

O ninho da Águia torna-se pequeno para tantas conquistas. Ao cruzar o mar lembrará caravelas ao som da conhecida e cadenciada bateria, sob trilha sonora de bom samba que a Nação cantará firme e forte levando emoção ao coração da enorme família azul e branca. O carnavalesco Guaracy Feijó e o pesquisador Sergio Peixoto, são experientes e sabem superar eventuais dificuldades não inventando e sim sendo simples, mas objetivos ao encontro do que pedem os quesitos.

Em 1991 os Bambas apresentaram o enredo Tributo a águia num cenário azul e branco obtendo 3º lugar. Comparando os dois enredos concluo não se tratar de reedição.”

Envie seu Comentário