Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Carolina Dieckman é capa da edição de novembro de "Marie Claire"

31 de outubro de 2011 0

Sucesso com a periguete Teodora, de “Fina Estampa”, Carolina Dieckman não esconde a felicidade com a boa repercussão da personagem. Em entrevista a “Marie Claire” de novembro, a atriz conta como enxerga o novo papel na novela das nove e acredita que as “periguetes” da ficção ditam as novas tendências. “O fato de ela ser uma periguete chama a atenção, porque isso significa ver a atriz em trajes íntimos, com um cabelo incrível, o batom e o esmalte da vez… Mas a Teodora é muito mais mau caráter do que periguete. Ela se interessa por quem está bem de vida e se essa pessoa fosse um executivo, ela só usaria tailleur”, diz a atriz.

Apesar da empolgação com a personagem, Carolina não acredita que toda mulher tenha um lado Teodora. “Temos um lado mais sensual e pode-se escolher como usar. Se eu não fosse atriz, só usaria o meu lado sensual entre quatro paredes, com o meu marido”, afirma.”Ser periguete é estar ‘para jogo’. Estar livre para jogar as cartas que forem colocadas na mesa.”

Aos 33 anos e mãe de Davi, 12 anos, fruto do relacionamento com Marcos Frota, e de José, quatro, o caçula que teve com Tiago Worcman, com quem é casada desde 2007, Carolina também falou sobre seu jeito de ser. “Sou impulsiva, mas ao mesmo tempo tenho uma espécie de domadora que anda comigo e vai me domesticando aos poucos, para eu errar menos.” A alegria também é marca da atriz. “Sou uma pessoa bem otimista. Já passei por várias ‘barras’, mas acho que quando se dá muita importância para um problema, ele cresce. Então sempre tento resolver sozinha”, finalizou.


Envie seu Comentário