Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Amy Winehouse by Gaultier

25 de abril de 2012 1

A família da cantora não gostou, mas eu adorei e achei a cara de Gaultier. No último dia dos desfiles de alta-costura em Paris o estilista Jean-Paul Gaultier fez uma homeangem  à cantora Amy Winehouse. A modelo que abriu o desfile deixou o público desconcertado. Com um penteado alto, os olhos bem delineados e com um traço puxado, saia preta brilhante e blusa branca que deixava ver o sutiã. Era a própria encarnação de Amy, a cantora de soul falecida no ano passado. “Antes de mais nada, ela era única. Na música, como na forma de se vestir, misturava muitas influências para criar um estilo singular”, explicou o estilista.

Assim como na coleção de alta costura que Gaultier apresentou, a cantora britânica se inspirava nos anos 50 e 60. Jogando com o vestuário de Winehouse, Gaultier fez desfilar corpetes, o seu fetiche, espartilhos, as superposições, em cores vivas que alternava com o preto. Mas teve o cuidado de não ser literal em demasia. As top models mais solicitadas no momento, como a argentina Milagros Schmoll e a americana Karlie Kloss, deslumbraram na passarela, com abrigos envolventes, capas com capuz de musselina ou vestidas de terninhos de golas assimétricas e pantalona masculina com riscas, adaptados às curvas femininas e bordados com milhares de lantejoulas. O vestido de noiva era de um rosa empoeirado e as modelos também desfilaram com lingeries sofisticadas.

O pai da cantora britânica Amy Winehouse acusou o estilista francês Jean-Paul Gaultier de se aproveitar da morte de sua filha, inspirando-se em seu inconfundível estilo, para realizar seu último desfile de alta costura, considerado de “mau gosto”. “A família não gostou das imagens, foi uma comoção total”, declarou Mitch Winehouse ao jornal “The Sun” na semana do desfile. “Ver sua imagem utilizada para vender roupas foi um choque que nós não esperávamos e sobre o qual não fomos consultados.”  (Com informações AFP)


Comentários (1)

  • João Pedro diz: 25 de abril de 2012

    Como fã, é uma honra ver o quanto ela pode servir de inspiração. Os trabalhos ficaram (aos olhos de um leigo em moda, rs) esplêndidos e Gaultier sempre se refere á Amy, inclusive em sua coleção, de forma digna, ressaltando que ela não teve a atenção que merecia tanto antes quanto depois de sua partida. Ignorem os comentários hipócritas do pai nada exemplar.

Envie seu Comentário