Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Como vestir"

Só fofurices na passarela da Oh, Boy!

04 de dezembro de 2012 0

Se depender da Oh, Boy!, o inverno 2013 será coloridíssimo, com muito azul, amarelo e rosa, ignorando a tradição das cores sóbrias. A marca carioca, voltada para garotas pops, se inspirou no estilo tomboys dos anos 60 (com referências como Audrey Hepburn e Twiggy) e em fofurices da Internet, como a gatinha Choupette, de Karl Lagerfeld, e o cachorro Boo, que faz o maior sucesso no YouTube.

As estampas de gatinhos, cachorrinhos, sorvetes e balões, as patinhas estilizadas que aparecem em várias peças, os cabelos com ar retrô e os maxiacessórios ganharam um “ooohhhh” generalizado do público. Tinha até bolsa para transportar os animais. Eu fiquei mesmo apaixonada pela estampa de gatinhos desta blusa, à direita. Aliás, a modelo teve trabalho para desfilar com um felino na passarela. Eles ficam muito assustados neste tipo de situação! Foi este look que me fez olhar no detalhe a coleção inteirinha da Oh, Boy! e fazer coro para o “ooohhhh” da plateia do Fashion Rio.

Duas ideias para customizar sua camiseta do projeto Anexo D no Outubro Rosa

20 de outubro de 2012 0

Mulher tem paixão por camiseta. Básica, descolada, divertida, mais justinha, tipo batinha… Sempre existe uma no armário para combinar com aquele jeans preferido. Não importa o seu estilo, desde que surgiu, a camiseta nunca mais saiu de moda.

Se for aquele modelo tradicional, mas com uma estampa que dá o recado, como a camiseta do Projeto Anexo D no Outubro Rosa, que teve a arte criada pela estilista joinvilense Monica Linz, é simples apostar na customização. Rapidinho ela pode se transformar numa peça fashion e aí você poderá desfilar superlinda apoiando esta causa tão importante para as mulheres: a prevenção do câncer de mama.

Este post é para inspirar quem já se inscreveu (ou ainda vai se inscrever) no evento que vamos realizar no dia 25, às 19 horas, no Joinville Garten Shopping, e vai ganhar sua camiseta gratuitamente. As duas ideias de customização são da professora e designer de moda do Centro Europeu de Joinville, Carolina Luz. Quem posou para as fotos foi a ex-aluna do curso, Larissa Roncelli Leite. Confira as dicas e faça a sua!


Romântica
Para criar uma camiseta com estilo mais romântico, a designer de moda Carolina Luz utilizou pastilhas de metal, strass, pedra chantun e glitter para tecido cor-de-rosa. O recorte da barra é arredondado com as laterais mais curtas. Nas costas são feitos recortes, deixando várias tiras que são esticadas e, depois, entrelaçadas umas às outras. O decote é cortado em V. As mangas são cortadas pela metade. Depois são cortadas tiras iguais as das costas que serão entrelaçadas. Os chantuns são costurados, prendendo uma parte das mangas, deixando assim um decote princesa. Na estampa da laço são aplicados o strass e as pastilhas de metal usando o ferro quente. Por último, é só contornar o laço com o glitter para tecido.

 

 

 

Rock’n’roll
Para criar uma camiseta com estilo mais rock’n’roll, a designer de moda Carolina Luz utilizou tinta de tecido cor-de-rosa, daquelas em pó. “O passo a passo é simples: primeiro ferva a água conforme a indicação do fabricante da tinta. Faça a mistura da tinta na água, mergulhe as duas extremidades da camiseta, deixando o meio, onde está a estampa do laço, na cor branca, sem tinta. Depois, coloque a camiseta para secar. Quando ela estiver seca, corte primeiro a barra reta. Depois, faça o modelo mullet, deixando a parte de trás um pouco mais comprida que a da frente. Logo após são cortadas as franjas só na parte da frente e por último o decote no modelo canoa. A intenção é deixar um ombro a mostra.

 

 

Confira tudo sobre personagens, bastidores e detalhes do evento no dia 25, no Joinville Garten Shopping, no blog “Anexo D no Outubro Rosa”

Hipnotizante Marc Jacobs

01 de outubro de 2012 0

Marc Jacobs abandonou o romantismo e apresentou uma coleção ousada na Semana de Moda de Nova York, com listras hipnotizantes, submetidas a extrema velocidade. Celebridades como a cantora e estilista britânica Kelly Osbourne e o cantor Ricky Martin estavam na plateia no Armory Lexington, onde desfilaram as modelos de Jacobs no ritmo de “Copped it”, da banda punk britânica The Fall.

 

“Muito selvagem, muito sexy, muito simples, sem romance, sem emoção, apenas o poder real, força e simplicidade”, descreveu Jacobs, um forte contraste com muitas de suas etéreas apresentações em Nova York. Pela passarela triangular passaram uma camisa; em seguida, uma túnica com listras; depois, um conjunto listrado com uma bolsa combinando; uma camisa com Mickey Mouse.


As linhas retas deram lugar a grandes estampas com desenhos psicodélicos saídos do LSD – sobre isso Jacobs citou Edie Sedgwick, musa do ícone pop dos anos 1960 Andy Warhol, como inspiração. Jacobs, que em 2007 fez um desfile de duas horas, disse que a apresentação do dia 10 de setembro poderia ser a mais rápida já feita. “Meu sonho é um show que dure um minuto. Eu gostaria de terminá-lo antes de todos.”

(Com informações da AFP)



O luxo de Saab como inspiração

19 de setembro de 2012 0

Os vestidos do estilista libanês Elie Saab despertam suspiros e desejos, tamanha a delicadeza e o requinte aliados numa única peça. Além disso, as transparências, o brilho e os decotes generosos dão um toque sexy, simplesmente adorável. Esta coleção de alta costura para o inverno 2013, apresentada em Paris, me despertou vários suspiros e desejos. Fiquei apaixonada pelos pretos. Mas os tons pastel e os detalhes dourados é que deram show na passarela. O cinto fininho marcando a cintura, delineando a silhueta foi o acabamento perfeito. Nos cabelos, apenas tranças. Tudo muito limpo e elegante. O que brilha é o vestido. As criações de Saab são sempre uma aposta para as celebridades que desfilam no Tapete Vermelho e servem como inspiração para mulheres do mundo inteiro na hora de definir um vestido de festa. Em entrevista ao portal WWD, Saab revelou que suas inspirações para esta coleção de alta costura saíram diretamente da Turquia.



Inspire-se no estilo e vintage e aprenda a compor um look com peças de brechó

08 de setembro de 2012 0

O costume de comprar roupas em brechó é muito comum na Europa e até nos Estados Unidos. Os brasileiros ainda consideram algo alternativo. Mas aos poucos o comércio de produtos de segunda mão está conquistando seu espaço no mercado. “Focados na sustentabilidade, na valorização do estilo vintage (também fortemente presente na arquitetura e na decoração), na exclusividade e no bom preço, os brechós estão conquistando a clientela cult”, explica Bárbara Zanella, que montou um brechó virtual faz algum tempo: o Dress Like a Nerd (www.dresslikeanerd.com.br).

Apaixonada por moda, ela mesma separou as peças para produzir este editorial e mostrar às mulheres que é possível combinar e desfilar o estilo vintage sem medo. Ela lembra que os cuidados na hora da compra são os mesmos que devem ser tomados numa loja qualquer. “Certifique-se de que a peça não possui rasgos ou furos e de que a costura está firme. Invista em tecidos de qualidade. No caso da compra realizada virtualmente, certifique-se de que a loja tenha histórico de vendas e de clientes satisfeitos”, ressalta Bárbara.


 

INVISTA NOS CLÁSSICOS
Passe o tempo que passar, dez, vinte, trinta anos, algumas peças nunca saem de moda. Estas são curingas nas compras de brechó: um bom vestido tubinho e um blazer estruturado. Perfeitas para composições atuais. A moda até pode ser reinventada a cada estação, porém, a base sempre foi sólida. Blazer tribal custa R$ 50; vestido de renda acervo; lenço de seda custa R$ 10.


 

 

VERMELHO, PRETO E BRANCO
São as cores must have do armário e por estarem sempre presentes no cenário da moda é fácil encontrá-las em brechó. Não é regra usar todas ao mesmo tempo, é claro. Mas tenha pelo menos uma peça de cada e misture com cores-tendência para atualizar o look. Blazer três cores custa R$ 40; e saia plissada, acervo.

 

 

TRICÔS E FLORAIS
São as principais texturas em que você deve investir no visual vintage. São fáceis de encontrar nos brechós e podem se tornar peças-chave de um look. Os florais podem ser usados  também no inverno em tons mais fechados. E os tricôs em versões mais curtas são ótimos para os dias mais frescos. Top de tricô custa R$ 20;  e saia floral, R$ 30.

 

 

 

CUSTOMIZE
Viu aquele tutorial de faça-você-mesmo na internet, achou superbacana, mas não quer arriscar naquela peça supercara? As peças de brechó são ótimas para isso, pois o preço geralmente é mais baixo. Ilustre, pinte, borde e reforme peças antigas para criar um look exclusivo. Para os menos prendados, vale a pena pedir ajuda da costureira ou do amigo talentoso. Lenço de poá, acervo; camisa masculina (intervenção no bordado e na gola), também acervo; e short de sarja (intervenção de Valter Hamagushi) custa R$ 50.


Quem fez o quê
Styling: Barbara Zanella (www.dresslikeanerd.com.br)
Fotografia: Luiza Marques Lima (www.facebook.com/lu.marqueslima)

Os segredos da estilosa Ines de La Fressange

06 de setembro de 2012 0

Este post é uma homenagem as minhas quatro colegas queridas de redação (Roberta, Rafaela, Carolina e Cristiane), que neste segundo semestre vão aproveitar as férias na Cidade Luz. À elas sugiro que, antes da viagem, leiam e anotem todos os endereços deste guia de estilo de Ines de La Fressange.

O livro não tem apenas boas dicas de moda, “A Parisiense” vai além, é um guia para quem deseja aprender sobre estilo em Paris, sobre a cultura, os modos das mulheres que vivem lá. E tem ainda endereços de hotéis, restaurantes, indicações de lugares que estão fora do circuito turístico tradicional. Então, quem estiver com viagem marcada para esse destino tem nas mãos um roteiro cheio de charme.


A cada página que eu lia deste livro da Editora Intrínseca, (que custa, em média R$ 50), escrito em parceria com a jornalista de moda da “Elle”, Sophie Gachet, ficava me imaginando naqueles lugares, experimentando aquelas roupas, saboreando aqueles cafés e aproveitando cada cantinho sugerido por essa francesa ícone de elegância, que nos anos 80 foi a cara da Chanel e até hoje continua sendo capa das principais revistas de moda na França. Com certeza ela conhece Paris como ninguém e sua experiência de décadas na indústria da moda lhe confere bagagem suficiente pra gente confiar em seus conselhos.

No livro também há dicas de beleza, mas em relação a moda, Ines sugere um guarda-roupa a partir de sete itens básicos, que eu vou detalhar abaixo. O diferencial, segundo ela, está na escolha de bons acessórios, que garantem produções práticas e elegantes para qualquer ocasião. Os desenhos que ilustram o livro são da própria Ines e as fotos são da filha dela, Nine d’Urso.



 

Ines de La Fressange foi a primeira modelo a assinar contrato de exclusividade com a Chanel nos anos 80. No desfile de Karl Lagerfeld, em 2011 (foto abaixo), ela entrou com o estilista. Ines não aparecia nas passarelas da Chanel há 21 anos, depois se desentender com Lagerfeld.

 

 

 

O blazer é um dos itens básicos: para surpeender, segundo Ines, use com cinto; arregace as mangas; use com calça de cor diferente durante o dia; com camisa branca; ou com top básico, de renda, de seda ou com brilho.


 

 

O trench coat e o jeans perfeito também são ítens básicos no armário de qualquer mulher. Na hora de usar o trench coat, a dica é nunca afivelá-lo completamente. Em relação ao jeans, “o ideal é aquele que nos cai melhor”, garante Ines.


 

 

A jaqueta de couro é outro iten básico. E quanto mais surrada, mais bonita ela fica. “Uma boa opção de cor é o couro marrom”, diz a escritora.


 


A camiseta é companheira inseparável das parisienses, segundo Ines, e deve ser item fundamental no armário. As de cores neutras são as melhores porque aí é possível apostar em acessórios como um bom colar.

 

 

O pretinho básico não é só uma uma roupa, mas um conceito. E por isso é individual. Cabe a cada mulher descobrir o modelo perfeito para o seu corpo e estilo. E nem sempre basta um só! O segredo do pretinho é simplicidade e elegância.

 

 

O suéter azul-marinho de cashmere é outro clássico. Deixa qualquer mulher arrumada sem parecer muito séria. E não cai na obviedade do preto. A dica de Ines para um visual “easy cool” é usar com sapatos baixos.


Uma camisa, cinco estilos

01 de setembro de 2012 0

Do trabalho à balada, a camisa branca é garantia de um visual elegante e clássico em qualquer ambiente.

Camisa branca é mais um clássico que mademoiselle Chanel levou para o guarda-roupa feminino. Mas não é porque é clássico que precisa ser usado sempre do mesmo jeito.

A proposta desse ensaio, produzido pela consultora de estilo Josane Muriel, é ensinar que, com uma única peça, é possível montar cinco looks capazes de agradar a estilos muito diferentes.

Afinal, variedade de combinações é item fundamental em roupas que fazem parte do closet da mulher contemporânea. Josane também é blogueira de moda e sempre tem dicas exclusivas no blog  Chiquerria.



Clássica moderninha

Para quem quer usar camisa branca com saia lápis, uma boa notícia: não existem só as pretas. A nova estação chega repleta de saias com estampas de lenço e florais, o que acrescenta um ar moderno para essa combinação clássica. Eleja a sua preferida e aguarde os elogios! Camisa branca Dudalina, cardigã Makenji, saia Corporeum (Pimenta Rosa), sapatos e clutch Jorge Bischoff (ambos Resedá Calçados) e acessórios Morana

 

 

Brilho na medida

Camisa branca pode ir pra balada sim, senhor! Combinada com um short boxer cheio de brilho, acessórios poderosos e sapato neon pra arrematar, ela segura o look e ainda por cima arrasa na pista. Camisa branca Dudalina, short boxer Corporeum (Pimenta Rosa), peep toes neon (Jorge Bischoff), carteira Makenji e acessórios Morana

 

 

Refinada elegante

Combinada com uma bela saia longa, a camisa branca ganha um ar cheio de classe e refinamento. Capriche no maxicolar encaixadinho na gola, supertruque de styling que acrescenta mais um ponto de luz no look. Camisa branca Dudalina, saia Makenji, carteira Flor (MADmoizelle Outlet), sapatos Jorge Bischoff (Resedá Calçados) e acessórios Morana

 

 

Jovem street

Camisa branca pode, sim, fazer parte de um look jovem e superstreet. Short jeans, cardigã com estampa de onça e sneakers (a febre do momento) são os complementos perfeitos para um visual moderno e descomplicado. Camisa branca Dudalina, short e cardigã Carlos Miele (ambos MADmoizelle Outlet), sneakers Dumond (Resedá Calçados) e acessórios Morana

 

 

Romântica girlie

Para um visual supergirlie, basta uma saia curtinha e rodada acompanhada de um romântico bolero. Repare no charme que o broche confere ao look – truque fácil de repetir em casa. Para dar uma temperadinha, peep toes em verniz vermelho garantem uma pitada de sensualidade para a mocinha. Camisa branca Dudalina, bolero Maria Bonita Extra e saia Gig (ambos MADmoizelle Outlet), sapatos Jorge Bischoff (Resedá Calçados) e acessórios Morana

 

 

Quem fez o quê

Fotografia: Maiara Bersch

Produção e estilo: Josane Muriel

Cabelo e maquiagem: Leila & Gisele Centro de Estética

Modelos: Gabriela Possamai e Gabriela Michels (DF Model)

Marcas e lojas que participaram do editorial: Dudalina, MADmoizelle Outlet, Pimenta Rosa, Resedá Calçados, Makenji, Morana, Jorge Bischoff, Carlos Miele, Dumond, Maria Bonita Extra, Gig e Flor

Locação: Moobil Design

 

 

Confira a galeria de fotos.


O que inspira as macrotendências para o inverno de 2013

16 de agosto de 2012 0

A cada temporada a WGSN reúne as principais referências de inspiração, baseadas em pesquisas sócio-culturais, que se transformam em três macrotendências para as estações seguintes. Para o outono/inverno 2013/2014 as macrotendências identificadas são: Living design, 21st Century Romance e Hacktiv.

A Hacktivate usa os princípios do cut and paste para imaginar novos produtos. A paleta se resume a cores fortes e brilhantes em contraponto ao preto e branco. As silhuetas são simples, inspiradas no sportswear, mas com tecidos luxuosos: tafetá, couro metalizado, acabamentos em vinil.

Como um conceito de design, a macro 21st Century Romance coloca a importância da beleza imponente e deslumbrante acima de tudo. Nessa nova versão do romantismo, a paleta de cores tem tons pastel em contraste com preto e prata e são inspiradas em pinturas clássicas. O contraste é entre peças delicadas e românticas num styling mais grunge, com influências street.

Na Living design, os objetos é que comunicam ideias pela forma como interagem. As cores dessa macro tendência são vibrantes, além de tons outonais como marrom e verde.



O look sport glam é chave para a macro tendência hacktivate: paetês e metalizados em jaquetas varsity, por exemplo


 

 

Na Living design, as silhuetas são orgânicas, com formas arredondadas e as peças têm personalidade, sejam vintages, gráficas ou com pegadas de humor



 

O importante na macro tendência 1st Century Romance é a mistura de tecidos leves com elementos pesados

Jaqueta Perfecto

04 de agosto de 2012 0

Por muito tempo elas foram vistas como símbolo da turma rocker. Mas a peça foi ganhando novas modelagens e ficando mais sofisticada, deixando o sinônimo de rebeldia para trás e conquistando um espaço cativo no mundo da moda. Versáteis, coloridas, modernas e descoladas, as jaquetas perfecto tornaram-se aliadas do guarda-roupa feminino. Finalizam qualquer look. São uma grande aposta deste inverno. Confira alguns modelos!

Dior-pós Galliano

17 de julho de 2012 1

A tão aguardada primeira coleção do belga Raf Simons, 44 anos, para a Dior, foi apresentada no início de julho em Paris. Feminina e elegante, mas sem o fator experimental que caracterizava seu antecessor, o polêmico estilista britânico John Galliano, a coleção outono-invero 2012-2013, Christian Dior Haute Couture, foi, principalmente, uma homenagem a Christian Dior, fundador da marca francesa, agora a joia do grupo de luxo LVMH, de Bernard Arnault.

Talvez pela expectativa ter sido grande, o desfile sóbrio do jovem estilista belga, que atraiu as atenções no primeiro dia dos desfiles de alta-costura, gerou aplausos, mas não a euforia típica dos desfiles de Galliano, demitido em março de 2011 por ter proferido injúrias racistas em um bar parisiense.

Vestidos curtos usados sobre calças cigarrete, casaco de astracã azul, vestidos de festa longos e roupas para as ruas: a passarela de Simons foi clássica, quase austera, para refletir a vida atual, com poucos toques de opulência. Em quase todas as 54 peças apresentadas, houve alguma referência aos primeiros modelos da marca, desenhados por Dior, que entrou para a história da moda por seus traços arquitetônicos e limpos.

Na plateia, o veterano Pierre Cardin, 90 anos, gostou do que viu. Mas espera mais: “Raf Simons, apesar de jovem, respeitou a marca. Com o tempo, será necessário que seja ele mesmo. Se quiser ser um grande estilista, terá que reconhecer que é ele que está na passarela”, observou. (Com informações AFP)