Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Moda internacional"

Luz e cor nos desfiles de Carolina Herrera e Tommy Hilfiger

04 de outubro de 2012 0

Com silhuetas fluidas, Carolina Herrera exibiu uma coleção cheia de luz na Semana de Moda de Nova York. “Eu me inspirei no movimento da luz, numa fluidez encantadora”, explicou a estilista logo após o seu desfile de primavera-verão 2013, afirmando ter apostado numa “nova silhueta” com comprimento, corte marcado e, de vez em quando, com calças curtas ou shorts.

As roupas tinham cintura marcada e as cores foram doces e claras, mas também houve lugar para estampados leves e belos alaranjados – cor que novamente apareceu em várias coleções apresentadas em Nova York. “Também misturei o romantismo de certas aparências com impressões abstratas”, explicou a estilista de 73 anos, que tem a arte de transformar complexidade em luminosa simplicidade.

O tema viagem dominou os desfiles da Tommy Hilfiger. No cenário da high line (passeio público criado em uma antiga linha ferroviária nova-iorquina), a Tommy conduziu seus espectadores a uma “viagem americana”, decididamente patriótica, para apresentar sua coleção feminina, na qual pedominaram o vermelho, o azul e o branco (cores da bandeira dos Estados Unidos), em um clima que lembrava o exclusivo balneário Hampton, com uma casa de praia de teto tricolor. (Com informações da AFP)


Listras e estampas de cordas foram predominantes em jaquetas de corte reto, calças retas ou largas arrastando no chão, em vestidos trapézio longos e nos vestidos de couro curtos da Tommy

 

 

 

A doçura da coleção de Carolina Herrera esteve presente nas saias longas e nos vestidos de seda e gaze. Algumas peças acabadas com leves adornos nas costas, cintura marcada ou um ombro só para provocar o efeito de corte assimétrico

Hipnotizante Marc Jacobs

01 de outubro de 2012 0

Marc Jacobs abandonou o romantismo e apresentou uma coleção ousada na Semana de Moda de Nova York, com listras hipnotizantes, submetidas a extrema velocidade. Celebridades como a cantora e estilista britânica Kelly Osbourne e o cantor Ricky Martin estavam na plateia no Armory Lexington, onde desfilaram as modelos de Jacobs no ritmo de “Copped it”, da banda punk britânica The Fall.

 

“Muito selvagem, muito sexy, muito simples, sem romance, sem emoção, apenas o poder real, força e simplicidade”, descreveu Jacobs, um forte contraste com muitas de suas etéreas apresentações em Nova York. Pela passarela triangular passaram uma camisa; em seguida, uma túnica com listras; depois, um conjunto listrado com uma bolsa combinando; uma camisa com Mickey Mouse.


As linhas retas deram lugar a grandes estampas com desenhos psicodélicos saídos do LSD – sobre isso Jacobs citou Edie Sedgwick, musa do ícone pop dos anos 1960 Andy Warhol, como inspiração. Jacobs, que em 2007 fez um desfile de duas horas, disse que a apresentação do dia 10 de setembro poderia ser a mais rápida já feita. “Meu sonho é um show que dure um minuto. Eu gostaria de terminá-lo antes de todos.”

(Com informações da AFP)



O luxo de Saab como inspiração

19 de setembro de 2012 0

Os vestidos do estilista libanês Elie Saab despertam suspiros e desejos, tamanha a delicadeza e o requinte aliados numa única peça. Além disso, as transparências, o brilho e os decotes generosos dão um toque sexy, simplesmente adorável. Esta coleção de alta costura para o inverno 2013, apresentada em Paris, me despertou vários suspiros e desejos. Fiquei apaixonada pelos pretos. Mas os tons pastel e os detalhes dourados é que deram show na passarela. O cinto fininho marcando a cintura, delineando a silhueta foi o acabamento perfeito. Nos cabelos, apenas tranças. Tudo muito limpo e elegante. O que brilha é o vestido. As criações de Saab são sempre uma aposta para as celebridades que desfilam no Tapete Vermelho e servem como inspiração para mulheres do mundo inteiro na hora de definir um vestido de festa. Em entrevista ao portal WWD, Saab revelou que suas inspirações para esta coleção de alta costura saíram diretamente da Turquia.



Volumes e flores de Giambattista Valli: inspiração para a primavera

21 de agosto de 2012 0

A terceira coleção de alta-costura que Giambattista Valli apresentou nas passarelas de Paris brincou com volumes e abusou das estampas de flores. Os babados estavam na cintura, nas saias dos vestidos, nas maxigolas. Na cartela de cores, tons de verde-musgo, vermelho, turquesa, rosa e vinho.

Durante o desfile, o público foi transportado para um jardim perfumado, com vestidos charmosos e corpetes, que se abriam como pétalas. O detalhe das borboletas que enfeitavam as ninfas de Valli definiam com perfeição a inspiração do estilista. E, apesar de ser uma coleção para o inverno de 2013, ela tem referências primaveris, que podem ser antecipadas pelas brasileiras mais antenadas já na próxima estação.

O desfile começou com looks predominantemente vermelhos, que depois foram ganhando toques de outras cores. Na sequência, o verde dominou a passarela. Ficou clara a brincadeira com volumes. A coleção tinha ainda jaquetas com pepluns formados por várias camadas de organza.


Extravagância à la Gaultier

06 de agosto de 2012 0

Inspirado pelo filme “Confession of a Child of the Century”, que se passa nas épocas das guerras napoleônicas e traz o rockstar Pete Doherty no elenco, o designer francês Jean Paul Gaultier apresentou looks teatrais – sempre extravantes – no seu desfile na semana de alta costura em Paris, para a coleção inverno 2013.

O filme romântico ambientado no século 19 e exibido no festival de Cannes em maio deste ano, é baseado no romance autobiográfico de Alfred de Musset (1810-1857) sobre seu rela-cionamento com a escritora George Sand. Gaultier apostou em looks sensuais e com identidade própria.

O universo masculino das cartolas e fraques, dos poetas do século 19, se misturava às peças transparentes e femini- nas, com muitos bordados e capas extremamente volumosas. Peças de alfaiataria se intercalaram com vestidos longos, sempre trabalhados com aplicação de pedrarias, bordados e detalhes de pele de raposa. A coleção é totalmente à la Gaultier.


O “New vintage” da Chanel

25 de julho de 2012 0

Com o tema “New vintage”, Karl Lagerfeld mostrou uma elegância suave no Grand Palais em Paris, durante o desfile Haute Couture Inverno 2013 da Chanel. O universo vintage estava nas cores (muito cinza preto e rosa pálido) e formas clássicas e delicadas. Peças como o tweed sempre aparecem no desfile da marca, mas com alguma inovação. Desta vez, havia detalhes bordados em tule e pedrarias.

A coleção mais parece uma releitura da própria marca. Os vestidos ganharam mangas com babados e barras esvoaçantes, o patchwork em formas geométricas também ganhou destaque e os franzidos discretos e brilhos bem colocados, deram vida a uma coleção superfeminina. Daquelas feitas sob medida para as amantes de Chanel. Os laços, babados, tiaras e enfeites de cabelo e até as meias de lurex fazem uma combinação na medida.

Os looks são refinados e a maquiagem das modelos segue a mesma linha. Mas a marca não é expert só na criação de roupas e bolsas. A expectativa para o lançamento dos novos esmaltes Chanel também é grande. Afinal, as cores exibidas nos desfiles sempre viram tendência. Desta vez não foi apresentado um esmalte novo, mas uma nova forma de pintar a unha. A combinação é uma mistura de prata e rosa, parecendo uma francesinha invertida. Coisas de Chanel!


Dior-pós Galliano

17 de julho de 2012 1

A tão aguardada primeira coleção do belga Raf Simons, 44 anos, para a Dior, foi apresentada no início de julho em Paris. Feminina e elegante, mas sem o fator experimental que caracterizava seu antecessor, o polêmico estilista britânico John Galliano, a coleção outono-invero 2012-2013, Christian Dior Haute Couture, foi, principalmente, uma homenagem a Christian Dior, fundador da marca francesa, agora a joia do grupo de luxo LVMH, de Bernard Arnault.

Talvez pela expectativa ter sido grande, o desfile sóbrio do jovem estilista belga, que atraiu as atenções no primeiro dia dos desfiles de alta-costura, gerou aplausos, mas não a euforia típica dos desfiles de Galliano, demitido em março de 2011 por ter proferido injúrias racistas em um bar parisiense.

Vestidos curtos usados sobre calças cigarrete, casaco de astracã azul, vestidos de festa longos e roupas para as ruas: a passarela de Simons foi clássica, quase austera, para refletir a vida atual, com poucos toques de opulência. Em quase todas as 54 peças apresentadas, houve alguma referência aos primeiros modelos da marca, desenhados por Dior, que entrou para a história da moda por seus traços arquitetônicos e limpos.

Na plateia, o veterano Pierre Cardin, 90 anos, gostou do que viu. Mas espera mais: “Raf Simons, apesar de jovem, respeitou a marca. Com o tempo, será necessário que seja ele mesmo. Se quiser ser um grande estilista, terá que reconhecer que é ele que está na passarela”, observou. (Com informações AFP)



Elegância nunca sai de moda

13 de julho de 2012 0

Que tal um pouco de inspiração nestes dias frios? A mulher idealizada nas coleções prêt-à-pôrter inverno 2012/1013, apresentadas na Semana de Moda de Milão, revela toda a força, a elegância e a versatilidade feminina.

Barroca para Dolce & Gabbana; orgânica segundo a Missoni; selvagem para a Fendi; real na concepção da casa Prada; masculina chique para Giorgio Armani; e esbanjando sensualidade na interpretação da Gucci. E isso é apenas uma amostra do que desfilou nas passarelas italianas.

Não faltaram brilho, peles, tecidos refinados e misturas originais, mas é praticamente impossível apontar apenas uma ou outra tendência. O que fica mesmo é a lição de que elegância nunca sai de moda. E o inverno é a estação própria para esbanjar esta elegância em cada look.

 

Prada apostou em rostos pálidos e longos cabelos dourados para compor com os trajes de corte simples e rigoroso. A geometria reina assim como as cores: violeta, rosado, alaranjado, amarelo, verde, branco e preto.

 

 

 

Giorgio Armani propôs uma mulher chique, com casacos bordados, sapatos baixos e calças curtas, tipo bermuda. Apesar do estilo masculino, inspirado nas tropas coloniais inglesas, ela conserva sua feminilidade e elegância.

 

 

 

A coleção de Domenico Dolce e Stefano Gabbana se inspira na opulência barroca. Ao som de Luciano Pavarotti, suas rainhas desfi laram com diademas tipo coroas e brincos pendentes. Nos pés, botinhas amarradas com laços de fi tas, protegidos por meias de renda ou bordadas com fios de ouro.

 

 

 

Na Missoni as tramas confeccionadas em diferentes materiais (lã, pele, feltro, couro) exprimem todas as nuances de um mundo profundamente orgânico. Tudo lembra a natureza.

 

 

 

Para a Fendi, Karl Lagerfeld propôs uma mistura de peles luxuosas, lã ou caxemira, jérsei e ainda pele de rã ou de tubarão que se repetem nos acessórios e desenhos. Destaque ainda para os cinturões medievais e casacões de pele de cabra.

 

 

 

A mulher Gucci veio com saias longas com amplas aberturas, em tons verdes, azuis escuros e roxos. Os cabelos longos e os lábios vermelhos, completaram o estilo de heroína russa.

A arte e a extravagância da coleção Resort 2013 de Marc Jacobs

21 de junho de 2012 0

Poás, xadrezes, florais, listras e paetês. Você consegue imaginar isso tudo junto, sobreposto, compondo os mesmos looks em harmonia? Só mesmo Marc Jacobs consegue se aventurar pelo universo extravagante do circo para compor com cores, formas e proporções de um jeito único e totalmente encantador. A inspiração desta coleção Resort 2013 veio de uma série de fotografias de palhaços de Cindy Sherman. E nesta brincadeira colorida, Jacobs trouxe linhas dos anos 70, o exagero dos anos 80 e a desconstrução dos anos 90. Tudo junto, ao mesmo tempo. Nos pés, sandálias plataformas com pedras fixadas nas tiras largas. Eu adorei a composição de cores. Arte pura!