Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Chevrolet Tracker, das ruas de Detroit para o Brasil

15 de janeiro de 2017 0

Apresentação e o test-drive do novo utilitário esportivo foram nos Estados Unidos

Tracker  2- Gilberto Leal

Atualizado, o visual remete a identidade da marca (Fotos Gilberto Leal e DV)

 DETROIT (EUA)

O tempo nublado, a neve ao longo da estrada e a temperatura de -12º com sensação térmica de -20º criaram um ambiente único no test-drive do Chevrolet Tracker (Trax nos Estados Unidos) 2017. Depois da apresentação do utilitário esportivo para a imprensa brasileira no  Renaissance Center, foi a vez de percorrer cerca de 150 quilômetros pela região de Detroit até o Walter and Mary Burke Parque e retorno à Motor City, como é conhecida a cidade que cresceu com a indústria automotiva. Fabricada no México, a versão avaliada é semelhante a que será vendida no Brasil, mas com características próprias para o mercado norte-americano como o motor apenas a gasolina, regulagem da suspensão e detalhes internos. O Tracker chega para acirrar a concorrência com Honda HR-V, o Jeep Renegade e o Hyundai Creta, que na versão  top custam mais, mas contam com controles de estabilidade e tração. No Brasil, o mexicano Tracker terá duas versões, a LT de R$ 79.990, e LTZ, de  R$ 89.990, que com a inclusão de airbags laterais e de cortina passa para R$ 92.990.

Tracker Gilberto Leal

O test-drive ocorreu sob tempo fechado, baixa temperatura e trechos com neve

O Tracker agrada quem gosta de dirigir. Com condutor e dois acompanhantes, sobrou potência para o propulsor 1.4 turbo  a gasolina que, na versão brasileira é o mesmo do Cruze, o 1.4  turbo flex. O câmbio automático de seis velocidades e a tração 4×4 distribuem bem os 150 cv em quaisquer condições. Nas ruas de Detroit, o utilitário esportivo Chevrolet rodou tranquilo com potência de sobra dentro dos limites de velocidade. Como no Cruze, o propulsor mostra disposição e força numa ampla faixa de giros, o quer facilita rodar na cidade. O nível de ruído interno é mínimo mesmo com o vento forte e o aumento da velocidade na estrada. Os freios ABS contam com EBD.

Tracker

Iluminação diurna e lanternas traseiras em LED, ampla área envidraçada

 No trânsito urbano, o funcionamento do Start/Stop passa praticamente desapercebido nas paradas nos sinais. Basta tirar o pé do freio para a retomada do motor. A direção elétrica com assistência progressiva facilita  a condução, leve na cidade, aumenta fica mais firme acompanhando o aumento da velocidade. A ótima suspensão também é firme sem comprometer o conforto tanto na cidade quando na estrada. No modelo brasileiro, foi adaptada às condições do país com novos amortecedores, molas e ajustes.

2017-Chevrolet-Trax-005

Interior com bom espaço, conforto, sofistação e acabamento em couro na versão LTZ

 O interior dá a sensação que cresceu em relação ao modelo anterior pelo posicionamento do painel, o posicionamento dos comandos e o aumento da área envidraçada. O acabamento, a sofisticação e o conforto interno remetem ao Cruze com destaque para os bancos revestidos em couro e tecido e o uso de novos materiais no painel. O espaço interno é bom na frente e acomoda bem dois adultos no banco traseiro, que é rebatível. O quadro de instrumentos, também  novo, é bem completo e tem perfeita visualização. A central multimídia MyLink tem conectividade com os sistemas Android Auto e Apple Car Play. Para completar, o OnStar, além do contato com a central, por meio de app baixado no smartphone permite acompanhar o funcionamento de diversos componentes do veículo. Os 360 litros do porta-malas aumentam para 735 com o banco traseiro rebaixado. A versão top LTZ traz de série o teto solar com acionamento elétrico. Para completar, aversão americana conta com  hi-fi que permitiu conexão com o Brasil durante o test-drive.

 Ytacker 2

Versões e preços

Chevrolet Tracker LT – RS 79.990

Volante  multifuncional, coluna da direção com ajuste de altura e profunidade, bancos em tecido, o do condutor com regulagem de altura, ar-condicionado, computador de bordo, controle eletrônico de velocidade, retrovisores, vidros e travas das portas com comandos elétricos, Stop/Start, central multimídia MyLink com Android Auto e Apple CarPlay, e OnStar Exclusive (Concierge, Segurança, Emergência, App, Diagnóstico, Navegação). Também sistema Isofixm iluminação diurna, faróis auxiliares de neblina e rodas de alumínio de 16 polegadas, rack no teto, entre outros.

Chevrolet Tracker LTZ – R$ 89.990

Acrescenta banco do motorista com ajuste elétrico lombar e o do acompanhante rebatível, MyLink comk câmera de ré, alerta de movimentação traseira, sensor de estacionamento, computador de bordo com opção de mostrador digital da velocidade, retrovisores laterais com aquecimento e alerta de ponto cego. Também faróis e lanternas com LED, teto-solar elétrico, sensor de presença, rodas de alumínio de 18 polegadas, entre outros.

Viagem a convite da General Motors do Brasil

Toyota Hilux SRX, mais conforto, potência e segurança

27 de dezembro de 2016 0

O novo conjunto propulsor melhorou o bom desempenho da picape média argentina

HILUX   14    - PRISCILA NUNES

Visual, interior, motor e câmbio foram renovados(Fotos PRISCILA NUNES/Especial)

    Os aperfeiçoamentos externos, internos e o conjunto propulsor com novos motor turbo diesel, transmissão, tração e suspensão atualizaram a Hilux. Na cidade, na estrada ou em qualquer terreno, a picape fabricada em Zárate, na Argentina, mostra a sua versatilidade. O novo motor diesel turbo 2.8 de 177 cv teve a potência e a força (toque) aumentadas e bem distribuídas pela transmissão automática de seis velocidade. Acionada por comando eletrônico, a tração 4×4 ignora, a terra, barro ou areia da beira da praia. A versão avaliada, a topo de linha Toyota Hilux 2.8 TDI SRX 4×4 2017 custa1 R$ 189.970.

    Os faróis mais estreitos e baixos com iluminação diurna em LEDs que acompanham o formato da grade atualizaram o visual da Hilux. O para-choque avançou sete centímetros conta com os auxiliares de neblina. Os para-lamas foram arredondados acompanhando as linhas laterais. Atrás, o para-choque, a tampa da caçamba e as lanternas foram redesenhados. Por dentro, os aperfeiçoamentos mexeram muito e o interior remete ao de carros de passeio da marca, como o Corolla, destacando o painel e quadro de instrumentos com iluminação azul, o novo console e os bancos retrabalhados. Acesso por aproximação e partida por botão.

   A dirigibilidade da picape Toyota melhorou. Ao acionar o botão de partida  condutor sente a diferença. Silencioso, o turbo diesel mostra sua força e a ótima combinação com a transmissão automática de seis velocidades. Nos modos normal, econômico ou power, respostas eficientes, o comportamento do conjunto propulsor facilita a condução no dia a dia nas ruas da cidade ou nos finais de semana na  estrada. Para completar, recursos como os controle eletrônico de velocidade,  de tração e de estabilidade, e os assistente de partida e descida em rampa, e de reboque aumentam a segurança.

   Com o aumento da largura, o interior ganhou mais espaço e melhorou o conforto para os cinco ocupantes. O revestimento em couro e material sintético ficou mais bonito. A coluna de direção com regulagens de altura e profundidade e o banco do condutor com ajuste elétrico de altura, distância e inclinação facilitam encontrar a melhor posição para dirigir e enfrentar longas distâncias. O ar-condicionado automático digital tem saída para os bancos traseiros. Completam o quadro de instrumentos com tela de 4,2 polegadas colorida, central multimídia com tela de sete polegadas sensível ao toque navegação por GPS, TV digital e câmera de ré para facilitar as manobras de estacionamento.

 Conclusão:  A nova Hilux na versão avaliada encara de frente as principais concorrentes, a Chevrolet S10  e a Ford Ranger, acirrando a disputa por quem busca uma picape com desempenho, conforto e segurança.

 

 

Goodyear atinge metas e amplia distribuidores

24 de dezembro de 2016 0

As 20 lojas da gaúcha Zé Pneus agora são exclusivas da marca norte-americana

GOODYEAR ZE PNEUS 4

Desenvolvimento da rede de revendedores foi decisivo para atingir os objetivos

      Apesar das dificuldades da economia brasileira e da queda generalizada do mercado, a Goodyear conseguiu atingir suas metas em 2016. Para o diretor da Unidade de Negócios de Pneus Passeio da Goodyear do Brasil, Eduardo Andrade, foi um ano interessante e ao mesmo tempo difícil. A previsão de crescimento era de 4% a 5% mas ocorreu uma queda de 3,5%. Andrade justifica que foi interessante porque “fizemos a lição de casa desde 2015 e 2016 terminou positivo”. Foram atingidos os objetivos de faturamento, volume de vendas, participação de mercado  e de lucratividade.

    Andrade atribui  bom resultado à construção de uma estratégia eficiente e que foi executada pelas pessoas envolvidas e pela decisão de vender os produtos pela qualidade da marca e não no preço. Ressalta que o importante foi explicar a qualidade e os atributos do produto ao consumidor. Com maior participação nos segmentos de pneus para veículos de passeio e caminhões, a Goodyear liderou alguns segmentos durante o ano e  total nos últimos dois meses.

goodyear Eduardo Andrade 02

Andrade destaca que mercado gaúcho é um dos mais importantes (Fotos Goodyear, DV)

Para 2017 a empresa trabalha com a expectativa de crescimento de 2,5% no segmento de revendas. Em relação às montadoras, a previsão fica entre 0 e 10% com média de 3%. Situação que acompanha os índices do setor automotivo. Como não ainda não tem indicadores completos, Andrade admite que poderá ocorrer uma boa surpresa. Existe a perspectiva de novos clientes, mas dependerá da situação política e econômica. Também continuarão as exportações para os Estados Unidos e América Latina.

 Rede de revendedores exclusivos e multimarcas continua crescendo para ficar cada vez mais próximo do cliente No Rio Grande do Sul, nesta semana, a Zé Pneus, tradicional rede com 20 lojas, se tornou monomarca. Andrade destaca importância do acordo pela cobertura, qualidade nos serviços e a credibilidade Zé Pneus, que  consolida ainda mais a presença da marca em um dos mais importantes mercados para a empresa.

Carro, moda e estilo, uma combinação ideal

21 de dezembro de 2016 0

Nada melhor para comemorar as festas de Natal e de Ano Novo em boa companhia

COMPASS - PRISCILA NUNES

O Jeep Compass e a modelo Juliana Böhm prontos para bons momentos em alto estilo

PRISCILA NUNES/ESPECIAL

Nesta época do ano é comum fazer uma reflexão do que foi feito, o que deixou de ser feito e o que será feito. Também comemorar os bons momentos e realizações, antecipar novos desejos e futuros sonhos. Hoje o assunto é um pouco diferente do que vocês estão acostumados encontrar no blog. Diferente como? Na verdade, vamos falar de carro e completar com dicas de estilo. Afinal, o automóvel está associado à vida moderna e aos assuntos do dia. Moda, com certeza é um deles.

COMPASS 7 - PRISCILA NUNES

Vestidos exclusivos como o estampado combinam com o prata do utilitário esportivo

 São comuns nos editoriais de moda a companhia de belas modelos e veículos. Uns clássicos, outros ousados ou nem tanto. Com a colaboração  da loja Karan, localizada na Zona Sul de Porto Alegre, fizemos um ensaio exclusivo com o Jeep Compass Longitude. Os vestidos especiais para o final do ano combinaram em alto estilo com o utilitário esportivo médio, recém lançado, e que conquistou o gosto do consumidor brasileiro. Que tal o Jeep e um traje em alto estilo para passar o Natal e o Ano Novo?

COMPASS 3 - PRISCILA NUNES

A beleza feminina e o visual forte do veículo se completam

 Para quem está atenta à moda, uma novidade é o comprimento Midi, que está super em alta e relembra os anos 50. A barra é média, pode ir até a altura dos joelhos ou tornozelos, e deixa o look elegante e comportado. Parece que foi feito para combinar com o Compass.

 COMPASS 10 - PRISCILA NUNES

 A modelo Juliana Böhm veste a marca Intuição nos dois vestidos claros, que são excelentes opções para o Réveillon. No primeiro (esquerda), o comprimento não é mini, nem maxi, e sim médio. O ar retrô tomou conta, a estampa é floral com rendas. No segundo (direita), o tecido é neopreme com corte a laser e a estampa é floral, que deixa o look romântico. Para o Natal, o vestido vermelho estampado de folhagens é uma ótima opção e realça o cinza do Jeep. Estampas com elementos da natureza trazem tropicalidade ao look e estão com tudo no verão 2017. A marca é Amíssima.

 COMPASS 6 - PRISCILA NUNES

As peças, vestidas com elegância pela Juliana, foram cedidas e podem ser encontradas na Loja Karan, como das marcas Amíssima, Cleo Milani, Lá Chocolê, Iódice, Farrow, Úrsula Beltrame e Jeans Zoom, entre outras.

Colaboração

Loja Karan

Avenida Wenceslau Escobar, 2320 – 5A

Bairro Tristeza

Telefone: (51) 3222-5080.

Mercado de veículos terá lenta recuperação em 2017

21 de dezembro de 2016 0

Para presidente da Ford melhorara ocorrerá no segundo semestre 

LILE WATTERS

Lely Watters espera redução do prejuízo no próximo ano (GILBERTO LEAL)

   São Paulo

   Apesar da crise político econômica que compromete o Brasil, a Ford continua investindo na linha de produtos, nos serviços  e nos programas sociais. O presidente da Ford America do Sul, Lyle Watters, que a situação que impacta a vida das pessoas e as atividades das empresas foi agravada atingindo a produção , a venda e o faturamento. Para conter o quadro negativo, a empresa buscou soluções como a fusão dos empregados na fábrica de São Bernardo do Campo. A norte-americana amarga prejuízo na América do Sul desde 2013, depois de nove anos consecutivos de lucro. No próximo ano, Watters espera uma modesta recuperação do mercado brasileiro e a redução do prejuízo da companhia. Nesta terça-feira, a Ford reuniu jornalistas em São Paulo para um balanço das atividades.

MUSTANG 3 PRISCILA NUNES - Copia

Mustang chega em 2017 (PRISCILA NUNES/Especial)

    O presidente da Ford revelou que 2016 no Brasil e na região foi mais difícil do que esperava, mas o país e a América do Sul são estratégicos para a empresa. Lembrou que são ciclos, e o mesmo ocorreu na Europa onde depois de uma reestruturação nos últimos quatro anos já existe nova perspectiva de lucro. O mesmo deverá ocorrer no Brasil e na América do Sul. Disse que a recuperação está mais lenta do que o esperado, e que o mercado brasileiro deverá ficar estável em 2017 com a venda em torno de dois milhões de veículos. A partir do segundo semestre deverá ocorrer uma lenta recuperação.

Viagem a convite da Ford

Volkswagen lança linha de bicicletas para aventureiros

20 de dezembro de 2016 1

São dois modelos importados da Alemanha com preços a partir de R$ 9.460

Bicicleta VW

Design exclusivo da marca, quadro em alumínio, freios a disco e câmbio avançado (VW, DV)

 

As principais montadoras europeias e norte-americanas desenvolvem linhas de produtos fora do segmento automotivo identificados com as características da marca. As bicicletas ocupam espaço especial como as Ferrari, Audi, BMW, Lancia, Peugeot e Volkswagen, entre outras. Diversas são disponíveis no mercado brasileiro como os dois modelos importados pela Volkswagen do Brasil e que podem sem encomendadas na sua rede de concessionários. O modelo de aro 27.5 polegadas custa R$ 9.460 e o de aro 29 polegadas, R$ 9.700.

Disponível nas versões, de aro 27.5 polegadas e 29 polegadas, as bicicletas tem quadro em alumínio hidroformado, desenvolvido pelos designers da marca, que seguem as Volkswagen. Contam com freio a disco e conjunto de câmbio de última geração. O modelo aro 27.5 polegadas  possui o câmbio Shimano Deore de 27 velocidades e está disponível na cor preta. Já a com aro 29 polegadas tem câmbio Shimano XT de 30 velocidades e comercializadas nas cores preto e azul.

Vendas do Hyundai Creta começam em janeiro

19 de dezembro de 2016 0

Utilitário esportivo compacto chega em cinco versões e preços a partir de R$ 72.990

Hyundai Creta 4A

SUV em pré-venda tem detalhes exclusivos para mercado brasileiro (Fotos Hyundai, DV)

O segmento de utilitários esportivos avança no mercado brasileiro. Se o número de lançamentos surpreendeu em 2016, o próximo ano promete uma concorrência ainda maior impulsionada pelos modelos da Renault. A venda das cinco versões do compacto Hyundai começa na segunda quinzena de janeiro de 2017. Com detalhes exclusivos para o mercado brasileiro e produzido na fábrica de Piracicaba da Hyundai Motor, o Hyundai Creta tem preços de R$ 72.990, na 1.6 Atitude, a R$ 99.490, na 2.0 Prestige.

Desenvolvido para combinar as características de um veículo para o uso urbano com às de um para rodar em qualquer terreno, o Creta tem visual robusto que valoriza as linhas fortes como os para-choques de visual agressivo e exclusivos do modelo brasileiro. A grade  frontal hexagonal tem moldura que chega aos faróis. Nas laterais, se destacam os retrovisores na cor da carroceria com sinalizadores de direção e barras de teto longitudinais na cor prata, enquanto atrás é a vez do spoiler e a moldura cromada na tampa do porta-malas. Como opcionais, algumas versões podem receber faróis com projetores e iluminação diurna (DRL) em LED, faróis de neblina dianteiros e rodas de liga-leve diamantadas de 17 polegadas.

HYUNDAI CRETA  11

Os motores que equipam o Creta foram desenvolvidos para o mercado brasileiro com tecnologias que melhoram o desempenho e a eficiência energética como os sistemas de partida a frio e o Stop & Go de parada e partida automática. Os dois propulsores receberam nota A no Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE). Com bloco e cabeçote em alumínio e duplo comando de válvula, o 1.6 desenvolve de 123 cv e força (torque) de 16 kgfm com gasolina até 130 cv e 16,5 kgfm apenas com etanol. Já o 2.0 tem potências de 156 cv e 19,1 kgfm com gasolina a  166 cv e 20,5kgfm só com etanol. As opções de câmbios são manual e automático de seis velocidades.

 Versões e preços

 Creta 1.6 Attitude manual - R$ 72.990

Direção elétrica, volante funcional com ajuste de altura e profundidade, banco do condutor com regulagem de altura, painel central em preto e cinza, ar-condicionado, computador de bordo, monitoramento de pressão de pneus, console central tipo Deluxe, sistema Blue Audio com rádio AM/FM, Bluetooth e entrada USB, Stop & Go e comandos elétricos de vidros e retrovisores, entre outros. Grade frontal com acabamento ciniza, rodas de 16 polegadas e barras no teto.

Creta 1.6 Attitude automático – R$ 69.990

Exclusiva para pessoas com necessidades especiais, baseada na 1.6 manual, acrescenta câmbio automático , controle eletrônico de velocidade, grade frontal com acabamento cromado, rodas diamantadas de 17 polegadas.

 Creta1.6 Pulse manual - R$ 78.290

Soma acabamentos em tecido nas portas, e em couro nos apoios de braços das portas e central, sensor de estacionamento, faróis de neblina, controles eletrônicos de estabilidade (ESP) e de tração (TCS), gerenciamento de estabilidade (VSM), assistente de partida em rampa (HAC), sinalização de frenagem de emergência (ESS).

Creta 1.6 Pulse automático - R$ 85.240
Mais controle eletrônico de velocidade, grade frontal com acabamento cromado e rodas de 17 polegadas diamantadas.

 Creta 2.0 Pulse automático - R$ 92.490

Acrescenta saída de ar para banco traseiro, vidros elétricos com função um toque, abertura e fechamento dos vidros elétricos pela chave, faróis com projetor e iluminação lateral, luzes diurna (DRL) em LEDs, lanternas em LEDs.

 Creta 2.0 Prestige automático - R$ 99.490

Inclui volante multifuncional, bancos em couro marrom, o do motorista com ventilação, painel central em preto e marrom, ar condicionado automático digital, partida por botão, computador de bordo com funções de ajustes do veículo. Central BlueNAV com tela sensível ao toque de sete polegadas com  navegação, câmera de ré, entrada USB, Bluetooth, conectividade com os sistemas  Android Auto e Apple Carplay, além do acionamento automático dos faróis.

Ford inicia a produção do GT

18 de dezembro de 2016 0

Primeira unidade para venda saiu da linha de montagem em Ontário, no Canada

FORD GT

Superesportivo foi o destaque da marca norte-americana no Salão de São Paulo

    Apresentado no Salão de Detroit em janeiro de 2016, o Ford GT está a caminho das ruas e estradas. A primeira unidade de produção saiu hoje da linha de montagem da fábrica em Ontário, no Canadá. Com a produção limitada em 250 unidades por ano, o superesportivo será  um dos carros mais exclusivos  feitos pela montadora norte-americana. Para produzi-lo, foi construída uma nova unidade exclusiva de manufatura com processo de baixo volume.

NovoFordGT-Job1-2

Linha de montagem exclusiva produzirá 250 unidades por ano (Fotos Ford, DV)

O novo Ford representa a força da marca em inovação no desenvolvimento de aerodinâmica, uso de materiais leves e tecnologia dos motores EcoBoost. O superesportivo tem carroceria e rodas de fibra de carbono, aerodinâmica ativa, motor V6 EcoBoost com mais de 600 cv, suspensão ajustável, freios de carbono-cerâmica, controles integrados no volante, pedais ajustáveis e painel totalmente digital e configurável.

 

Land Rover Discovery Sport e Range Rover Evoque nacionais ganham motor Ingenium Diesel

14 de dezembro de 2016 0

Novo propulsor equipa os utilitários esportivos montados na fábrica de Itatiaia (RJ)

Disco_Sport

Avançada tecnologia otimiza a eficiência energética (Jaguar Land Rover, DV)

 Desenvolvido pela Land Rover, novo motor Ingenium diesel de quatro cilindros 2.0 de 180 cv é produzido em alumínio sendo cerca de 20 quilos mais eleve em relação ao anterior, o 2.2 turbodiesel SD4. O Ingenium foi projetado para oferecer potência com economia de combustível e baixos níveis de emissões. A transmissão do Discovery Sport Diesel e do Range Rover Evoque é a a mesma da versão à gasolina. O câmbio ZF-9HP de nove marchas teve as relações mais baixas encurtadas para garantir mais força e agilidade nas retomadas de velocidade no uso fora de estrada.   A linha  Discovery Sport tem preços a partir de R$ 235.896 e o Range Rover Evoque de R$ 244.600.

DISCOVERY SPORT HSE -PRISCILA NUNES

Desempenho em quaisquer condições (PRISCILA NUNES/Especial)

A família de motores Ingenium foi desenvolvida para garantir a melhor eficiência energética. Os motores 2.0 Ingenium diesel são equipados com turbo compressores, injeção direta de combustível em alta pressão, comando de válvulas variável e sistema Stop-Start. A avançada tecnologia inclui bombas de água variáveis e computadorizadas, que ajustam a quantidade de forma a refrigerar o motor somente com o necessário, controlando a água que flui por ele com base na temperatura, velocidade e características de condução. O Discovery Sport e o Evoque são montados na fábrica da Jaguar Land Rover em Itatiaia, no interior do Rio de Janeiro.

 motor diesel

Pantanal, a casa da Arara Azul

13 de dezembro de 2016 0

Parceria com a Fundação Toyota preserva a ave no Mato Grosso do Sul

ARARA AZUL   PRISCILA NUNES 7

A bióloga Neiva Guedes  (E) é a responsável pelo projeto de preservação 

CAMPO GRANDE (MS)

TEXTO E FOTOS PRISCILA NUNES

Asfalto, terra batida, trechos no meio do campo. Tempo instável. Temperatura elevada amenizada pelo ar-condicionado do carro. Chegar onde moram as araras azuis foi uma experiência única.  Andamos cerca de 200 km de Campo Grande à Miranda e mais 45 km para chegarmos ao Refúgio. Foram mais de quatro horas rodando com uma picape, entre pancadas de chuva forte e raios intensos de sol. A  Hilux 4×4 foi perfeita, ótimo desempenho e conforto. Na estrada, tivemos uma previa dos que encontraríamos no Pantanal. Dito e feito: capivaras e lagartos nos deram as boas-vindas.

Ir ao Pantanal é um programa diferente, principalmente para quem não é acostumado com animais silvestres. Recebi um convite prá lá de especial da Fundação Toyota do Brasil: conhecer o Projeto Arara Azul. Sai de Porto Alegre e parei em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. A programação dos dois dias começou no Instituto Arara Azul, que completou 27 anos de parceria com a Toyota Brasil.

     Na cidade de Campo Grande, eu e outros jornalistas brasileiros encontramos a bióloga responsável pelo projeto, Neiva Guedes. Ela explicou como seria nossa visita e falou como a arara azul sobrevive no Brasil, segundo estudos e pesquisas. De uma maneira geral, a ave foi retirada da lista de espécies da fauna brasileira ameaçadas de extinção. Isso foi um excelente progresso.

Desde julho deste ano, quando inicia o período reprodutivo das araras, os especialistas registraram 108 ovos em 54 ninhos monitorados e ainda esperam que 52 filhotes voem até o fim da estação reprodutiva, em março. Além dos ninhos naturais que as aves fazem em troncos, há também os ninhos artificiais, que foram instalados em diversos tipos de árvores, pela equipe do projeto Arara Azul. É interessante, pois são uma ótima alternativa para as aves que colocam os ovos e criam os filhotes.

Neiva Guedes explicou que na estação reprodutiva, algum predador descobriu os ninhos artificiais ocupados pela arara. “Instalamos então câmara trap (máquina automática: foto ou vídeo) para tentar identificar o predador. E ao mesmo tempo, nós estamos elaborando algumas medidas de contenção como cinta metálica no tronco da árvore e, se necessário, até um novo formato de caixa, que ainda assim, seja adequado para a reprodução das araras”.

No segundo dia, colocamos os estudos e teorias do Instituto em prática. Ficamos no refúgio ecológico Caiman, localizado na cidade de Miranda, no Pantanal. São 53 mil hectares de pura natureza. O cenário foi ideal para realizarmos passeios únicos na região. Saímos em dois grupos. De manhã fizemos um passeio de Safari com direito a um Kit Pantanal com repelente, camisa personalizada, protetor fator 50, e um binóculo para observar os animais. Tivemos contato direto com a flora, fauna e a cultura da região. Vimos diversos mamíferos, aves, répteis como capivaras, jacarés, pássaros, aves diferentes, além da famosa onça-pintada. A noite teve passeio noturno também para ver os animais.

Na parte da tarde, o foco foi conhecer os hábitos da arara azul. Vimos de perto as ações do projeto e os principais resultados. O curioso é que as araras-azuis alimentam-se da castanha de duas palmeiras, o Acuri e a Bocaiúva, e após o nascimento, o filhote permanece sob os cuidados dos pais por mais de 100 dias, até que esteja pronto para voar.

Hoje, com a importante contribuição do Projeto Arara Azul, os especialistas estimam mais de 5.000 indivíduos no Pantanal, na área que inclui os estados de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Bolívia. As araras pertencem à mesma família dos papagaios, periquitos e maracanãs. Em geral, nasce um filhote a cada dois anos, e as principais ameaças da espécie foram na década de 1990 com a descaracterização do habitat, tráfico ilegal e caça para uso em artesanatos e adornos indígenas.

A ida ao Pantanal foi curiosa, inesquecível e perfeita pela  competente equipe da viagem.

ARARA AZUL - PRISCILA NUNES - P

Para saber mais informações, acesse o site da Fundação Toyota:  www.fundacaotoyotadobrasil.org.br.

Viagem à convite da Fundação Toyota do Brasil

Veja também em  http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/sobre rodas/

%d blogueiros gostam disto: