clicRBS
Nova busca - outros
26 jul10:04

Morador de Nova Petrópolis vira persona non grata


ZERO HORA

Vanessa Franzosi, Sucursal da Serra



O incômodo causado pelas badaladas do sino da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), de Nova Petrópolis, fez a cidade ter seu primeiro morador intitulado como persona non grata. Por ter entrado com uma ação na Justiça por considerar abusivo o volume do sino e do relógio mecânico da Igreja, o técnico em manutenção Walter Cunha Freese pensa em deixar a cidade, mesmo tendo a seu favor o laudo da Patram que atesta que as badaladas estão acima dos limites.

As ações na Justiça começaram em fevereiro, mas foi na semana passada que a Câmara de Vereadores da cidade aprovou, por unanimidade, a moção de repúdio contra Freese.

– Eu percebi que a comunidade queria que o sino continuasse tocando, e a moção de repúdio é contemplada no regulamento. Não quer dizer que a pessoa tem que deixar a cidade, somente reforça a insatisfação da comunidade com a ação do morador – explica o vereador que propôs a moção, Jerônimo Stahl Pinto (PDT).

A decisão do vereador foi embasada em um abaixo-assinado com 6 mil assinaturas de moradores de Nova Petrópolis a favor do sino. Freese, que é natural de Cerro Largo e morava em Porto Alegre até o início do ano, também tentou colher assinaturas a seu favor.

– Conseguimos com que 47 pessoas assinassem, mas mais de 200 estão incomodadas com o sino. Só que elas têm medo de se manifestar porque a cidade não aceita quem vai contra ela – disse.

A presidente da comunidade da IECLB, Ijone Michaelsen, que defende a permanência do toque do sino e do relógio, não quis dar sua opinião quanto à moção aprovada pela câmara. Na próxima semana, a igreja deve se manifestar sobre o laudo apresentado pela Patram, que atesta que os decibéis estão mais altos do que o permitido pelas normas da ABNT.

A medição feita no apartamento de Freese, a uma quadra da igreja, apontou 65,9 decibéis durante o dia, quando o permitido são 50 decibéis, e de 52 à noite, sete a mais do que o aceitável. Se as ações do morador forem acatadas pela Justiça, a igreja pode ser obrigada a adequar os badalares aos limites sonoros, e ele pode ser indenizado em R$ 10,8 mil.


>>> Leia a matéria na Zero Hora de terça-feira

Por

30 Comentários »

  • Carmina disse:

    Ao contrário do que esta maioria religiosa pensa, as igrejas não estão acima da lei. Se este morador sentir que deve ir embora, melhor para ele, pois esta cidade não merece um cidadão consciente, que defende seus direitos e é repudiado por pedir, simplesmente, que a lei seja cumprida. Ele estará melhor em outro lugar, e esta cidade poderá continuar sendo tão provinciana e opressiva quanto demonstra ser.

    Acordem, tiranos religiosos. O país é laico, e até o dia em que sua tirania da maioria seja legitimada pela constituição (o que tenho certeza que muitos de vocês gostariam), os cidadãos deste país não são obrigados a se curvar a suas vontades.

  • GIlson disse:

    Essa camarazinha não tem o que fazer mesmo, vão cuidar da saude e educação e melhorias nos bairros, em vez de perder tempo com picuinhas……demonstra que esses politicos estão preocupados mesmo é com os votos desses desocupados que fizeram esse abaixo assinado……sem comentarios….

  • Luiz disse:

    Morei ao lado de uma igreja. O incomodo é muito grande, muitas vezes acordei durante a noite ou as 6 horas da manhã de um domingo com as badaladas.

  • ademir disse:

    Gosto muito de Nova Petrópolis, e se este “cidadão” está incomodado pelo sino, ele que vá prá Cerro Largo, que talvez não tenha nenhum sino badalando.

  • João Narizduro disse:

    Pois é, eu não entendo como ainda hoje se aceite que a igreja faça tudo a seu belprazer. Ela está sendo ruidosa assim como jovens ouvindo música em seus carros, ambos condenáveis. Se existe uma norma, que se aplica, se existe uma lei, que se execute. A câmara assinou um atestado de ignorância.

  • Flávio disse:

    O Estado é laico, a justiça baseada na legislação especifica tem que cumprir a lei. Agora a Camara de Vereadores que representa a coletividade não pode passar por cima da lei e fazer demagogia com a fé religiosa do luteranos.
    Abs

  • becker disse:

    Será que os vereadores não tem mais nada de importante para fazer????? Por favor declarar uma pessoa não grata por não querer um barulho na sua casa? Não interessa de onde a pessoa vem, de POA de Cerro Largo, só porque não é natural do lugar ser declarada não grata, analisem a história de Vosso município Srs. vereadores e vejam se não tem muito mais gente que prejudicou a cidade do que este cidadão que quer um pouco menos de barulho.Se o barulho esta fora do permitido a Igreja deve se adequar, imagine se cada uma entidade puder fazer o que bem entender, para isso somos uma sociedade.

  • Proibido reclamar do barulho do sino | Viajando de Carro disse:

    [...] ser incomodado. Os vereadores o declararam persona non grata. Vejam a matéria do Clic Rbs clicando AQUI.                                                                   [...]

  • Ana disse:

    Já morei bem próximo à citada Igreja e o som do sino não deveria ser tão polemizado pelo cidadão que se diz incomodado com as badaladas.
    O município é grande e tem muitos endereços bem tranquilos, com e sem vizinhos, longe de sinos, o que evitariam todo este desgaste.
    é uma cidade ótima para se morar.
    esse cidadão foi infeliz na escolha de seu endereço e ao invés de se mudar quer que os outros mudem por ele.
    já que ele afirma que irá realmente se mudar, fica a dica de evitar endereços próximos de escolas, parques, clubes sociais, casas noturnas, estações de trem, rodoviárias e é claro, igrejas e centros religiosos de todas as crenças.

  • Edson disse:

    A lei do silêncio é para todos. A Igreja (seja qual for) também tem que respeitar. E se fosse um centro de umbanda, uma igreja católica, uma banda de música?

  • ISRAEL disse:

    SE NAO PODE OUVIR MUSICA APOS A MEIA NOITE EN AUTO VOLUME TANBEM NAO PODERIA TOCA O SINO

  • Ricardo disse:

    Só mesmo no Brasil acontece isso,com uma camara que faz uma nota de repudio,e marcando um morador,ele teria que entrar com uma denuncia contra esta camara de vereadores,pois estão encitando ao povo e se acontece alguma coisa com ele ou com a familia como ficara esta camara de vereadore?Em vez de achar a soluçao mais facil resolveram complicar só pelo votos isso é Brasil, e nunca vai mudar quem tem poder manda e quem não tem obedece.

  • ica disse:

    a reclamação do moço é valida,mas o que ele queria mesmo é trocar o toque do sino, pelo do “kuko” e ver o passarinho…. se ele ganhar a indenização poderia doar o mesmo para a igreja.

  • Parabéns disse:

    Parabéns aos “vereadores”. Como poderiam ser representantes do povo se não expressassem a mesma ignorância em relação às leis de nosso país e os princípios que regem a convivência comunitária?

  • Pe. Batista Nunes Vieira disse:

    Com certeza o que incomoda vocês não é o barulho dos sinos, mas o que eles comunicam! Se vocês se importassem com a vida religiosa e tivessem uma pratica religiosa, isto não seria um problema para vocês! Não estão vendo que isto é um forte apelo para que vocês voltem a viver a fé na qual, certamente, muitos de vocês foram batizados? Reclamam do barulho dos sinos, mas certamente adoram um som alto nos vossos carros e casas!

  • iar disse:

    O badalar dos sinos de uma igreja não incomodam tanto quanto alguns veículos que que circulam pelas cidades equipados daqueles aparelhos de sonorização ensurdecedores, não respeitando o sossego das pessoas, principalmente nos finais de semanas. Minha opinião que o morador que está reclamando das badaladas do sino da igreja em New Patrópolis, deveria se mudar de cidade, ou seja, residir na cidade de São Paulo-SP. OK.

  • Gilmar disse:

    A câmara de vereadores(assim mesmo em letras bem minúsculas)de Nova Petrópolis,por unanimidade deu uma clara demostração do quanto é pequena e mesquinha na atual legislatura,ao embarcar em canoa furada de um demagogo vereador do PDT.Total decepção com quem deveria zelar pelos cumprimento das leis(código de posturas)e faz justamente o contrário.

  • koslov disse:

    Moro nesta cidade há onze anos, já presenciei as mais absurdas manifestações de preconceito, racismo e xenofobia, explícitas e dissimuladas.  Sempre atribuí tais fatos a uma minoria ignorante que pensa ser superior ao resto da humanidade por sua ascendência supostamente alemã.  Conhecessem um pouco de história saberiam as condições miseráveis em que nossos antepassados vieram para este país e teriam orgulho de identificar-se apenas como brasileiros.  O Jornal de Nova Petrópolis vem publicando em suas últimas edições diversas manifestações dessa mesma minoria tratando o caso dos sinos como um problema causado por aqueles que são “de fora”, como se uma cidade turística pudesse sobreviver sem os brasileiros das mais diversas origens que honram a cidade com sua visita quando poderiam muito bem ir gastar seu dinheiro em outro lugar.  Todo cidadão tem direito a sua tranquilidade, igreja nenhuma pode desrespeitar a lei e o poder público tem a obrigação de respeitar a constituição.       A manifestação da câmara de vereadores tentando expulsar um cidadão do município somente deixa claro o quão despreparados são nossos vereadores. Tomaram uma atitude discriminatória, hostil, inconstitucional e totalmente incompatível com a função que exercem.  Só lamento que a conta da indenização,  que certamente será enorme e legitimamente devida a este cidadão que teve seus direitos e integridade moral ofendidos pelo município,  não será paga pessoalmente por cada um daqueles que votaram neste absurdo pois estes gozam de imunidade juridica quanto aos seus atos parlamentares.   A  indenização será paga pelos cofres públicos, com dinheiro de todos nós que os elegemos.   Espero que sejamos capazes de eleger representantes melhores da próxima vez.

  • Marcelo disse:

    Quanta ignorância padre. Seu Deus nao esta só na sua igreja. Vai ver que este sino atrapalha ate as orações do homem. Leis sao feitas para serem seguidas. Esses vereadores sao tão ignorantes quanto esse padre.

  • Marco disse:

    Olá, em nenhum momento a Câmara de Vereadores de Nova Petrópolis manifestou que o rapaz que se sente incomodado com os sinos deva deixar Nova Petrópolis. “Persona non grata” significa que os vereadores estão dizendo que o moço não é um cara legal para a cidade, representando o pensamento da quase totalidade da população. Ele pode continuar morando na cidade, até porque a Constituição Federal protege o sagrado direito de ir e vir.

  • Koslov disse:

         Prezado Marco,  persona non grata significa literalmente “pessoa não bem-vinda”; é uma declaração que um Estado (no significado de ente dotado de soberania, ou seja, um país, nunca um município) pode fazer quando não deseja a permanência de um representante oficial de outro país em seu território  por suspeitar de traição ou espionagem; é amparada pela convenção de Viena e reconhecida pelo Brasil através do decreto 61078/67, em nenhuma hipótese é um ato aplicável contra nacionais.   Equivale a uma expulsão, um bota-fora, um vá para bem longe daqui. 

         Só pela escolha do instrumento já podemos ter uma idéia do que pensam os vereadores de Nova Petrópolis:  pensam ser sua esta  “nação”  onde devem vigorar apenas as leis Neopetropolitanas e onde os imigrantes que vêm do Brasil para morar aqui podem ser expulsos quando discordam de suas opiniões.

    obs: no Brasil, país do qual tenho orgulho de ser cidadão, nenhum direito é sagrado pois todos nós brasileiros vivemos em um estado laico, onde todos, até vereadores e padres, devem respeitar a Constituição e as leis. 

  • Pe. Batista Nunes Vieira disse:

    Em primeiro lugar, gostaria de agradecer ao Marcelo por me chamar de IGNORANTE, quando ele diz que “Esses vereadores sao tão ignorantes quanto esse padre.”! Reconheço tranquilamente que sou ignorante em muitas coisas, assim como também ele é ignorante em muitas coisas. Porém eu te garanto que na questão da LEI eu NÃO sou ignorante!!!! Reconheço a lei do silêncio e que todos devemos fazer ajustes para vivermos em harmonia. Porém o que me deixa indignado, e nisto vocês, Marcelo e tantos outros, são ignorantes, é que vocês só ficam irados com os sons dos sinos das igrejas, querendo os calar a todo custo, e não estão nem ai com os carros que passam com os seus sons a todo volume, que chega a provocar abalos sísmicos nas casas, as boates que tocam músicas à noite em volumes incomodantes, as festas de vizinhança em condomínios e casas, em que as algazarras incomodam a todos os vizinhos, etc.
    Concordo que a LEI deve SER IGUAL PARA TODOS! Porém, da mesma forma que vocês reclamam da altura do som dos sinos das Igrejas, devem mover campanhas para que as empresas que trabalham com a instalação de sons automotivos sejam proibidas de instalar estes sistemas de som ensurdecedores, pois estes realmente incomodam! Devem solicitar bloqueios acústicos nas boates e também VOCÊS devem contribuir com a lei do silêncio, usando sons automotivos em volume suportável e não fazendo algazarras em horários impróprios e com som alto. Porém VOCÊS não fazem isto! Então, enquanto isto não mudar, A MINHA IGNORÂNCIA vai continuar achando que o BARULHO que vos incomodam é os de VOSSAS CONSCIÊNCIAS.

  • Ex-Moradora disse:

    Tive o desprazer de um dia morar em Nova Petrópolis. Quando mudei para a cidade, achei tudo lindo, maravilhoso. Ao ter iniciado minha real convivência com as pessoas, descobri que a realidade se apresenta muito diferente do que demonstra: esses que se julgam “alemães” e ao mesmo tempo “naturais de Nova Petrópolis” – o que é uma grande inconsistência, afinal, se é nascido no Brasil, é brasileiro – são xenófobos e racistas ao extremo.
    No primeiro ano de moradia vi um desfile de sete de setembro com bandeiras da Alemanha e cartazes engrandecendo os “antepassados alemães”. Ali já senti que havia algo de muito errado.
    Qualquer pessoa que não é de lá e não tenha sobrenome alemão é tratado, entre eles, como “de fora”. Esse é praticamente um jargão na cidade, utilizado da forma mais pejorativa possível.
    Em Nova Petrópolis, não se respeita qualquer outro ser vivo, além dos alemães; sejam pessoas ou sejam animais. Aliás, sobre animais… basta falar com uma moradora que mora no bairro Juriti (e é “de fora”)que os recolhe da rua… ela tem as mais escabrosas histórias para contar: cachorros recém-nascidos são mortos enforcados, afogados, inclusive atirados na parede, em rituais de demonstração da mais profunda falta de respeito com as criaturas de Deus.
    Sobre Deus… Ele deve estar muito triste, pois não há nada de atitude cristã no racismo e na xenofobia.
    Em Nova Petrópolis, trabalhando no comércio, ouvi comentários que tiraram meu sono. Se a metade dos turistas que deixa seu dinheiro nesta cidade soubesse o que esses 98% da população (conforme descrito pelos vereadores) pensam, jamais voltariam para lá.
    Fica aqui meu ato de repúdio contra uma cidade cheia de pessoas que enche suas praças de flores para disfarçar seus corações inundados do mais arraigado e infundado preconceito.
    Quando você for passear na serra gaúcha pense duas vezes antes de deixar seu dinheiro em Nova Petrópolis. EU GOSTARIA MUITO DE VER COMO OS ALEMÃES NASCIDOS E DONOS DE NOVA PETRÓPOLIS VÃO SE VIRAR SEM O DINHEIRO DAQUELES A QUE ELES CHAMAM “DE FORA”.
    Para quem acha que exagero, acesse o site http://bunkerdacultura.blogspot.com/2011/04/silenciando-os-sinos-de-nova-petropolis.html

  • juliana disse:

    acho que esse cidadão em toda a razão, eu tmbm não suporto bar=ulho de sino, na meia noite e 6 e 30 da manha, durante o dia tudo bem…

  • Vinícius disse:

    Alguém não tem o e-mail do Walter Cunha Freese! Quero demonstrar a minha solidariedade a ele! A lei é para todos, inclusive para as Igrejas!!!!!

  • Eduardo disse:

    A lei vale para todos. Esses vereadores são uns franguinhos, isso é xenofobia descarada. Esses “alemão” nascidos no Brasil, deviam lembrar que são brasileiros. Dois Irmãos/RS é a mesma coisa, preconceito com os “de fora”. Toda cidade tem um pouco disto é uma vergonha.

  • Alberto Soares disse:

    Sou solidário ao Sr. Walter Cunha. Tá na hora de se dar um basta nos abusos sonoros, entre os quais as igrejas, independente de credo não podem ficar de fora.Quanto aos vereadores que se prestaram a tal papel ridiculo, que tal procurar o que fazer, pois expor um cidadão e sua familia a fúria de uma cidade xenofoba que se sente 100% alemã, mesmo tendo encontrado em nosso país abrigo e condições para estrutarem suas familias. Que se calem os sinos e os vereadores da Nova Petropólis.

  • Amauri disse:

    QUEM VOTOU A FAVOR CONCERTEZA É EVANGELICO
    Pelo que sei é uma cultura da igreja Catolica fazer isso, por sinal tambem incomoda, QUE FALTA DE CRIATIVIDADE DESSA IGREJA
    Essas igrejinhas que são mais comercio do que igreja são criadas a menos de 100 anos e acham que vão mandar em td só q me faltava ( Acho que vou abriu uma tambem e lucrativo )

  • ana disse:

    Garanto que se ao invés do sino fosse a música do eminem esta minoria estaria se movimentando alegando a lei do silêncio.

    Pois bem.

    A lei do silêncio existe em vários municípios, existem em Porto Alegre que é das 2200hs às 07:00hs.

    Gostaria de lembrar que, mesmo que acertassem os decibéis do sino, mas o mesmo incomodasse a pessoa, pelo Código Civil, poderia-se entrar na justiça.

    Aviso que a Câmara poderá tomar um processo por danos morais, decorrente desta atitude míope.

    Lembro também que o Estado é Laico, porém a religião está, simplesmente, invadindo a casa deste morador.

    Não importa se são 6.000 ou 6.000.000, o que importa é que existe lei e a lei é para ser cumprida, por todos, inclusive pela igreja.

    Meu apoio a esse morador, pois tive o mesmo problema com uma academia dentro do meu prédio debaixo do meu quarto, onde tinha gente que ia fazer ginástica às 05:45hs e a corrida feita por este morador me enlouquecia. Pois bem, eu era a única que reclamava, tive crises nervosas, tive que mudar meu horário de dormir, etc… Convivi com isso por mais de um ano até que contratei um advogado e, utilizando-me da lei do silêncio, além de deixar claro que isso ia acabar no judiciário, consegui alterar o regimento interno do prédio para que essa academia funcionasse a partir das 07:00hs.

    Quem não luta por seus direitos não os merece.

  • Denival disse:

    Os sinos tocam bem antes de todos nós hipócritas nacermos, logo se ve a ignorancia refente a religião niguem é obrigado a ser católico ou protestante mas devemos sim respeitar a religião do próximo ou acabaremos como no afeganistão todos os dias nos matando por não tolerar absolutamente nada somo ignorantes cegos e intolerantes já se tocaram de como serão seus filhos iguais a vocês querendo fechar tudo que te incomode. Se negares a mim tambem o negarei diante do Pai, só vai ao Pai se passar por mim Jessus.E todos os dias vocês me ignoram.Que Deus tenha piedade de nós.

Comentários