clicRBS
Nova busca - outros

festival de cinema

13 out12:10

Festival de Cinema deste ano tem verbas suspensas pela Lei Rouanet


Vanessa Franzosi, Sucursal da Serra

 

As investigações em torno do Natal Luz estão respingando em outros eventos de Gramado. Mais de R$ 2 milhões que haviam sido aprovados pela Lei Rouanet para o 39º Festival de Cinema de Gramado foram suspensos neste mês pelas investigações envolvendo o Natal Luz e a Associação de Cultura e Turismo de Gramado (ACTG), entidade que capta recursos e contrata fornecedores.

O valor suspenso é aguardado para o pagamento de dívidas do Festival de Cinema, e representa em torno de 40% da receita do evento.

Por causa das investigações de possíveis irregularidades nas contas do Natal, a ACTG ficou inapta a receber recursos da Lei Rouanet. O recurso para o Festival de Cinema foi aprovado antes dessa decisão da Justiça, mas ainda não havia sido liberado. No início deste mês, a aprovação foi suspensa pelo Ministério da Cultura (MinC).

A operação Papai Noel, do Ministério Público Estadual e que investiga o Natal Luz, foi desencadeada uma semana antes da abertura do Festival de Cinema de Gramado, que ocorreu entre 5 e 13 de agosto. Com fornecedores contratados e o evento realizado, o Festival acumula dívidas de mais de R$ 2 milhões em função da suspensão dos recursos federais. Do total de R$ 2,315 milhões aprovados, R$ 315 mil foram recebidos.


Edição deste ano aconteceu de 5 a 13 de agosto

 

De acordo com o presidente do festival, Alemir Coletto, estão sendo estudadas formas de reverter a decisão do Ministério.

- As verbas para o festival foram aprovadas antes da operação do Natal e o festival não está envolvido nas irregularidades. Isso que queremos mostrar ao MinC para que a verba seja liberada – explica.

No final de setembro, Coletto anunciou o cancelamento do Festival Internacional de Gastronomia por não ter sido liberado o recurso de R$ 815 mil pela Lei Rouanet para a ACTG. O festival estaria na quinta edição.


Comente aqui
15 ago14:43

Gaúcho vence nos curtas

ZERO HORA



Um dos animadores gaúchos de maior destaque nos últimos anos, Rodrigo John foi o grande vencedor da mostra nacional de curtas com Céu, Inferno e Outras Partes do Corpo. Subiu ao palco três vezes para receber os Kikitos de melhor filme e roteiro e o prêmio da crítica. Em todas, revelou-se surpreso – e pautou seu discurso pelo improviso.

– Quero até pedir desculpa pelo palavrão que disse antes – falou, referindo-se à sua primeira intervenção. – Queria me retratar de outra coisa também, mas agora nem lembro mais o que é – acrescentaria depois.

O curioso é que o filme venceu a mostra nacional, mas saiu da mostra gaúcha com apenas um troféu de melhor som.

Comente aqui
15 ago13:57

Os desafios dos 40 anos

ZERO HORA

DANIEL FEIX - daniel.feix@zerohora.com.br


 

Sebastian Hiriart recebeu três estatuetas por “A Tiro de Piedra”.

 

39º Festival de Gramado terminou sem maiores novidades – a mostra latino-americana continuou sendo no geral superior à brasileira e o cinema permaneceu com público muito pequeno em algumas noites, apesar do agito do lado de fora do Palácio dos Festivais. É por isso, e porque a próxima edição marca uma data redonda e se anuncia como festiva e de muita celebração do passado, que o evento precisa, mais do que nunca, se ver no espelho.

Para além das já batidas discussões sobre cinema autoral versus investimento no turismo e no glamour, Gramado precisa esquentar. Trazer o público que enche as ruas da cidade para dentro do Palácio dos Festivais e envolvê-lo não só com os astros e as estrelas, mas com o seu trabalho propriamente dito. Os filmes precisam de vaias, ou aplausos, qualquer coisa que não as recepções frias que vêm recebendo ano após ano, como se não fizessem parte do interesse da maioria das pessoas que estão na Serra – a maior parte da plateia parece, cada vez mais, ser formada apenas por jornalistas e produtores de cinema.

Não faz sentido que um evento que recebe mais de R$ 3 milhões de patrocínio, grande parte deste montante via leis de renúncia fiscal, cobre até R$ 130 por um ingresso. Também é contraditório exibir num dia o documentário de temática indígena As Hiper Mulheres e, no dia seguinte, uma comédia popular como O Carteiro. Ou se faz um festival que aposta no cinema autoral, ou se investe no grande público. Enquanto tentar as duas coisas, Gramado permanecerá dando a sensação de desencontro entre o que se passa dentro e o que se passa fora da sala de cinema.

É bom ressaltar que, apesar de os filmes nacionais continuarem muito irregulares, a seleção de 2011 não pode ser considerada inferior à de 2010. Em suas diferenças, bons filmes como Riscado e As Hiper Mulheres, e os ótimos hors-concours O Palhaço e Sudoeste, deram estofo ao festival. Do mesmo modo, a boa seleção latino-americana invariavelmente garantiu ao menos uma boa sessão por noite. Se foi atencioso na seleção dos filmes de fora do Brasil, no entanto, a organização se atrapalhou e permitiu que quatro dos sete concorrentes fossem exibidos em constrangedoras cópias de serviço em DVD, com resolução baixa e marcas d’água sobre as imagens.

Ou Gramado dá o devido valor aos latinos, que tantas vezes salvaram o festival, ou os exclui da programação de vez. O problema é que tirá-los da competição reduziria inevitável e drasticamente a qualidade geral do evento. Este dilema, ao menos, parece fácil de resolver: antecipa-se o prazo de divulgação dos selecionados, dando mais tempo para o envio das cópias e, pronto, respeitam-se tanto os autores dos filmes quanto o público que for vê-los no Palácio dos Festivais. Além de manter a identidade internacional que Gramado construiu, o que assegura o seu diferencial no cada vez maior e mais diversificado universo dos festivais de cinema realizados no Brasil.


1 comentário
15 ago10:15

"Uma Longa Viagem" é o grande vencedor do 39º Festival de Gramado



Com os principais Kikitos divididos entre Riscado, Uma Longa Viagem e As Hiper Mulheres, terminou por volta de 23h30min de sábado o 39º Festival de Cinema de Gramado. O grande vencedor, Uma Longa Viagem, havia passado praticamente em branco no Festival  de Paulínia. Em Gramado, o filme de Lúcia Murat faturou cinco Kikitos, entre eles o de melhor filme.

O casal Gustavo Pizzi, diretor, e Karine Teles, atriz, ambos deRiscado, também foram premiados. Caio Blat foi eleito o melhor ator, prêmio que já havia conquistado no ano passado por Bróder.

O mexicano Gabino Rodrigues, de A Tiro de Piedra, também repetiu o troféu de melhor ator ganho em 2010. O melhor longa latino-americano foi Medianeras, comédia romântica do diretor Gustavo Taretto. Jean Gentil e La Lección de Pintura, dois favoritos, também não saíram de mãos abanando.

Entre os curtas, destaque para os prêmios à animação gaúchaCéu, Inferno e Outras Partes do Corpo, de Rodrigo John, que foi eleito o melhor filme.

Confira todos os premiados:

Longas brasileiros
Melhor filme: Uma Longa Viagem, de Lúcia Murat (RJ)
Direção: Gustavo Pizzi, por Riscado (RJ)
Ator: Caio Blat, por Uma Longa Viagem (RJ)
Atriz: Karine Teles, por Riscado, de Gustavo Pizzi (RJ)
Prêmio especial do júri: As Hiper Mulheres, de Leonardo Sette, Carlos Fausto e Takumã Kuikuro (PE)
Prêmio da crítica: Riscado (RJ)
Júri popular: Uma Longa Viagem (RJ)
Roteiro: Riscado (RJ)
Montagem: As Hiper Mulheres (PE)
Fotografia: O Carteiro, de Reginaldo Faria
Direção de arte: Uma Longa Viagem (RJ)
Trilha musical: Riscado (RJ)
Júri dos estudantes de cinema: Uma Longa Viagem (RJ)

Longas latino-americanos
Melhor filme: Medianeras, de Gustavo Taretto (Argentina)
Direção: Sebastián Hiriart, por A Tiro de Piedra (México) e Gustavo Taretto, por Medianeras (Argentina)
Ator: Gabino Rodrigues, de A Tiro de Piedra, de Sebastián Hiriart (México)
Atriz: Margarida Rosa de Francisco, por Garcia, de Jose Luis Rugeles (Colômbia)
Prêmio especial do júri: Las Malas Intenciónes, de Rosário Garcia Moreno (Peru)
Prêmio da crítica: Jean Gentil, de Israel Cárdenas e Laura Guzmán (República Doninicana)
Roteiro: A Tiro de Piedra (México)
Fotografia: La Lección de Pintura, de Pablo Perelman (Chile)
Júri popular: Medianeras (Argentina)
Júri dos estudantes de cinema: La Lección de Pintura (Chile)

Mostra panorâmica
Júri dos estudantes de cinema: Transeunte, de Erik Rocha (Brasil)

Curtas-metragens
Melhor filme: Céu, Inferno e Outras Partes do Corpo, de Rodrigo John (RS)
Direção: Natara Ney, por Um Outro Ensaio (RJ)
Ator: José Wilker, por A Melhor Idade, de Angelo Defanti (RJ)
Atriz: Dira Paes, por Ribeirinhos do Asfalto, de Jorane Castro (PA)
Prêmio especial do júri: Rivellino, de Marcos Katudjian (SP)
Prêmio da crítica: Céu, Inferno e Outras Partes do Corpo (RS)
Júri popular: Um Outro Ensaio, de Natara Ney (RJ)
Roteiro: Céu, Inferno e Outras Partes do Corpo (RS)
Montagem: Um Outro Ensaio (RJ)
Fotografia: Polaroid Circus, de Marcos Mello e Jaques Dequeker (SP)
Direção de arte: Ribeirinhos do Asfalto (PA)
Trilha musical: Um Outro Ensaio (RJ)
Prêmio Aquisição Canal Brasil: Um Outro Ensaio RJ)
Júri dos estudantes de cinema: A Mula Teimosa e o Controle Remoto, de Helio Nunes (SP)

Comente aqui
12 ago11:12

Sillvyo Luccio, de Olhe pra mim de novo, é uma das estrelas de Gramado

ZERO HORA



O filme é menos interessante do que se podia esperar, mas o seu protagonista é uma das estrelas de Gramado 2011. O cearense Sillvyo Luccio, o condutor de Olhe pra Mim de Novo, road movie sertanejo dirigido pelos documentaristas Kiko Goifman e Claudia Priscilla, nasceu mulher -— como Lúcia da Silva —, cresceu se dizendo lésbica, teve uma filha, foi casado com outra mulher, separou-se ao decidir mudar de sexo e hoje se sente mal ao ser identificado como “ela”.

— Tenho tudo o que um homem tem, até prótese. Só me falta… o glamour – completa a frase depois de uma pausa.

No tapete vermelho, quarta-feira, ou nas entrevistas que concedeu nesta quinta, centralizou as atenções — o filme propriamente dito acabou ficando de lado em todas as conversas e até mesmo no debate do Centro de Eventos do Hotel Serra Azul. Silvyo é transexual masculino. É tão homem que, quando fala, incorpora gírias e características tipicamente masculinas.

— Sou um cara romântico. Um homem que gosta de valorizar a mulher, sabe. Um homem que sabe fazer uma mulher feliz.


Confira a programação desta sexta-feira

10h – Reprise da programação competitiva da noite anterior

17h – O Mar de Mário, de Reginaldo Gontijo e Fernando Suffiati (BRA, 73min)

19h – Mostra competitiva: Jean Gentil, de Laura A. Guzmán e Israel Cárdenas (DOM, 84min)

20h45min – Intervalo

21h – Filme de encerramento: Sudoeste, de Eduardo Nunes (BRA, 128min


Comente aqui
11 ago14:50

Confira a programação de hoje do Festival de Gramado


Quinta-feira, 11 de agosto

14h15min – Mostra panorâmica: Mundialito, de Sebastião Bednarik (BRA, 90min)

17h – Mostra competitiva (curtasmetragens): Julie, Agosto e Setembro (8min), Ribeirinhos do Asfalto (25min), O Cão (10min), Rivelino (17min)

19h – Mostra competitiva: Garcia, de José Luis Rugeles (COL, 90min)

20h45min – Premiação da Mostra Gaúcha de Curtas-Metragens – Prêmio Assembleia Legislativa de Cinema

21h15min – Mostra competitiva: O Carteiro, de Reginaldo Farias (BRA, 98min)


Ana Carolina Machado como Marli em O Carteiro, único filme gaúcho selecionado para o festival

 

Comente aqui
11 ago14:29

Gaúcho de 12 anos estreia em Gramado assinando roteiro e direção do curta Um Dia Daqueles

ZERO HORA

Vanessa Franzosi  |  vanessa.franzosi@gruporbs.com.br



Ele tem seis anos de carreira, atuou em 18 comerciais e 16 curtas-metragens e lança em Gramado seu primeiro curta como co-diretor e roteirista. Biografia aparentemente normal para os frequentadores do Festival de Cinema não fosse a experiência que ele tem de vida. Aos 12 anos de idade, esbanja simpatia e talento.

Conversa tomando chimarrão como se fosse gente grande. Fala de seus projetos com comprometimento de profissional. Sonha como uma criança e realiza esses sonhos como poucos. Ator desde os seis anos, ele conhece um mundo da TV e do cinema que o mostrou que atuar pode ser pouco.

— Eu acho muito mais complicado escrever, fazer com que todos façam o que está na cabeça do roteirista. Eu adoro coisas complicadas — diz, com naturalidade de quem não teme trabalhar e encara os sets não como uma diversão.

Um Dia Daqueles foi imaginado na fila de um caixa eletrônico enquanto ele sacava dinheiro com a mãe, Rose Pereira, em Canoas. Da imaginação infantil dos problemas que poderiam surgir, da sequencia de “ses”, ele criou seu primeiro roteiro e ganhou apoio do diretor José Rodolfo Masiero e do produtor Arthur De Franceschi para tirá-lo do papel. Dois anos depois, Caio chega a Gramado assinando como um dos diretores mais novos a estrearem no festival.

— Ainda não acredito que meu filme foi selecionado para cá, parece que não é real — diz.

Apaixonado por ler ficção, admirador de Jorge Furtado, Tarantino, Selton Melo e José Rodolfo Masiero, Caio escreve sobre seu cotidiano com algumas pitadas de comédia. Se mostra entendedor da sétima arte e arrisca definir o cinema de Furtado com três elementos: um guri com menos de 18 anos, Lázaro Ramos e uma mulher gostosa. E nos seus filmes, o que não pode faltar?

— Humor, pessoas que gosto e… uma mulher gostosa — responde prontamente.


Comente aqui
10 ago21:09

Festival de música eletrônica reúne famosos em Gramado

By n9ve


Um grupo de bacanas se reuniu na 6ª edição do Winter Festival, o festival de música eletrônica do inverno brasileiro que se realizou no último final de semana na abertura da 39ª edição do Festival de Cinema de Gramado.

Na edição deste ano, a cenografia do evento contou com a expertise do renomado designer carioca Muti Randolph, responsável pelo premiado projeto do clube paulistano D-Edge.


Paulo Nunes e Danrlei

 

Sérgio Marone

 

Helena Ranaldi, Marcelo Serrado e Larissa Maciel

 

>>>Veja mais fotos no By n9ve

 

Comente aqui
10 ago16:21

Festival em família para a exibição do filme O Carteiro

PIONEIRO


A família Faria vai invadir Gramado até quinta-feira, quando o Palácio dos Festivais sedia a exibição de O Carteiro.

O diretor e produtor Roberto Faria (que foi homenageado com o Troféu Eduardo Abelin três anos atrás) chegou à Serra terça-feira (9). Hoje, aportam seu irmão, o ator e diretor Reginaldo Faria (Troféu Oscarito dois anos atrás), e os atores Marcelo e Carlos André, que são sobrinhos de Roberto e filhos de Reginaldo.

Roberto produz, Reginaldo dirige e Carlos André protagoniza O Carteiro, que também conta com Marcelo no elenco. O longa conta a história de um rapaz que trabalha entregando cartas numa pequena cidade do interior e tem o hábito de violar a correspondência alheia, inclusive a da garota por quem se apaixona e que troca cartas de amor com o namorado.

Também estão no elenco Felipe de Paula, Anselmo Vasconcellos, Ana Carolina Machado, Fernanda Carvalho Leite e Ingra Liberato. Enquanto o dia de exibição do filme não chega, Ingra aproveita para acompanhar os demais longas da mostra competitiva. Na segunda, a intérprete de Natalina em O Carteiro elogiou a forma de trabalho de Reginaldo como diretor, destacando-o, também, como compositor: o tema do romance dela com o personagem de Marcelo Faria foi composto por ele.

– Além de ser um grande ator, ele é um maravilhoso diretor, é muito sensível, sabe tocar os atores para trabalhar com poesia – disse.

O Carteiro é o único longa gaúcho na competição e foi rodado em São João do Polêsine, próximo a Santa Maria.


O filho Carlos André Faria protagoniza, e o pai Reginaldo Faria dirige

 

Comente aqui
10 ago11:17

Domingos Oliveira cancela vinda à Gramado

ZERO HORA

Atualizada às 11h59min


Homenageado com o Troféu Eduardo Abelin, Domingos Oliveira cancelou sua vinda a Gramado. As informações da organização do festival dão conta de que o cineasta de 74 anos teve problemas de saúde – uma fratura no ombro - e, por isso, a entrega do prêmio, que seria realizada na noite desta quarta-feira, está suspensa.

Os organizadores esperam que Domingos melhore para remarcar a homenagem nos próximos dias. Ainda não há definição sobre qual será o procedimento caso seu estado não apresente evolução e ele não possa viajar a Gramado antes do encerramento do evento, no próximo sábado.

Confira a programação completa de quarta-feira


14h15min Mostra panorâmica: Transeunte, de Eryk Rocha (BRA, 125min)

17h Mostra competitiva (curtas-metragens): Um Outro Ensaio (de Natara Ney, RJ, 15min), Qual Queijo Você Quer? (de Cintia Bittar, SC, 12min), Calma, Monga, Calma (de Petrônio de Lorena, RJ, 18min), A Musa da Minha Rua (de Adolfo Lachtermacher, RJ, 16min).

19h Mostra competitiva: El Casamiento, de Aldo Garay (URU, 72min). Documentário que narra a história do encontro entre um transsexual com um ex-pedreiro que estavam perambulando sozinhos na noite de Natal na cidade de Montevidéu. Desde que se descobriram, há 25 anos, os dois não se desgrudaram mais.

20h45min Entrega do Troféu Eduardo Abelin para Domingos Oliveira

21h Mostra competitiva: Olhe pra Mim de Novo, de Claudia Priscilla e Kiko Goifman (BRA, 77min). Diretor de 33 e Filmefobia, o mineiro Kiko Goifman se une a Claudia Priscila (de Leite e Ferro) neste roadmovie que cruza o sertão nordestino sendo guiado por um travesti chamado Syllvio Luccio.

1 comentário