Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de dezembro 2014

Resoluções para o 2015 gremista

31 de dezembro de 2014 28
Que venha um 2015 de vitórias. Foto: Ricardo Duarte

Que venha um 2015 de vitórias. Foto: Ricardo Duarte

Por Guilherme Mazui | @guilhermemazui

Ano novo, vida nova, olhos no horizonte, no futuro. Devoramos lombinhos na ceia porque o suíno fuça para frente. Queremos avançar, buscamos evoluir, desejamos conquistas. Pessoais e coletivas. Nossas e do nosso Grêmio.

O 2014 se encerra com o Imortal na fila. Os títulos prometidos não vieram, sequer foram beliscados. A temporada frustrada deixa as lições que, mirando para frente, devemos seguir. Não sou muito crente em mandingas e afins, mas sempre vale auxiliar o santo. Agora, o que ajuda mesmo é trabalhar, reconhecer e corrigir erros.

Criar metas é a maneira de estipular objetivos, de induzir o trabalho. Talvez, por isso, essa seja a época das famosas resoluções de ano novo. Deixo algumas para o nosso Grêmio, enviem outras, por favor. A principal, todos sabem: conquistar um título.

Um ótimo 2015 para todos nós.

>> Expurgar o conformismo
O Grêmio precisa criar uma ojeriza ao conformismo. Adeus ao discurso de manutenção de emprego, ao discurso que comemora empates com Goiás, Coritiba, Sport. É preciso retomar a mentalidade vencedora, não aceitar as derrotas, buscar até o final as vitórias. O time de Dinho, Paulo Nunes e cia. deixaria escapar uma vaga na Libertadores com três derrotas e um empate na reta final de um campeonato? Acharia isso normal?

>> Parar de colocar os fracassos na conta da Arena
Sem vitórias, Koff passou citando uma herança ruim (com explicações parciais e pouco esclarecedoras) do antecessor como escudo. A Arena deixou o clube sem dinheiro, porém, por dois anos a folha de pagamento girou em R$ 7 milhões mensais. Uma fortuna para montar um time sem armador. É culpa da Arena ou de quem gastou o dinheiro? Romildo manterá a rotina? Ou assumirá e resolverá os erros de seu grupo político?

>> Encontrar mais artilheiros
Apenas Barcos, que falha em jogos decisivos, marca gols na equipe: foram 29 na temporada, bela marca. Um time sem artilheiros não anda. A zaga deve marcar gols, os meias precisam marcar gols, pelo menos cinco dos 11 em campo devem ter condições de balançar as redes com regularidade. O Cruzeiro teve Moreno, Goulart e Everton Ribeiro. Os zagueiros marcavam gols. Logo, ganhou o Brasileirão com folga.

>> Pagar salários compatíveis com o desempenho dos jogadores
Um time de R$ 7 milhões mensais não possui um mísero atleta capaz de acertar um escanteio. Não há quem arme, os zagueiros nunca fazem gols, os laterais não vão ao fundo, os atacantes não sabem finalizar, alguns reservas ganham fortunas apenas para treinar. Muito da nossa crise financeira vem daí. Nossa história ensina: quando tem grana, o Grêmio rasga. Quando mescla base e experiência, emplaca.

>> Deixar de acreditar que passado ganha jogo
Felipão voltou à casamata tricolor, só que as vitórias não retornaram de forma automática. Os anos 1990 ficaram no álbum de fotografias, estão na memória, as taças estão no armário. Os anos dourados não voltam. Por mágica, não será montado outro time campeão. Concepções, perfis, convicções podem ser repetidas, porém, jamais são infalíveis. Felipão acerta e erra. É preciso aplaudir quando acertar e cobrá-lo quando falha.

>> Ganhar um título
Eis a missão mais importante. O Brasileirão parece mais difícil, a Copa do Brasil depende de chegar forte entre agosto e novembro. Mas já vale o Gauchão, que muitos menosprezam. O Grêmio necessita ganhar. Está desde 2010 sem comemorar nada. O mundo ideal é emplacar um Brasileirão, uma Copa do Brasil, porém, na peladura, o Gauchão ajuda a virar a chave, a iniciar um novo ciclo. Quem quer comer, tem de estar sempre mastigando. É a rotina de títulos, de menor ou maior expressão.

O garganteador

30 de dezembro de 2014 49

Por Carlos Rollsing

Talvez esse seja o último post no blog em 2014. Não sei se teremos texto novo no dia 31. E começo a escrever totalmente sem norte. Convenhamos, a verdade é que não há notícia sobre o Grêmio. Não há sequer especulação.

Aliás, por falar em especulação, é uma palavra que está em alta lá pelo lado dos moranguinhos. Já perdi as contas sobre quantos craques eles vão contratar. Tá sobrando dinheiro por lá. Só pode. Deve estar vindo da falácia dos 100 mil sócios. Ah, esqueci: a Andrade Gutiérrez remendou o Bêra por caridade, eles não precisam ceder nenhuma receita à construtora e o dinheiro está entrando por todos os lados. A cada novo nome eu chego a tremer de medo. Ui. É Fred, Barrios, Patric, Moledo, Guerrero, Nilton, Lodeiro. Vitório Piffero está atirando para todos os lados. Quer contratar meio mundo, um time de estrelas. No final das contas, vai ficar pagando meio milhão ao Rafael Moura, o He-Man.
Tudo começou com o técnico. Piffero garganteou aos quatro ventos que estava acertado com Tite. Detonou outras opções, disse que não tinham estatura suficiente para treinar a equipe. Eu até fiquei preocupado. De verdade. Tite é muito bom. Mas, por sorte, era garganteio de Piffero, o presidente do Mazembaço. Ele acabou ficando com a quinta opção para treinar o time. Tomou um não atrás do outro.

Entre um presidente que garganteia e faz fiasco e um que fica bem quietinho e adota discurso humilde, prefiro a segunda opção. Vamos em frente, Romildinho! Espaço para atletas jovens, reduzir a folha de pagamento a patamares financeiros saudáveis, fazer contratações pontuais. É isso. Elencos milionários nunca deram certo mesmo no Grêmio. Vamos pela via da simplicidade. Sempre foi nosso melhor caminho. Atenção, gremistada! Bom 2015 a todos. Adiante, vestindo a camisa e sem perder a esperança. Sem deixar de apoiar. Somos imortais e, tenham certeza, recuperaremos a glória.

Adendo: Matis Rodriguez quer ir embora. Deseja jogar no Boca. Mas é um favor que tu nos faz, pereba. Vaza já daqui. Um salário a menos para pagar e uma ruindade a menos para atrapalhar o time. Qualquer garoto da base faz o mesmo ou melhor do que Matias. Nem precisa ser uma promessa.

O enigma da lateral-direita

29 de dezembro de 2014 40

Por Juliano Rodrigues@julianorodrigue

Parece mentira, mas a saída do criticado Pará, em negociação com o Flamengo, pode se tornar um dos principais problemas do Grêmio para o ano que vem. Os movimentos do mercado nesse primeiro mês de pré-temporada sinalizam que o clube pode ter se precipitado ao liberar o lateral, já que não existem opções acessíveis e do mesmo nível. Por pior que fosse o desempenho ofensivo do Pará, que deu poucas assistências para gols e não fez nenhum, defensivamente o lateral de 28 anos não chegou a comprometer e ajudou a tornar a linha de defesa a menos vazada do Brasileirão.

O grande problema, repito, é a reposição. A direção já declarou que pretende contar com Matías Rodriguez como titular. O jovem Tinga deve ser negociado sem ao menos ter emplacado uma sequência de três jogos no time principal. Matías já se mostrou insuficiente. É fraco na marcação e demonstrou uma timidez no ataque que não parecia existir nos seus tempos de destaque no futebol chileno. Para agravar a situação, o argentino agora está declarado publicamente que quer voltar a jogar no seu país, defendendo as cores do Boca Juniors.

Diante dessa situação, quem vocês acham que deve ser o camisa 2 em 2015? 

O pessimismo em excesso

28 de dezembro de 2014 27
Presidente acertou com Geromel. Foto: Bruno Alencastro

Presidente acertou com Geromel. Foto: Bruno Alencastro

Por Guilherme Mazui | @guilhermemazui

Alguns tropeçam por excesso de confiança. No caso tricolor, é o contrário. Impera o excesso de pessimismo. Uma praga que precisamos combater no âmago do torcedor e do clube.

Não peço para que o gremista aplauda tudo o que a direção faz ou deixa de fazer, pois confiar não é sinônimo de apoio cego e burro. Quem acompanha o blog sabe que sou crítico com os erros (que são muitos), mas reconheço que a corneta por vezes é pesada. Contudo, criticar também ajuda a apontar as falhas. Já o resmungar por resmungar em nada ajuda.

Temos de tentar encontrar uma mentalidade vencedora em vez de ficarmos só rememorando o passado e falando como jogam os grandes europeus. Infelizmente, não temos craques no time, o que não é empecilho para ganhar no Brasil.

Vi o pessimismo exagerado no post sobre Geromel. O Grêmio fecha por três anos com um dos melhores zagueiros do Brasileirão e sobram reclamações. Se Geromel parte vão reclamar, se Geromel fica também vão gritar. É o resmungo pelo resmungo.

Foi um acerto da direção manter o jogador, mesmo que ele esteja em recuperação de lesão. Perder o zagueiro enfraqueceria o time. Portanto, é preciso reconhecer os acertos da direção, vistos na permanência de Geromel e nas saídas de Pará e Zé Roberto.

Também devemos indicar as falhas, como a provável permanência de Ramiro na função de titular eterno. É criticar para ajudar a vencer, não apenas criticar por esporte ou para dar a impressão de erudição futebolística.

Geromel é presente de Natal

24 de dezembro de 2014 23
Geromel fica até 2018. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Geromel fica até 2018. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Por Guilherme Mazui | @guilhermemazui

A direção deu uma boa notícia na véspera do Natal. Assediado por clubes brasileiros e estrangeiros, Pedro Geromel fica no Grêmio por mais três temporada. O zagueiro tranquilo e de boa antecipação é o presente para o torcedor.

Diante da conjuntura de saídas e reforços magros, considero a compra do defensor um presente. Geromel chegou desconhecido no clube, foi uma aposta bem sucedida de Rui Costa. Começou mal, fez gol contra no Gauchão e só ganhou espaço depois da Copa. Felipão teimou em deixá-lo no banco, porém, voltou atrás.

O zagueiro de 29 anos foi fundamental para o Grêmio ter a melhor defesa do Brasileirão. Assim, do quinteto defensivo que funcionou em 2014, ficaram as três peças mais importantes: Marcelo Grohe, Rhodolfo e Geromel. É um fato para comemorarmos.

Gosto do futebol de Geromel, um zagueiro seguro, calmo, que se antecipa bem e tem bom tempo de bola. Precisa aprender a fazer a gols. Fez 31 jogos pelo clube e não balançou as redes. Rhodolfo atuou 43 vezes e fez um golzinho. Equipes vencedoras contam com zagueiros que vão à área adversária e marcam gols. Eis o desafio da nossa defesa.

Também aprovei o empréstimo de Bressan ao Flamengo. É um zagueiro firme, de pouca conversa e técnica, porém, com força e coragem.  Ele ampliou seu contrato com o Grêmio em um ano para poder ficar 2015 no Rio. Se for bem, terá visibilidade e renderá alguns vinténs ao clube. Sua partida ainda abre espaço para tentarmos outro defensor.

Sei que até o momento as notícias não são as mais otimistas, mas a véspera de Natal trouxe boas novas. Que os próximos dias tragam novos presentes.

***

Aproveitando a data, desejo um Feliz Natal para todos os amigos aqui do blog, todos que investem minutos ou horas preciosas para ler, compartilhar e comentar nossas ideias sobre o Grêmio. Obrigado pela companhia e pela parceria.

Esboços de time

23 de dezembro de 2014 39

Por Carlos Rollsing

Como as contratações serão muito pontuais, penso que já é possível projetar o time do Grêmio em 2015. Depois de Douglas e Marcelo Oliveira, a tendência é de que seja contratado somente mais um atleta para a lateral direita.

O negócio, então, é fazer aquela divertida projeção da equipe. Me divirto com isso, principalmente em momentos de intervalo de temporada, quando os assuntos do clube estão mais escassos.

A primeira formação, mais equilibrada: Marcelo Grohe; Tinga (ou lateral direito contratado), Geromel, Rhodolfo, Marcelo Oliveira;
Walace, Ramiro ou Riveros, Giuliano, Douglas, Luan; Barcos.

A segunda, mais ofensiva: Marcelo Grohe; Tinga (ou lateral direito contratado), Geromel, Rhodolfo, Marcelo Oliveira; Walace; Giuliano, Douglas, Luan; Everton, Barcos.

A terceira, mais defensiva: Marcelo Grohe; Tinga (ou lateral direito contratado), Geromel, Rhodolfo, Marcelo Oliveira; Walace, Ramiro, Riveros; Giuliano, Douglas; Barcos.

Algumas considerações: Walace é o mais titular dos volantes. Giuliano, depois de recuperado da cirurgia no púbis, tem de ter sequência como titular. É jogador acima da média e certamente irá despontar em 2015. Teremos de ter um pouco de paciência. Na defesa, não há o que inventar. Marcelo, Geromel, Rhodolfo, todos titulares absolutos. No ataque, Barcos é o camisa 9. Everton merece espaço e sequência, enquanto Luan deve ter nosso apoio para se firmar como o grande jogador que ele já demonstrou capacidade para ser.

Os reservas úteis, aqueles que devem ser acionados com frequência: Matheus Biteco, Bastos, Lincoln, Erick. Desses, tenho convicção de que os garotos Lincoln e Erick vão crescer muito durante o ano, trazendo alegrias à nação gremista. Na zaga, hoje, o defensor reserva mais confiável é Bressan. Esse fator nos indica que ele não pode ser negociado agora com o Flamengo.
Maxi Rodriguez não me agrada muito, o vejo como um jogador desligado e que erra os lances mais bisonhos, enfileirando más sequências de jogos. Daqui a pouco, em um segundo de genialidade, surpreendente a todos com um golaço de placa. Eu prefiro os jogadores mais regulares. De qualquer forma, se permanecer, Maxi deverá ter algumas chances para contribuir.

Não sou do time dos pessimistas. Vejo essas equipes que escalei, de forma despretensiosa, como competitivas. Se Felipão conseguir manter a defesa sólida, agregando mais efetividade no ataque, poderemos ter o que nos faltou em 2014 para chegar nos títulos. Na história do Grêmio, nunca as contratações milionárias garantiram troféu. Os medalhões nunca resolveram por aqui. Por isso, mantenho a esperança em 2015.

Por último: alguém poderá perguntar por que eu não escalei Marcelo Moreno. Simplesmente torço para que ele seja vendido e renda alguns trocados para os combalidos cofres do clube.

Roleta-russa

22 de dezembro de 2014 44

Por Juliano Rodrigues – @julianorodrigue

Se alguém ainda tinha dúvidas sobre o tamanho da ambição do Grêmio para 2015, é só ler a lista dos jogadores que subirão para a pré-temporada em Gramado. A relação tem 15 guris da base (alguns completamente desconhecidos) e já sinaliza a saída de jogadores mais experientes, como Werley, Fernandinho, Edinho e Moreno. É a partir dessas negociações que o Grêmio vai reduzir a folha para R$ 5 milhões mensais. O que preocupa é o risco que o clube corre ao apostar todas as fichas nas categorias de base. O processo de transição para o profissional, em tese, deveria ser feito sem tanta pressão aos guris. Não vai ser o caso.

Espero que os 13 anos sem títulos expressivos não pesem nas costas dessa gurizada, mas é difícil que isso não ocorra. Ainda que tenhamos uma base montada do ano passado, o grande problema não virá no início da temporada, mas assim que esses jogadores mais experientes (Marcelo, Rodholfo, Douglas, Barcos) não puderem atuar por N motivos. Aí, será tudo com os guris, e isso é arriscado.

A direção do Grêmio precisa ser criativa e encontrar jogadores que já estejam se adaptando à nova realidade de salários no futebol brasileiro e possam acrescentar qualidade ao grupo. Precisamos de mais atletas. Não dá para apostar tudo nos guris, ou corremos o risco de perder uma fornada de bons jogadores. Também não adianta querer buscar reforços “cascudos” no meio da temporada, se o time estiver em uma situação difícil. Pode dar tudo certo, os jovens tomarem conta e vencerem tudo, mas estamos diante de uma roleta-russa.

O pêndulo do ânimo tricolor

20 de dezembro de 2014 39

Por Guilherme Mazui | @guilhermemazui

Chegaram Douglas e Marcelo Oliveira. Reforços que pouco empolgam. Reforços que indicam uma crença ferrenha da direção em Felipão. Anseio que a aposta esteja correta.

Meu ânimo para 2015 oscila. Por vezes, brota do peito uma esperança de que da adversidade sairá um time vencedor. Adeus salários gordos e improdutivos, vamos com gastos racionais e úteis.

Felipão acertará a mão com refugos e peças da base, Giuliano estará recuperado da lesão no púbis e fará com Douglas um meio-campo criativo e finalizador. Douglas joga mais do que todos os seus sucessores no time.

Também vem a esperança de que Everton será o atacante veloz e efetivo que Dudu não foi. Que Erik despontará com seu drible fácil e chute forte. Que Linconl confirmará as credenciais de fora de série.

Em outros momentos, sinto um pessimismo sombrio. Exceto Barcos, que naufraga em jogos decisivos, ninguém sabe fazer gols. Quem mais resolverá o problema? Pará partiu, mas Ramiro segue no clube, logo, será o terceiro homem de meio que muito corre e pouco produz.

Questiono se os garotos terão condições de suportar o rojão que é atuar no Grêmio. Questiono se Douglas está realmente animado por voltar ao clube e se terá condições de pifar um ataque que morria de inanição.

Quando leio a notícia sobre o acerto com o lateral-esquerdo Marcelo Oliveira, ex-Cruzeiro e Palmeiras, o pessimismo impera. Pouco sei do lateral que pode ser volante, quiçá zagueiro. Um polivalente mediano, característica que nos assombra há anos. Já diria Tostão, pior do que o medíocre, é polivalente mediano. Estará em diferentes partes do campo com seu futebol meia boca.

ZH informa que, pelo Palmeiras no Brasileirão, Marcelo Oliveira fez 28 jogos e nenhum gol. Os paulistas quase caíram. Já o Globoesporte.com diz que em 81 partidas pelo Verdão o rapaz marcou um mísero gol. O Footstats também empolga pouco, indica média de quatro assistências por temporada.

Os números de Marcelo Oliveira assustam. Espero estar errado. Espero que meu temor seja apenas um dia de pessimismo exagerado. Espero que o pêndulo do meu ânimo reencontre a confiança no Grêmio para 2015.

Grêmio deve anunciar contratações na próxima semana

19 de dezembro de 2014 35

Por Carlos Rollsing

Atenção: esse post, excepcionalmente, não traz a costumeira opinião do torcedor. É informação. O Grêmio deverá anunciar duas contratações na próxima semana. A confirmação veio de um alto dirigente tricolor. Tivemos, instantes atrás, uma breve conversa.
“Na semana que vem, poderemos ter novidades. São jogadores para aquelas posições que todos sabem que o Grêmio tem carência”, explicou o dirigente.

Evidentemente, ele se referia a dois atletas para as laterais, esquerda e direita, descobertas desde as saídas de Pará e Zé Roberto. Para a direita, ainda tenho confiança no futebol do garoto Tinga, que volta de empréstimo. Vi meia dúzia de jogos dele e gostei. Mas, no caso da esquerda, a base não deu mostras de que poderá nos oferecer boas opções. De qualquer forma, são duas contratações inadiáveis. A direção sabe disso e os anúncios serão feitos em questão de dias. A fonte confirmou que as tratativas estão avançadas.

O dirigente não falou em nomes. Se resguardou no direito de preservar essa informação, até como forma de não prejudicar as negociações. Às vezes, quando as informações vazam, algum clube pode se atravessar. O São Paulo é o campeão em fazer esse tipo de jogada. Com as duas contratações, estará completo o grupo do Grêmio para a temporada de 2015. Estou fechado com a direção: é hora de apertar o cinto, acabar com os salários estratosféricos e apostar em jogadores talentosos da base. Do jeito que estava, sem uma chacoalhada na questão financeira, o Grêmio caminhava a passos largos para a bancarrota. Clube que começa a atrasar salário de jogador com frequência e por longos períodos tem o inferno como destino.

Com esses dois laterais, teremos condições de colocar um time competente em campo. Sem pensar em escalação, apenas citando os nomes: Marcelo Grohe, Rhodolfo, Geromel, Walace, Riveros, Ramiro, Bastos (disse que fica), Biteco, Giuliano, Douglas, Maxi Rodriguez, Erick, Éverton, Luan, Barcos, Coelho e, quem sabe, Moreno. Claro, alguns poderão ser vendidos, mas hoje, teoricamente, todos estão à disposição.

Outra coisa: o dirigente também informou que novas medidas de contenção financeira serão tomadas. Mas não avançou nem mais um milímetro. Argumentou que são questões internas. Aguardemos.

Não é o ideal, não é uma tragédia

18 de dezembro de 2014 41

Por Juliano Rodrigues@julianorodrigue

Longe de ser uma unanimidade entre os torcedores e igualmente distante de ser um jogador insuficiente, o meia Douglas foi (re)apresentado nesta quarta-feira para um segundo período vestindo a camisa 10 do Grêmio. Não se trata de ficar em cima do muro com a contratação – embora o título e a primeira frase desse post possam levar a essa conclusão -, até porque o retorno de Douglas me agrada. Mas, temos de ser realistas: o Douglas de agora, com 33 anos, está mais velho e mais lento do que o de 2012.

O que a torcida precisa levar em consideração é que as ambições do clube (por meio da sua direção) para o ano que vem são modestas e não correspondem aos anseios dos milhões de gremistas espalhados pelo país. Está claro: vamos gastar menos, teremos menos jogadores de qualidade e apostaremos em uma mescla de jovens e veteranos, orando para que tudo dê muito certo. É o preço a ser pago pelos investimentos dos últimos anos. Reduzir gastos não implica necessariamente em montar um time fraco, mas, convenhamos, aumenta as chances de a equipe não corresponder às expectativas. Dentro desse cenário, a contratação de Douglas pode ajudar.

Como escrevi acima, o meia está mais velho e mais lento. Pensando pelo lado positivo, também está mais experiente. Douglas sempre foi um jogador displicente. Talvez isso tenha mudado após a sua passagem pela segunda divisão e com o amadurecimento forçado. As suas primeiras declarações são honestas: diz que não sabe marcar e que o torcedor não deve esperar isso dele. É curioso ouvir isso de um atleta que nunca teve lá um grande protagonismo no mundo do futebol (mesmo mundo em que jogadores como Neymar e Cristiano Ronaldo são visto correndo atrás dos adversário), mas todos sabiam que seria assim.

O Grêmio precisava de um articulador. Na última temporada, padecemos de inspiração na meia-cancha e tentamos várias alternativas, como Alan Ruiz, Máxi Rodriguez e Luan. Nenhuma teve o sucesso esperado. Vamos acreditar no Douglas. É um jogador de bom passe, sabe fazer gols e nos últimos tempos melhorou bastante a bola parada. O Gauchão nunca foi parâmetro para nada, mas, neste caso, servirá para termos ao menos uma noção de como está o seu futebol. Se for insuficiente, ainda dá tempo de mudar, afinal, o Brasileirão só começa em maio.