Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de março 2015

Copa do Brasil é torneio de matadores

31 de março de 2015 27
Braian tem um gol em cinco jogos. Foto: Grêmio

Braian tem um gol em cinco jogos. Foto: Grêmio

Por Guilherme Mazui | @guilhermemazui

Quarta-feira começa a Copa do Brasil diante do Campinense. Vitória a partir de dois gols de diferença evita o jogo da volta na Arena. Para tal, será preciso eficiência no ataque.

A efetividade da nossa linha de frente é um dos pontos que ainda carece de melhorias. Felipão recebeu reforços, encorpou o Grêmio e empilhou vitórias. A defesa não leva gols há cinco jogos, o toque de bola ficou mais rápido e o time mais criativo. Falta colocar a bola no barbante com maior frequência.

Campeonato em que saldo e gol marcado na casa do adversário são decisivos, a Copa do Brasil não perdoa quem tem misericórdia. É aquele torneio de jogos apertados fora de casa, em que um contragolpe ou bola parada bem encaixado liquida a pressão rival. Em casa, um pé calibrado resolve a fatura sem sofrimento.

Neste contexto, estão faltando gols de Braian Rodríguez. O uruguaio tem cinco jogos pelo Grêmio e um gol, diante do Cruzeiro. Recebeu passe açucarado de Giuliano e só rolou para as redes vazias. É pouco em cinco partidas.

Sei que Braian está se adaptando, teve um gol mal anulado contra o Noia, mas andou perdendo alguns golzinhos que o centroavante de um grande time não pode perder.

Diante do Cruzeiro, ele entrou sozinho com goleiro e bateu para fora. Contra do São Paulo, ficou outra vez solito e encheu o pé em cima do arqueiro. Chance fácil é para guardar. Nosso sucesso na Copa do Brasil depende da finalização certeira.

Acredito que Braian começará a acertar o pé, gosto do seu estilo. É um centroavante que encontra a bola alçada na área e chega para conferir. Nos rebotes, costuma estar bem posicionado, bate forte. Pelo alto, apara boa parte dos cruzamentos. Terá de melhorar a conclusão com os pés.

Braian começou bem, mas está faltando o gol, o principal de sua função. Precisamos de um centroavante matador para beliscar o penta da Copa do Brasil.

Em ritmo de treino

29 de março de 2015 35

Por Juliano Rodrigues

Embalado por uma atuação de gala de Luan, o Grêmio voltou a vencer neste domingo e superou o São Paulo-RG por 2 a 0 em uma partida com ares de coletivo. O São Paulo poupou jogadores pendurados para que eles possam atuar na última rodada e não criou uma oportunidade de gol sequer. Dados os devidos descontos ao adversário, a atuação do Tricolor teve mais pontos positivos do que negativos. Em alguns momentos, o Grêmio parecia o time de 2014, que martelava, criava inúmeras situações de gol, mas não conseguia capitalizar as chances. Graças a Luan, que marcou os dois gols, conseguimos mais três pontos e garantimos o primeiro ou o segundo lugar na primeira fase. Tudo vai depender do Inter, que tem um jogo atrasado.

O primeiro tempo foi marcado por dois erros grotescos do bandeirinha em situações claras de gol. Aliás, a arbitragem tem prejudicado o Grêmio com alguma frequência. Braian Rodriguez perdeu uma boa chance, de frente para o goleiro, e ameaçamos o gol do São Paulo durante toda a primeira etapa. Os gols foram sair apenas no segundo tempo e poderíamos ter aplicado uma goleada se a pontaria não estivesse tão descalibrada.

A falta de pontaria é a minha única ressalva à atuação de hoje. Não podemos esquecer que, no ano passado, perdemos muitos pontos na Arena por não conseguir transformar em gols as oportunidades criadas. Esse é um ponto que precisa ser melhorado para o futuro, já que os nossos adversários no Brasileirão e na Copa do Brasil são infinitamente superiores ao São Paulo de Rio Grande. Lembram do jogo contra o Santos, pela Copa do Brasil? Perdemos uma dezena de gols e fomos derrotados nas únicas oportunidades deles.

A formação que Felipão levou a campo hoje me agrada. Dois volantes que saem para o jogo (Ramiro e Maicon) e dois meias com intensa movimentação (Luan e Giuliano) que também contribuem na marcação. É melhor do que aquela trinca de volantes a que nos habituamos no ano passado. Na frente, Mamute começou bem a partida, mas parece ter cansado e caiu de rendimento no segundo tempo. Braian Rodriguez é um atacante de boa presença na área e ainda precisa melhorar o entrosamento com o resto do time. Os cruzamentos ainda não encontram a cabeça do nosso 9.

Falta pouco para a fase decisiva do Gauchão e o time está crescendo na hora certa. Depois de um começo de campeonato terrível, a chegada dos reforços e a recuperação de alguns lesionados nos colocaram nos eixos.

Li alguns comentários de leitores do blog reclamando das críticas que foram feitas no momento de crise, que tirariam a legitimidade dos blogueiros para elogiar o time agora. Ora, sejamos adultos. O Grêmio perdeu para o Aimoré, em São Leopoldo, e para Veranópolis e Brasil dentro da Arena. Naquele momento, a direção falava que não traria reforços, mas mudou de discurso. Houve uma correção de rota, sob pressão da torcida, da opinião pública e do próprio treinador, que chegou a abandonar um jogo antes do fim. Se isso vai ser suficiente para conquistar títulos, ainda é cedo para saber. Mas pelo menos nos dá alguma esperança.

P.s.: Alguém sentiu falta do Douglas hoje?

Saudações tricolores!

É Mamutelli em campo no domingo

27 de março de 2015 16
Mamute deixou o dele contra o Caxias. Foto: Grêmio

Mamute deixou o dele contra o Caxias. Foto: Grêmio

Por Guilherme Mazui | @guilhermemazui

Yuri Mamute merece outra chance no time titular. Oportunidade ao lado de Braian Rodríguez para testar uma formação mais ofensiva, necessária em momentos de qualquer temporada. A oportunidade é no domingo.

Grêmio x São Paulo-RG na Arena é o jogo ideal para fazer o teste. Partida em casa, gramado bom e adversário inferior tecnicamente, mas que luta contra o rebaixamento, logo, tentará pontos cruciais. Com Douglas suspenso, surge a oportunidade de Mamute reforçar sua boa fase, marcar um golzinho, dar uma assistência, aumentar seu grau de bem-querer com a torcida.

Defendo a nova chance para Mamutelli por mérito. Desde que retornou ao clube, o guri tem desempenho acima do que já produziu. Melhorou a mobilidade, tem vitória pessoal nos giros e arrancadas, foi bem no Gre-Nal, deixou gol contra o Caxias, foi perigoso e veloz diante do Noia. Um jogo como titular, com 90 minutos em campo, pode confirmar a curva ascendente.

Sou da opinião de que boa atuação chama outra boa atuação, de que gol chama gol. Mamute só aditivará a confiança em campo. Bora escalar Mamutelli, Felipão!

Grêmio entrou na rota correta

26 de março de 2015 34

Por Juliano Rodrigues

A atuação do Grêmio na vitória contra o Novo Hamburgo por 1 a 0 na noite desta quarta-feira é um retrato do que tem sido o time nos últimos anos. Com muita aplicação e pouca inspiração no ataque, garantimos os três pontos que nos mantêm na liderança do Gauchão.

Não foi um jogo de grande qualidade, dependemos de um gol de Ramiro a partir da falha do goleiro do Noia, mas é isso que tem caracterizado o Grêmio ultimamente. Confesso que essa postura não me agrada muito, mas talvez ela seja a mais adequada diante do contexto que vivemos nos últimos tempos.

De positivo, os pontos e algumas atuações individuais, como dos zagueiros Geromel e Rhodolfo, e de Mamute, que entrou bem mais uma vez. Não gostei do Braian Rodriguez, mas precisamos dar mais ao tempo ao uruguaio.

Temos um sistema defensivo de dar inveja a muitos clubes no Brasil. De resto, um time comum. É hora de abraçar essa equipe, continuar indo à Arena e inspirando os homens de frente para que eles se superem. Às vezes somos muito exigentes com o time e desconsideramos que o futebol brasileiro, em geral, tem apresentado uma qualidade muito baixa. Os primeiros meses do ano mostram que os maiores clubes do país, apesar de estarem vencendo seus jogos, estão longe de encantar os olhos dos torcedores. Temos um exemplo aqui ao lado: o Inter gastou o que não tem e não terá, mas não consegue fazer um time compatível aos investimentos.

Diante desse cenário, ter uma equipe que consegue se defender muito bem já é um grande negócio. Já fui mais pessimista em relação a esse time, mas estamos achando o nosso caminho. Vamos acreditar. Como diz um dos tantos ditados do futebol e dos esportes em geral: “Ataques ganham jogos, defesas ganham campeonatos”. Temos defesa.

Saudações tricolores!

Dia de confirmar a classificação

25 de março de 2015 8
Geromel estreia em 2015. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Geromel estreia em 2015. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Por Guilherme Mazui / @guilhermemazui

A dupla Gre-Nal dá sinais de que embalou no Gauchão. Logo, Grêmio e Inter disputam taco a taco a liderança geral do campeonato e o consequente direito de definir a fase de mata-mata em casa. Por isso, vencer o Novo Hamburgo nesta quarta-feira é fundamental para o Imortal.

É um jogo interessante para observarmos a crescente do time. O Noia é experiente, tem nomes rodados que não se intimidam com o peso da camisa alheia. O Noia joga em casa com apoio da torcida e precisa vencer para não correr o risco de deixar o G-8. Não será um adversário desmotivado, pelo contrário, elevará a régua da dificuldade que o Grêmio tem encontrado.

No lado tricolor, Geromel faz sua estreia em 2015. Estou curioso para vê-lo em campo, já que ele vai disputar posição com o equatoriano Erazo. Também teremos um novo teste para o meio-campo formado por Maicon, Ramiro, Giuliano, Douglas e Luan. E mais uma chance para vermos Braian Rodríguez em ação.

A vitória garante a classificação antecipada do Grêmio e mais uma rodada na liderança. Com 23 pontos, iremos a 26. O Inter soma 22 e deve saltar aos 25, pois recebe o quase rebaixado Avenida. Vale lembrar que o co-irmão tem um jogo a menos.

Nesta matemática, para garantirmos o primeiro lugar geral o Imortal terá de ganhar os três jogos que restam na fase classificatória. E dar uma secadinha no rival.

Maicon é titular no meio-campo do Grêmio

24 de março de 2015 18
Maicon teve duas boas atuações. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Maicon teve duas boas atuações. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Por Guilherme Mazui / @guilhermemazui

Maicon é titular do Grêmio. E Fellipe Bastos é reserva. Em dois jogos com o reforço em ação e Bastos suspenso, tivemos duas atuações legais, com meio-campo mais encorpado, marcação mais agressiva e toques mais rápidos e de primeira. É o caminho para o time que desejamos.

Fellipe Bastos volta a ficar à disposição contra o Novo Hamburgo, ou seja, pode retornar ao time. Se Felipão bancá-lo na equipe, estará cometendo um erro. Bastos é útil, o que não é sinônimo de titular. O volante ex-Vasco terá de correr mais do que corria para ter seu posto no time.

Jogando simples, com toques firmes e certeiros, Maicon melhorou a dinâmica do Grêmio. Nada de domínios lerdos e estilosos, seguidos de toques curtos ou longos cheios de graça. Nada de lançamentos furados nas arquibancadas ou de tentativas de arremates do meio da rua sem a menor serventia. Maicon simplificou, enquanto Bastos enfeita demais.

Titular em 2014, quando fez um bom Brasileirão, Fellipe Bastos chegou desacreditado e se firmou. Era mais dinâmico, acertava mais passes. Dono da posição, baixou de rendimento em 2015. Com a atual performance, é banco.

Hoje, vejo Walace, Ramiro e Marcelo Oliveira em melhores condições técnicas. Um deles é o parceiro de Maicon. O que é ótimo. Fellipe Bastos vai ter de recuperar a concentração e ser mais objetivo. Felipão ganhou um bom problema para resolver no meio-campo tricolor.

Giuliano de 2015 é sinônimo de consistência

22 de março de 2015 36

Por Juliano Rodrigues

Com dois gols e movimentação intensa, Giuliano voltou a ser o grande destaque do Grêmio na vitória da tarde deste domingo, por 2 a 0, contra o Lajeadense. Depois de um início de campeonato assustador, com derrotas para times de terceira linha, como Aimoré, Veranópolis e o Brasil de Pelotas, aos poucos o tricolor vai encontrando o seu caminho, graças, também, à correção de rumo promovida pela direção, que retirou parte da pressão sobre os jovens a partir de algumas contratações pontuais. O resultado contra o Lajeadense poderia ter sido ainda mais dilatado, já que criamos várias oportunidades e o time adversário praticamente não ofereceu perigo.

A reabilitação de Giuliano, com os acréscimos de Maicon, Cebolla (que, lesionado, não jogou hoje) e Braian Rodriguez, deram uma nova cara ao time. Giuliano dá consistência, é jogador que cobre as duas áreas, aparece para finalizar e é decisivo. No jogo deste domingo, Braian foi discreto, mas Maicon deu mostras de que tem tudo para se afirmar na meia cancha tricolor. É um volante de bom posicionamento e, principalmente, de um excelente passe (qualidade que Fellipe Bastos e Ramiro não têm).

Quem destoou um pouco em relação ao ritmo acelerado imposto pelo Grêmio foi o meia Douglas. Além de perder um pênalti, parece jogar em uma velocidade diferente, apesar de às vezes compensar essa deficiência com qualidade nas cobranças de falta e escanteio. A saída de Douglas do time será natural com a recuperação de Cristian Rodriguez.

Faltam três rodadas para o fim da primeira fase e temos todas as condições de manter a liderança. Claro que isso também depende do desempenho do Inter, que tem um jogo a menos, mas é fundamental garantir o máximo de pontos para termos a vantagem de decidir o mata-mata em casa. Os próximos adversários são o Novo Hamburgo (F), São Paulo-RG (C) e São José (F). Com o futebol demonstrado nos últimos jogos, podemos vencer essas partidas e levar as decisões para a Arena.

Vamos em frente!

Saudações tricolores

Júnior é investimento no futuro

19 de março de 2015 20
Júnior renovou contrato. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Júnior renovou contrato. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Por Guilherme Mazui | @guilhermemazui

Júnior renovou contrato. Ficou na geladeira e decidiu estender seu vínculo com o Grêmio. Resolvido o imbróglio, que volte ao campo. O lateral-esquerdo é um dos jovens que melhor resposta deu no começo da temporada.

O Grêmio acertou na condução do negócio. Júnior ganhou sua oportunidade, foi bem e corria o risco de abandonar o barco no final do ano, sem pingar um mísero tostão nos cofres tricolores. O jogador só vira referência, fica famoso, desperta interesse europeu e arrisco voos em seleções por estar em um clube grande. O Grêmio investiu por anos no jovem e quer o retorno.

Renovar com Júnior, ao que indicam suas primeira atuações, é um belo investimento futuro. Dos laterais testados na esquerda até o momento, ele é o que mais me agradou. Prefiro Júnior do que Marcelo Oliveira, prefiro Júnior do que Marcelo Hermes.

Falando em Marcelo Hermes, é outro garoto que mostra bom desempenho. Ele começou apagado, tímido e está em ascensão. Guarda posição e sobe na boa, buscando lances de linha de fundo.

Com três opções na lateral, sendo duas formadas na casa, Felipão terá de escolher a peça mais adequada para o time. Na esquerda, a política de aposta na base dá sinais de sucesso.

 

 

Para fazer a Arena rugir

17 de março de 2015 26

Por Guilherme Mazui | @guilhermemazui

Fiquei mais otimista depois das últimas vitórias do Grêmio. Sentimento reforçado pelo bom público na Arena no sábado passado. Mais de 24 mil gremistas foram ao estádio, bela marca para um jogo de Gauchão.

Apesar do bom público em números, a ideia visual era de um estádio com poucos lugares ocupados, incapaz de pressionar qualquer adversário. Eis um problema que o clube e sua parceira precisam enfrentar. A Arena não consegue rugir.

A nova cancha já tem dois anos, duas temporadas com boas médias de público, porém sem aquela pressão deve ela deveria ter. Vale para qualquer campo a máxima: o rival quer estar na porta do inferno, jamais dentro do teu estádio.

A direção acerta ao mirar novos sócios, acerta ao buscar novas receitas. Sugiro pensar melhor a ocupação da Arena.

Em jogos contra times do Interior no Gauchão, penso que os torcedores deveriam ocupar apenas o anel inferior, com assentos próximos ao gramado. É o jeito de criar aquela aura de caldeirão que raros jogos na Arena, um estádio de 55 mil lugares, tiveram.

Ofertar os lugares mais próximos ao gramado, com preços intermediários aos praticados nas grandes partidas, valoriza o torcedor que se dispõe a sair de casa em um sábado para ver Grêmio x Cruzeiro-POA, Grêmio x Caxias, Grêmio x Lajeadense. Vale o mesmo para aqueles jogos do Brasileirão contra times pequenos em meio de semana.

A economia está apática, a inflação sobe, futebol é supérfluo. Ou seja, será preciso convencer o sujeito a colocar seus preciosos vinténs no time. Com tal medida, o clube reconhece o empenho do torcedor, incentiva outros gremistas e pressiona, de fato, o adversário. A Arena é grande demais, ainda não lotou em jogos oficiais.

A decisão depende de um acordo de cavalheiros com a OAS, também interessada em ver a Arena melhor ocupada. Mais do que fonte de recursos, um estádio é palco de vitórias de campo, com casa cheia, pressão no adversário. A Arena pulsando só fará bem ao Grêmio.

E vocês? O que sugerem? Queremos a Arenas rugindo.

Reforços devolvem o otimismo à Arena

14 de março de 2015 42

Guilherme Mazui | @guilhermemazui

Braian guardou o seu gol e o Grêmio venceu o Cruzeiro. Arco aberto após a jogadaça de Giuliano, o uruguaio apenas escorou para as redes vazias e foi para galera. Perfeito. Centroavante é isso, está ali para conferir. Não interessa se é de letra, voleio, cabeçada ou sem goleiro, o negócio é bola na rede. Gol chama gol.

Nosso novo centroavante teve boa atuação, desferiu alguns cabeceios perigosos, sofreu um pênalti (perdido por Luan), fez o gol do jogo em seguida e ainda quase deixou outro ao entrar sozinho e finalizar para fora. Foi bem para um jogador recém chegado.

Braian protagonizou o que se espera de um centroavante, decidiu o jogo, não interessa de que modo. Foi um gol fácil, mas importante, decisivo, um gol para dar confiança. Um centroavante confiante faz a diferença.

A vitória sobre o organizado Cruzeiro teve mais boas notícias. Cebolla Rodríguez mostrou disposição, rouba a bola ainda no ataque, dribla fácil e arrisca o chute. Tem tudo para ser decisivo. O uruguaio também forçará Douglas a correr mais. Do contrário, Douglas será reserva.

Giuliano teve uma atuação regular, sem brilho até o lance decisivo. O meia driblou para frente, desmontou a defesa rival e rolou com açúcar para Braian. Falta ao Grêmio mais lances em direção ao gol.

Já Luan, apesar de ter perdido o pênalti, melhorou o time. O Grêmio do primeiro tempo era lento, tocava bem a bola, mas não conseguia abrir a defesa do Cruzeiro. Luan tornou o jogo mais agudo, teve vitória pessoal para frente. Felipão terá de optar por um time mais veloz, pois Douglas, Cebolla e Giuliano sem velocidade deixarão a equipe previsível.

Outra boa notícia foi Maicon. Tocou a bola com precisão e desenvoltura, marcou firme no meio. É o melhor volante do elenco. Maicon não ficou naquela cadência malandra de Fellipe Bastos, carimbando a bola e retardando o jogo. Tampouco arriscou lançamentos longos que não resultam em nada.

Após a vitória sobre o Cruzeiro e a presença no alto da tabela do Gauchão, chega o momento de Felipão começar a lapidar o time, melhorar a bola parada, incentivar os lances de ultrapassagem, tornar a equipe vertical. Os reforços deram indicativos de que chegaram bem. Devagar, a esperança volta a ganhar tons azuis.