Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de abril 2015

Erazo tem condições de fazer um bom Gre-Nal

30 de abril de 2015 34
Erazo é jogador de seleção. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Erazo é jogador de seleção. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Por Guilherme Mazui / @guilhermemazui

Erazo tem plenas condições de suprir a ausência de Pedro Geromel na defesa. O equatoriano é jogador de seleção, tem experiência, imposição e boa bola aérea. O zagueiro fará um bom Gre-Nal.

O melhor seria termos Rhodolfo e Geromel, dupla de zaga afinada e competente, no clássico decisivo, porém um cartão amarelo idiota de Geromel custou a suspensão. O defensor foi, no mínimo, imprudente no primeiro cartão em um lance desnecessário com D’Alessandro. Quando precisou fazer a falta para evitar o gol vermelho, ganhou outro amarelo e foi expulso.

A presença de Erazo na final não seria o ideal, porém não me preocupa. Ele já atuou ao lado de Rhodolfo, ambos se conhecem, terão condições de segurar o forte ataque do Inter. Na velha máxima “dos males o menor”, a suspensão no Grêmio ocorre em uma área em que há reposição.

O Imortal dispõe de três bons zagueiros, quantidade que se mostra útil neste momento decisivo. Pena que em outras funções da equipe não se repete o número de boas alternativas. O exemplo da defesa deve ser repetido na lateral-direita e no ataque, posições mais carentes. Serve como lição para o Brasileirão.

Voltando a Erazo, confio no zagueiro e penso que toda torcida deve apoiá-lo. O equatoriano também tem boa chegada na área adversária. Vai que nos presenteia com o testaço do título gaúcho.

Mamute ou Cebolla? Nenhum dos dois

28 de abril de 2015 32

Por Carlos Rollsing

Fizemos um ótimo primeiro tempo no Gre-Nal de domingo passado, sofremos na etapa complementar com a expulsão de Geromel, mas saímos com o empate sem gols assegurado. Dentro das circunstâncias, foi bom. Nova igualdade, desde que com bola na rede, nos dá o título no próximo domingo.

Mais uma vez, faltou competência para concluir. Criamos e ameaçamos. Não fizemos. E o fraco desempenho de Braian até agora suscita a dúvida nos torcedores: Mamute ou Cebolla, quem deve ingressar no time no jogo decisivo do Gauchão?
Na minha opinião, nenhum dos dois. Ambos devem ficar como opção, e que belas opções, para o segundo tempo. Mamute, que não é um goleador, consegue bagunçar as defesas adversárias e criar perigo com sua força e velocidade. Mas ele ainda se recupera de lesão, é dúvida para o jogo, e não estará em plenas condições clínicas. Deve ser guardado como arma para o segundo tempo.

O caso de Cebolla é semelhante, mas com agravantes. Por mais de um mês ficou parado por lesão na coxa, voltou apenas no último domingo, quando atuou por 20 minutos. O uruguaio ainda está longe da melhor condição física e do ritmo de jogo adequado. Além disso, como fez apenas dois jogos, não tem entrosamento com os companheiros. É outro que será mais útil no segundo tempo. Um atleta com sua qualidade superior poderá decidir o jogo em uma bola, com um passe, uma cobrança de falta ou um tiro de fora da área.

Por várias vezes já fiz críticas à adoção definitiva do esquema com três volantes, em tempos passados. Por muito tempo o Grêmio atuou assim e perdia força criativa. Mas há casos em que os três volantes são necessários. E o Gre-Nal decisivo do Gauchão é uma dessas ocasiões.
Penso que Braian deve deixar o time, com Walace ingressando na sua vaga. Teremos uma linha com três volantes, Walace, Bastos e Maicon, com Douglas e Giuliano à frente. Luan faz a função de atacante, o falso camisa 9, com liberdade de movimentação.
Será um esquema com três volantes sem ser defensivo, até porque Maicon sai muito para o jogo e tem no toque de bola, e não na marcação, o seu ponto forte.

Bastos ficará com a marcação de D’Alessandro. E Walace com Valdívia, que está em grande fase. O jovem volante gremista é o mais qualificado para marcar o meia colorado, já fez isso com competência nos minutos finais em que esteve em campo no último domingo. É de encher os olhos a capacidade de Walace de roubar bolas sem fazer faltas. Tenho enorme admiração pelo seu futebol. É o mais habilitado para marcar Valdívia, que, conforme ficou claro no confronto passado, é a grande arma colorada no momento.
Assim, jogaremos sólidos na defesa e no meio, buscando anular os principais atletas vermelhos, perseguindo o gol em escapadas rápidas, principalmente com Luan e Giuliano. Quem sabe uma bola parada encontre nossos zagueiros? Aliás, fomos muito mal neste fundamento no primeiro jogo da decisão. Desperdiçamos todas as faltas, com cobranças nas mãos do goleiro Alisson.

Estou confiante. Tenho a sensação de que o Inter perdeu a oportunidade de pavimentar seu caminho para o título ao não ter aproveitado a chance de atuar por mais de meia hora com um jogador a mais. Entramos com tranquilidade e com o regulamento. Acredito que Erazo poderá substituir Geromel com segurança. Marcelo Grohe é nosso esteio. Felipão é nossa esperança pela volta das alegrias e glórias.

Vamos buscar essa taça, Grêmio!

Sem gols, o caminho de Braian é o banco

27 de abril de 2015 27
Braian, um gol em 11 jogos. Foto: Ricardo Duarte

Braian, um gol em 11 jogos. Foto: Ricardo Duarte

Por Guilherme Mazui / @guilhermemazui

O Grêmio precisará marcar gols no Beira-Rio para ser campeão gaúcho. O retrospecto ensina que não será com Braian Rodríguez. Com Yuri Mamute e Cebolla Rodríguez em condições, o centroavante que não faz gols só tem um destino: o banco de reservas.

Felipão terá a semana para escolher entre Mamute e Cebolla. Confio na sua sabedoria para fazer a opção correta e dar ao Grêmio força ofensiva. Depois do 0 a 0 no jogo de ida, se conseguir marcar mais de um gol no próximo Gre-Nal, dificilmente o Grêmio não levará o título.

Pedi e cumpri a semana de trégua a Braian, o camisa 9 que carece de confiança. Pois o uruguaio foi a campo e nada fez. Giuliano, Luan e Douglas tocam a bola em velocidade e o centroavante não participa do jogo. Parece que ele não acompanha a velocidade dos lances, que apenas observa e tromba ali na frente.

O Gauchão mostrou que Braian está abaixo do que o Imortal precisa. Tem um gol em 11 jogos (dois na Copa do Brasil). Isso é uma miséria. Barcos, que há meses corre na China, marcou dois. Geromel, um zagueiro, tem dois gols. Fica difícil apostar as fichas em um camisa 9 que passa longe das redes.

É preciso esperar a melhora de Mamute, que seria o nome preferencial para iniciar o jogo, mesmo que marcar gols não seja sua especialidade. No entanto, o guri participa mais do jogo, segura os zagueiros, consegue trocar passes com seus colegas.

Felipão também pode usar Luan de falso 9, com Cebolla no meio-campo. Terá uma semana completa para testar a alternativa.Lá atrás, confio em Erazo, creio que teremos condições de segurar o veloz ataque vermelho.

Independente dos testes, o Grêmio sabe que precisará melhorar sua performance ofensiva. Repetir a escalação, com um centroavante que faz um gol a cada ano bissexto, é temerário. Braian fica no banco, vira opção para aquele abafa no final.

Tudo está em aberto

26 de abril de 2015 52

Por Juliano Rodrigues

O Grêmio da final do Gauchão se repetiu no que tem de melhor e no que tem de pior. Pelo lado positivo, o sistema defensivo, que poucas chances cedeu até a expulsão de Geromel, no início do segundo tempo, e que segurou o resultado de 0 a 0 graças à atuação de Marcelo Grohe. A parte negativa, mais uma vez, foi a ineficiência do ataque. Poucas oportunidades criadas e outra atuação apagada do uruguaio Braian Rodriguez.

O empate acabou sendo um bom resultado diante das dificuldades impostas pela expulsão de um dos nossos zagueiros. O Grêmio do domingo que vem precisará ser cirúrgico no ataque e eficiente na defesa. Um empate com gols nos serve, mas precisamos encontrar um jeito de segurar o Inter com Valdivia. A entrada dele bagunçou os volantes principalmente porque Maicon não tem a mesma capacidade de marcar que tem Felipe Bastos. Como Bastos se ocupou com D’Alessandro, Valdivia teve muito espaço e conseguiu provocar a expulsão de Geromel.

Quem conseguiu conter o meia do Inter foi Wallace, que tem sido preterido por Felipão, mas que pode ser opção para o jogo de volta para reforçar a marcação.

Também vamos precisar de atuações melhores de Giuliano e Douglas. Hoje, os dois foram discretos. Temos de dar o desconto de que o Inter jogou boa parte do jogo com três volantes e o Grêmio ainda assim insistiu em jogar pelo meio. Mesmo assim, os dois precisam jogar mais. Luan foi mais uma vez o melhor do trio. Se movimentou, deu opções, mas pecou no acabamento das jogadas.

Ao contrário do ano passado, quando perdemos por 2 a 1 o jogo de ida, o campeonato está em aberto. Confio no Felipão e tenho certeza que ele montará a estratégia correta para a finalíssima. Vamos acreditar!

Saudações tricolores!

 

É fundamental abrir vantagem em casa

25 de abril de 2015 5
Luanel Messi, deixe o teu domingo! Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Luanel Messi, deixe o teu domingo! Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Por Guilherme Mazui / @guilhermemazui

É proibido patinar no primeiro clássico em casa. O Gre-Nal que abre as finais do Gauchão é o momento para o Grêmio pavimentar o caminho até o título regional. Uma boa vitória na Arena poderá transformar o jogo da volta em mero amistoso.

Todo gremista sonha com uma vitória elástica no primeiro clássico das finais. Seria perfeito. Considero difícil, espero um jogo truncado, brigado. O Grêmio apostará no que tem de melhor: a defesa sólida e as tramas do trio Douglas, Giuliano e Luan. Apostará bem.

Considero vital este primeiro jogo pelo efeito no ânimo dos jogadores, pelo lado psicológico do mata-mata. Em 2014, o Grêmio chegou embalado à decisão, passou com folga pelo grupo da morte na Libertadores, parecia pronto para erguer o caneco. Pois tropeçou em casa e rasgou suas chances. A derrota no primeiro jogo implodiu confiança e ânimo. Isso não pose se repetir em 2015.

Felipão é matreiro em decisões, é o técnico mais vitorioso em mata-mata da história do país. Ninguém empilhou tantas taças quanto o gringo. Confio que ele será capaz de preparar o time no futebol e na cabeça para a final. O Grêmio entrará para matar. E espero que o ataque entenda isso, que não desperdice chances.

A Arena deve receber mais de 40 mil pessoas, público de decisão. Apoio não faltará. Estamos todos com o Grêmio. É neste domingo que precisamos abrir o caminho até o título estadual.

 

Felipão não precisa inventar

23 de abril de 2015 34
Cebolla deve começar no banco. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Cebolla deve começar no banco. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Por Guilherme Mazui / @guilhermemazui

O Grêmio não precisa mudar o sistema ofensivo para o primeiro Gre-Nal da final do Gauchão. Mesmo que Cebolla Rodríguez tenha condições de atuar, está fora de ritmo e desentrosado. Defendo a permanência do trio Douglas, Giuliano e Luan, com Braian Rodríguez na frente. Cebolla, se finalmente estiver à disposição, entra no segundo tempo.

Não adianta inventar a roda com um jogador sem ritmo, ainda reticente por uma lesão. Cebolla fez um jogo pelo Grêmio e meia dúzia de treinamentos. Lançar o meia uruguaio como surpresa pode ser arriscado. Se o gringo conhecesse melhor os colegas, valeria a pena utilizá-lo como titular. Neste primeiro jogo, considero que a melhor estratégia é colocá-lo no segundo tempo, repensando a posição para partida derradeira.

Com o futebol que tem demonstrado, o Grêmio tem plenas condições de conquistar o título estadual. Basta melhorar a pontaria, já que a defesa está sólida mais uma vez. A única mudança que considero prudente é a entrada de Walace na vaga de Fellipe Bastos, porém é uma preferência minha, outros podem descordar.

A poucos dias do início das finais, estou otimista. Vejo favoritismo no lado vermelho, que já enfrentou adversários mais fortes na temporada, mas confio no Grêmio e na mobilização de Felipão. Bora pra Arena domingo! Vamos colocar 50 mil pessoas no Humaitá.

Braian Rodríguez pode repetir Pedro Júnior

21 de abril de 2015 17
Força, Braian! Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Força, Braian! Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Por Guilherme Mazui | @guilhermemazui

Vamos de Braian Rodríguez como referência no ataque nas finais do Gauchão. Proponho um pacto da torcida em favor do uruguaio. Uma semana sem corneteá-lo, uma semana de apoio. Braian pode mudar sua história no Grêmio a partir do clássico. Pode repetir Pedro Júnior em 2006.

Há nove anos, o Inter chegou favorito à final e o ataque tricolor não animava ninguém. Pois buscamos o empate em uma cabeçada do limitado Pedro Júnior. Gol do título, festa azul. Depois Pedro Júnior seguiu seu caminho por equipes menores, mas deixou seu nome na história do clássico. Nos deu o campeonato.

Braian pode fazer o mesmo. O gol que não marcou nas rodadas passadas pouco interessa. Estou ansioso pelos gols que precisam vir nas finais. E prefiro um camisa 9 motivado pelo torcedor do que um centroavante em descrédito.

Sou crítico das atuações do gringo, que marcou apenas um gol pelo Grêmio e perdeu alguns. Porém, é o nosso centroavante. Por isso, proponho a semana sem corneta. Farei minha parte. Força, Braian! Contamos contigo!

Em duas semanas espero que uma nova taça esteja no armário tricolor. É título gaúcho, não tem a expressão que gostaríamos, mas é conquista. Estamos precisando recuperar a confiança. Assim como Braian Rodríguez.

Inter é o favorito

20 de abril de 2015 30

Por Carlos Rollsing

Grêmio e Inter chegam em momentos semelhantes aos dois jogos decisivos do Gauchão. Ambos superaram turbulências iniciais e, agora, estão de bem com a vida e com as suas torcidas, confiantes para a disputa da final do regional.
O Grêmio cresceu muito de produção, considerando o péssimo início de campeonato, e se tornou um time bem mais confiável, embora ainda carente de dois ou três reforços. A melhora passou pelas contratações, principalmente de Maicon, e pela recuperação de jogadores como Geromel e Giuliano. Felipão achou o melhor esquema e está conseguindo tirar o melhor de quase todos os jogadores. A defesa continua sólida, o meio apresenta seus bons momentos de criação, mas o ataque continua perdendo muitos gols. É o retrato do Grêmio.

Dá para ser campeão enfrentando o rival? Sem dúvida. Times pequenos quase venceram o Inter recentemente, impondo tremendas dificuldades. Mas, por um série de fatores que vou listar a seguir, acredito que o Inter entra nas finais do Gauchão como favorito para conquistar o título.
Os dois últimos jogos deles, contra Universidad de Chile e Brasil-PEL, foram de muito boa atuação. Marcação forte e avançada, com diversas chances de gol sendo criadas e, principalmente, convertidas. Também pesa a favor o fato de eles já terem sido testados em uma competição de nível mais elevado, a Libertadores. Foram cinco jogos no torneio. Isso dá mais certeza sobre o que esperar de uma equipe.
Por fim, o mais importante: o grupo deles é numeroso, com mais opções de qualidade para serem escaladas. Não por acaso terminaram a fase semifinal com dois pontos a nossa frente mesmo tendo colocado o time reserva em vários jogos.
Essas são as razões que me fazem apontar o Inter como favorito. E não há problema nenhum nisso. Já cansamos, todos nós, de ver o time favorito sair derrotado em um jogo de futebol. Não é nada incomum.
Se a defesa gremista se mantiver sólida, tendo Luan e Giuliano em alto nível, poderemos nos sagrar campeões. Maior apoio dos laterais é fundamental para não concentrar tanto as jogadas pelo meio. A escalação de Fellipe Bastos, embora eu seja um defensor da titularidade de Walace, é muito necessária no Gre-Nal. É um jogador que incorpora bem o espírito de luta do clássico e se impõe, o que é importante na parte psicológica.
Se Cebolla voltar, deve ficar como opção para o segundo tempo. Está há mais de um mês sem atuar. Seria temerário colocá-lo desde o início. E também poderia redundar na saída de Luan, que vive ótimo momento. Na frente, vamos torcer pela pontaria de Braian, além de acompanhar a recuperação de Mamute.
Dá para acreditar. Se vencermos, vai ser o primeiro degrau para um novo ciclo de conquistas.

Hora da verdade

18 de abril de 2015 28

Por Carlos Rollsing

Nós, gremistas, não temos de ter vergonha de admitir que chegou o nosso grande momento no primeiro semestre. Outrora, vencemos o Gauchão com um pé nas cotas, verdadeiramente com o time reserva, e até desdenhamos dessa competição.
Mas as circunstâncias fazem as necessidades. Quem me acompanha no blog Torcedor Gremista ZH sabe que, desde o início do ano, venho ressaltando a importância de retomarmos a hegemonia regional. E isso não exatamente pela relevância do Gauchão, mas pela tranquilidade e confiança que um título que não conquistamos desde 2010 poderá nos dar para o restante da temporada.

Acredito que o Gauchão poderá ser o alicerce de uma conquista da Copa do Brasil. Para vencer o Brasileirão é preciso mais grupo, algo que, me parece, ainda não temos hoje. Chego à reta final desse campeonato satisfeito com a direção, capitaneada pelo nosso Romildo Bolzan. Muito o critiquei pela política do início do ano, de cortes drásticos, mas veio o meio termo e estamos saneando o clube financeiramente ao mesmo tempo em que trouxemos reforços importantes como Maicon e Cebolla, embora este último pouco tenha atuado. Isso, ao menos, demonstra a gana por conquistas.

Enfim, chegou a nossa hora. É momento de lutar pelo Gauchão para pavimentar glórias maiores. Neste sábado, contra o Juventude, fomos soberanos. Eles acharam um gol e chegaram até a levar leve ameaça, mas fizemos dois, controlamos, vencemos e seguimos à final. Prosseguimos fortes na defesa, enquanto nosso problema continua sendo a falta de pontaria. Perdemos muitos gols, chances de matar o jogo. Chega a dar nojo. Em confronto mais equilibrado, a primeira bola que se oferece tem de ser colocada nas redes. Não é o que presenciamos hoje.

Com a lamentável lesão de Mamute, nos restará dar apoio a Braian. Mas não descarto o ingresso de Lincoln no meio, com Luan passando à função de falso centroavante. Aliás, por falar em Luan, mesmo com o eventual retorno de Cebolla, ele me parece hoje um jogador que não pode ser retirado do time. É o arrematador mais fatal. E o futebol que está jogando Giuliano? É o centro do time. É Luan e Giuliano na frente, Rhodolfo, Geromel e Grohe atrás.

Temos de jogar mais pelos lados. Seguimos com poucas alternativas pelas laterais, forçando demais pelo meio. De qualquer forma, vamos em frente. Não somos o clube dos pênaltis amigos, mas temos história e glória. Força, Grêmio. Chegou a nossa hora.

Douglas tem bom começo de temporada

17 de abril de 2015 22
Douglas tem quatro gols em 2015. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Douglas tem quatro gols em 2015. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Por Guilherme Mazui / @guilhermemazui

Com opiniões favoráveis e contrárias, Douglas é um dos melhores jogadores do Grêmio até o momento. Tem quatro gols e três assistências, números iguais aos de Giuliano. Armador, Douglas marcou mais vezes do que os homens.

Ser um dos melhores quando enfrentamos em série equipes de quarta e terceira divisão pode não ser o suficiente para o Brasileirão, porém é preciso admitir que, dentro do atual elenco tricolor, Douglas apresenta bons números – que poderiam ser ainda melhores.

Douglas errou dois pênaltis na temporada, acertou falta na trave, perdeu algumas chances cara a cara, o escanteio ainda é triste. Sua pior atuação foi contra o Noia, quando deixou de matar por mais de uma vez a classificação. As falhas indicam a necessidade de melhorar para o restante da temporada.

Apesar das críticas, atualmente o time é melhor com Douglas, que já está mais magro e participativo. Falta ser mais caprichoso no acabamento dos lances, urgência nesta fase final de Gauchão e no Brasileirão que se avizinha.

Como disse anteriormente, até meados de abril só enfrentamos times de quarta e terceira divisão – exceção foi o Gre-Nal. A amostragem é fraca, pode não se confirmar ali na frente. Mas temos de reconhecer quem se destaca na temporada.

Douglas, Giuliano, Luan, Marcelo Grohe, Rhodolfo, Geromel, Marcelo Oliveira e Mamute despontam como os melhores nomes do Grêmio no quarto mês do ano.