Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts com a tag "Botafogo"

Noite para transformar o Jaconi em Arena

21 de maio de 2014 37
Manda bala, Rodriguinho. FOTO: Lucas Uebel/Grêmio

Manda bala, Rodriguinho. FOTO: Lucas Uebel/Grêmio

Por Guilherme Mazui

Contamos com os gremistas da Serra para transformar o Alfredo Jaconi em casa tricolor. É importante bater o Botafogo, encarreirar a terceira vitória consecutiva, saindo mais tranquilo para dois jogos fora. Se a tabela do Brasileirão foi ingrata até a parada da Copa do Mundo, cabe ao Grêmio matar a dificuldade no peito e jogar.

Pelo andamento do Brasileirão, é um jogo perigoso. O Botafogo está pressionado, oscila boas e más atuações. O campeonato está naquela fase em que surpresas pipocam a cada rodada. Portanto, concentração total, nada de desperdiçar chances como mandante. É um jogo para confirmar o bom momento no campeonato, quiçá alcançar à liderança.

Enderson Moreira indica que pode repetir a escalação que venceu o Fluminense, no domingo. Deixaria Edinho no banco, com Ramiro e Riveros como volantes. Alán Ruiz, Rodriguinho e Dudu continuam juntos, com Barcos à frente. É uma nova oportunidade para Rodriguinho ratificar sua titularidade, chance para Alán Ruiz produzir mais, para Barcos responder as críticas com gols.

Espero que o trio de meias fique mais próximo do ataque e que a bola parada seja transformada em gols. Também torço para que o garoto Breno renda mais, ganhe naturalidade na lateral. Técnica ele possui, precisa de tranquilidade. Assim, força, Grêmio! Em busca de mais três pontos. Temos chances de dormir na liderança.

 

 

Temos raça, somos fortes, somos Grêmio!

05 de outubro de 2013 22

Honramos todas as nossas tradições de entrega, de raça, de alma. A Libertadores é logo ali. O título é um sonho ainda possível.

O Grêmio enfrentou o Botafogo, terceiro colocado do Brasileirão, fora de casa. Teve um jogador expulso aos 29 minutos do primeiro tempo, fez o gol solitário e suportou mais de 70 minutos de pressão com um jogador a menos. Postura exemplar. O Grêmio orgulhou cada um dos seus milhões de torcedores.

Saímos com seis pontos, duas vitórias do campeonato do G-4. Consolidamos a segunda colocação, temos 48 pontos, distante cinco do Botafogo. Melhor só se o Coritiba vencer no domingo o Atlético-PR, que ficará estacionado nos 41.

Tivemos uma postura defensiva espartana, uma obediência tática militar. Mesmo com um a mais, o Botafogo só conseguiu martelar de longe e com chuveirinho na área. Fechado atrás, tirando espaços e recompondo rápido, o Grêmio barrou os cariocas. Reforçamos nossa virtude, a defesa. Abdicamos do ataque, porém nos defendemos com maestria.

Dida foi sempre seguro, os três zagueiros foram firmes, Rhodolfo é um limpa trilhos pelo alto. Os três volantes foram implacáveis na entrega. Ramiro correu uma meia-maratona, Barcos e Pará também, lutaram demais. Alex Telles acertou um belo chute, marcou um golaço, retoma a performance que lhe coloca entre os melhores laterais do Brasileirão.

A nota triste foi Kleber, que quase comprometeu um confronto direto. Se o Botafogo ganhasse, passaria o Grêmio. A afobação do Gladiador custou a expulsão boba. Kleber arrematou e deixou um pé desnecessário na perna do rival. Alguns podem dizer que o juiz foi rigoroso, mas Kleber não precisava facilitar. Fez uma boleiragem e fui punido.

Contudo, da adversidade tiramos o que mais orgulha todo gremista: vencer com raça, lutando. A barbeiragem de Kleber exigiu a superação que tanto nos orgulha agora. Palmas aos que ficaram em campo, palmas para Renato, que tem cada ordem cumprida em campo, que apostou nos meninos em detrimento aos medalhões e tem resultados de campo.

Vamos degustar ao longo do fim de semana esta vitória de contornos épicos. Fomos pressionados, mas merecemos vencer pela entrega. Na próxima quarta-feira, temos o dever moral de encher a Arena e carimbar o quatro triunfo seguido.

Força para esse Grêmio peleador. Que galopa para Libertadores e ainda sonha com título.

 

Confronto direto no Rio

05 de outubro de 2013 6

A segunda batalha do G-4 é hoje, no Rio de Janeiro. Vencer o Botafogo finca nossa bandeira na vaga direta à Libertadores. Abriremos cinco pontos para os cariocas (hoje temos 45 e eles 43), manteremos, no mínimo, quatro em relação ao Atlético-PR (hoje com 41).

Se vencer é o mundo ideal, o empate não é tragédia, pode ser considerado bom resultado. Preserva a vice-liderança, só deve permitir que o Cruzeiro dispare mais um pouco. Os mineiros visitam o Náutico e podem chegar aos 59 pontos. Já um tropeço nosso entrega o segundo lugar ao mesmo Botafogo. Vivemos um confronto direto.

O jogo de hoje é complicado. O Botafogo vem de quatro jogos sem vitórias – três derrotas e um empate – e precisa se reabilitar. É um time bem postado, que gosta de jogar pelos lados, com um bom centroavante, meias velozes, um articulador acima da média e um bom goleiro. Teremos dificuldades.

Renato optou pelo 3-5-2, com Saimon, Rhodolfo e Bressan, mais os três volantes. Voltaremos a depender da subida dos alas para abastecer Barcos e Kleber. Confesso que gosto mais do 4-3-3, com um homem de velocidade flutuando perto dos atacantes, mas que o 3-5-2 ferrolho nos deu alegrias no campeonato. Vamos torcer por mais uma.

Um vitória coloca a América mais próxima das nossas mãos.

O substituto de Vargas

04 de outubro de 2013 17

Vargas só deve voltar no Gre-Nal. Está suspenso e depois segue para a seleção chilena. Serão quatro partidas de ausência. Fará falta. Sua velocidade é vital para o esquema que Renato montou. Temos o desafio de encontrar um substituto, que já entra em campo amanhã, contra o Botafogo.

Pelas opções recentes, Renato tende a escolher o jovem Paulinho, quem sabe Wendell. Os dois têm entrado nos jogos, enquanto Zé Roberto e Elano observam do banco. Paulinho e Wendell são meninos, estão em formação, tiveram raras chances de iniciar uma partida, é difícil prever o rendimento. Se forem usados, serão apostas. Válidas.

Outra possibilidade de Renato é retomar os três zagueiros, pois Werley viaja e volta a ficar à disposição. Como está sem ritmo, penso que o ideal é continuar com dois defensores e três volantes, mais um homem veloz e solto apoiando Barcos e Kleber. Este homem pode ser Paulinho e Wendell. Os guris terão quatro chances de se firmar. Podem enfrentar Bota, Criciúma, Fluminense e Corinthians.

O meia mais avançado também poderia ser Zé Roberto, que sabe entrar na área e fazer gols, porém amarra mais o jogo. Contudo, Zé está em terceiro, quatro plano, acompanhado de Elano. Os veteranos continuarão no banco. Concordo com a opção de Renato, mas penso que os dois podem colaborar no decorrer das partidas. Elano costuma ir melhor quando entra no segundo tempo, por exemplo.

Independente do escolhido, o jogo de amanhã é importantíssimo. Vale a segunda colocação, pode manter ou ampliar a margem que vai nos garantindo vaga direta na Libertadores. Como o Cruzeiro visita o Náutico, temos de pontuar, de preferência vencer. Portanto, sucesso ao escolhido para substituir Vargas. A torcida estará apoiando.