Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts com a tag "Braian Rodríguez"

Braian Rodríguez pode repetir Pedro Júnior

21 de abril de 2015 17
Força, Braian! Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Força, Braian! Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Por Guilherme Mazui | @guilhermemazui

Vamos de Braian Rodríguez como referência no ataque nas finais do Gauchão. Proponho um pacto da torcida em favor do uruguaio. Uma semana sem corneteá-lo, uma semana de apoio. Braian pode mudar sua história no Grêmio a partir do clássico. Pode repetir Pedro Júnior em 2006.

Há nove anos, o Inter chegou favorito à final e o ataque tricolor não animava ninguém. Pois buscamos o empate em uma cabeçada do limitado Pedro Júnior. Gol do título, festa azul. Depois Pedro Júnior seguiu seu caminho por equipes menores, mas deixou seu nome na história do clássico. Nos deu o campeonato.

Braian pode fazer o mesmo. O gol que não marcou nas rodadas passadas pouco interessa. Estou ansioso pelos gols que precisam vir nas finais. E prefiro um camisa 9 motivado pelo torcedor do que um centroavante em descrédito.

Sou crítico das atuações do gringo, que marcou apenas um gol pelo Grêmio e perdeu alguns. Porém, é o nosso centroavante. Por isso, proponho a semana sem corneta. Farei minha parte. Força, Braian! Contamos contigo!

Em duas semanas espero que uma nova taça esteja no armário tricolor. É título gaúcho, não tem a expressão que gostaríamos, mas é conquista. Estamos precisando recuperar a confiança. Assim como Braian Rodríguez.

Sem pontaria, Grêmio continua misericordioso

14 de abril de 2015 20
Braian só fez um gol pelo Grêmio. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Braian só fez um gol pelo Grêmio. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Por Guilherme Mazui / @guilhermemazui

Se a defesa é o trunfo tricolor, o ataque preocupa. O Grêmio caminha para terceira temporada consecutiva com um sistema defensivo confiável e um ataque de asma. Acertar o pé é o grande desafio do momento. Equipes misericordiosas não levantam taças. Chance criada deve virar gol. Sempre.

Passados 18 jogos, 17 no Gauchão e um na Copa do Brasil, os artilheiros tricolores são Giuliano e Luan com quatro gols cada. Douglas marcou três vezes. Contratado para ser a referência, Braian Rodríguez anotou um (com a goleira escancarada). Sombra do uruguaio, Yuri Mamute também só fez um. É nada levando em conta a qualidade dos adversários enfrentados.

Nossa carestia ofensiva é tamanha, que Mamute empolga apenas com dribles, nem sequer precisa marcar gols. O pé torto também se reflete nas penalidades – já erramos três. Com tanto desperdício, o Grêmio complica jogos fáceis. Foi assim contra o Noia, em que rasgou sete chances cara a cara. Deveria ter goleado, mas teve de parir um burro para classificar nos pênaltis.

Diante do Juventude, a vaga na final já deveria estar sacramentada. Braian e Mamute perderam oportunidades claras. O uruguaio saltou livre no meio da área e cabeceou para fora. Mamute, que levanta a torcida com boas atuações, entrou sozinho, errou o domínio, deixou a bola correr demais e perdeu o ângulo para o chute cruzado que entraria.

Muitos gremistas falam que falta sorte a Braian. Torço pelo gringo, mas discordo. Quando falta sorte todo o jogo, é sinal de que o problema está no atleta.  Braian se notabiliza, até o momento, como um perdedor de gols. Errou solito ao finalizar errado com o pé contra Cruzeiro, São Paulo e Campinense. Diante do Ju, usou a cabeça, seu forte, e mandou para fora. Ao acertar as redes, estava impedido. Já Mamute é piá, tem mais chances de emplacar.

Apesar de desconfiado, acredito que Braian e Mamute podem melhorar. Basta treinar, treinar, treinar. Finalizar simulando situações de jogo, repetir, repetir, repetir. Atacantes aprimoram a pontaria, vide Mestre Jonas.

Antes da passagem pela Lusa, Jonas era um perdedor de gols, caprichava demais e guardava de menos. Quando passou a concluir sem frescura, empilhou gols. E gol chama gol.  Mestre Jonas deixou a misericórdia de lado e passou a matar. Azar do goleiro. Azar do adversário. Eis uma lição que nosso ataque precisa aprender.

Copa do Brasil é torneio de matadores

31 de março de 2015 27
Braian tem um gol em cinco jogos. Foto: Grêmio

Braian tem um gol em cinco jogos. Foto: Grêmio

Por Guilherme Mazui | @guilhermemazui

Quarta-feira começa a Copa do Brasil diante do Campinense. Vitória a partir de dois gols de diferença evita o jogo da volta na Arena. Para tal, será preciso eficiência no ataque.

A efetividade da nossa linha de frente é um dos pontos que ainda carece de melhorias. Felipão recebeu reforços, encorpou o Grêmio e empilhou vitórias. A defesa não leva gols há cinco jogos, o toque de bola ficou mais rápido e o time mais criativo. Falta colocar a bola no barbante com maior frequência.

Campeonato em que saldo e gol marcado na casa do adversário são decisivos, a Copa do Brasil não perdoa quem tem misericórdia. É aquele torneio de jogos apertados fora de casa, em que um contragolpe ou bola parada bem encaixado liquida a pressão rival. Em casa, um pé calibrado resolve a fatura sem sofrimento.

Neste contexto, estão faltando gols de Braian Rodríguez. O uruguaio tem cinco jogos pelo Grêmio e um gol, diante do Cruzeiro. Recebeu passe açucarado de Giuliano e só rolou para as redes vazias. É pouco em cinco partidas.

Sei que Braian está se adaptando, teve um gol mal anulado contra o Noia, mas andou perdendo alguns golzinhos que o centroavante de um grande time não pode perder.

Diante do Cruzeiro, ele entrou sozinho com goleiro e bateu para fora. Contra do São Paulo, ficou outra vez solito e encheu o pé em cima do arqueiro. Chance fácil é para guardar. Nosso sucesso na Copa do Brasil depende da finalização certeira.

Acredito que Braian começará a acertar o pé, gosto do seu estilo. É um centroavante que encontra a bola alçada na área e chega para conferir. Nos rebotes, costuma estar bem posicionado, bate forte. Pelo alto, apara boa parte dos cruzamentos. Terá de melhorar a conclusão com os pés.

Braian começou bem, mas está faltando o gol, o principal de sua função. Precisamos de um centroavante matador para beliscar o penta da Copa do Brasil.

A estreia de Braian

11 de março de 2015 22
Braian estreia contra o Ypiranga. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Braian estreia contra o Ypiranga. Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Por Guilherme Mazui | @guilhermemazui

O jogo contra o Ypiranga, fora de casa, marca a estreia do nosso centroavante para 2015. Braian Rodríguez faz seu primeiro jogo pelo Grêmio. Noite para começar a ver o que o uruguaio pode acrescentar ao Imortal.

Estou ansioso para ver o centroavante em ação, observar as nuances que indicam a qualidade de um camisa 9. Vale analisar a facilidade de Braian para dominar e reter a bola, a vitória pessoal para segurar e girar em cima dos marcadores, se pelo alto antecipa os zagueiros, como tabela com os colegas, como se posiciona da grande área e, principalmente, como finaliza (com os pés e a cabeça).

Temos de ter paciência pois se trata de um primeiro jogo, de um atacante sem entrosamento com o restante do time. No entanto, a intimidade ou falta dela com a bola já fica notória nos apresentações iniciais.

Braian não é um centroavante de seleção, um nome que brilhou na Europa ou na própria América do Sul. Mas a história do Grêmio tem muitos jogadores que chegaram sem badalação e venceram trajando azul. Para nosso sucesso na temporada, é fundamental que o uruguaio dê certo, que emplaque gol em cima de gol. Ele se tornou a esperança para um ataque que pouco funciona.

O jogo de hoje é contra uma das melhores equipes do Gauchão, que joga em casa e conta com o veterano Paulo Baier. Vale cuidado extra na bola parada, já que o velhinho não costuma perdoa. Será uma boa oportunidade para manter a melhora no desempenho registrada na vitória sobre o Caxias.