Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts com a tag "Criciúma"

Fellipe Bastos é titularíssimo

17 de agosto de 2014 73
Fellipe Bastos foi muito bem na Arena. Foto: Ricardo Duarte

Fellipe Bastos foi muito bem na Arena. Foto: Ricardo Duarte

Por Guilherme Mazui

Fellipe Bastos foi o melhor em campo na boa vitória sobre o Criciúma, 2 a 0. Fez algo raro para um volante tricolor nos últimos tempos: marcou com intensidade, conseguiu roubar bolas, trocou passes curtos e, o que considero um avanço, acertou lançamentos. Ajudou a tornar mais vertical um Grêmio que apresentou melhoras.

A boa atuação no Gre-Nal e o partidaço contra o Criciúma garantem a condição de titular a Fellipe Bastos. O volante é uma escolha de Felipão, que começa a acertar a mão, que consegue, aos poucos, dar sua cara ao time. Bastos, um refugo do Vasco, tem a cara de jogador renegado que Felipão sempre soube fazer render.

Confira a tabela de classificação do Brasileirão

Resmunguei com a escalação antes do jogo, em especial pela ausência de Giuliano (que entrou sem brilho e perdeu um gol feito) e pela volta da trinca de volantes. Pois Felipão acertou. Inclusive, joguei a toalha: o Grêmio fica melhor com um trio de volantes do que com um trio sonolento de meias (com as mais variadas escalações), que pouco marca e pouco cria, que passa a tarde a trocar passes sem apetite de gol.

Neste contexto, Fellipe Bastos qualifica o trio de volantes. É diferente da formação antiga com Edinho, Riveros e Ramiro. O novo titular passa melhor e conseguiu municiar o ataque. Avançou junto com Riveros em muitos lances, tendo Ramiro mais recuado (penso que Wallace faz melhor essa função). Espero que Fellipe Bastos consiga manter a performance.

Felipão pediu alma e teve um time aguerrido, liderado por Rhodolfo na defesa. E, além de alma, o Grêmio teve uma postura mais vertical, sem aquelas trocas de passe intermináveis e modorrentas. Luan teve uma jornada mais feliz, marcou gol. Ainda pode melhorar.

A equipe usou a velocidade de Dudu,autor do passe que resultou no pênalti em Lucas Coelho, que, por sinal, aproveitou bem sua oportunidade. Atacante emergente vira titular por entrar e fazer gols, como Lucas fez em um lance de pura personalidade, ao optar por um chute, quando o melhor seria um passe. Mérito seu.

Outro acerto de Felipão foi a escolha de Zé Roberto na lateral-esquerda. Aos 40 anos, Zé joga mais do que Breno e Marquinhos Pedroso. Discreto, acertando passes e colocando os guris para correr, parece ser mais útil ali do que no meio-campo. Já Matías Rodriguez foi discreto no apoio e teve dificuldades na marcação. Pelo visto, volta Pará.

Apesar dos devidos descontos em virtude da qualidade do Criciúma, um postulante ao Z-4, gostei do Grêmio. O mesmo Criciúma complicou São Paulo e Cruzeiro. Agora, teremos duas pedreiras pela frente, Cruzeiro fora de casa e Corinthians na Arena. Dois jogos que darão mais clareza sobre o real nível do time.

Em suma, gostei do que vi na Arena. O Grêmio começa a ter a cara de Felipão.

Vantagem no G-4 colocada em risco

09 de outubro de 2013 56

Conseguimos a proeza de perder seis pontos para o Criciúma, candidatíssimo ao rebaixamento. A derrota por 2 a 1 na Arena atrasa a Libertadores e inviabiliza o título.

Renato apostou em Zé Roberto, Elano e Maxi. O uruguaio fez seu gol, aproveitou a chance. Mas perdemos a intensidade da marcação. E a defesa, que vinha bem, dormiu em duas bolas na área.

A derrota pode comer a gordura que criamos na busca da vaga direta da Libertadores. Pior, permite que em duas rodadas, já que atuamos fora no sábado, Atlético e Botafogo encostem ou ultrapassem o Grêmio. Vencemos os rivais diretos, mas entregamos na sequência.

É frustrante perder um jogo em casa para o Criciúma. Barcos é o centroavante sem gol. Marca, passa, mas não faz o essencial. Em casa, quando temos de pressionar, sentimos falta de gols.

O Criciúma devolveu em parte o feitiço tricolor. Se fechou atrás e especulou. Aproveitou duas falhas e venceu.

Sem terra arrasada, é preciso acordar, buscar os pontos perdidos contra o Fluminense. Depois teremos Corinthians em casa, mais Gre-Nal e Coritiba fora. Momento deliciado. A Libertadores que parecia próxima pode ficar a perigo. Levanta, Grêmio! Estamos contigo.

EDITADO: a derrota ficou com sabor ainda mais amargo depois dos resultados da rodada. O Cruzeiro perdeu em casa para o São Paulo. Poderíamos ter baixado para oito pontos a diferença, que seguiu em 11. Pior, o Botafogo venceu, chegou aos 46 pontos, a dois de nós. Se tropeçarmos no fim de semana e eles ganharam, nos passam. O Furacão empatou e ficou a três de nós. Nossa tranquilidade pode ruir nas próximas rodadas.

Teste para o elenco

08 de outubro de 2013 11

O jogo de amanhã, contra o Criciúma na Arena, testará o plantel tricolor. Apesar de enfrentarmos um candidato ao rebaixamento, atuar com seis desfalques desafia qualquer treinador e elenco. E temos de vencer. Não podemos desperdiçar pontos preciosos dentro de casa. A vitória deixa a América ainda mais próxima da Arena.

Vamos sem Bressan, Alex Telles, Ramiro e Kleber, todos suspensos, mais Riveros e Vargas, que defendem suas seleções. Vamos sugar o banco de reservas. Independente da formação, Wendell substitui Alex Telles, tem a nossa confiança. Adriano deve entrar na vaga de Riveros, Lucas Coelho e Paulinho disputam o direito de acompanhar Barcos no ataque.

Se Renato mantiver o 3-5-2, Saimon assume o posto de Bressan. Do contrário, o técnico pode colocar mais um volante, quem sabe Matheus Biteco. E ainda sobra a vaga de Ramiro.

Fica a dúvida se Zé Roberto ganhará uma nova oportunidade diante de tantos desfalques, ou se Renato apostará em outro meia. Na verdade, é possível jogar com três zagueiros e três volantes (Adriano-Souza-Biteco), mas considero um exagero enfrentar o Criciúma, em casa, abdicando do ataque.

Renato tem as opções de Zé Roberto, Elano, Maxi Rodriguez, Guilherme Biteco e Jean Deretti. Gostaria de vê-lo escolher pelo menos um meia. Barcos e seu companheiro de ataque morrerão de inanição se o Grêmio atuar muito retrancando.

Não escondo aqui na blog a preferência por Zé Roberto. Entendo a reserva dele, respaldada pelos resultados de campo, mas, diante de tantos desfalques, vale ofertar a oportunidade ao veterano meio-campista. Do contrário, é mais fácil dispensá-lo de uma vez. Não irá jogar mais no Grêmio.