Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts com a tag "Gabriel"

A reação precisa vir fora de casa

21 de setembro de 2013 7

A reação pode começar em Salvador. Melhor, deve, precisa começar. Visitamos o Vitória neste sábado em busca de recuperação. Rodada para alimentar a pouca chance de título e manter a gordura do G-4.

Os resultados da rodada passada, em especial a derrota colorada, garantiram o fim de semana de sobrevida ao Grêmio na zona de classificação à Libertadores. Estamos em terceiro no campeonato com os mesmos 38 pontos do Atlético-PR, distante quatro do Inter e oito de Vitória, Corinthians, Coritiba e Goiás. Assim, mesmo com um revés em Salvador, vamos encerrar a rodada no G-4.

O risco do tropeço é queimar a pouca gordura que restou, ainda mais que o compromisso seguinte também é fora de casa contra o São Paulo. Corinthians, Inter e Goiás são mandantes na rodada, podem se aproximar. O líder Cruzeiro pega justamente o abalado Corinthians. Quem sabe tenha a série de vitórias interrompidas. Já o vice Botafogo recebe o Bahia, jogo para ganhar.

O fato de enfrentar o Vitória em Salvador pode ser animador. O esquema tricolor tem se mostrado eficiente em partidas fora de casa, excluindo a derrota para o Goiás. Quem sabe retrancado, à espera do erro do rival, o Grêmio repita o que fez com Vasco, Flamengo, Bahia e Náutico. É possível.

Teremos mudanças diante da lesão do zagueiro Gabriel, o que pode trocar o trio de zaga por um trio de volantes (Souza-Ramiro-Riveros), escolta para tentar liberar Zé Roberto. Outra opção seria retomar os dois meias, com a entrada de Elano, ou arriscar o recuo de Vargas, como alguns amigos do blog sugerem.

Gostaria de ver a formação com Vargas, contudo, creio que Renato será mais ortodoxo e defensivo, ficando com a possibilidade de abrir o time no decorrer do jogo. Independente da formação, o Grêmio precisa de postura, concentração. Se vamos ficar recuados, as poucas oportunidades que surgirem terão de ser aproveitadas. Condições de bater o Vitória nós temos. É hora de reagir.

 

Bressan no divã

05 de setembro de 2013 100

Os comentários aqui no blog, as cornetas de bar com os amigos tricolores, as conversas no Facebook evidenciam: o torcedor está perdendo a paciência com Bressan. Vale a pena discutir sua presença entre o trio de zaga. A titularidade de Bressan vai para o divã.

O jovem zagueiro trazido do Juventude surpreendeu no começo da temporada. Debutou numa decisão de Libertadores contra a LDU e deu conta do recado. Chamou atenção pela seriedade, por não ter vergonha de dar balão, por chegar junto. Diante das barbeiragens em série do Cris Furada, em poucas atuações o guri da Serra teve o nome pedido pelo torcedor.

Bressan ganhou a posição por mérito, por jogar mais do que o limitado Cris. Porém, não é suficiente. O zagueiro anda intranquilo, erra passes na saída de bola, complica a defesa em lances bobos. A confiança do primeiro semestre se foi. Bressan quase entregou a classificação na Copa do Brasil, diante do Santos, ao recuar uma bola errada para Dida. Contra o Goiás, levou um chapéu de Walter Tonelada. Está até agora procurando o Shrek.

Bressan é sério, trabalhador, jovem, tem potencial para progredir. Gosto dele. Mas o cidadão tem escorregado demais. Em contrapartida, outro zagueiro com selo do Interior gaúcho ganhou espaço. Gabriel, ex-Lajeadense, tem entrado bem, demonstrado seriedade. Em Goiânia, fazia uma partida melhor do que Bressan quando foi sacado por Renato. Acho válido pensar sua entrada na equipe para atuar ao lado de Werley e Rhodolfo.

E vocês, o que acham? Sai Bressan e entra Gabriel? E o Saimon, alguém lembra e acredita nele?

 

Contra o Goiás e o Serra Dourada

03 de setembro de 2013 22

O Goiás e o Serra Dourada no nosso caminho. Inimigo e palco encrespados. Nossa história não é das melhores em Goiânia contra os esmeraldinos. São 18 jogos na história do Brasileirão, com cinco derrotas, 10 empates e três vitórias. Até 2008, tínhamos apenas um triunfo. Inesquecível. Foi em 5 de dezembro de 1996, semifinal do Brasileiro. Arce, Emerson e Paulo Nunes garantiram o 3 a 1 que encaminhou nossa classificação à final.

Hoje é o dia ideal para que o feito da Era Scolari inspire os comandados de Renato. Bater o Goiás significa igualar os 34 pontos do líder Cruzeiro, criar gordura no G-4, aumentar a distância dos rivais na briga por vaga na Libertadores. Bater o Goiás é enfileirar a sexta vitória seguida, reforçar a confiança que vai nos contagiando.

As condições são boas. O Goiás vai atacar, vai agredir o Grêmio no latifúndio do gramado do Serra Dourada. Precisamos manter a defesa robusta, com os três zagueiros bem postados. Gabriel vai substituir o suspenso Rhodolfo, creio que dará conta do recado. Já no meio-campo, Zé Roberto entra na vaga de Riveros, na seleção paraguaia.

Riveros integrou a trinca de volantes das últimas vitórias. É aguerrido, marcador, de vez em quando aparece lá na frente. Zé é o meia leve, que deixa o time mais ofensivo, porém reduz o poder de marcação. Em tese, teremos um Grêmio menos retrancado. Num campo grande, Zé terá a missão de conduzir a troca de passes e os contragolpes rápidos.

Explorar os lados do campo, com Pará e Alex Telles, aparece como caminho a ser seguido. Barcos e Kleber terão de se movimentar. Sólido lá atrás, seguro nas trocas de passe, com lances de lado de campo e velocidade no contra-ataque, temos plenas condições de comemorar a sexta vitória seguida no Brasileirão.