Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Elogiados pelos técnicos, laterais homônimos da dupla Gre-Nal ficam de fora da lista do Gauchão

22 de março de 2017 0

Por coincidências do futebol, Grêmio e Internacional possuem um lateral-esquerdo promissor oriundo da base com o mesmo nome: Iago.

E as semelhanças não param por aí. Mesmo elogiados pelas suas qualidades, os dois acabaram ficando de fora da lista dos 32 atletas inscritos para o Gauchão 2017.

Iago gremista tem 21 anos e já atuou diversas vezes em 2016. Foto: Carlos Macedo / Agência RBS

Iago gremista tem 21 anos e já atuou diversas vezes em 2016. Foto: Carlos Macedo / Agência RBS

O Iago do Grêmio tem 21 anos e já atuou como titular em algumas partidas no ano passado, quando o titular Marcelo Oliveira estava lesionado e o reserva imediato Marcelo Hermes já havia sido afastado do grupo. Em 2017, o atleta jogou apenas uma partida, o empate por 1 a 1 com o Ceará, pela Primeira Liga.

Meia de origem, o jogador optou por virar lateral já na base gremista, em 2015, após um conselho do então técnico Roger, que via mais chances para o garoto prosperar naquela função, onde poderia aliar a sua força física com a velocidade no apoio.

“Iago, quer ser rico? Vai para a lateral que vai ganhar muito dinheiro”, disso o treinador na ocasião.

O contrato do atleta vai até dezembro de 2019.

No entanto, o técnico Renato Portaluppi preferiu incluir na lista do Gauchão apenas os laterais-esquerdos Marcelo Oliveira e Cortez, podendo improvisar o volante Michel em uma eventualidade.

Iago colorado tem 19 anos e contrato até dezembro de 2020. Foto: Ricardo Duarte / Divulgação / Inter

Iago colorado tem 19 anos e contrato até dezembro de 2020. Foto: Ricardo Duarte / Divulgação / Inter

Já o Iago colorado é um pouco mais novo, tem 19 anos, e era elogiado na base pelo cruzamento e pela boa chegada na área. Em 2017, atuou nas duas vitórias sobre o Sampaio Corrêa, pela Copa do Brasil, e na vitória diante do Criciúma, pela Primeira Liga.

Recentemente, o Internacional renovou o contrato do garoto até dezembro de 2020.

Elogiado pelo técnico Antônio Carlos Zago pelas suas atuações, Iago poderia ser uma alternativa para manter Uendel improvisado no meio-campo, já que Carlinhos, titular da lateral-esquerda, está lesionado. No entanto, o Internacional preferiu deixar a última vaga que ainda resta para inscrição de atletas no Gauchão reservada para uma nova contratação.

Enquanto isso, os Iagos da dupla Gre-Nal seguem treinando no grupo principal enquanto aguardam por novas oportunidades.

Musto: diferença entre oferta do Grêmio e pedida do Rosário Central é de R$ 2,3 milhões

21 de março de 2017 0
Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

O alto valor é o principal obstáculo para o Grêmio contratar o volante argentino Damián Musto, 28 anos, do Rosário Central. Os argentinos querem 1,5 milhão de dólares (R$ 4,6 milhões) para liberar o meio-campista em junho, ao final do campeonato argentino.

Como Musto tem contrato com o Rosário Central apenas até junho de 2018, a direção gremista entende que o valor cobrado é muito caro para um atleta que, seis meses antes, já poderá assinar um pré-contrato com qualquer outro clube.

Por isso, conforme apurado pelo blog Gre-Nal, a intenção do Grêmio é comprar 50% dos direitos econômicos de Musto pela metade do valor, 750 mil dólares (R$ 2,3 milhões).

Como não há chances de o jogador desembarcar em Porto Alegre antes de junho, os dirigentes gremistas têm pouco mais de dois meses para convencer os argentinos.

Rosário Central considera proposta do Grêmio por Musto "insuficiente" e nega baixar valor

21 de março de 2017 1

23025338

O Rosário Central quer 1,5 milhão de dólares (R$ 4,6 milhões) para vender o volante Damián Musto, 28 anos, para o Grêmio e não admite baixar o valor. Em entrevista à Rádio Gaúcha, o vice-presidente do clube argentino, Ricardo Carloni, disse que a proposta gremista que chegou até agora é “insuficiente” e afirmou que não está está disposto a negociar o atleta por um valor inferior ao da opção de compra estipulada no contrato.

“O Grêmio nos procurou há aproximadamente 20 dias, mas nós consideramos a proposta (pelo Musto) insuficiente. Eles manifestaram que mais adiante voltariam a negociar. Para nós, será um prazer. Se conversarmos dentro do valor que está estipulado no contrato, não haverá nenhum tipo de inconveniente. Mas baixar o valor, não. Baixar eu não vejo como viável”, disse Carloni, que trata do assunto, em parceria com o presidente Raul Broglia.

Segundo o dirigente, este valor foi fixado no contrato de Musto em outubro de 2017, quando o Rosário Central recusou uma proposta do Alavés, da Espanha, pelo volante, e renovou o contrato do jogador até junho de 2018.

“Quando ele teve uma proposta importante da Espanha, nós fizemos um esforço importante para melhorar o seu contrato, pois consideramos ele uma peça fundamental do nosso pantel. A partir dali, estabelecemos um valor de uma futura venda”, explica o Carloni, que só admite liberar o atleta a partir de junho.

O dirigente aproveitou para fazer diversos elogios a Musto.

“É um líder, um jogador muito seguro e que tem um bom primeiro passe. Ele está sempre falando e orientando os seus companheiros. Por isso se transformou em um jogador importante no nosso plantel”, opina.

A direção gremista considera Musto uma prioridade para completar o elenco no segundo semestre e, por isso, não deverá medir esforços para convencer o Rosário a baixar a sua pedida.

Inter prepara entrevista coletiva para explicar como estão as finanças do clube

21 de março de 2017 0
Presidente Marcelo Medeiros deve convocar imprensa em abril para falar de finanças. Foto: Bruno Alencastro / Agência RBS

Presidente Marcelo Medeiros deve convocar imprensa em abril para falar de finanças. Foto: Bruno Alencastro / Agência RBS

A direção do Internacional pretende apresentar em breve ao público um relato completo sobre como estão as finanças do clube.

A ideia do presidente Marcelo Medeiros e dos seus vice-presidentes é convocar a imprensa nas próximas semanas para explicar qual a real situação financeira no momento e também como estavam os cofres quando a atual gestão assumiu.

Nos próximos dias, a direção irá apresentar ao Conselho Deliberativo o novo orçamento para a temporada 2017.

Um plano orçamentário já foi aprovado em dezembro de 2016, prevendo gasto de R$ 171 milhões com futebol e receita de R$ 60 milhões com venda de jogadores.

No entanto, como na ocasião a atual gestão ainda não havia assumido, ficou combinado com os conselheiros que os números seriam revisados nos primeiros meses do ano.

Após a aprovação do orçamento, a direção pretende marcar em abril uma entrevista coletiva para explicar como está a situação dos cofres colorados e como eles estavam quando a atual direção assumiu.

De acordo com o vice-presidente do Inter, Alexandre Chaves Barcelos, a ideia do clube é tratar do assunto com “transparência”.

Zago indica sequência para D'Alessandro em nova função, mas prioridade é Uendel voltar ao meio

19 de março de 2017 0
No time ideal de Antônio Carlos Zago, Uendel deve atuar no meio-campo. Foto: Rodrigo Oliveira / Rádio Gaúcha

No time ideal de Antônio Carlos Zago, Uendel deve atuar no meio-campo. Foto: Rodrigo Oliveira / Rádio Gaúcha

O técnico Antônio Carlos Zago indicou, após a vitória sobre o São Paulo-RG, que o meia D’Alessandro deve ganhar mais oportunidades na nova função, atuando mais recuado na primeira linha de meio-campistas. No entanto, quando tiver todos os atletas à disposição, o treinador deixou bem claro que a prioridade é ter Uendel atuando naquele setor.

“Nós tínhamos encontrado o Uendel ali naquela posição, mas infelizmente o Carlinhos está lesionado e o Iago não está inscrito. Ai tivemos que colocar o Uendel na lateral-esquerda e isso abriu aquele espaço para olhar outros jogadores (para o meio)”, explicou Zago, esclarecendo que a ideia, quando Carlinhos estiver recuperado, é reconduzir Uendel para o meio-campo.

Enquanto isso não ocorre, D’Alessandro é o favorito para atuar por ali, à esquerda do volante Rodrigo Dourado, e bem mais longe da grande área adversária do que o argentino está acostumado.

“O D’Ale cumpriu muito aquela função (recuado) contra o Grêmio e também contra o São Paulo. Devagar nós vamos encontrando um jogador para aquela posição enquanto o Carlinhos não retorna”, completou o treinador.

Zago confirmou também que o esquema tático está definido. Apesar de ainda poder variar os atletas, o técnico vai manter pelo menos até o início da Série B o esquema 4-3-2-1, também conhecido como “árvore de natal”, pela forma geométrica semelhante a uma pirâmide.

“Esse vai ser o nosso esquema de jogar, até porque se encaixa direito nas características dos jogadores que temos. Nunca escondi que gosto de jogar com atletas velozes nas beiradas, mas o esquema vai ser esse até o final do Gauchão, já que encontramos uma forma de jogar”, finalizou.

O Inter tem a possibilidade de inscrever mais um jogador na lista do Estadual até o dia 31 de março. Esta vaga está sendo guardada para uma contratação. No entanto, o clube não descarta abrir mão deste reforço e inscrever o jovem lateral-esquerdo Iago. Tudo para ter Uendel de volta ao meio-campo. Uma conversa nesta semana entre treinador e direção vai definir qual será a posição tomada pelo clube.

Sem clube há 45 dias, Victor Ramos dá a sua versão sobre polêmica: "Foi tudo dentro da lei"

19 de março de 2017 1
Victor Ramos está sem clube e treina por conta própria em Salvador. Foto: Divulgação / Vitória

Victor Ramos está sem clube e treina por conta própria em Salvador. Foto: Divulgação / Vitória

O zagueiro Victor Ramos se manifestou pela primeira vez sobre a polêmica que envolve o seu nome e a disputa jurídica entre Inter, Vitória e CBF.

O defensor acredita que a sua condição de jogo em 2016 foi regular e não crê que o imbróglio tenha afastado eventuais clubes interessados no seu futebol.

“O Inter é um clube muito grande e que eu admiro muito. Não guardo mágoa do Inter, isso faz parte do futebol, mas o Vitória não ia inscrever um jogador irregular e nem a CBF iria aprovar. Foi tudo bem pensado, com certeza. É isso. Foi tudo dentro da lei. Acho que não tem irregularidade nenhuma. Nós conseguimos sair da degola dentro de campo e vida que segue. Acho que o Inter tem que jogar a Série B, pois futebol é dentro de campo”, opinou Victor Ramos, em entrevista concedida à Rádio Gaúcha.

Aos 27 anos, o zagueiro não renovou contrato com o Vitória ao final do Brasileirão 2016 e retornou ao Monterrey, do México, clube que era detentor do seu vínculo.

No início de fevereiro, no entanto, o jogador chegou a um acordo com os mexicanos e rescindiu o seu contrato amigavelmente. Há cerca de 45 dias, o atleta está sem clube e treina por conta própria em Salvador.

Victor Ramos alega não acreditar que os clubes tenham tido medo de contratá-lo por uma eventual incerteza sobre a sua condição legal.

“Não, acho que não. Tudo tem o seu momento. Quando eu estava no México, acho que todos esperavam que eu ia ficar lá. Acho que já passou. Isso não me preocupa”, acredita.

Um clube que chegou a manifestar o interesse na contratação de Victor Ramos, antes mesmo da rescisão com o Monterrey, foi a Chapecoense. No entanto, não houve acerto.

“Nós conversamos sim. O treinador é muito meu amigo (Vagner Mancini), eu gosto muito e ele me indicou. Nós conversamos, mas não entramos em um acordo. Infelizmente. estou na espera. Logo vai aparecer uma coisa boa”, finaliza.

 

Zagueiro tem palpite sobre por que Inter tem mais dificuldades no Gauchão do que na Copa do Brasil

18 de março de 2017 0
Leo Ortiz entende que os adversários do Gauchão jogam mais fechados que os da Copa do Brasil. Foto: Ricardo Duarte / Divulgação / Inter

Leo Ortiz entende que os adversários do Gauchão jogam mais fechados que os da Copa do Brasil. Foto: Ricardo Duarte / Divulgação / Inter

Um problema intriga o Internacional na temporada 2017. A equipe do técnico Antônio Carlos Zago está enfrentando muito mais dificuldades no Gauchão do que nas competições nacionais, como a Primeira Liga e a Copa do Brasil.

Uma das razões para isso apontadas no Beira-Rio é a dificuldade que o time colorado está tendo para superar times que jogam muito fechados, postura normalmente adotada pelos adversários do interior gaúcho.

“É complicado até explicar. Tem essa questão de os times virem um pouco mais fechados contra nós. Nem o Sampaio Corrêa e nem o Oeste (na Copa do Brasil) vieram tão fechados como vêm os times no Gauchao. Mas tem algumas coisas também que precisamos acertar”, disse o zagueiro Léo Ortiz, titular da defesa colorada.

Enquanto na Copa do Brasil e na Primeira Liga o Inter tem 100% de aproveitamento, no Gauchão a equipe colorada está apenas na nona colocação, com apenas uma vitória em sete jogos, fora inclusive da zona de classificação para as quartas de final.

Léo Ortiz citou também o segundo tempo do Gre-Nal (empate por 2 a 2) e a vitória por 1 a 0 sobre o Brasil de Pelotas como os melhores exemplos de boas atuações coloradas no Gauchão.

Na primeira fase do Estadual, o Inter ainda tem quatro jogos, contra São Paulo-RG, Ypiranga, São José e Cruzeiro.

Plantão da Bola (17/03) - Musto, e os preparativos da dupla Gre-Nal para o final de semana

17 de março de 2017 0

Nesta sexta (17), o Plantão da Bola apresenta as projeções das escalações de Grêmio e Internacional para os jogos contra Veranópolis e São Paulo, respectivamente.

Além disso, o programa atualiza as últimas negociações da dupla, especialmente a que envolve o volante argentino Damián Musto, com o Grêmio.

Confira:

O Plantão da Bola é apresentado às sextas, às 19h, no Facebook do Futebol da Gaúcha

Renato esclarece opinião sobre atletas estrangeiros e indica cuidado maior com Gastón Fernández

17 de março de 2017 0
Renato prefere estrangeiros já habituados com o Brasil. Foto: Camila Domingues / Especial

Renato prefere estrangeiros já habituados com o Brasil. Foto: Camila Domingues / Especial

O técnico do Grêmio, Renato Portaluppi, esclareceu nesta sexta a sua opinião sobre a contratação de atletas estrangeiros.

O treinador disse que prefere contar no seu grupo com gringos que já estejam habituados com o futebol brasileiro, pois os “novatos” no país costumam enfrentar algumas dificuldades de adaptação.

“Eu gosto de trabalhar com o atleta estrangeiro quando ele já está no Brasil, pois aí ele conhece melhor o futebol brasileiro, os clubes e jogadores e fala um pouco melhor o idioma”, explicou Renato.

Este é o caso, por exemplo, do atacante Lucas Barrios, recentemente contratado pelo clube. Apesar de ser argentino naturalizado paraguaio, o centroavante ficou mais de um ano e meio no Palmeiras antes de desembarcar na Arena.

Por outro lado, o treinador entende que os estrangeiros que ainda não conhecem o futebol brasileiro costumam enfrentar dificuldades.

“O jogador que vem de fora e ainda não trabalhou no Brasil precisa de um tempo de adaptação maior para entender a forma de jogar do time, as características dos companheiros, a forma que o treinador gosta de trabalhar e o idioma. Isso dificulta sempre um pouco mais”, completou o comandante gremista.

Grêmio é o primeiro clube brasileiro na carreira de Gastón Fernández. Foto: Luis Henrique Benfica / Agência RBS

Grêmio é o primeiro clube brasileiro na carreira de Gastón Fernández. Foto: Luis Henrique Benfica / Agência RBS

Esta é a situação, por exemplo, do meia argentino Gastón Fernández, o “La Gata”, o último reforço buscado pela direção na Universidad de Chile. Sem nunca ter trabalhado antes no Brasil, o jogador tende a ser aproveitado com um pouco mais de cautela por Renato.

Uma situação parecida foi vivenciada pelo equatoriano Miller Bolaños, contratado no início de 2016 do Emelec. Estreante em solo nacional, o jogador teve dificuldades de adaptação e só foi deslanchar na parte final da temporada, marcando inclusive gol na final da Copa do Brasil.

Em contrapartida, o zagueiro argentino Walter Kannemann, que também não conhecia o futebol brasileiro, chegou no meio de 2016 do Atlas, do México, e rapidamente se afirmou no time titular.

Em 2010, na sua primeira passagem pelo Grêmio, Renato chegou a pedir para a direção da época não contratar mais atletas estrangeiros, citando alguns problemas que teve com gringos quando treinava o Vasco.

O treinador conta hoje no grupo com seis estrangeiros: o zagueiro Kannemann, os meias Maxi Rodriguez e Gastón Fernandéz, e os atacantes Miller Bolaños, Lucas Barrios, Beto da Silva e Ty Sandows. Os dois últimos, no entanto, têm cidadania brasileira.

“Até brinquei outro dia. Tem que contratar um intérprete. Daqui a pouco estamos falando mais o castelhano e não estamos falando mais o português”, descontraiu o treinador.

Grêmio vai usar próximos seis jogos para testar alternativas com Barrios e Gata Fernández

15 de março de 2017 0

23116713

Os próximos jogos do Grêmio no Gauchão e na Primeira Liga serão utilizados pelo técnico Renato Portaluppi para testar novas alternativas de jogo. A intenção é encontrar a melhor forma de encaixar na equipe os últimos reforços contratados, como o meia Gastón Fernández e, principalmente, o atacante Lucas Barrios.

“Esta é a ideia. O Renato precisa fazer testes para resolver este problema bom que colocamos na mão dele. Além disso, o Miller deve ficar fora por três jogos no Gauchão e outras peças poderão ser testadas”, disse o vice de futebol Odorico Roman.

O Grêmio tem mais seis jogos antes do próximo jogo pela Libertadores, contra o Deportes Iquique. Serão cinco partidas pelo Gauchão, contra Brasil, Veranópolis, Novo Hamburgo, Juventude e São paulo, e uma pela Primeira Liga, contra o América-MG.

O leque de possibilidades é grande. Em tese excetuando os quatro defensores, qualquer um dos meio-campistas e atacantes poderia sair para a entrada de “La Gata” e Barrios.

No jogo desta quarta, às 19h30min, contra o Brasil, em Pelotas, Gastón Fernández deve começar no banco de reservas. A dúvida é se Lucas Barrios fará ou não a sua primeira partida como titular. Em qualquer hipótese, no entanto, os dois serão testados.