Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Figueirense pede calma para jogo contra o Inter: "Não tem nada de guerra santa. Futebol tem regras"

30 de setembro de 2016 3
Foto: Luiz Henrique / Divulgação / Figueirense

Figueirense quer evitar ambiente de guerra. Foto: Luiz Henrique / Divulgação / Figueirense

Se para o Internacional o jogo contra o Figueirense, neste sábado (1), será uma “final de Copa do Mundo”, por outro lado o clube catarinense faz de tudo para tirar a carga de tensão desta partida, válida pelo Brasileirão.

O vice de futebol colorado Fernando Carvalho chegou a dizer, após a derrota para o Santos, na quinta (28), que o clube faria uma “guerra santa” nos jogos decisivos para a fuga do rebaixamento, a começar por sábado.

Já o técnico do Figueira, Marquinhos Santos, disse nesta sexta (30) que vai fazer de tudo para que seus atletas não entrem no clima proposto pelo Inter.

“Nós temos que nos preocupar com a qualidade do jogo dentro das quatro linhas. Não tem nada de guerra santa. O futebol é feito de regras”, declarou Marquinhos.

Inter e Figueirense são rivais na luta para fugir da queda para a Série B.

A diferença é que os colorados estão na zona do rebaixamento, em 18º, com 27 pontos. Já os catarinenses são, hoje, os primeiros que escapam. Estão em 16º, com 31 pontos, quatro à frente do Inter.

“Que os nossos atletas não entrem nesse clima de guerra pretendido por que senão deixamos de focar no que é necessário para o Figueirense permanecer fora da zona”, finalizou o treinador.

Inter e Figueirense se enfrentam no sábado, às 21h, no Beira-Rio

Romildo nega conversa com presidente do Vitória por auxílio a rebaixamento do Inter

26 de setembro de 2016 10
Félix Zucco / Agencia RBS

Félix Zucco / Agencia RBS

Após a publicação do jornal Correio 24 horas, da Bahia, que cita um pedido de Romildo Bolzan Jr. ao presidente do Vitória, Raimundo Viana, que “ajudasse ele a empurrar o Inter para a Série B de 2017″, o mandatário do Grêmio reagiu e negou qualquer tipo de declaração ao dirigente em relação ao Inter. Segundo Romildo, o contato com Viana foi apenas para acertar a antecipação da partida entre os dois clubes e que o próprio presidente do Vitória já descartou em entrevistas que tenha recebido o pedido.

“Entrei em contato com o presidente do Vitória para solicitar a antecipação do jogo marcado do dia 10 de outubro para o dia 5 de outubro. Ele concordou e fizemos as comunicações devidas para a CBF. Depois ele brincou que seria campeão gaúcho por ter ganho do Grêmio e do Inter em Porto Alegre. Jamais fiz qualquer comentário sobre o Inter com ele. Não tenho nada a ver com este assunto. Não desejo aos outros o que não quero que aconteça comigo”, comentou Romildo à Zero Hora.

Na matéria do jornal baiano, Viana relata que havia recebido um pedido de ajuda contra o Inter por Romildo:

“Ele me pediu que ajudasse ele a empurrar o Inter para a Série B de 2017. Ele disse que seria um sonho para ele”.

Romildo pede que presidente do Vitória ajude a "empurrar o Inter para a Série B", diz site

26 de setembro de 2016 35
Adriano de Carvalho/ Agência RBS

Adriano de Carvalho/ Agência RBS

Uma conversa entre os presidentes do Grêmio e do Vitória no último dia 17 de setembro tratou mais do que um simples pedido de adiamento do jogo entre as equipes para o dia 5 de outubro, segundo o portal do jornal Correio, da Bahia. De acordo com a publicação, Romildo Bolzan pediu a Raimundo Viana que o ajudasse a rebaixar o Inter.

“Ele me pediu que ajudasse ele a empurrar o Inter para a Série B de 2017. Ele disse que seria um sonho para ele”, relatou o presidente do Vitória à reportagem do site.

O Vitória está em 15º na tabela do Brasileirão com 32 pontos, cinco a mais que o Inter, que está em 18º. O Vitória é treinado pelo técnico Argel Fucks, que, em sua estreia, bateu o Inter por 1 a 0 no Beira-Rio já pelo segundo turno do torneio.

Seijas participou de seis dos nove gols marcados pelo Inter com Celso Roth

26 de setembro de 2016 1

O meia Luis Manuel Seijas virou reserva no time do Inter sob o comando de Celso Roth.

Apesar de não estar sendo escalado como titular, o venezuelano participou da jogada da maioria dos gols marcados pela equipe colorada sob o comando do atual treinador.

No total, o Inter de Roth já marcou nove gols em 10 jogos. Seijas participou de seis.

Seijas é um dos artilheiros do Inter no Brasileirão. Foto: Bruno Alencastro / Agência RBS

Seijas é um dos artilheiros do Inter no Brasileirão. Foto: Bruno Alencastro / Agência RBS

Seijas é o artilheiro do Inter no Brasileirão, com quatro gols, ao lado de Vitinho.

Dos quatro, dois gols foram marcados sob o comando de Celso Roth: um de pênalti (sofrido pelo próprio Seijas), no empate por 1 a 1 com o Sport, e outro na vitória por 2 a 1  contra o Santos, após um chute de média distância, que empatou o jogo até aquele momento.

Neste jogo contra o Santos, única vitória do Inter de Roth no Brasileirão, Seijas também participou do gol da virada. Após cobrança de escanteio do venezuelano, Valdívia cabeceou e, no rebote, Aylon completou para o jogo.

Além desta partida, Roth tem apenas uma outra vitória pelo Inter desde que assumiu a equipe em agosto: os 3 a 0 sobre o Fortaleza, pela Copa do Brasil.

Naquele jogo, Seijas não marcou, mas participou de dois gols. Primeiro, deu um chute a gol, cujo rebote foi aproveitado por Nico López. Depois, cobrou um escanteio que redundou em cabeceio de Ernando e, no rebote, chute certeiro de Aylon.

No empate por 1 a 1 com o São Paulo, o gol de Ernando ocorreu após um cruzamento de Seijas pela esquerda.

Os únicos gols do Inter, sob o comando de Roth, que não tiveram participação de Seijas foram:o gol de Aylon, contra o Fortaleza, o gol de Valdívia diante do Atlético-PR e o gol de Gustavo Ferrareis contra o Atlético-PR.

No total, Seijas participou de 66% dos gols marcados pelo Inter desde que Celso Roth assumiu como treinador.

Saiu Roger e entrou Renato: confira cinco mudanças que já ocorreram no Grêmio

26 de setembro de 2016 4
Renato prefere jogar com centroavante de ofício. Foto: Fernando Gomes / Agência RBS

Renato prefere jogar com centroavante de ofício. Foto: Fernando Gomes / Agência RBS

Após a saída de Roger e a volta de Renato Portaluppi ao comando técnico do Grêmio, já é possível constatar algumas mudanças na forma de jogar da equipe.

É fato que os dois treinadores, cada um com suas virtudes e métodos, possuem estilos diferentes.

Roger gostava mais de falar sobre aspectos táticos do jogo. Foto: Dievo Vara / Agência RBS

Roger gostava de valorizar a posse da bola. Foto: Dievo Vara / Agência RBS

O Blog Gre-Nal lista cinco mudanças que já são nítidas no Grêmio após à chegada de Renato.

1) Posicionamento de Luan

Renato entende que Luan rende mais atuando partindo de trás e se posicionando pelos lados do campo. Já Roger gostava de usar o jovem como homem mais avançado do ataque. Ali, ele atuava como um “falso nove”.

2) Douglas voltou a ser meia armador

Com Roger, Douglas atuava muitas vezes quase como um atacante, ou, pelo menos, tinha total liberdade para chegar à área. A armação de jogadas ficava com os volantes (ou médio apoiadores, como o antigo treinador preferia chamá-los). Já com Renato, o camisa 10 tem as típicas funções de um meia armador. É sua tarefa articular as jogadas e, com seus passes precisos, deixar os atacantes na cara do gol.

3) Centroavante de ofício agora é peça essencial

Renato não abre mão de um camisa 9. Até por isso, manteve Henrique Almeida na equipe no jogo contra a Chapecoense, domingo (25), apesar da péssima relação do atacante com a torcida.  Roger até utilizou algumas vezes um esquema com um centroavante mais clássico, como o próprio Henrique e também Bobô. No entanto, ter um camisa 9 genuíno não era algo essencial. Era apenas uma alternativa de jogo. Tanto que, na maioria das vezes, o antigo treinador gostava de usar Luan como um falso nove.

4) Menos posse de bola e mais objetividade

Com Roger, o Grêmio valorizava bastante a posse da bola. Os jogadores costumavam trocar muitos passes curtos. A orientação era atrair a marcação para um lado e, depois de deixar este lado congestionado, inverter para o outro lado fazendo a bola circular pelo chão, para encontrar o outro lado mais livre. Com Renato, o time é mais pragmático e direto. O objetivo é fazer a bola chegar na grande área para o time fazer gols, seja com bola aérea ou chutes. Manter a posse da bola não é mais algo tão importante como era com o antigo treinador.

5) Vocabulário e assuntos abordados

Após a vitória sobre a Chapecoense, Renato elogiou o “espírito de luta” da equipe. Antes do jogo, disse que havia notado que os jogadores já estavam mais alegres. Além de falar bastante sobre aspectos anímicos, o atual treinador explica o jogo de forma mais simples. Roger gostava de falar bastante de tática e usava conceitos como “amplitude”, “bloco médio” e “temporização” para explicar a partida.

Na A ou na B, contratos longos dificultarão mudanças no grupo do Inter para 2017

26 de setembro de 2016 12
Fernando Bob, Fabinho e Anselmo são alguns dos que têm contratos longos. Crédito: Montagem sobre fotos Ricardo Duarte / Divulgação Inter

Fernando Bob, Fabinho e Anselmo são alguns dos que têm contratos longos. Crédito: Montagem sobre fotos Ricardo Duarte / Divulgação Inter

Uma das medidas tomadas pela atual direção do Inter entre 2015 e 2016 foi fazer contratos longos com os atletas do elenco.

Isso significa que, independente da divisão que a equipe estiver em 2017, será difícil ocorrer uma grande reformulação no grupo.

Permanecendo na Série A ou caindo para a Série B, se o Inter quiser dispensar os atletas que não aprovaram na péssima temporada que a equipe faz em 2016, o clube terá que gastar muito dinheiro em rescisões contratuais.

Dos 34 atletas do grupo principal, por exemplo, apenas três encerrarão o vínculo em dezembro de 2016: os zagueiros Rak e Leandro Almeida e o atacante Vitinho.

Além disso, vários jogadores que são criticados pelas más atuações na campanha que pode rebaixar o Inter para a Série B possuem vínculos de mais dois ou três anos.

Paulão, Artur e Anderson, por exemplo, têm contrato até dezembro de 2019. Já Geferson, Anselmo, Fabinho e Fernando Bob possuem vínculo com o Inter até dezembro de 2018.

De acordo com a legislação, para rescindir com qualquer jogador, o clube deve pagar de forma integral todos os salários que o atleta teria direito até o final do contrato, ao menos que haja um acordo ou que o jogador em questão seja negociado.

Ou seja, qualquer reformulação do grupo do Internacional custaria muito caro para os cofres do clube.

Confira agora até quando vai o contrato dos jogadores colorados:

Até 2016:

Rak, Leandro Almeida e Vitinho

Até 2017:

Ceará, Jair, Alex e Ariel

Até 2018:

Marcelo Lomba, Alan Costa, William, Raphinha, Geferson, Anselmo, Fabinho, Fernando Bob, Eduardo Henrique, Andrigo, Marquinhos, Eduardo Sasha e Aylon

Até 2019:

Jacsson, Ernando, Eduardo, Paulão, Artur, Rodrigo Dourado, Gustavo Ferrareis, Valdívia, Seijas e Anderson

Até 2020:

Danilo Fernandes, Brenner e Nico Lopez

Coritiba entra na Justiça contra o Inter por 'caso Ceará' e dispara: "Faltou ética"

23 de setembro de 2016 6

O Coritiba entrou na Justiça contra o Internacional cobrando o pagamento de R$ 1 milhão por conta da negociação do lateral Ceará.

Quem confirma é o presidente do Coxa, Rogério Bacellar, em entrevista concedida ao canal ESPN.

“O que faltou para o nosso coirmão Internacional foi ética. Nosso jogador estava relacionado para ir à Bahia jogar contra o Vitória. O Inter não deixou jogador viajar e mandou ele ir para Porto Alegre”, protesta o dirigente.

Ceará chegou a Porto Alegre no início de agosto para assinar com o Inter. Foto: Rodrigo Oliveira / Rádio Gaúcha

Ceará chegou a Porto Alegre no início de agosto para assinar com o Inter. Foto: Rodrigo Oliveira / Rádio Gaúcha

A negociação ocorreu no início de agosto, quando o Inter buscou a contratação de Ceará, que defendia o Coritiba.

“A multa rescisória do Ceará era de R$ 10 milhões. O Internacional fez uma proposta de R$ 1 milhão por escrito. Nós aceitamos, o Inter não pagou e depois disse que o jogador não servia”, explica Bacellar.

Na verdade, o que ocorreu foi que Ceará não foi aprovado nos exames médicos. Os médicos do Inter constataram uma lesão muscular na coxa direita.

Como o atleta ainda precisaria de um mês de recuperação, o Inter, em um primeiro momento, desistiu do negócio, o que não foi aceito pelo clube paranaense.

“Se o Ceará estava pronto para jogar pelo Coritiba, o departamento de futebol do Internacional deveria ter avaliado (o atleta) antes de ter feito a proposta e ter tirado o jogador do Coritiba”, argumenta o presidente do Coxa.

Naquela época, Inter e Coritiba divulgaram notas oficiais com pensamentos divergentes sobre o tema e o assunto ganhou ares de novela.

No fim, Ceará acabou fazendo tratamento médico nas dependências coloradas e, depois que ele se recuperou, o Inter optou por contratá-lo e firmou como o atleta um contrato até dezembro de 2017.

Porém, de acordo com o Coritiba, o Inter não pagou o que devia.

“Eu acho que o presidente do Inter, uma pessoa ética e honrada, deveria honrar os compromissos que o Internacional assume”, reclama Bacellar.

O assunto deve ser definido na esfera judicial.

“O Inter vai ter que pagar na Justiça o que deve”, completa o presidente do Coritiba.

Renato já constatou o principal problema dos atacantes do Grêmio nos chutes a gol

23 de setembro de 2016 5
Renato prioriza trabalho de chutes a gol. Foto: Féliz Zucco / Agência RBS

Renato prioriza trabalho de chutes a gol. Foto: Féliz Zucco / Agência RBS

O técnico Renato Portaluppi está preocupado em melhorar a pontaria dos jogadores do Grêmio.

Além de o time estar chutando pouco a gol, quando conclui, normalmente erra. Tanto que já são cinco jogos sem balançar as redes.

No treino da última quinta (22), o treinador dedicou mais de 30 minutos para trabalhar este fundamento.

Em vários momentos, Renato parou a atividade para demonstrar como os atletas deveriam chutar.

Segundo o atacante Guilherme, o treinador entende que o principal problema não é a técnica do chute. É algo mais ligado à parte emocional.

“Não é o jeito de bater na bola, mas o jeito que o jogador vai para a bola. Os nossos atacantes têm uma capacidade absurda de fazer gols, mas o momento é que não é bom. Não é nem falta de confiança, é mais ansiedade de querer fazer os gols”, explica o jovem atleta, que inclusive está cotado para ser titular no domingo (25), contra a Chapecoense.

Logo, de acordo com o que relata Guilherme, a prioridade de Renato a partir de agora será deixar os jogadores menos afobados na hora das finalizações.

“O que o Renato passa para nós é para termos mais tranquilidade na hora de bater na bola”, completa o atacante.

Indisciplina de Henrique Almeida cria dúvida no ataque do Grêmio

22 de setembro de 2016 0
Agência RBS

Agência RBS

O gesto obsceno feito pelo atacante Henrique Almeida contra torcedores do Grêmio, no jogo contra o Atlético-PR, vai repercutir na escalação gremista para os próximos jogos.

Ainda que ele tenha pedido desculpas, o ambiente entre ele e a torcida gremista não está nada bom.

Para evitar vaias e a criação de um ambiente ruim, é provável que o técnico Renato Portaluppi preserve o centroavante no jogo de domingo (25), contra a Chapecoense, na Arena.

As opções para o lugar dele são dois garotos: Guilherme e Batista. Ambos entraram no decorrer do jogo contra o Atlético-PR, após a saída polêmica do titular.

Guilherme tem mais mobilidade e atua aberto pela esquerda. Com ele, Luan jogaria mais avançado.

Já Batista é homem de referência e faz a mesma função de Henrique. Com ele, Luan permaneceria mais recuado.

Outra opção seria Everton, que ainda não está liberado para treinar com bola.

O provável Grêmio para domingo tem: Marcelo Grohe; Ramiro, Pedro Geromel, Wallace Reis e Marcelo Oliveira; Walace e Jaílson; Pedro Rocha, Douglas e Guilherme (Batista); Luan.

Jogo do Inter contra o Fortaleza ganha ares de "vestibular" para os jogadores experientes

22 de setembro de 2016 2
Alex recebe chance na lateral. Foto: Jefferson Botega / Agência RBS

Alex recebe chance na lateral. Foto: Jefferson Botega / Agência RBS

O técnico Celso Roth promoverá oito alterações na equipe do Inter que enfrenta o Fortaleza, nesta quinta (22), pela Copa do Brasil.

Como o foco colorado é a fuga do rebaixamento no Brasileirão, a partida ganhou ares de “vestibular” para os jogadores mais experientes

O principal exemplo está na lateral-esquerda.

Nesta noite, o dono da posição será o meia Alex, improvisado.

Se ele aprovar, tem boas chances de seguir na lateral para os próximos jogos do Brasileiro, já que tanto Artur quanto Geferson vêm tendo atuações muito ruins.

Outro que ganha nova oportunidade é o meia Anderson, que até agora não correspondeu às expectativas no clube.

Se ele tiver boa atuação contra o Fortaleza, pode receber mais oportunidades na equipe.

Outro que também participa do “vestibular”, mas com menos possibilidade de passar é o lateral Ceará.

Apesar de também ser um atleta experiente, ele joga na mesma posição de William, que é titular absoluto.

A alternativa seria acomodar os dois, colocando o mais jovem no meio e o veterano na lateral.

Outro que também briga por vaga, mas não é exatamente um veterano é o atacante Brenner, ex-Juventude.

Ele fará a sua estreia pelo Inter nesta noite e também pode ser melhor observado se jogar bem e, acima de tudo, marcar gols.