Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Clemer"

Inter homenageia Clemer pelo aniversário: "Goleiro mais vencedor da história do clube"

20 de outubro de 2015 3

O Internacional fez uma homenagem contundente ao ex-goleiro Clemer nesta terça (20).

O atual treinador do Glória, de Vacaria, está completando 47 anos.

Reprodução: Twitter / Inter

Reprodução: Twitter / Inter

“Hoje, o goleiro mais vencedor da história do Inter está completando 47 anos. Parabéns, Clemer”, divulgou o Inter, através da sua conta oficial no Twitter.

Depois de encerrar a carreira de jogador, Clemer trabalhou no Inter como técnico da base e, posteriormente, do time B.

Ele exerceu esta função até maio deste ano, quando foi demitido pela direção colorada.

 

Ex-jogador campeão do mundo pelo Inter deve ser auxiliar de Clemer no Glória

02 de outubro de 2015 0

Clemer é o novo técnico do Glória, de Vacaria, para a disputa do Gauchão 2016.

A novidade é a composição da comissão técnica.

O seu auxiliar deve ser Rubens Cardoso, ex-lateral campeão do mundo pelo Inter em 2006.

Ele está em fase final de negociações.

Rubens Cardoso (o mais à direita entre os agachados) estava no Mundial 2006. Foto: Divulgação / Inter

Rubens Cardoso (o mais à direita entre os agachados) estava no Mundial 2006. Foto: Divulgação / Inter

O ex-jogador, que participou também da conquista da Copa do Brasil 2001, pelo Grêmio, já tem no currículo uma experiência como treinador.

No início do ano, ele trabalhou como técnico do Amparo, da quarta divisão paulista.

 

Veja 20 sugestões de técnicos para o Grêmio

25 de maio de 2015 13

O Grêmio segue na busca por um novo treinador.

A direção traçou um perfil ideal e busca um profissional que atenda as características estipuladas. Confira aqui a cartilha dos dirigentes gremistas.

Este perfil escolhido limita e muito a escolha dos nomes. Dois que se enquadram nos pré-requisitos já rejeitaram o convite: Cristóvão Borges e Doriva.

Ainda assim, há diversos técnicos no futebol brasileiro e gaúcho que podem atender aos anseios do Grêmio.

Blog Gre-Nal fez uma pesquisa e chegou a 20 nomes, entre empregados e desempregados, que se encaixam no perfil buscado pelo clube.

São dez técnicos oriundos do futebol gaúcho e dez que trabalham no mercado nacional.

Confira e veja qual nome lhe agrada mais:

 

FUTEBOL NACIONAL

1. Guto Ferreira (Ponte Preta)

Possui um vasto conhecimento do futebol do interior de São Paulo, um mercado que apresenta diversas opções de reforços bons e baratos. Ex-olheiro, auxiliar e técnico do Internacional, é perito em descobrir e lançar jovens. Foi duas vezes campeão do interior no Paulistão, com Mogi Mirim (2012) e Ponte Preta (2013). Tem trabalho destacado no clube de Campinas, onde está empregado atualmente. Tem 49 anos e é natural de Piracicaba (SP)

Guto Ferreira. Foto: Cristiano Estrela / Agencia RBS

Guto Ferreira. Foto: Cristiano Estrela / Agencia RBS

 

2. Gilson Kleina (Avaí)

Experiente, já trabalhou em mais de 20 clubes ao longo dos últimos quinze anos. O ápice da carreira foi no Palmeiras, onde foi campeão da Série B em 2013. Conduziu também a Ponte Preta a uma posição de destaque em 2011 e em 2012, quando realizou boas campanhas no Paulistão. Está empregado no Avaí. Tem 47 anos e é natural de Curitiba (PR)

Foto: Divulgação

Gílson Kleina. Foto: Divulgação / Palmeiras

 

3. Marquinhos Santos (Coritiba)

A experiência em lidar com jovens é o seu principal diferencial. De 2008 a 2012, empilhou títulos em categorias de base no Coritiba e na Seleção Brasileira Sub-15 e Sub-17. Fez um bom trabalho no Coritiba ao substituir Marcelo Oliveira em 2012. Foi campeão paranaense pelo Coxa, em 2013, e campeão baiano pelo Bahia, em 2014. Está empregado, de novo, no Coritiba. Tem apenas 36 anos e é natural de Santos (SP)

Foto: Divulgação

Marquinhos Santos. Foto: Divulgação / Coritiba

 

4. Eduardo Baptista (Sport)

Foi especulado no último final de semana como um dos possíveis nomes para o Grêmio. Negou ter sido procurado. Filho de Nelsinho Baptista, Eduardo era preparador físico do Sport. Em 2014, com a saída de Geninho, foi efetivado no cargo de treinador. Faz um excelente trabalho. Foi campeão pernambucano e da Copa do Nordeste em 2014 e é o atual líder do Brasileirão 2015. Foi sondado já por Corinthians e Fluminense. Tem 45 anos e é natural de Campinas (SP).

Foto: Lino Sultanum / Divulgação Sport Recife

Eduardo Baptista. Foto: Lino Sultanum – Divulgação / Sport Recife

 

5. Ney Franco (sem clube)

Surgiu em 2005 ao ser campeão mineiro pelo modesto Ipatinga. Tem no currículo diversos títulos e bons trabalhos. Já foi campeão da Copa do Brasil pelo Flamengo, campeão paranaense pelo Coritiba, campeão sul-americano e mundial pela Seleção Brasileira Sub-20 e campeão da Copa Sul-Americana pelo São Paulo. Os trabalhos mais recentes não foram bons. Está sem clube. Tem 48 anos e é natural de Vargem Grande (MG)

Foto: Divulgação

Ney Franco. Foto: Divulgação

 

6. Hemerson Maria (Joinville)

Pouco conhecido, é um dos técnicos em maior ascensão no futebol brasileiro. Após vários trabalhos bons no futebol de Santa Catarina, atingiu o auge na carreira até aqui ao conquistar a Série B 2014 e o Campeonato Catarinense 2015 pelo Joinville. Faz nesta temporada a sua estreia na Série A, após colocar seu nome na história do clube do norte catarinense. Tem 43 anos e é natural de Florianópolis (SC).

Foto: Divulgação / JEC

Hemerson Maria. Foto: Divulgação / JEC

 

7. Fernando Diniz (Audax-SP)

O ex-meia é uma das maiores revelações do futebol do interior paulista nos últimos anos na função de treinador. Em 2014, chamou atenção da mídia por desenvolver no Audax um estilo de jogo moderno, baseado na manutenção da posse da bola e na troca constante de passes curtos. Sua estratégia foi comparada ao tiki-taka do Barcelona e sua equipe, chamada de “Carrossel”. Formado em psicologia, tem 41 anos e é natural de Patos de Minas (MG).

Foto: Divulgação

Fernando Diniz. Foto: Divulgação / Botafogo

 

8. Claudinei Oliveira (sem clube)

Entre 2009 e 2013, empilhou títulos nas divisões de base do Santos, incluindo a Copa São Paulo 2013. O bom desempenho o levou à equipe principal, na mesma temporada. Depois, durou pouquíssimo tempo no Goiás, no Atlético-PR, no Paraná e no Vitória. Tem 45 anos e é natural de Santos (SP).

Foto: Divulgação

Claudinei Oliveira. Foto: Divulgação / Santos

 

9. Dado Cavalcanti (Paysandu)

Um dos técnicos mais novos do país, foi eleito o melhor treinador do Paulistão 2013, comandando o Mogi Mirim. Chamou atenção pelos conceitos modernos, fazendo treinos curtos e intensos, abrindo mão dos coletivos e priorizando treinamentos específicos. Considerado um estudioso do futebol, fez bons trabalhos também no Luverdense e no Paraná. Está no Paysandu. Tem apenas 33 anos e é natural de Arcoverde (PE)

Foto: Divulgação

Dado Cavalcanti. Foto: Divulgação/ Paysandu

 

10. Leonardo Condé (Sampaio Corrêa)

Provavelmente é a maior revelação de 2015 entre os técnicos brasileiros. Com uma folha de apenas R$ 160 mil, conduziu a pequena Caldense ao vice-campeonato mineiro, superando o Cruzeiro e perdendo a final para o Atlético-MG. No início dos anos 2000, empilhou títulos comando a base do Galo e do América-MG. No início do mês foi anunciado pelo Sampaio Corrêa. Tem 37 anos e é natural de Piau (MG).

Foto: Divulgação

Leonardo Condé. Foto: Divulgação / Caldense

 

FUTEBOL GAÚCHO

1. Rogério Zimmermann (Brasil-PEL)

Está na quarta temporada seguida comandando o Brasil de Pelotas, onde vem obtendo resultados excelentes. Conduziu o clube de volta à Primeira Divisao gaúcha em 2013, subiu da Série D para a Série C nacional em 2014 e foi semifinalista do Gauchão 2015. Tem 49 anos e é natural de Porto Alegre (RS).

Rogério Zimmermann. Foto: Porthus Júnior / Agência RBS

Rogério Zimmermann. Foto: Porthus Júnior / Agência RBS

 

2. Itamar Schulle (Operário-PR)

Após vários trabalhos no Rio Grande do Sul, por Brasil, Pelotas, São José, Novo Hamburgo e Caxias, entrou em evidencia nesta temporada ao conquistar o Campeonato Paranaense 2015, comandando o modesto Operário, de Ponta Grossa. Superou o Atlético-PR, eliminou o Paraná e, na final, goleou o Coritiba. Tem 48 anos e é natural de Ituporanga (SC).

Foto: Diego Vara / Agência RBS

Itamar Schulle. Foto: Diego Vara / Agência RBS

 

3. Argel Fucks (Figueirense)

No início da carreira de treinador, em 2008, o ex-zagueiro do Inter obteve destaque imediato no interior paulista, com boas campanhas no Mogi Mirim e no Guaratinguetá. Mais recentemente, tem explorado o mercado catarinense, fazendo bons trabalhos no Joinville e no Criciúma. Hoje, é treinador do Figueirense. Tem 40 anos e é natural de Santa Rosa (RS)

Argel Fucks. Foto: Cristiano Estrela / Agência RBS

Argel Fucks. Foto: Cristiano Estrela / Agência RBS

 

4. Luis Carlos Winck (Lajeadense)

Lateral do Gremio em 1993, o agora treinador já dirigiu diversas equipes no interior gaúcho e também nas regiões Norte e Nordeste do Brasil. Atualmente, é destaque por ter sido “campeão de tudo” pelo Lajeadense. Em 2014, conquistou a Copa FGF, a Copa Sul-Fronteira, a Super Copa Gaúcha e a Recopa Gaúcha. Tem 52 anos e é natural de Portão (RS).

Luís Carlos Winck. Foto: Jefferson Botega / Agência RBS

Luís Carlos Winck. Foto: Jefferson Botega / Agência RBS

 

5. Luiz Antônio Zaluar (Caxias)

Experiente, tem 30 anos de carreira como técnico e já comandou mais de trinta clubes do Brasil e do exterior. No Gauchão 2015, conduziu o Cruzeiro à semifinal, com um elenco cuja folha de pagamento batia na casa dos R$ 100 mil mensais. Acertou recentemente com o Caxias. Tem 51 anos e é natural do Rio de Janeiro (RJ).

Luiz Antonio Zaluar.  Foto: Porthus Júnior / Agência RBS

Luiz Antonio Zaluar. Foto: Porthus Júnior / Agência RBS

 

6. Roger Machado (sem clube)

É um ídolo do Gremio. Além de multicampeão como jogador, foi auxiliar-técnico e causou excelente impressão nas duas vezes em que treinou a equipe gremista interinamente, vencendo Gre-Nais nas duas oportunidades. Conquistou a empatia do torcedor. Depois, treinou o Juventude e o Novo Hamburgo. Tem 40 anos e é natural de Porto Alegre (RS).

 Roger. Foto: Porthus Júnior / Agência RBS  

Roger. Foto: Porthus Júnior / Agência RBS

 

7. Clemer (sem clube)

Ídolo do rival, empilhou títulos nas divisões de base do Internacional. No total, foram nove títulos no Sub-17 e no Sub-20. Foi demitido pela direção colorada no início de maio. Busca uma oportunidade na comissão técnica principal de algum clube. Tem 46 anos e é natural de São Luís (MA).

Clemer. Foto: Porthus Júnior / Agência RBS

Clemer. Foto: Porthus Júnior / Agência RBS

 

8. Marcelo Mabília (Tombense)

Iniciou no Grêmio a carreira de jogador e foi técnico do Sub-20 gremista entre 2012 e 2014. O melhor momento da carreira de treinador foi em 2015, quando conduziu o modesto Inter de Lages ao honroso quarto lugar no Campeonato Catarinense. Logo após a competição, acertou com o Tombense, de Minas Gerais. Tem 42 anos e é natural de Porto Alegre.

Marcelo Mabília. Foto: Juan Barbosa / Agência RBS

Marcelo Mabília. Foto: Juan Barbosa / Agência RBS

 

9. Lisca (Náutico)

Possui no currículo diversos títulos nas divisões de base do internacional. Já treinou várias vezes o Juventude. Passou também por Caxias, Brasil e Novo Hamburgo. Em nível nacional, está na sua segunda passagem pelo Náutico. Tem 42 anos e é natural de Porto Alegre (RS).

Lisca. Foto: Daniela Xu / Agência RBS

Lisca. Foto: Daniela Xu / Agência RBS

 

10. Gilmar Dal Pozzo (ABC-RN)

Os seus dois principais momentos na carreira de treinador foram em 2009, quando foi quarto lugar no Gauchão pelo Veranópolis, e em 2013, quando conduziu a Chapecoense à Série A do Brasileirão, sendo vice-campeão da Série B daquele ano. Nesta segunda (25), acertou com o ABC. Tem 45 anos e é natural de Quilombo (SC).

Gilmar Dal Pozzo. Foto: Maurício Vieira / Agencia RBS

Gilmar Dal Pozzo. Foto: Maurício Vieira / Agencia RBS

Inter define substituto de Clemer

19 de maio de 2015 1

O Internacional definiu o substituto de Clemer no comando do time B.

O técnico do Sub-20, Ricardo Cobalchini, vai acumular as duas funções.

Ricardo Cobalchini acumulará o comando do Sub-20 e do time B. Foto: Divulgação / Internacional

Ricardo Cobalchini acumulará o comando do Sub-20 e do time B. Foto: Divulgação / Internacional

Ao menos, de forma interina.

Até setembro de 2015, o treinador vai comandar as duas equipes, Sub-20 e B.

Depois, o clube vai avaliar se efetiva o profissional ou se buscará um outro treinador.

Cobalchini tem 29 anos e já trabalhou no Caxias.

O cargo de técnico do time B estava vago desde a demissão de Clemer no início de maio.

2014 do Inter começa pela defesa: Ernando está contratado e promessa da zaga tem contrato renovado

30 de outubro de 2013 1

O Internacional ainda mostra cautela ao falar sobre o ano de 2014. Publicamente, os dirigentes alegam que as questões pertinentes a contratações, renovações e definição do novo técnico só serão definidas após o Campeonato Brasileiro. No entanto, o primeiros ponto da próxima temporada a ser resolvido deve ser o sistema defensivo.

O zagueiro Ernando, do Goiás, já tem pré-contrato assinado com o Inter e se apresenta em janeiro. Além disso, nesta segunda-feira, o Internacional definiu a renovação de contrato do zagueiro Thales, 20 anos, atleta do sub-23. O vínculo do jogador expirava ao final do ano e foi extendido por mais cinco anos. O jovem defensor atuou em três jogos do Campeonato Gaúcho, pelo time Sub-23, e foi reserva no principal, já com o técnico Clemer, na vitória sobre o Fluminense, por 1 a 0, no Brasileirão.

As medidas relacionados ao sistemas defensivo não dizem respeito só à zaga. Até janeiro, o Inter vai exercer a opção de compra dos direitos econômicos do volante João Afonso, 18 anos, que pertencem ao Novo Hamburgo. O Colorado vai pagar R$ 600 mil pelo jogador, hoje titular da equipe.

O zagueiro Indio e os laterais Gabriel e Kléber têm o seu contrato expirando em dezembro de 2013 e é alta a possibilidade de que os vínculos não sejam renovados. Vale lembrar também que, após a venda de Rodrigo Moledo, no meio do ano, não houve reposição.

Além da zaga, falta ainda definir o novo treinador.

Luigi descarta Clemer até o final do ano

09 de outubro de 2013 3

Para o presidente do Inter, Giovanni Luigi, é importante que o clube traga um treinador antes do final do ano. Assim, o profissional que assumir o time terá possibilidade de avaliar o contexto do clube nos dois meses que restam antes do final do ano e entrará na pré-temporada sabendo das necessidades do grupo de jogadores.

Com isso, mesmo que Clemer siga com bons resultados como interino, fica praticamente descartada a sua efetivação com um “mandato tampão”. Mesmo elogiando o trabalho de Clemer, Luigi acredita que pela grandeza do clube, é necessário um técnico mais rodado, mesmo que admita dificuldades de acerto com profissionais que tenham esse perfil.

Luigi quer técnico com bagagem antes do fim do ano.(Foto: Tadeu Vilani / Agência RBS)

Luigi quer técnico com bagagem antes do fim do ano.(Tadeu Vilani/Agência RBS)