Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "show"

Produtor do show Elvis in Concert assina parceria com Priscilla Presley

12 de janeiro de 2012 2

*

Por Ana Bittencourt

*

Se alguém ainda duvidava, aí vai mais uma confirmação. Em 2012, grandes eventos sobre Elvis Presley chegam ao Brasil. Você já leu sobre aqui no Blog do Grings. E nesta quinta-feira (12), o produtor Rafael Reisman publicou uma foto no Facebook, contando sobre a confirmação de que em breve teremos a megaexposição The Elvis Experience e o show Elvis Presley in Concert. Junto com a foto, publicada na Revista Caras, Rafael postou o seguinte recado:

*

“Meus amigos, agora é pra valer, estamos orgulhosos de fazer a primeira exposição de Elvis jamais realizada fora de Graceland. Mais de 500 peças originais do cantor virão ao Brasil em Setembro, Viva o Rei.”

*

A expectativa agora é sobre a divulgação da data do show Elvis Presley in Concert na capital gaúcha.

15 anos sem Renato Russo - uma música, uma história e Santa Maria

10 de outubro de 2011 14

Memorial Renato Russo

*

Registros e narrativas dão conta que uma das músicas da Legião Urbana foi composta para um gaúcho.

*

Por Ana Bittencourt

*

Cultuada e idolatrada por muitos, odiada e desprezada por outros tantos. Assim é a banda Legião Urbana. Há quem ame, há quem torça o nariz e diz que nem acha tudo isso.

*
Mas, a contribuição da Legião pra história do rock brasileiro é irrefutável. E se formos pensar nos grandes pilares intelectuais da geração 80 do rock nacional, é até um sacrilégio não mencionarmos o nome de Renato Russo e todo o legado do vocalista e compositor no cenário da música brazuca.
*
*
*
*
Renato Manfredi Junior é e continua sendo um dos poetas maiores de toda uma geração. Junto com outros nomes maiúsculos, como Cazuza e Raul Seixas, ele entrou pra história graças ao seu lirismo exacerbado e toda a inspiração que buscou na prolífica fonte dos poetas malditos. Um legado acometido pelo turbulento néctar do amor fracassado, afinal, morrer de amor para um cara virtualmente romântico como Renato, não passava de uma visão sublime da tragédia.
*ico
Mas, você leitor, sabe que há um elo entre a Legião Urbana e a cidade de Santa Maria? Acreditaria se eu dissesse que essa ligação existe e está na música “Maurício”?
*
*

*
Muitos talvez nem saibam que a mítica banda passou por estas bandas, lá pelos idos de 1986, quando fizeram um show histórico no Ginásio do Corinthians, durante a divulgação do álbum Dois. Os que estiveram lá contam que foi um show memorável, com uma Legião Urbana no auge da carreira e a presença enigmática de Renato Russo. E contam também a história que ouvi há muito tempo e agora, passados 15 anos da morte de Renato Russo (1960-1996), resolvi resgatar.
*

Mas a história que quero contar começa aqui. Quem é de Santa Maria e tem mais de 30 anos certamente conhece o Mauricio, chamado por muitos de “Argentino”. O que se sabe sobre o Mauricio é que, quando ele tinha 14 anos, foi dar um mergulho  na piscina de um clube e bateu a cabeça. Com o acidente, o Mauricio ficou com sérias limitações de fala e locomoção. Nada que o impedisse de sair e se divertir como um jovem da sua idade, tanto que o principal local pra se encontrar o “Argentino” era na fila de alguma balada. E, mesmo com suas limitações, o Argentino – que já tem mais de 30 – estava lá, no lendário show da Legião.

*
Pois bem, reza a lenda que durante a apresentação do Ginásio do Corinthians, em 23 de setembro de 1986, Mauricio estava na plateia e – tentando subir no palco – foi contido de forma não muito amistosa pelos seguranças. Ao ver a cena, Renato Russo teria ficado indignado, pois percebeu que Mauricio tinha necessidades especiais. Renato então parou o show, deu o maior esporro nos seguranças, discursou alguma coisa para o público e convidou o Maurício para ir até o camarim com a banda.*




Maurício, conhecido em Santa Maria como “Argentino”. Foto: Vadson Schafer

 

Depois disso, para ele e por ele foi composta então a música Mauricio, que entrou no disco As Quatro Estações (1989). No áudio abaixo é possível ouvir Renato Russo falando sobre o episódio.

*



*

Confira a letra da canção:

Já não sei dizer se ainda sei sentir
O meu coração já não me pertence
Já não quer mais me obedecer
Parece agora estar tão cansado quanto eu
Até pensei que era mais por não saber
Que ainda sou capaz de acreditar
Me sinto tão só
E dizem que a solidão até que me cai bem
Às vezes faço planos
Às vezes quero ir
Pra algum país distante
Voltar a ser feliz

Já não sei dizer o que aconteceu
Se tudo que sonhei foi mesmo um
sonho meu
Se meu desejo então já se realizou
O que fazer depois
Pra onde é que eu vou?
Eu vi você voltar pra mim
Eu vi você voltar pra mim

De tudo, o que resta é a certeza de que a Legião Urbana marcou uma época e também uma geração. Seja ela Coca-Cola ou Y. O fato é que quem viveu aqueles anos, sabe que alguma coisa ainda toca lá no fundo, quando se ouve os acordes de Tempo Perdido ou Índios, por exemplo. E toda letra de Renato Russo tem uma frase que pode se aproveitar na vida, seja agora ou depois. Basta ter sensibilidade e alma aberta pra entender.

*

*

Assista a seguir uma matéria especial sobre a Legião Urbana, que foi ao ar no Fantástico (Rede Globo), narrada pelo repórter especial do programa e cronista do DSM, Marcelo Canellas.

*

*

Agradecemos a Adriano do Canto, Adriano Schuster, Jozi Elen Fleck, Marcelo e Paulo Ricardo Pedroso pela colaboração nesse post.

Leitor do blog conta como foi o show de Adele no Hammersmith Apolo, em Londres

23 de setembro de 2011 0

Foto: Pedro Henrique Antunes

#

Set list teve versões de Bob Dylan, Bonnie Raitt e The Cure

*

Por Ana Bittencourt

*

Quem é fã da Adele,  sonha em ver um show da cantora britânica ao vivo e de pertinho. Fãs brasileiros, no entanto, devem esperar um pouco mais,  já que não há previsão para a Adele Live Tour passar por estas bandas. E para aumentar a expectativa dos fãs, o Blog trás hoje o relato do Pedro Henrique Antunes, sortudo que assistiu o show da cantora na última quarta-feira (21), em Londres. Diz aí, Pedro!

*

***

Cheguei às 17h no Hammersmith Apollo, pois imaginei que teria que enfrentar uma fila considerável. Até que dei sorte, não tinha muita gente. As portas do teatro abriram às 18h30min e uma hora depois, a primeira banda entrou no palco. A banda folk/country The Civil Wars, formada em Nashville, nos Estados Unidos, tocou por cerca de meia hora. Eu não conhecia a banda, mas o show foi bom e animou o público. O duo tocou músicas do seu disco debut, chamado Barton Hallow.

*

Às 20h, o cantor folk – Amos Lee subiu ao palco. A turnê com Adele é para a divulgação do seu quarto álum, chamado Mission Bell. O público aplaudiu bastante. As duas bandas acompanharam Adele na turnê americana, e ela os trouxe para o Reino Unido.

*

Foto: arquivo pessoal*

Claro que depois de duas bandas de abertura, todo mundo já estava mais que ansioso pela estrela da noite: Adele, claro! Pouco antes das 21h, Hometown Glory (do primeiro disco, 19) começou a tocar e, em seguida, ouvimos o primeiro verso: I’ve been walking in the same way… as I did…” sem ver a cantora. Adele entrou no palco através de uma cortina, deu oi e, claro, foi aplaudida e recebida a gritos pelo público. Saudou o público com um sonoro boa noite, agradeceu e seguiu cantando. Modesta, Adele se apresentou, disse seu nome – como se alguém no teatro não soubesse – e disse que cantaria músicas dos seus dois discos. A segunda canção da noite foi a animadinha I’ll be waiting e a cantora pediu que o público aproveitasse para dançar um pouco, pois seria uma das poucas músicas para isso.

*

Arquivo pessoal*

Don’t you remember e Turning tables seguiram e em cada intervalo entre músicas, o pessoal ia a loucura com palmas e gritos de “I love you Adele!” e ela respondia “I love you too!”. O teatro estava lotado e, claro, todo mundo passou calor. Tanto que duas pessoas desmaiaram, uma durante o show de Amos Lee e outra enquanto Adele cantava o sucesso Rolling in the deep. Ao ver que alguém estava passando mal, a cantora parou a música e pediu que um dos seguranças fosse até lá. Depois de confirmar que estava tudo bem, recomeçou a música. Someone like you também foi cantada duas vezes. Na primeira, Adele disse que acabou se distraindo, então, resolveu recomeçar. Pediu desculpas, mas certamente ninguém se importaria em ouvir as músicas várias vezes. Do disco mais recente, 21, ela cantou ainda Rumour has it, Set fire to the rain, Take it all, One and only e Lovesong (cover da banda The Cure). Na parte de covers, Adele cantou Make you feel my love (de Bob Dylan, gravada no disco Time out of mind, de 1997), dedicada a Amy Winehouse, I can’t make you love me, de Bonnie Raitt e If it hadn’t been for love da banda The Steel Drivers.

*

Do primeiro disco, além de Hometown, Adele cantou Right as rain, o primeiro single Chasing pavements e My same, dedicada a sua melhor amiga. Depois de mais ou menos uma hora e meia de show, o público ainda queria mais, e os aplausos ao final demoraram a terminar. Adele agradeceu várias vezes e as pessoas aplaudiam cada vez mais.

*

Com um cenário simples, e uma banda muito competente, o show foi uma experiência sensacional. O ruim é que, depois que o show terminou, ficou uma sensação de vazio, afinal, eu esperava pelo show há bastante tempo. A solução agora é esperar pelo próximo, e por um terceiro disco também…*

*

Em tempo: Pedro Henrique é jornalista, se formou em Santa Maria, é apaixonado por cinema e atualmente tá dando uma banda pela Europa.

*

The Cure faz apresentação memorável em festival Europeu

14 de setembro de 2011 6

Divulgação Bestival 2011

*

Por Ana Bittencourt

*

Um dos meus maiores temores enquanto fã incondicional do The Cure veio à tona com uma declaração recente do líder da banda, Robert Smith. O icônico vocalista revelou ao jornal britânico The Guardian que a banda pensou em abandonar os palcos para sempre. A possibilidade foi levantada antes do convite para o Cure se apresentar no Bestival, evento que encerra o verão europeu. O Bestival 2011 reuniu 70 mil pessoas na famosa Ilha de Wight, lugar que em outras eras recebeu nomes como The Doors, The Who e Jimi Hendrix.

*
Na mesma entrevista, Smith declarou ainda que resolveu dar um tempo dos palcos e holofotes depois do término da turnê mundial do álbum 4:13 Dream (2008). E afirmou: “Minha vida toda eu toquei música para meu próprio prazer pessoal e a ideia de fazer disso uma máquina ou negócio é simplesmente horrível”.
*
No entanto, no último sábado (10), o The Cure fez uma apresentação impecável no Bestival, contando com a reestreia de Roger O’Donnell, antigo tecladista. Apresentação essa muito esperada pelos fãs, depois de uma pausa de dois anos nas aparições ao vivo. E deixando de lado a declaração “baixo astral” de Robert Smith, a banda estava bem faceira em tocar ao vivo, basta sacar o tamanho do set list, com 32 canções. Foram duas horas e meia mandando ver nos hits. Aliás, o show foi tão bacana que ficou até difícil escolher apenas um vídeo pra postar aqui. Então, assista todos.
*

*



*

*

*

*

*

Músicas do set list: Plainsong, Open, Fascination Street, A Night Like This, The End Of The World, Lovesong, Just Like Heaven, The Only One, The Walk, Push, Friday I’m In Love, In Between Days, Play For Today, A Forest, Primary, Shake Dog Shake, The Hungry Ghost, One Hundred Years, End, Disintegration, Lullaby, The Lovecats, The Caterpillar, Close To Me, Hot Hot Hot!!!, Let’s Go To Bed, Why Can’t I Be You?, Boys Don’t Cry, Jumping Someone Else’s Train, Grinding Halt, 10:15 Saturday Night e Killing An Arab.

Bruce Springsteen faz show surpresa e homenageia Clemons

20 de julho de 2011 0

Facebook Oficial

*

Por Ana Bittencourt

*

O cantor Bruce Springsteen fez um show surpresa no Wonder Bar, em New Jersey, no último domingo. Em clima intimista, a apresentação foi rápida, durou cerca de 45 minutos, mas emocionou a plateia de 400 pessoas.  Isso porque Springsteen fez uma homenagem a Clarence Clemons, companheiro de banda e amigo do cantor. No set list, apenas duas músicas próprias – Action in the streets e Savin’Up (escrita para Clemons), além de covers. Esta foi a primeira apresentação de Bruce Springsteen após a morte de Clemons, em 18 de junho. Clemons Nick, um dos quatro filhos do saxofonista, também subiu ao palco para homenagear o músico.
*

*

Aqui no blog, Marcio Grings já havia falado sobre Clarence Clemons e também sobre a homenagem que Eddie Vedder fez para o saxofonista americano no programa de David Letterman.
*


Pearl Jam confirma show em Porto Alegre

11 de julho de 2011 1
*
*
A banda norte-americana Pearl Jam confirmou quatro apresentações no Brasil no mês de novembro. O grupo começa sua turnê em São Paulo (Estádio do Morumbi), no dia 4 de novembro. Depois, seguem para o Rio de Janeiro, onde se apresentam na Apoteose, no dia 6. Em 9 de novembro, o Pearl Jam toca no Estádio Paraná Clube, em Curitiba e, por fim, toca em Porto Alegre (Estádio Zequinha) no dia 11 daquele mês.
*
Os ingressos para os shows começam a ser vendidos no dia 1º de agosto pelo site www.ticketsforfun.com.br, pelo telefone 4003-5588 e nos pontos de venda credenciados.
*
PEARL JAM EM PORTO ALEGRE
Quando: 11/11
Onde: Estádio Zequinha
Quanto: R$ 180 (pista), R$ 150 (arquibancada) e R$ 200 (cadeira)
Ingressos: pelo site www.ticketsforfun.com.br, pelo telefone 4003-5588 e nos pontos de venda credenciados:
FNAC Barra Shopping Sul – Av. Diário de Notícias, 300 – Cristal
My Ticket Mega Shopping – Rua dos Andradas, 1.342 – Centro

*

Yeahhhhhhh!

*

O 'guitarrista' Johnny Depp toca com Alice Cooper

27 de junho de 2011 0

Foto FB oficial AC

*

Por Ana Bittencourt

*

O show de Alice Cooper neste domingo (26), no 100 Club, em Londres, teve uma participação cinematográfica. O super astro de Hollywood Johnny Depp subiu ao palco e tocou guitarra na música “I’m Eighteen”. Veja:

*

*

A participação do ator continuou em “Another Brick in the wall”, do Pink Floyd. E seguiu com “School’s out”, hit de Cooper. A presença de Johnny Depp havia sido anunciada por Alice Cooper no Facebook oficial músico. Uma foto de Depp com sua guitarra e a frase “Johnny Depp! Esperando para subir ao palco e tocar ‘18’ e ‘Schools’s out’!”. Depois do showzinho, Cooper disse ao ator: “acho que podemos ter outro guitarrista. Johnny, se essa coisa de cinema não der certo, junte-se a nós, fechado?”. Já tínhamos falado aqui no blog da participação de Depp “Sparrow” em uma apresentação de Eddie Vedder.
*
E não seria má idéia, já que o moço tem uma forte veia musical. Nos anos 90, ele fez participações em músicas do Oasis, além de ter formado a banda P, ao lado do baixista Flea, do Red Hot Chili Peppers e de Gibby Haynes, do Butthole Surfers.
*
Bom momento para relembrarmos Johnny & Eddie juntos.

*

Mr. Big em Porto Alegre - 1° e 2° lote esgotados

21 de junho de 2011 0


Divulgação site oficial MB #
Banda americana toca no Opinião no próximo dia 10 julho
*
Atenção, roqueiros de plantão. Ainda mais se você é chegado em hard rock dos anos 80/90. ‘Tá chegando o dia de ver Mr. Big na capital gaúcha. E mais, num lugar bacana, com capacidade máxima de 2.000 pessoas. Chance única pra assistir Eric Martin, Paul Gilbert, Billy Sheehan e Pat Torpey bem de pertinho. Antes da apresentação em Porto Alegre no próximo dia 10 de julho, o quarteto americano passa pela Colômbia (30.06), Equador (02.07), Peru (03.07), Argentina (06.07), Chile (07.07) e São Paulo (09.09).
Depois de encerrarem em solo gaúcho a perna sul americana da tour de divulgação do álbum What If…, a rapaziada volta pra casa e faz show em San Diego, na Califórmia (30.07), seguindo na estrada até dia 30 de setembro (Strasbourg, na França).
*
Confira o serviço completo do show em PoA:
*
10/07/2011 – Opinião (José do Patrocínio, 834)
Horário: a partir das 22h
Ingressos:
1º lote (R$ 80,00) e 2° lote: R$ 100,00 [esgotados]
3º lote: R$ 120,00 e 4º lote: R$ 140,00
*
*
Pontos de venda e mais informações clique aqui
*
Alguém duvida que vai rolar um coro em uníssono nessa música aí debaixo?
*
House Of Blues, West Hollywood, CA, USA (02.04.2011)*
*



Gisele De Santi voa como um passarinho

02 de junho de 2011 0

Divulgação#

Cantora e compositora faz show nessa quinta-feira em Santa Maria.

Por Ana Bittencourt*

*

Gisele de Santi é uma nova cantora no cenário musical da MPB. Poderia ser mais um nome entre tantos, mas pra ela, apenas isso não basta. Ela quer mais. E por isso, a cerca de dois meses essa talentosa menina de apenas 24 anos saiu de sua terra e bateu asas para o centro do país. Hoje a gaúcha mora na capital paulista. “Eu acho que o artista se sente as vezes como um passarinho”, filosofa a cantora. “É lá [em São Paulo] que as coisas acontecem. Fervilha informações, cultura, gente. Uma troca muito constante” declarou Gisele em sua entrevista na Itapema. E todo o artista busca a constância. A permanência. E Gisele não se contenta em apenas buscar algo maior, ela levou a mala abarrotada de sonhos e canções. E o mais importante: – essas músicas foram compostas por ela. O CD que leva o nome da estreante – traz 12 faixas, das quais, dez são assinadas apenas por Gisele, e as outras duas, ela buscou parcerias. “Eu acho que o artista capta ideias coletivas”, argumenta a cantora. O disco nasceu fruto desse sonho de viver de música e ganhou amplitude graças ao financiamento do Fundo Municipal de Apoio à Produção Artística e Cultural de Porto Alegre (Fumproarte), da Prefeitura da capital.


>>> ouça a entrevista de Gisele De Santi no programa A Boa Dica Itapema >>>

*

Em 2010, a gaúcha ganhou o Prêmio Açorianos, nas categorias Melhor Intérprete e Cantora Revelação. Para Gisele, o reconhecimento “dentro de casa”, como ela se refere ao público gaúcho, lhe deu segurança para explorar outros lugares. “Eu fui indicada ao lado de grandes nomes. Vitor Ramil é outra de minhas referências e estar ao lado dele, me passou a sensação de ter ganhado todos os prêmios!”.

*

Divulgação

*

Formada em música pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Gisele de Santi se apresenta nesta quinta-feira, às 20h30, no Theatro Treze de Maio, em Santa Maria. Com 90 min de duração, o show conta com os músicos Gilberto Ribeiro Jr. (guitarra), Fabrício Gambogi (guitarra e direção musical do show), Giovanni Barbieri (piano), Carlos D’Elia (baixo), Diego Silveira (bateria) e Tuti Sagui (percussão). Pra quem conhece o disco, Rodrigo Panassolo é o responsável em preservar os aspectos originais do álbum, lambuzando a apresentação com programações e samplers. Mais informações aqui. Ouça o que Nelson Motta achou de seu trabalho.

*

Veja o vídeo de divulgação da música E eu? e se surpreenda com a interpretação doce e segura de Gisele de Santi.

*

Voa, Gisele! Aqui debaixo a gente assiste os desenhos e sons dessa jornada.

*

De volta aos anos 80: Tears for Fears em Porto Alegre

16 de maio de 2011 1


Foto Facebook TFF
*
*
Os nostálgicos podem comemorar. Curt Smith, vocalista e baixista do Tears for Fears, confirmou nesta segunda-feira que a banda está prestes a fazer uma série de shows pelo Brasil. O anúncio veio pelo site oficial do músico. Smith e sua “cara-metade”, Roland Orzabal pretendem fazer seis shows no país a partir de outubro. Dia 4, Porto Alegre (Pepsi on Stage), 6 em São Paulo (Credicard Hall), 8 no Rio (Citibank Hall), 9 em Belo Horizonte (Chevrolet Hall), 11 em Brasília (Centro de Convenções) e 15 de outubro em Fortaleza (Siara Hall).
*
O Tears for Fears surgiu no Reino Unido, na década de 80 e continuou na ativa até os anos 90, quando fez uma pausa, retornando em 2003 com o disco Everybody loves a happy ending. As “tias fofinhas” – trocadilho infame usado por muita gente ao se referir à banda – tem vários hits no currículo, como Shout, Everybody wants to rule the world, Head over heels e a baladinha Woman in chains. Mais anos 80, impossível.
*
Os ingressos estarão à venda a partir de 30 de maio no site Tickets for Fun e nos pontos de venda oficiais das casas de shows. No site do Pepsi on Stage ainda não existe nenhuma informação na agenda.
*

The Cure no Brasil em 2011? Oremos.

06 de abril de 2011 3

Foto: thecure.com

*
*
Ainda nem me recuperei da overdose de emoções em conseqüência do show do U2 na Argentina e já recebo a notícia que uma das minhas bandas #davida deve tocar no Brasil em 2011. Ao que tudo indica, entre setembro e outubro, o The Cure aporta em terras tupiniquins para matar uma saudade que já ficou mocinha. Isso porque, a última vez que a banda pós-punk tocou por aqui foi em 1996, durante a sétima edição do extinto festival Hollywood Rock.
Leia mais sobre esse show aqui.
*

*
A informação rapidamente ganhou as redes sociais. E tem a chancela de ninguém menos que Robert Smith. No site oficial do Cure, quando falava sobre o único show da banda na Europa este ano, o lendário vocalista lançou essa: “Se você mora na América do Sul, pode esperar um pouco antes de comprar seu ingresso para esse show na Inglaterra. Nunca se sabe…”. Tortura pouca é bobagem.
*
Até agora, o que rola por aí é que o The Cure fará uma turnê pela América do Sul, contemplando, além do Brasil, Argentina e Chile. Mas, por enquanto, tudo não passa de especulação. Ainda não existe nenhuma informação oficial sobre datas, cidades, preços e etc. Confesso que vai ser difícil controlar a euforia até que finalmente Robert Smith e seus comparsas cheguem até nós.
*

Novo CD do ZZ Top terá produção de Rick Rubin

22 de setembro de 2010 0

Foto: Homero Pivotto Jr

*

Boas novas sobre o novo disco dos barbudos do ZZ Top. Vem aí o sucessor de Mescalero(2003), disco que acaba com o jejum de sete anos sem gravações inéditas dos texanos. E o melhor: quem comanda as operações é o papa da produção Rick Rubin, homem responsável por ressuscitar a carreira de Johnny Cash e que tem um longo histórico de produções bem sucedidas com artistas como Beastie Boys, Metallica, AC/DC e Rage Against the Machine. Também está confirmada a participação da dupla de hard blues The Black Keys. Em entrevista ao blog em maio passado, (leia a entrevista clicando aqui) o guitarrista Billy Gibbons havia citado o duo como uma das suas preferências da atualidade.

*

Ainda não foi divulgada oficialmente a data de lançamento no novo CD. Enquanto o disco não chega, nada melhor que rever a passagem do trio americano pela capital gaúcha (Pepsi On Stage, Maio, 23 – 2010).  Os vídeos foram capturados em parceria com Homero Pivotto Jr, repórter do Diário de Santa Maria.

*

*

*

Echo and The Bunnymen no Brasil em outubro

29 de junho de 2010 3

Foto: site BBC

*

O Echo & The Bunnymen divulgou via Twitter que novamente virá ao Brasil. As apresentações serão em outubro em São Paulo, dia 11 (Credicard Hall) e dia 12 em Belo Horizonte (Chevrolet Hall). No site oficial foi divulgado que os ingressos começam a ser vendidos no próximo mês (Julho, 26).

*

Ano passado a banda de Liverpool lançou o álbum The Fountain, que tem a participação especial de Chris Martin, líder do Coldplay. Vale lembrar que o Echo ainda conta com dois membros da formação original – o vocalista Ian McCulloch e o guitarrista Will Sergeant.

*

A banda foi formada no final dos anos 70, e é considerada uma das grandes referências do rock britânico dos anos 80. O Echo passou pela capital gaúcha em 1987 e fez um show lendário no ginásio do gigantinho. Na época os ingleses estavam no topo das paradas dos Estados Unidos com a canção Bring On The Dancing Horses, tema do filme A Garota de Rosa Shocking (1986), tema que incrivelmente ficou de fora do set em POA.

*

Mas aqui no blog a gente recupera essa ausência.

*

Confirmado: Peter Frampton vem ao Brasil e passa pela capital gaúcha

29 de junho de 2010 5

Foto: Gregg Roth. Divulgação site oficial

*

Quem acompanha o blog sabe que estávamos na torcida @MarcioGrings @ssilveira. Agora tá confirmado: O cantor e guitarrista inglês Peter Frampton vem ao Brasil e confirma cinco shows no Brasil (apesar das datas ainda não constarem no seu site oficial). As apresentações acontecerão em setembro em 5 capitais: Brasília (dia 9, Centro de Convenções), Rio de Janeiro (dia 11, HSBC Arena), Porto Alegre (dia 14, Pepsi On Stage), São Paulo (dia 17, Via Funchal – primeira casa de espetáculos a disparar venda de ingressos) e Belo Horizonte (dia 18, Chevrolet Hall). Lembrando que o músico já passou pelo país em1978 e 1996.

*

Depois do atentado ao World Trade Center, em Nova Iorque, em 11 de setembro de 2001, Frampton decidiu tornar-se cidadão americano. O artista deteve por muitos anos a marca de álbum ao vivo mais vendido de todos os tempos por Peter Frampton Comes Alive (1976), e recentemente lançou seu último disco, Thank You Mr Churchill que foi assunto por aqui em maio, um mês antes do CD ser lançado oficialmente.

*

>>> Leia mais sobre Peter Frampton

*

Aqui no blog a gente confere um som do novo disco e uma das antigas. Valeu a torcida. Agora é só esperar setembro. Nós estaremos por lá.

*

*

Sintonia fina entre Santa Maria e o Pouca Vogal

19 de junho de 2010 1

Show do Pouca Vogal em Santa Maria, na última sexta. (Foto: Stefanie Silveira)

*

O show da noite de ontem provou mais uma vez que há uma sintonia fina entre os fãs santa-marienses e os músicos do Pouca Vogal. Duca Leindecker e Humberto Gessinger se depararam com o Centro de Eventos do Park Hotel Morotin completamente lotado e com um público que cantava todas as canções, vibrava a cada vez que o líder do Engenheiros do Hawaii encostava na gaita de boca, se emocionava com os solos de guitarra do líder da Cidadão Quem e aplaudia fervorosamente todas as músicas.

*

Show do Pouca Vogal em Santa Maria, com participação de Luciano Leindecker. (Foto: Stefanie Silveira)

*

O show teve participação do irmão de Duca, Luciano Leindecker, que tocou três instrumentos. Duca e Humberto demonstraram seu agradecimento ao público no twitter hoje:

@DucaLeindecker Tocar em Santa Maria é como tocar em casa! Obrigado pelo carinho mais uma vez!!

@1bertoGessinger Showzão ontem em Santa Maria. Saindo pra Santa cruz.[...]

*

Pouca Vogal em Santa Maria, promoção da Itapema FM. (Foto: Stefanie Silveira)

*

No palco, a sintonia entre a dupla é impressionante. Humberto e Duca são realmente dois homens-banda. Os dois dominam instrumentos com as mãos, a boca e os pés, tudo isso enquanto cantam, sem perder a afinação perfeita e sem titubear na coordenação motora. Para alguém como eu, que deixa a desejar no quesito coordenação, foi incrível observar como eles cantavam, tocavam violão ou guitarra, gaita de boca no caso do Humberto, e ainda pequenos instrumentos de percussão com os dois pés, tudo ao mesmo tempo. Uma apresentação e tanto!

*

Pouca Vogal em Santa Maria, promoção da Itapema FM. (Foto: Stefanie Silveira)

*

E para quem quiser ouvir o bate-papo que rolou com o Duca Leindecker, na sexta-feira, antes do show, e foi ao ar no Fim de Tarde aqui na Itapema FM Santa Maria é só clicar nos links abaixo. Vale a pena conferir!

>>> Entrevista com Duca Leindecker na Itapema FM Santa Maria – Parte 1

>>> Entrevista com Duca Leindecker na Itapema FM Santa Maria – Parte 2

*

O público lotou o Park Hotel Morotin. Ainda no começo da sexta-feira, dia do show, os ingressos já estavam esgotados. Confere abaixo mais algumas fotos do show:

*

O público lotou o Centro de Eventos do Park Hotel Morotin (Foto: Stefanie Silveira)

Pouca Vogal em Santa Maria, promoção da Itapema FM (Foto: Stefanie Silveira)

Duca Leindecker e Humberto Gessinger em Santa Maria. (Foto: Stefanie Silveira)

Pouca Vogal em Santa Maria, promoção da Itapema FM (Foto: Stefanie Silveira)

*

*

*

*

*

*

*

*

*

*

*

*

*

Abaixo, você confere alguns trechos do show. O primeiro vídeo foi feito dos bastidores e dá para ter uma ideia de como o público lotou o lugar e estava animado com a apresentação.

*

*

*

*

Os homens-banda do Pouca Vogal

18 de junho de 2010 0

Duca Leindecker, do Pouca Vogal, em entrevista na Itapema FM Santa Maria (Foto: Stefanie Silveira)*

Um projeto que reflete o momento atual da vida de dois músicos veteranos e renomados que decidiram se unir para inovar musicalmente. Este é o Pouca Vogal. A dupla formada por Humberto Gessinger, líder do Engenheiros do Hawaii, e Duca Leindecker, líder da Cidadão Quem, é resultado de uma parceria que se ensaia desde o final dos anos 1980 e que se concretizou nos últimos anos em função da parada das duas bandas originais. Confira aqui o que Humberto Gessinger disse a Homero Pivotto Jr no blog do Zoom.

*

Em entrevista nos estúdios da Itapema FM Santa Maria, nesta sexta, dia da apresentação do duo na cidade, Duca definiu o Pouca Vogal como a junção de dois homens-banda. “A gente se juntou e resolveu que iríamos arranjar as coisas ali com o que a gente inventasse. É tudo ao mesmo tempo, num formato muito inusitado”, afirma. Ele também diz que já estava esgotado de trabalhar no formato tradicional de banda – guitarra, baixo e bateria – e buscava outras formas de se realizar e de criar, oportunidade que surgiu através do duo. “A banda é o Pouca Vogal, são dois homens-banda. As bandas estão ali. Cidadão, Engenheiros e Pouca Vogal são uma coisa só neste momento”, explica.

*

A apresentação, segundo o líder da Cidadão Quem, é sempre uma surpresa em função da multiplicidade de instrumentos tocados pelos dois músicos que acaba gerando uma série de inovações musicais. O show desta noite em Santa Maria conta com a participação do irmão de Duca, Luciano Leindecker, que vai colaborar com a banda tocando três instrumentos.

*

No bate-papo que vai ao ar no Fim de Tarde desta sexta-feira, Duca Leindecker conta mais sobre a abrangência nacional que a banda vem tendo, a interação Grêmio e Inter na dupla e mais detalhes sobre os dois músicos. Aqui no blog, você confere logo mais a íntegra do áudio da entrevista.

UPDATE: Confere aí, a entrevista completa do homem-banda Duca Leindecker, do Pouca Vogal:

*

>>>> Parte 1

>>>> Parte 2

*
*

No mais, nos vemos mais tarde no show do Pouca Vogal, que ocorre com sucesso de vendas e
ingressos esgotados na cidade.

Corra enquanto é tempo!

15 de junho de 2010 1

Humberto Gessinger e Duca Leindecker estarão em Santa Maria, nesta sexta. (Foto: Divulgação/Site Oficial)

*

Aviso aos navegantes: terminou o primeiro lote de ingressos para o show do Pouca Vogal, em Santa Maria, nesta sexta-feira. E tem mais: o segundo lote já está no fim. Ou seja, corra e garanta o seu para não ficar de fora deste grande show.

*

O show desta sexta, às 21h, no Park Hotel Morotin, faz parte da turnê de lançamento do DVD do Pouca Vogal. Será uma noite de muita música boa e inédita da dupla composta pelos veteranos Humberto Gessinger e Duca Leindecker. Além disso, é claro que o público será brindado com clássicos dos Engenheiros do Hawaii e da Cidadão Quem.

*

No palco, a afinidade já antiga da dupla fica visível nos acordes uníssonos e melodiosos de uma apresentação que com certeza é muito mais do que um duo de voz e violão. Os dois amigos têm uma interação de tempos. Gessinger participou da gravação do DVD da Cidadão Quem no Theatro São Pedro, em 2004, e compôs a música A Força do Silêncio para o disco 7, de 2007, da banda liderada por Leindecker.

Pra quem não sabe, o nome Pouca Vogal é uma brincadeira com os sobrenomes dos rapazes. Faz sentido né?!

*

Então corre lá e garante o teu ingresso. O segundo lote sai por R$ 25 e o terceiro, por R$ 30. Os ingressos estão à venda no Tevah, no 3º andar do Royal Plaza Shopping, e no Restaurante Beijing, na Praça de Alimentação do Monet Plaza Shopping.

*

Para tentar a sorte e concorrer aos ingressos que são sorteados pela Itapema FM Santa Maria é só ficar ligado no nosso twitter. Acesse twitter.com/itapema_sma, segue a gente e retuíte a mensagem postada divulgando o show. São quatro ingressos liberados todo dia, um par durante o Wake Up (das 7h às 10h) e outro no Fim de Tarde (das 17h às 19h).

*

Em tempo! Na sexta-feira, vai rolar um bate-papo aqui na rádio com o Pouca Vogal e o que você acha de participar da entrevista? Envie pelo twitter a sua pergunta para a dupla que a gente faz durante a conversa e claro, dá os devidos créditos para o fã curioso. Participe! É claro que o show só podia ser uma promoção da Itapema FM Santa Maria, 105.7!

Enquanto isso, vai esquentando os motores para sexta-feira!

*

*

Qual seria o seu set list para um show de Paul McCartney?

31 de maio de 2010 8

Paul McCartney em show no México. (Foto: El Enigma/Flickr/Creative Commons)

*

Os leitores do blog vão achar que eu só sei falar de Beatles ou Paul McCartney, já que meu último post também foi sobre esse assunto. Mentira. Mesmo porque o Paul nem é meu beatle favorito. Mas digamos que eu estou numa fase de vibrações positivas para influenciar as forças que podem trazer Sir Paul ao Brasil. Sendo assim, ao me deparar com o set list do show do ex-beatle na Cidade do México, na última quinta-feira, fiquei me perguntando se faltava alguma coisa ou qual seria o meu set list para um show do baixista. Não cheguei a uma conclusão ainda, mas vocês, leitores, poderiam me ajudar, que tal?

*

Responde aí, para você, o que não poderia faltar no set list do show do Paul? Enquanto você pensa, confere o set list do show no México.

*

- Venus and Mars/Rock Show
– Jet
– All My Loving
– Lettin’ Go
– Got to Get You into My Life
– Highway
– Let Me Roll It/Foxy Lady
– The Long and Winding Road
– Nineteen Hundreth Eighty Five
– Let ‘Em In
– My Love
– Shine a Light (in México)
– I’m Looking Through You
– Two of Us
– Blackbird
– Here Today
– Dance Tonight
– Mrs Vandebilt
– Eleanor Rigby
– Something
– Sing the Changes
– Band on the Run
– Ob La Di, Ob La Da
– Back in the U.S.S.R.
– I’ve Got a Feeling
– Paperback Writer
– A Day in the Life/Give Peace a Chance
– Let It Be
– Live and Let Die
– Hey Jude

Bis I:
- Day Tripper
– Lady Madonna
– Get Back

Bis II:
- Yesterday
– Helter Skelter
– Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band (Reprise)/The End

*

Para ajudar você a pensar nas suas preferidas, veja aí alguns vídeos que separei do You Tube. As gravações foram feitas pelos espectadores mexicanos do show da última quinta. Primeiro, Shine a Light para se ter uma noção do tamanho do show e da quantidade de gente presente no local.

*

*

Agora, como não poderia deixar de ser, Paul cantando uma das composições mais bonitas de John Lennon, Give Peace a Chance. A música não está no set, então suponho que tenha rolado no calor da hora.

*\

*

E por último, confere o baixista se virando num espanhol bem enrolado com a plateia mexicana, hehe.

*

*

*