Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Coluna de 31 de julho

31 de julho de 2012 0

Repercussão

Gostaria de agradecer aos amigos que elogiaram a coluna e o blog durante todo o dia de ontem. Seria injustiça citar um ou outro, perante tantas mensagens carinhosas inclusive via facebook. Muito obrigado a todos.

Viaduto

Nas cartas do leitor de ontem, aqui no O Sol Diário, o leitor Paulo Sérgio de Arruda Silva, de Blumenau, chamou a atenção para a falta de iluminação do viaduto da BR-470, sobre a BR-101, em Navegantes. E ele tem toda razão. Além da ponte sobre o rio Itajaí Açu ser extremamente perigosa, poucos metros depois do viaduto, este continua, há tantos anos, sem iluminação. Veículos sobem e descem a ponte em alta velocidade, num dos pontos mais perigosos da região. Quem entra na BR-101, vindo de Ilhota, faz um grande contorno às escuras. Sem falar que assaltantes já ficaram de tocaia, no local, jogando pedra no para-brisa do veículo para que este perdesse o controle, parasse e viesse a ser alvo de roubo.

Transporte de cargas

No blog, ontem, destaquei os dois acidentes com caminhões, registrados em poucas horas em Itajaí e Balneário Camboriú. Mas a matéria sobre a via portuária, estampada aqui no O Sol Diário também de ontem, retrata com precisão toda a demora dessa grande obra, em Itajaí. Enquanto isso, o itajaiense que trafega em ruas como a Pedro Rangel, no São João, fica com o coração na mão toda vez que passa ao lado de um caminhão contêiner. E olha que essa rua tem curvas sinistras. É ou não é?

Estacionamento particular

Tá certo que se é particular, não há o que discutir, paga-se ou não. Mas beira a imoralidade o preço cobrado por alguns estacionamentos localizados nas proximidades de casas noturnas ou de salões de festas, em nossa região. Tem gente faturando alto.

Ambulâncias 1

Itajaí tem mais de 180 mil habitantes. Mesmo assim, o Corpo de Bombeiros possui quatro ambulâncias. Duas em operação, uma reserva e uma quarta ambulância que trabalha em conjunto com o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Por sua vez, o SAMU conta apenas com uma ambulância própria. Há cerca de vinte dias, presenciei uma cena lamentável.  Um morador de rua ficou caído e tendo convulsões, na rua Brusque, em plena calçada de um posto de combustíveis. Várias pessoas se aglomeraram em volta do homem que, depois de meia hora, foi atendido pela ambulância do SAMU. Por que esse tipo de coisa ainda acontece?

Ambulâncias 2

Além da cidade contar com tão poucas ambulâncias, ainda existem dois outros problemas. A quantidade de trotes aos Bombeiros (193) e ao Samu (192) e a dificuldade que a maioria da população tem em entender a diferença entre um e outro serviço. Muitas vezes a ligação deveria ser para o SAMU, mas chama-se os Bombeiros e vice-versa. Falta divulgação sobre as diferenças no atendimento.

Comente e compartilhe

comentários

Envie seu Comentário