Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Coluna de 25 de agosto

25 de agosto de 2012 0

Imagina se não fosse

A foto estampada na coluna de hoje é de um terreno baldio na avenida Abraão João Francisco, a Contorno Sul. A placa informa, mas a falta de consciência popular é maior. Não dá para ver em detalhes, mas tem até televisor, teclado de computador. Fico imaginando o que mais teria se não fosse proibido jogar lixo ali.

Propaganda 1

A impressão que eu tenho é que automóveis como o meu, neste período eleitoral, são como peixe fora d’água. O fato de não ter qualquer tipo de propaganda político partidária distingue meu automóvel, e o de várias pessoas, dos demais. De qualquer forma, somos minoria nesta época. Grande parte da frota itajaiense e regional apresenta todo tipo de propaganda política estampada nos vidros e na lataria.

Propaganda 2

Quem lucra com isso são as empresas especializadas em adesivar os automóveis. A moda agora é o perfurate. Nunca se viu tantos carros com isso. Fico imaginando o montante investido, por cada candidato, para adesivar tantos carros.

Clichê

Candidatos, por favor, vamos fugir dos clichês. Nada de pegar bebê no colo desta vez, ok? Vamos combinar?

Na TV

O início da propaganda eleitoral, na TV, não apresentou grandes novidades por aqui. Apresentação dos candidatos, imagens bonitas da cidade e compromisso em fazer uma campanha limpa. Daqui pra frente, tudo pode mudar.

Rodovia

O leitor Roberto Buerger, de Penha, entrou em contato com o Sol Diário para reclamar da falta de iluminação e de segurança na rodovia que liga a BR-101 ao Parque Beto Carrero. Rodovia essa que foi construída especialmente para atender ao parque. Ele tem toda razão. Há muito tempo, a situação é a mesma. A falta de iluminação no local, é algo que precisa ser resolvido o quanto antes.

Maus-tratos

Um dos grandes destaques da semana na região foi, sem dúvida, a questão dos maus-tratos aos animais. E, desta vez, os cavalos foram as principais vítimas. Há muito tempo, vemos esses animais sendo escravizados dia e noite nas ruas da cidade. O dono do cavalo usa o animal em carroças durante o dia inteiro e, à noite, “aluga” o coitado para trabalhar para outra pessoa. O ser humano é capaz de cometer esse tipo de maldade por uns trocados.

“Uma vaga noção de tudo, é um conhecimento de nada”. Charles Dickens

Comente e compartilhe

comentários

Envie seu Comentário