Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Coluna de 21 de setembro

21 de setembro de 2012 0

Lixo e mais lixo

Leitor que não quer se identificar entrou em contato com a coluna para reclamar do depósito diário de lixo proveniente das lojas da rua Cônego Tomaz Fontes, no Centro. Ele fala da primeira quadra, em frente ao antigo estacionamento do HSBC. “São montes que se acumulam desde a manhã para, no final da tarde obstruir todo o passeio. A prefeitura já foi alertada, mas nada faz”.

Escorpiões 1

Com regularidade, estamos falando sobre o acúmulo de lixo em ruas de Itajaí. Esse tipo de prática gera doenças, proliferação de animais como ratos e até mesmo escorpiões. O alimento principal desses últimos são as baratas. Por isso a importância de evitar os entulhos próximos de residências. A informação é da bióloga Luciane da Rocha, professora do Curso de Engenharia Ambiental da UNIVALI.

Escorpiões 2

“Na falta de inimigos naturais, a população dos escorpiões tende a subir, somado às altas temperaturas para este período do ano e à oferta maior de alimento produzido pelo acúmulo de lixo, o que acaba ocasionando esse desequilíbrio”. De acordo com Luciane, um escorpião pode viver até um ano sem se alimentar. E o principal detalhe: ele age, geralmente, à noite, quando pode entrar nas residências. De dia, fica escondido. Onde? No lixo, principalmente.

Sem carro 1

Amanhã é o Dia Mundial sem Carro. Reflexão para uns, a maior bobagem para outros. Mas é bom refletir, mesmo. Afinal, nossas ruas estão superlotadas de automóveis. Já não dá, praticamente, para circular. Ir de um ponto ao outro, mesmo em curtas distâncias, é o caos. Estratégias geniais não existem.

Sem carro 2

Vi esta mensagem circulando na Internet: “País desenvolvido não é onde o pobre tem carro. É onde o rico usa transporte público”. A mais pura verdade. O problema é que não é apenas falta de consciência. É muito mais que isso. É falta de incentivo e alternativa por parte do poder público. Retomo ess discussão amanhã.

Internet 1

A menina de Florianópolis que criou a página Diário de Classe, no Facebook, para registrar os problemas na escola onde estuda, teve que prestar depoimento na delegacia, esta semana, por conta de um boletim de ocorrência registrado por uma professora. Se a menina exagerou ou se os funcionários da escola se sentiram humilhados e agora querem ir à forra, isso é outra questão. O comportamento de Isadora Faber estava sendo, até então, exemplar.

Internet 2

Mas o assunto levanta a questão sobre o que podemos e o que não podemos expor na Internet. E não estou me referindo à Isadora agora, estou falando no geral. Tem gente que extrapola a liberdade de expressão. Já vi de tudo no Facebook, até mesmo xingamentos pesados aos juízes do Supremo Tribunal Federal. Quem fala o que quer, ouve o que não quer. Ponderação é a palavra-chave.

Comente e compartilhe

comentários

Envie seu Comentário