Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Bombinhas

29 de outubro de 2012 2

A polêmica em torno da possível cobrança de pedágio para os turistas que visitam Bombinhas nos faz refletir sobre a falta de planejamento do passado. O turismo, então encarado como vital, agora incomoda? Não pode ser. O problema está no turista ou na falta de planejamento dos governantes? Como um balneário como Bombinhas pode ficar à mercê de apenas um acesso pavimentado, uma estrada estreita já sobrecarregada na baixa temporada? Uma ligação direta com a BR-101 ainda não saiu do papel. O pedágio proposto agora não seria capaz de resolver todos os problemas ocasionados pelo trânsito caótico. Na qualidade de observador do que acontece com nossa região em todas as temporadas de verão, principalmente no tocante ao caos que se estabelece no trânsito da BR-101 e nos acessos a cidades como Bombinhas, penso que a quantidade de veículos que se dirigem ao balneário, ao mesmo tempo, provocando o entupimento do único acesso, é formado por aqueles que têm moradia no município, além de amigos e parentes. Não são turistas de um dia. Até porque é praticamente impossível entrar e sair no mesmo dia, dado o estresse das filas formadas do Centro de Bombinhas até a BR-101. E o que acontece com Porto Belo, então? Se boa parte dos veículos atravessam a cidade para chegar a Bombinhas e nem ficam neste que também é um dos lugares mais bonitos do Estado, não se pensa no caos provocado ao munícipe de Porto Belo? Afinal, na alta temporada, é preciso paciência e uma boa dose de criatividade para encontrar caminhos alternativos de se chegar a BR.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (2)

  • Paulo Daniel diz: 29 de outubro de 2012

    O único motivo para se construir o tal segundo acesso é meramente econômico. A obra é orçada em mais de 60 milhões (6 milhões por km). É muito dinheiro para uma “estrada turística”. Além da ocupação do morro através da ocupação dos terrenos lindeiros. Os simplistas acham que, enquanto o acesso por Porto Belo ficará congestionado, o segundo acesso estará “livre” para entrar e sair da cidade. É muita ignorância ou é muita má fé. O senhor Carlos Praxedes precisa rever sua observação, ou faze-la, pois a fila que se forma aqui em Bombinhas é de 99% de farofeiros que fogem das prais extremamente poluídas da região (Balneário Camboriú, Itapema, etc.), sendo que é um absurdo se gastar milhões nesse devaneio do segundo acesso e a cidade no estado deplorável que se encontra. Única coisa que acontecerá se sair o segundo acesso é DOBRAR o número de carros “farofando” aqui em Bombinhas. Essa discussão é muito pobre…

  • Edson Moraes Lessa diz: 31 de outubro de 2012

    Concordo com o Paulo. E tem mais…: O “segundo” acesso, ficará tão ou mais “engarrafado” do que o atual. Outra coisa: Quem paga mesmo os “pecados”, é o munícipe de Porto Belo. Até no “inverno/baixa temporada” aquele pessoal sofre com aquele trânsito, naquela única via. E tem mais…: Logo logo, também aquelas águas cristalinas das praias de Bombinhas, ficarão poluidas. Dificilmente tu vê um “turista” consciente da preservação, do cuidado com o ambiente, da educação, etc.etc. Os “caras” acham que só porque alugaram uma “casa”, têem o direito de “emporcalhar” a cidade e principalmente as praias. Ô “cambada”!!!

Envie seu Comentário