Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Ferry-boat

31 de março de 2013 2

O acontecimento de quarta-feira, que paralisou por duas horas o ferry-boat, quando uma mulher se negou a sair do carro durante a travessia, reacendeu a questão da intolerância e da falta de bom senso. Está certo, lei é lei e todos têm que cumprir. Mas a exigência de sair do carro, por si só, também é exagerada. Ao não sair do veículo, o motorista ou passageiro assume o risco de morrer caso ocorra algum acidente. Ponto final. Paralisar as operações da barca, fazer a transferência de 29 veículos por conta de um só, foi, também, na minha visão, falta de bom senso. O caso transformou-se em um problema gigantesco. Por quê? Por falta de bom senso de ambas as partes. Fico pensando no caso de pessoas que estejam muito debilitadas, por problemas de saúde. Obriga-se essa pessoa a levantar e ficar sujeita ao vento e ao frio durante a travessia, no meio do rio Itajaí-Açu? Não quero aqui defender o comportamento da mulher que não quis sair do veículo, mas é inacreditável que, por falta de bom senso, o episódio tenha ganhado tamanha proporção. Houve excessos, de ambas as partes.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (2)

  • araquem maximo diz: 2 de abril de 2013

    Perfeito, total despreparo.

  • araquem maximo diz: 2 de abril de 2013

    Perfeito.

Envie seu Comentário