Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Com carro de som, OAB faz desagravo em frente ao quartel da PM em Itapema

08 de agosto de 2013 3

Foto: Ricardo Pereira/Divulgação

A OAB-SC levou um carro de som para a frente do Companhia da Polícia Militar de Itapema no final da manhã desta quinta-feira, para um ato de desagravo. Com um microfone, representantes da entidade fizeram a reparação de uma ofensa que teria sido sofrida pelo advogado Márcio André Medeiros.
Em 24 de janeiro de 2008, o advogado teve o jardim de sua casa invadido por policiais, que estavam envolvidos em uma perseguição. Quando ele se apresentou e pediu que a polícia se retirasse, um soldado, que fazia parte do reforço da Operação Veraneio, teria ameaçado prendê-lo por desacato.
A situação teria se repetido dias depois em uma delegacia, quando o advogado acompanhava um cliente.
O ato de desagravo, de acordo com a OAB-SC, tem objetivo de coibir abusos de autoridade e evitar que advogados tenham a honra atingida no exercício da profissão.
Comandante do 12º Batalhão, que inclui a Companhia de Itapema, tenente-coronel Marcello Martinez Hipólito desconhece se o caso chegou a ser tratado em sindicância pela PM. Em relação ao ato, ele limitou-se a questionar a viabilidade do ato, devido ao tempo transcorrido _ cinco anos _ e ao fato de o policial envolvido no caso não ser lotado em Itapema.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (3)

  • Belmiro diz: 8 de agosto de 2013

    A OAB precisa de palco, de holofotes. Não sou formado em direito, mas, esperar cinco anos para um desagravo? e pior, o soldado nem está ou nem pertence à delegacia. Que coisa feia, Túlio… a OAB não tem coisas mais sérias e atuais para se envolver?

  • Gil Norton Amorim diz: 8 de agosto de 2013

    Ao conrário do Amigo acima, sou formado em direito e aprovado na OAB, mas a OAB tem se tornado nos últimos tempos a entidade (autarquia Especial) mais mesquinha, podre e repugnante deste pais. Ora, uma ação policial no calor ou emoção do momento ser interferida por um advogado que não queria que pisassem em seu jardim, isto é um absurdo, e se o meliante perseguido tivesse violado o patrimônio ou a saúde fisica e moral da familia do advogado, teria ele tomado tal atitude? – Óbviamente que não, mas é do tom de algusn despreparados advogados atitudes assim, pior é o ato descabido da OAB, sem fundamento algum, logo os fundamentos tão defendidos pelo judiciário e ir com carro de som a um quartel é infração de trânsito que deveria ter sido inibida. Uma vergonha a ação da OAB/SC, perderam a oportunidade de fazerem algo de produtivo à sociedade.

  • Giselle diz: 8 de agosto de 2013

    Talvez tenha demorado tanto tempo pq a gestão anterior não estava preocupada em representar os advogados!

Envie seu Comentário