Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Agora virou ação

31 de janeiro de 2014 1
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

Os abusos dos comerciantes que espalham mesas e cadeiras pelas praias de Balneário Camboriú viraram alvo de ação civil pública. O promotor Rosan da Rocha ingressou ontem na Justiça contra o município, exigindo a retirada de cadeiras, mesas, espreguiçadeiras, sofás e tapetes da faixa de areia. Só são permitidas cadeiras de praia e guarda-sóis, desde que cedidos gratuitamente e sem reserva de espaço.
O promotor já havia recomendado a retirada à prefeitura na semana passada, mas diz que o pedido não foi atendido. Rosan pede que a comunidade denuncie os desrespeitos, de preferência com registro fotográfico.

Enquanto isso, em Itajaí, é difícil encontrar um espaço nas areias da Praia Brava nos fins de semana para colocar uma cadeira. Pelo jeito, ninguém se incomodou ainda.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (1)

  • Paula Trazz diz: 1 de fevereiro de 2014

    Em Itajaí não há preocupação, porque o que interessa mesmo é construir prédios e entupir a cidade com concreto… o resto é banal….

Envie seu Comentário