Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Hidrovia é esperança para desafogar trânsito

28 de março de 2014 0
Foto: Rafaela Martins

Foto: Rafaela Martins

O governador Raimundo Colombo (PSD) fez uma rápida visita a Itajaí ontem à tarde para anunciar investimentos em dois projetos diretamente ligados à economia da cidade, mas opostos em relação à modernidade. De um lado o Centro de Inovação, que vai atuar na capacitação de trabalhadores e empresas empreendedores para atrair investimentos futuros. De outro, o resgate da hidrovia do Itajaí-Açu – solução simples e centenária para o atual problema da mobilidade de cargas na região.

Colombo calcula que apenas uma barca de transporte possa levar carga equivalente a 83 caminhões, com a possibilidade de haver 10 delas trabalhando no rio ao mesmo tempo. Na prática, a hidrovia poderá reduzir o transporte pesado nas ruas de Itajaí e facilitar o acesso dos contêineres aos terminais portuários.
O projeto surgiu há quatro anos na superintendência do Complexo Portuário. A ideia inicial era que o governo federal tomasse as rédeas do projeto, mas por se tratar de um rio que nasce e termina em Santa Catarina, a responsabilidade deveria ficar com o Estado.

Ontem, o recurso liberado pelo governador foi de R$ 1 milhão, entregue à Amfri. Com a verba será possível fazer a batimetria e a sinalização do primeiro trecho.

O maior desafio será a elevação das pistas antigas da ponte que passa sobre o Itajaí-Açu na BR-101. O secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Paulinho Bornhausen, deixa o cargo na semana que vem e volta a Brasília como deputado federal. Diz que conversas com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) já estão na pauta de trabalho.

Paralelo às conversações, um projeto de lei tramita na Assembleia Legislativa contendo o marco regulatório da hidrovia. E há testes na foz para verificar a navegabilidade das barcas. Além da finalidade econômica, a proposta é voltar as cidades para as margens dos rios, com atividades de turismo e possibilidade da abertura de atracadouros e marinas.
O governador garantiu que a hidrovia não deve desviar a atenção do projeto da ferovia do frango, também considerado essencial para a mobilidade de cargas e para manter o nível de crescimento dos terminais portuários da região.

Comente e compartilhe

comentários

Envie seu Comentário