Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Começa o restauro

16 de maio de 2014 4
Foto: Rafaela Martins

Foto: Rafaela Martins

O contrato foi assinado. A empresa Albatroz, que ficará responsável pelo restauro do prédio da antiga Fiscalização dos Portos, aguarda agora a liberação dos alvarás e das autorizações dos conselhos de patrimônio municipal e estadual para dar início à recuperação do edifício, que deve iniciar na semana que vem. O trabalho custará em torno
de R$ 700 mil.

O desafio é grande. O prédio da década de 1930, que está em meio à área do Porto de Itajaí, sofreu com o tempo. Nos últimos anos ganhou o apoio de escoras, para que a estrutura, deteriorada, não viesse
ao chão.

A ideia do porto era sugerir em audiência púlica o destombamento da construção histórica e medidas compensatórias para derrubar o prédio e dar lugar à ampliação dos berços de atracação. A proposta foi interrompida por decisão judicial, que obrigou o restauro.

A previsão é que a obra seja concluída em oito meses. Ainda não se sabe o que será feito do prédio então – a ideia inicial era abrir ali um museu do porto, mas perdeu força dos últimos tempos. Ainda que não se torne museu, a construção recuperada manterá viva a memória do porto.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (4)

  • Restaurar o Irrestaurável diz: 16 de maio de 2014

    R$ 700 mil? SETECENTOS MIL REAIS? VÃO FAZER O QUE COM ESSE PREDIO, DEPOIS DO RESTAURO? ABRIR UM BOTECO COM SINUCA, COM O DO PREDIO HISTORICO VIZINHO? ABSURDO… COM ESSE DINHEIRO DA PRA FAZER UMA ESCOLA, NO MINIMO….

  • Magro diz: 16 de maio de 2014

    eu também não sei como fui capaz de ser convencido a votar no Jandir até hoje.

  • De olhos abertos diz: 16 de maio de 2014

    Aleluia! Após o restauro o prédio histórico deveria ser transformado num espaço de cultura e turismo. O ideal seria o “Museu do Porto”, com um mirante para as pessoas poderem visualizar a movimentação portuária. Itajaí precisa avançar na questão turística e revitalizar seu centro histórico.

  • Julio Keunecke de Mendonça diz: 27 de maio de 2014

    Finalmente, uma boa notícia: depois de tantos “tombamentos”, literalmente “derrubadas”, vamos ver uma pequeno pedaço restaurado da nossa História, tão depredada pela ganância imobiliária de alienígenas (e também de alguns retardados daqui, que não valorizam o nosso patrimônio histórico-arquitetônico). E também é preciso fazer um bom uso do local: opções não faltam. É só usar o bom senso. Julio Keunecke de Mendonça.

Envie seu Comentário