Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Precatórios podem resultar em 900 apartamentos a mais em Balneário Camboriú

16 de maio de 2014 2

O secretário de Planejamento de Balneário Camboriú, Auri Pavoni, usou seu perfil no Facebook para questionar as críticas que têm sido feitas ao projeto dos precatórios, que permite às construtoras trocar o pagamento de dívidas antigas do município por potencial construtivo.

Auri diz que a medida é necessária para não quebrar os cofres da cidade com o pagamento das dívidas, que chegam a
R$ 180 milhões, e revelou que, se houver mercado para pagar a conta integralmente, o valor deve ser revertido em 800 a 900 apartamentos a mais na cidade, levando em conta o índice de confortabilidade proposto.

“Essa situacao não agrada a ninguém, mas a dívida é real, está batendo à porta, e hoje somente em juros e correção monetária gira algo proximo de R$ 30 milhões por ano”, disse.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (2)

  • Tudo por Dinheiro diz: 16 de maio de 2014

    não importa se amanhã não conseguiremos andar no trânsito; não importa se morarmos numa selva de pedra, sem ventilação; não importa todos os impactos negativos que a construção de 900 apartamentos podem trazer a cidade… o que importa é encher o bolso de dinheiro e o resto que se dane….

  • Mario diz: 16 de maio de 2014

    Ninguém acredita nesta turma, muito menos no secretário já condenado pela justiça, que inexplicavelmente segue no cargo e querendo processar a todos. Ele é a raposa cuidando do galinheiro, tanto que passou por várias gestões, feito camaleão. Os servidores públicos são punidos, processados, exonerados por muito menos do que ele comprovadamente já fez, com a máquina pública, em benefício de seus empreendimentos particulares.

    Em BC não se caminha (cai tijolo na cabeça, notícia da RBS, rua 1500), não se roda, não se tem sossego nunca. É betoneira e britadeira o tempo todo, ruas emporcalhadas e ocupadas por obras que durarão anos. O cidadão, às vezes, só tem como andar no meio da rua.

    Não se precisa detalhar, porque quem anda por BC sabe das mazelas. A desculpa de seguir dando emprego na construção civil não vale. Falta mão de obra, vem de fora e aumenta os cortiços, submoradias, e nem pode viver em BC. Camboriú, cidade dormitório, está cada vez mais problemática. Não ganham nem para viver e nunca comprarão uma casa aqui.

    As construtoras tem vastos mercados a explorar na região e fora dela. Parem de sugar BC! A cidade tem que se aprumar, sair deste clima neurótico que vive. Arruma o que tem hoje, planeja bem o futuro, e para de viver de desrespeito ao Plano Diretor.

    Os que têm uma casa e terminaram sufocados por barracões, prédios, devem ir para a justiça, cobrar os danos e quebra do zoneamento urbano. Advogado tem às pencas.

Envie seu Comentário