Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Começa o restauro

21 de agosto de 2014 2
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

Iniciaram, enfim, as obras de restauro do prédio da antiga fiscalização dos portos, em Itajaí. Elementos que não fazem parte do bem tombado estão sendo derrubados para que o prédio, tombado como patrimônio histórico do Estado e do município, seja então recuperado.

A obra,  avaliada em R$ 700 mil, deverá ficar pronta em oito meses. Exigido pela Justiça, o restauro atrasou porque a autorização da Federação Catarinense de Cultura demorou dois meses para ser expedida. Somente após o aval é que a prefeitura de Itajaí pode emitir o alvará para a intervenção.

O prédio

Foi construído por volta de 1930 para sediar o escritório e o depósito dos materiais que seriam utilizados nas obras de ampliação projetadas para o Porto de Itajaí. Depois passou a ser sede da fiscalização e administração do Porto, até o ano de 1967, quando foi construído o novo prédio da administração, na Rua Cel. Eugênio Muller.

Trata-se de uma construção de estilo eclético com predomínio de elementos neoclássicos em sua composição, edificada em tijolos e coberta por telhas tipo francesa. Como a maioria das construções desse estilo, originalmente o edifício tinha paredes pintadas de cores suaves, com ornatos e aberturas na cor branca.

O destaque fica com os arcos plenos das aberturas e dos desenhos impressos no tratamento do reboco, inspirados nas composições em pedras características do renascimento florentino. A composição é assimétrica em todas as elevações e o torreão, construído em uma das extremidades do prédio original, conferia certo aspecto oficial, realçado pela varanda, pela porta em arco e pelo mastro de bandeira, ali fixado. (informações da assessoria de imprensa)

A obra,  avaliada em R$ 700 mil, deverá ficar pronta em oito meses.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (2)

  • humberto diz: 22 de agosto de 2014

    Finalmente uma edifício histórico de Itajaí será restaurado, boa parte da nossa história foi perdida pela ganância dos empresários da construção civil e outros setores. Por pouco este prédio não foi demolido…imaginem se tudo que é velho, antigo e obsoleto fosse derrubado, nossos políticos estariam enterrados há anos.

  • Hermerson Ricardo Pereira diz: 23 de agosto de 2014

    700 mil reais, bem baratinho…. será que vai virar um barzinho com sinuca e “moças simpáticas”?

Envie seu Comentário