Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Operação do Gaeco na região tem 14 presos e inclui 9 cidades

15 de setembro de 2014 4

Atualizada

Informações oficiais do Ministério Públuico de Santa Catarina dão conta de que a ação que levou agentes do Gaeco à prefeitura de Balneário Camboriú na manhã desta segunda-feira também inclui mandados de busca e apreensão nas cidades de Camboriú, Joinville, Jaraguá do Sul, Guaramirim, Araquari, Florianópolis, Porto Belo e Tijucas.

Foram cumpridos 11 mandados de prisão temporária e três mandados de prisão preventiva em Balneário Camboriú, além 29 mandados de busca e apreensão em residências, órgãos públicos e empresas, além de uma decisão judicial de suspensão das funções de um agente público.

De acordo com o MPSC as investigações abrangem crimes de corrupção passiva e ativa, advocacia administrativa, peculato, tráfico de influência, fraudes em licitações e associação para o crime. Mais de 35 funcionários públicos e oito empresas foram investigados pelo Gaeco.

Todos os mandados foram expedidos pelo Juízo da 2ª Vara Criminal da Comarca de Balneário Camboriú. A operação foi coordenada pelo Gaeco de Itajaí e contou com o apoio de integrantes dos Gaecos da Capital, Joinville, Criciúma, Lages e Chapecó.

Investigação

O trabalho é fruto de investigações iniciadas em março de 2014 pela 9ª Promotoria de Justiça da Comarca de Balneário Camboriú, a qual possui atuação na Defesa da Moralidade Administrativa.

Sefundo o MPSC a operação foi batizada com o nome de “Trato Feito” porque  investigação teve como um dos principais focos supostos acordos prévios entre servidores públicos e empresários visando fraudar licitações, assim como acertos posteriores, quando da execução dos contratos licitados. Além disso, a investigação teria revelado “benesses outorgadas ao ramo da construção civil no Município de Balneário Camboriú”.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (4)

  • Operação Trato Feito apura fraude em licitação da Passarela da Barra e outros dois editais recentes | Guarda-sol diz: 15 de setembro de 2014

    […] do Gaeco, informou durante entrevista coletiva nesta segunda-feira que as investigações da Operação Trato Feito incluem indícios de fraudes em três licitações recentes: a obra do elevado da Quarta Avenida, […]

  • José Leonel de Miranda diz: 16 de setembro de 2014

    Os homens públicos devem respeitar mais o Estado. Desvios graves devem ser punidos com o rigor da lei; esperamos mais da Justiça. Cadeia é pouco para estes malandros que infestam cargos em órgãos públicos.

  • Paulo Roberto Linhares diz: 16 de setembro de 2014

    Pq como em todo matéria de prisões, está não tem fotos dos acusados detidos… Se oq eles fizeram foi mto pior q roubar uma bicicleta, um supermercado… Eles roubam dinheiro publico, e não é pouco, e tem proteção de imagem. Ridículo…

  • Vereadores aprovam CPI das Licitações em Balneário Camboriú | Guarda-sol diz: 29 de outubro de 2014

    […] defende que a ideia é ir além nas investigações.Trato FeitoDeflagrada em 15 de setembro, a Operação Trato Feito investigou fraudes em licitações na prefeitura de Balneário Camboriú. Foram cumpridos 29 […]

Envie seu Comentário