Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Servidores públicos presos na Operação Trato Feito terão desconto de salário

19 de setembro de 2014 2

A procuradoria jurídica enviou orientação ao RH da prefeitura de Balneário Camboriú para que desconte dos salários dos servidores presos na Operação Trato Feito os dias de detenção. Para os secretários os vencimentos, pagos no dia 20 de cada mês, são de mais de R$ 8 mil.

Neste fim de semana deverá ser publicada em Diário Oficial a suspensão das nomeações dos detidos, que ocupam cargos de confiança. Suspensos, eles passam a não receber salários.

Já Auri Pavoni, que foi afastado do cargo de secretário de Planejamento por ordem judicial, decidiu pedir exoneração. O comunicado oficial foi publicado nesta sexta.

A prefeitura vai instaurar sindicâncias na Secretaria de Obras e no setor de compras para apurar o esquema de fraudes em licitações que é investigado pelo Ministério Público. De acordo com o procurador Marcelo Freitas, serão revistos agora os procedimentos em setores de fiscalização do serviço público, como controladoria e corregedoria.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (2)

  • Isa diz: 20 de setembro de 2014

    Já vai tarde, sr Pavoni. Já apitou demais, desde o tucanato. Deveria ter saído antes, quando apenas ganhou uma multinha da Justiça. Não se pode acreditar no sr, tendo em vista a arrogância, os procedimentos suspeitos de usar o cargo para beneficiar propriedade sua. Perseguir jovens de Facebook, por se expressarem, em atitude anti-democrática, prepotente. Só aqueles que têm os mesmos interesses econômicos que o sr acreditam e são servidos por tal secretário. O povo precisa de gente de reconhecido saber, um urbanista, arquiteto, engenheiro, etc, sem rabo preso, de ilibada reputação, com espírito público, com grandeza para servir às maiorias sofridas e desrespeitadas. Uma cidade de cimento e asfalto, sem uma praça decente, sem mobilidade urbana… Pena que já botam mais uma raposa para cuidar do galinheiro. Por favor, PMDB, não vão chamar os condenados Aldo Hey Neto e outros assessores do tipo, do governo LHS. Dizem que a maçonaria preza pela honestidade, justiça, etc. Não entendo como há tanto maçon de ficha suja, no governo, na educação .

  • “Não vejo nenhum tipo de falha da Câmara” – Nilson Probst, presidente do Legislativo em Balneário Camboriú | Guarda-sol diz: 25 de setembro de 2014

    […] Servidores presos terão desconto nos salários […]

Envie seu Comentário