Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Trecho onde torcedor do Avaí foi atingido já registrou arremesso de objetos outras vezes

25 de setembro de 2014 6

Atualizada
O arremesso de uma pedra a partir do viaduto da Rodovia Interpraias, em Balneário Camboriú, que resultou na morte do torcedor do Avaí João Grah, de 27 anos, acendeu o alerta sobre ocorrências parecidas que já vinham sendo registradas no trecho. O Grupo RBS recebeu de uma leitor a cópia de um boletim de ocorrência que relata o arremesso de uma pedra sobre um carro em uma passarela de Itapema, a poucos metros do viaduto, em 22 de julho deste ano. O registro foi feito no posto da Polícia Rodoviáia Federal em Itapema

Reprodução

Reprodução

Inspetor Loes, chefe do Núcleo de Policiamento e Fiscalização da Polícia Rodoviária Federal (PRF) na região, reconhece o problema que, segundo ele, não é exclusivo do trecho:

_ Tanto pode ser uma tentativa de assalto quando molecagem, isso acontece em qualquer lugar no Brasil.

Não há estatística formal de quantos motoristas podem ter sido vítimas das pedradas em Balneário e Itapema, até porque nem todos registram boletim de ocorrência. O local é bem iluminado e coberto por câmeras, por isto o inspetor diz que não há muito que o motorista possa fazer para proteger-se de uma situação que, como ficou provado no caso do torcedor, pode ser fatal.

_ O que recomendamos é que o motorista procure o posto da PRF e faça o registro da ocorrência, para que possamos tomar providências.

Morte na estrada

Diante da morte de João Grah, o inspetor diz que vai sugerir formalmente à Autopista Litoral Sul, concessionária que administra o trecho da BR-101 no Litoral Norte, que instale no local grades e telas de proteção curvas que impeçam o arremesso de objetos a partir do viaduto.

Segundo ele, modelos parecidos são usados em outros estados em locais onde há grande incidência de arremessos.
No caso do torcedor do Avaí, a polícia suspeita de ataque de torcidas rivais.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (6)

  • Claudia diz: 25 de setembro de 2014

    O acidente do torcedor foi no viaduto no km 136 e não em uma passarela no km 152.

    Com uma breve pesquisa no próprio site da RBS você deixaria de publicar uma notícia falsa.

  • Rui diz: 25 de setembro de 2014

    Claudia, se você observar na matéria, consta “acendeu o alerta sobre ocorrências parecidas que já vinham sendo registradas no trecho”. Ou seja, a reporter não disse que era no mesmo viaduto, e sim no mesmo trecho da BR-101.

    Com relação aos comentários do Inspetor da PRF, são lamentáveis. Quer dizer ele que não tem nada o que fazer, deixe assim mesmo e continuem morrendo! Oras, Sr. Inspetor, a colocação de gradil nos viadutos, a exemplo do que acontece em várias passarelas, pelo menos dificultaria a execução do crime.

  • Drica diz: 25 de setembro de 2014

    Cláudia, se vc souber ler, na matéria fala sobre a ocorrência de arremesso de objetos e exemplificada com um boletim de ocorrência e não em qual quilômetro a ocorrência aconteceu. Burrice me cansa!

  • Carlos Mafra diz: 25 de setembro de 2014

    Vai se informar melhor e vê se corrige este blog.

  • Luiz A diz: 25 de setembro de 2014

    Este crime foi premeditado, tocaiado, e com intenção de matar até mais gente.Imagina se a pedra acerta o motorista?Quantas pessoas teriam morrido.A policia e a justiça tem que dar exemplo:PUNIÇÃO RIGOROSA, SEM DIREITO A FIANÇA.Cadeia para todos e responsabilidades para todos, todos que estavam ali , sabiam que poderiam provocar uma tragédia, até pior a que ocorreu.

  • Ronaldo diz: 26 de setembro de 2014

    É Claudia, atualmente o jornalismo é assim. Qualquer blogueiro é jornalista e qualquer jornalista publica “notícias” sem informação. Não existe restrições quanto ao uso de imagem e em muitos casos as matérias tem objetivos pessoais.

Envie seu Comentário