Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Prefeitura de Bombinhas decide adiar início da cobrança do pedágio ambiental

12 de novembro de 2014 63
Foto: Marcos Porto

Foto: Marcos Porto

 

A prefeitura de Bombinhas decidiu adiar o início da cobrança da Taxa de Preservação Ambiental (TPA) até o julgamento da ação direta de inconstitucionalidade pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina, marcado para quarta-feira que vem, dia 19 de novembro.

Na semana passada os desembargadores começaram a votar a ação, proposta pelo Ministério Público Estadual, mas o julgamento foi suspenso por um pedido de vista do desembargador Ledio Rosa de Andrade, que quis avaliar melhor a questão.

Até o pedido de vista a votação estava em 3 a 1 pela suspensão da lei que instituiu a TPA. Mas o adiamento da votação permitiu que a prefeitura seguisse com os planos de iniciar a cobrança no dia 15 de novembro, como era previsto.

Na quinta-feira passada, um dia após a sessão do TJSC, o vice-prefeito de Bombinhas, Paulo Dalago Müller, havia afirmado em entrevista ao blog que a prefeitura não desistiria de iniciar a cobrança no dia 15 _ mesmo sabendo que o assunto voltaria a ser pauta de discussão no TJSC quatro dias depois.

A controladoria da prefeitura informou, na manhã desta quarta-feira, que a decisão de prorrogar o início da cobrança  levou em conta a proximidade da sessão do TJSC. A intenção, agora, é esclarecer melhor turistas e veranistas até o dia 19. Publicidade a respeito da TPA deverá ser instalado no município até o fim de semana.

Questionada

A ação direta de inconstitucionalidade movida pelo MPSC argumenta, entre outros quesitos, a falta de detalhamento da aplicação dos valores recolhidos e a falta de isonomia (há várias exceções para o pagamento, como artistas que vão se apresentar na cidade).

Em outubro o município autorizou a instalação das câmeras tipo OCR que farão a leitura das placas para cobrança do pedágio. O contrato deverá custar aos cofres públicos R$ 6,8 milhões para dois anos de operação.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (63)

  • Marcelo Baron diz: 12 de novembro de 2014

    Bom dia: há vários anos passamos (eu, esposa e filho) a temporada em canto grande, bombinhas e sinto-me à vontade para comentar: Há diferentes valores para diferentes tipos de veículos. Se a taxa é de preservação ambiental, então estão taxando veículos (levando-se em consideração que há valores diferentes) e não pessoas (então é pedágio). Se uma pessoa, com sua mochila e barraca, entrar em bombinhas de bicicleta ou “a pé” não será taxada e poderá sujar, poluir o quanto quiser! Se esta pessoa não é taxada ao entrar, novamente, pode-se afirmar que a taxa não é taxa, mas, pedágio. Ao meu ver, há incoerência, ou melhor, há manifesta tentativa de arrecadação sob o falso nome de taxa de preservação ambiental!

  • Cristiano diz: 12 de novembro de 2014

    Podem até dizer que uma coisa não tem nada a ver com a outra, mas começar a cobrar esta taxa justamente agora que a cidade está sem sua rua principal, tomada por obras que, pasmem, devem acabar em setembro/2015, beira o ridículo. Isso mostra a incompetência do gestor público brasileiro.

  • Alexandre diz: 12 de novembro de 2014

    Interessante é que se a cobrança “passar” pelo TJSC, vai iniciar justamente numa temporada que promete recordes históricos de congestionamento no acesso à cidade, em virtude das obras na avenida de Bombas (com previsão de se prolongarem até setembro/2015). Parafraseando um famoso filósofo nacional, “loucura, loucura, loucura!”

  • Douglas Santolin de Oliveira diz: 12 de novembro de 2014

    O direito de ir e vir dos cidadãos brasileiros não pode sofrer penalidades por um grupo de aproveitadores, que de forma sorrateira buscam tirar proveito onerando mais uma vez aqueles que irão pagar altos impostos ao adquirir bens de consumo no comércio local.
    Os impostos são destinados para realizações do que nesse município? A cobrança dessa taxa é um absurdo, coisa de cabeças pequenas. Outras praias oferecem melhores condições aos seus visitantes que são bem-vindos. Não visite Bombinhas, apague essa ideia de que Bombinha é a praia dos sonhos, existem muitas outras bem melhores.

  • dionei raulino diz: 12 de novembro de 2014

    Se existe justiça neste país, vão proibir este pedágio…ainda tem gente que apoia esta “ideia”!

  • Pedro Pacas diz: 12 de novembro de 2014

    O negócio é boicotar Bombinhas. Quem é daqui sabe que na região não faltam praias e lugares bonitos para curtir. Fora Bombinhas, até pra estacionar na rua vão cobrar. A próxima taxa vai ser por causa do consumo de oxigênio, ou seja, até pra respirar em Bombinhas vão cobrar daqui um tempo. Melhor para as cidades vizinhas!

  • Emiliano diz: 12 de novembro de 2014

    “Judex damnatur, ubi nocens absolvitur”. Primeira coisa é fazer o dever de casa: Dura Lex, Sed Lex.
    Falar em TBA é uma hipertrofia do discurso e atrofia da ação. A prefeitura foi condenada a recuperar ambientes de dunas e restingas na Praia do Mariscal e ainda foi multada em R$ 8,5 milhões de reais; o MPF embargou o calçadão da Praia de Bombas porque estava cometendo crime ambiental por supressão de vegetação de duna e restinga; o Ministério Público Estadual de Porto Belo moveu duas ações: extinguiu o Conselho Gestor do Conselho da Cidade que queria aprovar na marra a revisão do Plano Diretor sem a participação popular e em outra ação condenou a prefeita e o vice-prefeito, secretários municipais e mais 20 membros do Conselho da Cidade que aprovaram e autorizaram o uso e ocupação do solo acima da Cota 20 (proibido pela Lei Orgânica Municipal) e a supressão criminosa de exemplares do garapuvú ( árvore símbolo de Bombinhas) além do embargo da estrada dentro da Arie/Costeira de Zimbros uma Unidade de Conservação Municipa. Além de todas essas “AÇÕES DE PROTEÇÃO AMBIENTAL” tem a prática da “Farra do Boi” que desde a criação do município em 1992, considerada crime ambiental pelo STF vem sendo praticada sob o escudo dos políticos locais que financiam este ab absurdo. Pode perguntar: os 15 mil moradores de Bombinhas e os 18 mil de Porto Belo serão isentos do pagamento da taxa, mas eles podem poluir o solo e as águas com despejo de dejetos, usar água tratada para consumo humano e energia elétrica, vão descartar resíduos sólidos e congestionar as ruas com seus veículos. Com certeza vão receber duas vezes: pela isenção sem qualquer tipo de pagamento de taxa e dos aluguéis, serviços e produtos que eles vão vender para os turistas, veranistas e os chamados de forma pejorativa por eles de “farofeiros”.

  • ADEMIR diz: 12 de novembro de 2014

    se cobrarem para entrar em bombinhas juntamente com o pedagio estara instalado o apartheid so entra rico pobre fica de fora.

  • Paulo diz: 12 de novembro de 2014

    Mas é essa a intenção Pedro Pacas. Que ninguém mais vá para Bombinhas. Pensa que paraíso seria aquele lugar lindo sem aqueles turistas entupindo e sujando as praias, secando nossas águas; sem aquela bagunça toda que eles fazem. Nossa, que visão linda!!!! Simmmmm, apoio a cobrança até do ar que se respira por lá!!!

  • Camila diz: 12 de novembro de 2014

    Porque não utilizam o valor que será gasto com a operação para justamente preservar o meio ambiente?
    Pra mim, isso é equívoco da administração, que poderia gastar menos e investir em publicidade para orientar os turistas na preservação ambiental.
    E orientar também a população local pra não abarrotar imóveis locados com gente saindo pelas janelas em troca de valores altos de aluguel. Isso certamente traz mais prejuízos para cidade do que o turista que muitas vezes está só de passagem pra prestigiar a cidade.

    Sei lá, Bombinhas tem praia bonita, mas temos outras tão lindas quanto. O jeito é contornar a cidade e aproveitar as outras praias e cidades da região. Não vale a pena pagar pra ver mais do mesmo. E deve ser isso mesmo que eles pretendem: reduzir a quantidade de turistas…

  • Regiane diz: 12 de novembro de 2014

    Imaginem se o TJSC aprovar essa taxa. Isso vai permitir que todos os outros municípios também cobrem “taxas” para que tenhamos acesso às praias e parques.
    Já pensou se para atravessarmos de um município para outro tenhamos que pagar? Que

  • Zeeh diz: 12 de novembro de 2014

    O mais engraçado é que em fernando de noronha é assim, ilhabela é assim.. e ninguém reclama… VAI QUEM QUER.. ninguem é obirgado a ir… eu apoio.. que com essa taxa muita gente vaii deixar de ir (tomara) e assim problemas com a falta de agua, transito melhorarão e muito. passo meus fins de anos em cantogrande tambem.. amo o lugar.. e cada ano que passa tem ficado cada vez mais impossivel ir pra la… então com essa taxa vai espantar muitas pessoas.. mlehorando o local… sendo que a taxa é de baixo valor, comparado com outros lugares que são taxas altissimas e mesmo assim recebem visitantes o ano inteiro…
    concordo que realmente falta transparencia no qesito aplicação do dinheiro.. mais a idéia é boa..

  • Zilto José Rosa diz: 12 de novembro de 2014

    Simples. Moro em BH e ia todos os anos para Bombinhas. Não vamos mais. Que todos toma a mesma decisão. Façam como eu. Prejuízo para a cidade e o comercio. Não vou alugar mais apto e não vou gastar em suas lojas e restaurante. Panaca são os donos do comercio que não fazem um movimento contra esse assalta da prefeitura. Adeus Bombinha

  • Camargo Correia diz: 12 de novembro de 2014

    NAO VISITE SANTA CATARINA NESTE VERAO. FALTA TUDO, AGUA, LUZ, INTERNET. E AINDA COBRAM PARA ENTRAR NAS PRAIAS. FUJAM DE SANTA CATARINA.

  • Telmo diz: 12 de novembro de 2014

    Para muitos daqui do Sul foi o PT. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

  • Jefferson diz: 12 de novembro de 2014

    Imaginem. Se for considerada legal, abre caminho para taxação em Floripa, São Francisco do Sul, e qualquer outra cidade em que não ha passagem para outra. Isso até as cidades de passagem começar a cobrar. Imaginem se todos moradores de Bombinhas fossem forçados a pagar pedágio para passar por Porto Belo?

  • Laís diz: 12 de novembro de 2014

    Falta muitos esclarecimentos a respeito dessa taxa, quanto a valores se será cobrado dos moradores ou só dos turista? E as pessoas que vão a Bombinhas a trabalho e não a passeio?
    É fácil simplesmente começar a cobrar a taxa, mas esclarecer as duvidas da população ninguém quer né!

  • Marcelo Fidallgo diz: 12 de novembro de 2014

    Só pessoas pouco viajadas, pouco aculturadas e de cabeça pequena são contra essa taxa. Em vários lugares do mundo ela existe e auxilia no controle de entrada e na preservação do ambiente. Eu já vi várias vezes chegarem carros com placas de outro município, lotados de pessoas, colocando som alto na praia, tomando suas cervejas trazidas em isopores, comendo seu sandubinha feito em casa e depois deixando tudo na praia, sem nem jogar no lixo e indo embora sem ter contribuído em nada para o turismos da cidade, ou melhor, contribuiu sim, com a sujeira e o aumento da fila no trânsito.
    Tem que limitar mesmo e quem quiser boicotar a cidade será muito bem “indo” pra longe daqui.

  • cintia diz: 12 de novembro de 2014

    Não sou natural de Bombinhas, mas moro aqui. Sou totalmente contra este “pedágio”, pois todo mundo sabe para onde vai o dinheiro (que não é para Bombinhas), O esgoto está correndo a céu aberto em nossas praias, o lixo está acumulando nas areia, falta água no verão (na minha casa já está faltando). E ainda querem liberar a construção de Espigões na praia do Canto Grande e Mariscal.Quero saber como ela(prefeita) vai fazer com o esgoto, água, estacionamento…. E agora está cobrando o estacionamento. Nosso paraíso está terminando. Acho que está na hora do povo de Bombinhas botar a boca no trombone!!!

  • Dúvida diz: 12 de novembro de 2014

    Uma coisa não consigo entender. o cidadão tem um apartamento, com duas vagas de garagem ou mais, para impostos separados por cada vaga e só pode usar uma a não ser que queira pagar a TPA.
    Outra questão. o cidadão tem um terreno em Bombinhas, sem construção e resolve ir dar uma limpada no mato ou algo do tipo. Como não tem conta de energia elétrica não consegue se cadastrar e terá que pagar a TPA.

  • Daniel diz: 12 de novembro de 2014

    Sou contra essa ideia de boicote ao Município. No final das contas quem sairá perdendo será o trabalhador/empresário de Bombas/Bombinhas/Canto Grande/etc que depende, quase que exclusivamente, da temporada para sobreviver.

    Boicotem essa tentativa horrorosa de tributar as pessoas sem qualquer fundamento legal. Afinal, Bombinhas não é Fernando de Noronha!

    Porém, ao lado de Balneário Camboriú, Itapema e até mesmo das praias de Florianópolis, perdoem-se discordar novamente, Bombinhas é sim a “praia dos sonhos”.

  • Julio diz: 12 de novembro de 2014

    #Portobeloedegraça

  • Fábio santos diz: 12 de novembro de 2014

    VÃO PAGAR 6,8 MILHÕES PARA A EMPRESA QUE INSTALOU OS EQUIPAMENTOS PARA A COBRANÇA? AÍ TEM! Ô roubalheira!

  • Leticia diz: 12 de novembro de 2014

    Eu acho que deveria de haver então, um pacote para pagamento anual. Eu moro de aluguel em bombinhas e não tenho como regularizar as placas dos veículos para ganhar insencao. A minha família tem mais 3 carros é fora da realidade pagarmos 20.53 todos os dias para entrar e sair do município… A Paulinha contra argumenta dizendo que o valor de 20.53 não é muito, que é quase o valor de um estacionamento. Mas pera aí eu não sou uma turista que vou uma vez ao ano pra bombinhas. Estou lá sempre é meus pais vão todos finais de semana. Tenho certeza que tem um monte de veranista na mesma situação que tem casa lá a mais de 20 anos e também não tem como cadastrar todos os veículos da família. Pois a fatura da celesc do imóvel em bbs deve estar no nome do proprietário do veículo. Faz então uma taxa única 250.00 por ano para cadastrar qualquer placa e tem.livre acesso.
    outra os nativos estão ach ando um máximo a TPA.. Dizem que agora só vai entrar turista de qualidade.. Olha queridos bombinenses rico que se preze gosta de qualidade. Ele não se importa em pagar, mas quer qualidade, como entrar em bombinhas e ver a Leopoldo Zarling do jeito que está em plena pré temporada. Tem uma passagem secundária chamada de rua da vala, sim pois é um esgoto a céu aberto. Saneamento básico vcs não querem né? Isso vai afastar muitos turistas. O que não vai é afastar os turistas de baixa renda pois a TPA está custando pouco mais de 2 reais por moto.
    Se quisessem investir realmente em preservação ambiental pegava esses 6,8 milhões e investia em.limpeza das praias, trilhas, esgoto. Não investiria em câmeras para engordar os cofres municipais e investir esse dinheiro sabe Deus lá onde.
    Parabéns Paulinha Bombinhas andando de ré! !!

  • Laurence C. diz: 12 de novembro de 2014

    Até não me importaria em pagar um pedágio; desde que fosse autentico e não disfarçado de “Taxa de Preservação ambiental”. Mas para isso a estrutura viária do município teria de melhorar muito. Manter um único acesso e tarifa-lo é covardia…Além disso; suponho que Taxa de Preservação Ambiental deva ser algo cobrado por parques e reservas ecológicas que permitam acesso turístico limitado .Não por municípios que incentivam e sobrevivem do turismo em massa e da exploração imobiliária.

  • Lucas Silva diz: 12 de novembro de 2014

    Não precisa ser muito esperto para saber o que vai acontecer no julgamento. A ADI vai ser aprovada e a cobrança suspensa.

    Uma pena para os moradores de Bombinhas que vão ter que assumir os R$ 6 milhões de reais de um contrato inútil. Mas também merecem, afinal de contas, foram eles que elegeram quem ai está.

  • Jonas Glauco Santos diz: 12 de novembro de 2014

    Cada um tem o governante que merece… A população de Bombinhas tem o(a) prefeito(a) que merece, foi eleito(a) por eles… Cabe a nós BOICOTAR este município, um VERÃO SEM TURISMO, acaba com a principal fonte de arrecadação deste município.

  • Alexandre de melo diz: 12 de novembro de 2014

    Olha sei que pode até parecer hipocrisia da minha parte mas não vejo um grande absurdo como a maioria pois hoje você vai pra qualquer balada na região e paga entre 20 a 50 reais pra deixar o carro estacionado. Mas bombinhas ainda não poderia cobrar essa taxa pois e muito falha em infraestrutura. Começando pelos acesso precário. Mas quem conhece Fernando de Noronha e ilha bela em SP saberá que tiveram sucesso nesta cobrança. Eu sou a favor da cobrança.

  • rogeriocdia diz: 12 de novembro de 2014

    Quem mais polui Bombinhas, sujou o Brasil com suas falcatruas e agora vive a total liberdade em suas praias!
    Resta ao povo inculto pagar a conta…

  • andrea diz: 12 de novembro de 2014

    Parabéns Marcelo Baron tua colocação e lúcida, espero que a lucidez ilumine o dr. Ledio em sua decisão,se é para cobrar taxa que cobrem de todos, quer dizer que se uma excursão chegar a pé não serão taxados??

  • Genazio Monteiro diz: 12 de novembro de 2014

    Moro em Bombinhas,não sou nativo e trabalho em Porto Belo, sou a favor da cobrança do
    pedágio pois entendo que essa fila maluca vai diminuir 50%, esse ultimo domingo a vila foi
    ate as 11 horas da noite. E famílias que estão veraneando em Bombinhas, não ficam entrando e saindo todos os dias da cidade

  • Edson M. Lessa diz: 12 de novembro de 2014

    Tenho imóvel em Bombas. Já fiz meu cadastro. Máaaas… Sou a favor da cobrança, só depois que concluírem o segundo acesso ao município. Como ainda vai demorar décadas, deixa como está pra ver como é que fica.

  • Juliana diz: 12 de novembro de 2014

    Olha, so de gasolina que ficamos naqueles imensos congestionamentos .. gastamos pra pagar esse pedágio. O que eu apoio é, realmente é muito gente pra pouco espaço. Uma hora tem que limitar e as filas pararem! è ruim pra quem é de lá .. é ruim pro turista, e quem é de lá sabe q as ruas são horríveis o acesso é ruim e precisa melhorar! mais a população sozinha de lá não ta conseguindo arrecadar! Entao a temporada tem que dar lucro, e eles conseguirem fazer esgoto e as ruas serem afastadas etc !
    Etão so sendo desta forma mesmo!

  • cambada vag diz: 12 de novembro de 2014

    estamos nas mãos de dois políticos do regimen militar van contar historia
    pra outros

  • JEfferson diz: 12 de novembro de 2014

    Um absurdo, vou sempre a bombinhas para passar o verão, será uma cidade que irei tirar da minha lista de opções…. me nego a pagar a taxa, onde já se viu, cobrar p entrar na cidade, como se você já não fosse deixar o seu dinheiro no município com seus gastos pessoais… BRASILLLLLLLLLLLLLLLLL é isso ai !

  • Eduardo Neves diz: 12 de novembro de 2014

    O pedágio ainda não foi autorizado, e a prefeitura já tem uma empresa contratada por R$6,8 milhões para 2 anos de serviço. Isso só pode ser brincadeira, são R$283.333,33 por mês R$9.444,44 por dia . . . Isso só pode ser uma brincadeira de mau gosto.Cancela o pedágio e utiliza esse dinheiro para preservação ambiental. Com R$9.444,44 por dia, dá para fazer uma bela faxina na cidade, principalmente na Prefeitura. Uma pena, pois Bombinhas é uma paraíso.

  • José Carlos diz: 12 de novembro de 2014

    Com tantas praias lindas em SC, eu jamais iria pagar para ir a Bombinhas. Quem vai perder são os comerciantes da cidade. Porque a maioria das pessoas deixarão de ir para lá. Eu até já reservei hotel em outra cidade. Costumava ir a Bombinhas, não irei mais. Além do mais tem lugares bem mais bonitos. Bombinhas? Tô fora!

  • paulo ferretti diz: 12 de novembro de 2014

    quem quizer aproveitar 100%de dias de sol nas praias, venha para o CEARA,é bem mais barato e o povo muito acolhedor e não tem taxa em lugar nenhum.Jeri,canoa,cumbuco praia do futuro te esperam

  • Chicão diz: 12 de novembro de 2014

    E sobre o fato da prefa ter pago 6,8 mi por aluguel dos pardais cobradores ninguém fala nada?

  • PFAmaral diz: 12 de novembro de 2014

    Daqui à pouco, para aumentarem a arrecadação, só falta inventarem o “cocômetro”. Instalam no ânus de cada visitante na entrada da cidade, e quando sair é feita a conferência para a cobrança devida,hehehe.

  • Fernando Seabra diz: 12 de novembro de 2014

    A cobrança está eivada de vícios de fundamento, pois discrimina quem passar pelas câmeras de vigilância que custaram horrores aos cofres públicos, segundo a reportagem jornalística, 6,6 milhões, que já merece uma CPI. Aproveitam o acesso único para afunilarem ainda mais as dificuldades de entrar no município. A pretensa aplicação da arrecadação em favor do meio ambiente, a prefeitura diz estimar uma arrecadação anual de 5 milhões, façam as contas entre o gasto de instalação e a pretensa arrecadação, sem falar na manutenção do sistema, mesmo considerando dois anos. a aplicação no meio ambiente é uma falácia, pois não fiscalizam nada é só ver as construções na orla marítima, em terras de marinha. Olhem a cortina de construções ao longo da avenida de Zimbros que privilegia somente aqueles qua alí tem casas. Para construir em Bombinhas você tem de pagar uma suposta taxa a um suposto horto para compra de mudas que nunca as vi plantadas. Basta ver em Canto Grande uma enorme área de Mata Atlântica que está sendo invadida aos poucos, sem que a Prefeitura nada faça. Não estou listando os casos de agressões ao meio ambiente por listar é só verem e ficarem estarrecidos. Agora vem com a conversa que vão aplicar os recursos no Meio Ambiente é tampar o sol com a peneira. Faço votos que o Ministério Público vete esta medida até pelas razões elencadas na Medida Cautelar, mas por se tratar de um precedente perigoso, em se tratando de cobrança em outros municípios. Outras pessoas lúcidas também ja comentaram as obras que neste ano estão sendo realizadas na rua principal de acesso ao município em plena temporada de veraneio. A história conta que o Imperador Nero tocou fogo em Roma e agora a prefeita quer tocar em Bombinhas, e talvez ser lembrada na história.

  • Fernando diz: 12 de novembro de 2014

    Eu sou um que não piso mais em Bombinhas se esse “pedágio” for aprovado. Praias lindas, Quatro Ilhas, Atalaia e Tainha são maravilhosas, mas não insubstituíveis. Eu já pago imposto demais. Não é por não ter dinheiro pra pagar mais esse, é por simplesmente não concordar. Bombinhas não é Fernando de Noronha

  • Samille diz: 12 de novembro de 2014

    Um verdadeiro absurdo!!!! Sou proprietária de imóvel há 12 anos e nunca vejo melhorias na infra estrutura. Minha rua ainda é de barro e as poucas ruas que são calçadas foram os próprios moradores que fizeram. Bombinhas tem a 5ª maior arrecado de IPTU do estado por número de habitantes fixos. Grande parte dos ditos “veranistas” pagam IPTU, TAXA DE LIXO e não suam saúde, educação ou seja os serviços públicos onerosos aos cofres públicos. Ainda, o mais absurdo da tal lei é que limita o número de 1 veículo por residência. Por exemplo, na minha residência teremos que tirar no “dado” para ver qual carro cadastrar.

    Falando na reforça na geral de bombas, também gostaria de ressaltar que fizeram aquela divisão infame com paralelipípedos, e nem concertaram os buracos, ou melhor crateras da via. Na praia de ZIMBROS virou estacionamento para os barcos ficarem atracados, pois a entrada da praia (proximo a colonia de pescadores) está cheio de PEDRAS para o “futuro” molhe. Poxa vida, vai iniciar uma obre de molhe em zimbros em plena temporada de verão? Os banhistas estão disputando espaço com as embarcações espalhadas na areia.

    Espero que o TJSC faça realmente alguma coisa.

    No aguardo de uma decisão racional.

  • du diz: 12 de novembro de 2014

    os criadores dessa lei(se é q dá p chamar isso de lei)que arranjem outra maneira de roubar,deixa o povo ir e vir a vontade

  • Valdinei diz: 13 de novembro de 2014
  • carlos diz: 13 de novembro de 2014

    - Em primeiro lugar, não foi a prefeitura que adiou a cobrança de pedágio, e sim a justiça.
    - Em segundo, como pode ter moral de cobrar, se nem infraestrutura oferece p/ nós.
    - Se for dado favorável a cobrança, as outra cidade farão a mesma cobrança, pois se apoiarão nesta decisão, então vamos lutar p/não haver cobrança.

  • Marco Leandro diz: 13 de novembro de 2014

    Esta medida sem fundamento, e até arrogante, vai levar a uma menor visitação na cidade, consequentemente a uma baixa nas vendas do comercio e hotelaria. Acho muito mais interessante multar quem suja a cidade, ao invés de “penalizar” todos os visitantes. A solução é boicotar a cidade e visitar outras praias, que neste ponto, SC foi abençoada.

  • MARCELO IVO MELO VANDERLINDE diz: 13 de novembro de 2014

    A decisão, tomada dias antes do início da cobrança, mostra o despreparo das autoridades locais, que como dito na matérias, há poucos dias haviam mostrado pulso firme.

  • Pedro Pacas diz: 13 de novembro de 2014

    BOICOTEM BOMBINHAS, NÃO COMPACTUEM COM ESSA FALTA DE VERGONHA E DE CAPACIDADE DO PODER MUNICIPAL!

  • Pedro Pacas diz: 13 de novembro de 2014

    As cidade vizinhas de Bombinhas oferecem melhor infra estrutura, melhor rede hoteleira, transito meno caótico, e principalmente, você não paga nada para entrar na cidade. Cidades como Porto Belo, Itapema, Balneário Camboriú, governador Celso Ramos, Penha, Navegantes, e vária outras, oferecem praias tão bonitas quanto as de Bombinhas. Não pague para ficar passando perrengue e raiva em Bombinhas.

  • Antonio diz: 13 de novembro de 2014

    É ate rediculo a prefeitura de bombinhas querer cobrar esta taxa, sendo que nem serviço basico de fornecimento de agua no verao, onde o mesmo e muito precario,minha familia possui casa em Canto Grande, e a agua que chega para nós nao presta nem para lavar roupa, pois e muito amarela e mancha as mesmas, fora que o simples fato de se escovar os dentes com essa agua causa diarreia e vomito, temos varios amigos que passam a temporada em moradias de aluguel e camping que relataram o mesmo problema…. Caro turista nao quer ter diarreia, ficar dias sem tomar banho, e ficar trancado no transito por horas… nao venha para Bombinhas

  • Lilian diz: 13 de novembro de 2014

    A prefeitura (prefeita) é ridicula, preservação ambiental, nossa que coisa, arrancaram a vegetação do canto da praia para fazer um calçadão ridículo e medonho, arrancaram a avenida principal ( todo prefeito faz isso) às vésperas da temporada qdo o trânsito é um caos, pelamor, sem noção, que dó, que dó, santa incompetência ou sei lá como qualificar …

  • Pedro Pacas diz: 13 de novembro de 2014

    É Paulo, seria uma maravilha sem os turistas enchendo os restaurantes, os hotéis e pousadas, deixando dinheiro nos mercadinhos e no comercio. É claro, esqueci que bombinhas não dependo do turismo, esqueci que o comerciantes que ficam comendo mosca o ano todo enchem o bolso de dinheiro na temporada. Dinheiro esse trazido pelos turista que sujam, que consomem água, que vocês não tem, que se sujeitam a serem mal tratados e explorados. Acho que vocês devem manter essa TPA e criar outra mais, muitas mais. Assim terminamos com o turismo, a cidade morre de fome, ou volta a ser a vila de pescadores que seria sem o turismo. Dai sim essa TPA vai ter sentido, a natureza vai se recuperar totalmente, claro, sem pessoas por perto para atrapalhar. Cuspir no prato que come é feio hein Paulo. Se você não depende de turismo para sobreviver em Bombinhas, o que eu duvido, com certeza a grande maioria das pessoas que você conhece, depende!

  • Flavio Linhares diz: 14 de novembro de 2014

    O que mais me assusta é o valor que será pago a uma empresa particular, pela operação do referido pedágio. É muita grana, mas muita grana, hoje nas obras e serviços do poder público só se fala em MILHÕES.
    “O contrato deverá custar aos cofres públicos R$ 6,8 milhões para dois anos de operação” Então se é para preservar, se proíba circulação de veículos, de novas construções, que retirem as construções próximas da praia, das nascentes, dos rios.

  • Edivaldo diz: 15 de novembro de 2014

    Dia 08/12 vou passar as férias em Itapema, pretendo visitar Bombinhas e gastar meu dinheiro em restaurantes, lanchonetes e ambulantes da cidade,mas se cobrarem esse pedágio vou gastar em outra cidade, aí digo a esse prefeito: Bombinhas nunca mais!!!

  • James diz: 17 de novembro de 2014

    Idiota eu e meus familiares que fomos almoçar em bombinhas 16/11,saímos as 15:19hs fui pelo morro de bombas estrada horrivel cheguei em itapema 16;40hs o outro carro foi por dentro chegou em itapema 18;20hs, BOMBINHAS NUNCA MAIS….

  • Cesar Cunha diz: 18 de novembro de 2014

    A prefeita de Bombinhas perdeu o juízo.
    Quer cobrar pedágio e destrói a Av. Leopoldo Zarling em Bombas que da acesso as praias de Bombinhas, Canto Grande, Mariscal, Zimbros e Tainha.
    Pobre dos comerciantes do local que vão seriamente prejudicados justo na melhor época do ano.

  • Rafael diz: 26 de novembro de 2014

    Justificativa da prefeitura para cobrar a taxa: investir em preservacao ambiental. Minha opiniao: porque nao investem esses 6,9 milhoes que serao gastos em monitoramento. Se a cada 2 anos investir 6,9 milhoes, em poucos anos dá para fazer uma nova bombinhas com estacoes de tratamento de agua e de esgoto como nenhuma outra praia possui.
    Outra pergunta: porque a prefeitura nao multa os proprietarios dos imoveis que alugam para o dobro de pessoas que foram projetados???? E tb porque nao multam quem joga lixo na praia??? por sempre os bons devem pagar pelos maus??? e nesse caso da taxa, os bons empresarios tb serao penalizados pela diminuicao do turismo. Empresarios vcs serao prejudicados!!!
    Ja tem muita gente desistindo de ir para bombinhas neste verao.
    Alguém sabe se a taxa será por dia de permanência? Se eu ficar 20 dias pago 20 diárias? Ou é por entrada?

  • Junior diz: 10 de dezembro de 2014

    Para aqueles que concordam com a cobrança, que é para diminuir mesmo quem vai a Bombinhas, que vai virar paraíso não sei o que….só para lembra-los que sem turismo Bombinhas nem existiria, quem mantém os restaurantes, pousadas e hotéis, lojas e tudo mais na cidade.??…são os turistas…Santa ignorância de quem deu a idéia e mais ainda de quem apóia….

  • Cobrança de pedágio em Bombinhas fica para depois do Natal | Guarda-sol diz: 17 de dezembro de 2014

    […] A prefeita de Bombinhas, Ana Paula da Silva, anunciou nesta quarta-feira que a cobrança da Taxa de Preservação Ambiental (TPA), prevista para começar neste fim de semana, foi adiada para depois do Natal. Esta é segunda vez que o início do pedágio troca de data. […]

  • Paulo Eduardo Prust diz: 18 de dezembro de 2014

    Bom dia, acho absurdo a taxa, ninguém deveria ir para Bombinhas este ano, já imaginou se em todas as praias isso vira moda, e com certeza este dinheiro não terá o destino ambiental…

  • roger inacio diz: 31 de dezembro de 2014

    Infelizmente não visitarei mais este lugar!!! Por que tornou um ambiente de especulação financeira…os orgãos públicos (políticos locais em questão) tem que parar de arrancar dinheiro da população a qualquer custo…

  • LUIZ diz: 18 de março de 2015

    Do Rio x Bombinhas para rever meu amigo em apenas duas hora, pagar taxa para circular numa rua daquelas, e saber da Farra do Boi, so resta deletar esta cidade, sabendo que tem outras mais bonitas neste pais.

Envie seu Comentário