Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Osvaldo Reis entra enfim na pauta das reformas

17 de dezembro de 2014 2

Principal ligação entre Itajaí e Balneário Camboriú, a Avenida Osvaldo Reis deverá enfim integrar os projetos de mobilidade da região. A Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão assinou contrato com a empresa Engenharia Iguatemi para levantamento topográfico de toda a via.

Os estudos já começaram. Depois de prontos, servirão de base para um projeto de revitalização, que deverá incluir ciclovias, corredor exclusivo para ônibus e (até que enfim) novas calçadas.

Não será um projeto de rápida execução. Das vias que já passaram por projetos de revitalização em Itajaí (Reinaldo Schmithausen e Beira-Rio, por exemplo), a Osvaldo Reis é a que tem infraestrutura de acessibilidade mais precária.

Balneário Camboriú poderia se inspirar e melhorar o seu trecho de ligação com Itajaí. Em frente ao Posto Brava, onde há um ponto de ônibus, não há nenhuma faixa de pedestres próxima e pessoas se arriscam diariamente. Que tal uma elevada no local?

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (2)

  • pantaneiro diz: 17 de dezembro de 2014

    Quando vi a matéria/noticia fiquei alegre, mas, a alegria durou pouco: as melhorias serão pelas bandas de Itajaí! Por aqui, mormente nas bandas da UNIMED, é uma vergonha, pra não dizer caso de policia! Só não falo umas “verdades” d’algumas autoridades responsáveis por causa da censora Dagmara Spautz que ultimamente vem implicando com os meus “pitacos”, né?

  • Wilian diz: 18 de dezembro de 2014

    O que vejo é a prefeitura revitalizando ruas e avenidas, o que é necessário e deixa a cidade mais agradável e com um pouco mais de mobilidade para o pedestre, porém a cidade está estagnada em relação a novas ruas e avenidas. Reformam as velhas mas não criam nada de novo. Enquanto a via portuária se arrasta por anos, Navegantes fez a sua, BC fez o binário e está aumentando a 4ª avenida. Por que não ligar a Umbelino de Brito com a Abraao João Francisco, retirando boa parte do movimento das ruas Brusque e Uruguai? ou a Uruguai com a Alfredo Trompowski? O que vejo é que enquanto BC da um jeito, aqui temos que ficar fazendo infinitas voltas, curvas, passar por gargalos como o da Brusque/ Umbelino para chegar do ponto A ao ponto B. Uma pena que a cidade “mais rica” do estado, como noticiaram esta semana, não se mexa para melhorar o transito que é o mesmo de 1990!

Envie seu Comentário